Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

´´História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar`` - Luís Sepúlveda

Resumo da história e biografia do autor
by carlota gamito =P on 11 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ´´História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar`` - Luís Sepúlveda

Um tempo depois, Zorbas chegou à varanda de sua casa com os seus amigos Sabetudo, Colonello e Secretário, mas era tarde de mais. A pobre gaivota coberta de petróleo, já tinha falecido. Mas para surpresa de todos, junto dela estava um ovo. Resumo A história que li é sobre um gato grande, preto e gordo, que vivia no porto de Hamburgo (Alemanha)-Zorbas.
Numa manhã, estava Zorbas a tomar banhos de sol na varanda, quando alguma coisa lhe cai em cima. Levantou-se e foi ver o que era. Era uma gaivota coberta de uma substância escura e Após longos dias de choco, Zorbas começava a aborrecer-se. Mas numa certa manhã, estava ele a dormir quando o ovo se começou a mexer. Finalmente a gaivotinha estava a nascer.
Ao sair do ovo, o bicharoco de penas pequenas, brancas e macias, tinha fome, e Zorbas não sabia o que havia de lhe dar. História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar Luís Sepúlveda Antes do gato sair para procurar ajuda, a gaivota chama-o. Disse-lhe que com as suas últimas forças ía por um ovo e pediu-lhe que fizesse três promessas:
-Prometer que não comia o ovo;
-Prometer que cuidava do ovo até nascer a gaivotinha;
-Prometer que ensinava a gaivotinha a voar.
E o gato prometeu à gaivota que o faria. E nisto, saiu para procurar ajuda. Já à noite, os quatro gatos do porto, fizeram o funeral da gaivota-cavaram um buraco ao pé do castanheiro da rua e puseram lá o corpo sem vida, e começaram a miar uma música triste. E a eles se juntaram todos os outros gatos do porto de Hamburgo. Então Zorbas esperou que aparecessem umas moscas para dar à gaivotinha, e esta depois de comer, adormeceu. Nessa altura aproveitou para chamar os amigos para o ajudarem.

Nesse mesmo dia surgiu um problema, um amigo da família ía lá a casa para lhe dar comida e limpar-lhe o caixote. O que faria com a gaivota? fedorenta-petróleo.
O gato, vendo que a gaivota estava aflita, tentou ajudá-la, mas ela sabia que não ia sobreviver Ao ver o humano aproximar-se, o gato grande, preto e gordo só tem tempo de por a gaivotinha debaixo de um vaso, e sentar-se em cima deste e por causa disso o amigo que tratava dele passou a pensar que o gato estava doido.

Mais tarde voltou a surgir um problema, tinham de dar um nome à gaivota, mas não sabiam do sexo dela. Foi aí que chamaram o amigo Barlavento, um gato do mar, que tinha pelo ruivo.
O gato do mar foi ao encontro deles. Depois de chegar anunciou-lhes que a gaivota era uma fêmea. Agora só faltava dar-lhe um nome. No meio da indecisão, Barlavento sugere um nome, Ditosa. Todos concordaram.
Ditosa já estava no tamanho de adulta, mas ainda não voava, não queria voar, queria ser gato! Certo dia, ao ver três gaivotas a voar é que se apercebe que também ela tinha de voar.
Com a ajuda dos amigos gatos, ela tentou várias vezes, mas não conseguia.
Zorbas via-se aflito, pois tinha prometido à mãe de Ditosa que ensinava a sua cria a voar. O gato sentiu-se obrigado a recorrer a outro meio, pedir ajuda a um humano. Apesar de saber que estava a quebrar o mandamento de todos os gatos do porto de Hamburgo, era a única coisa que se podia fazer.
Zorbas contou aos amigos o que achava que tinha de ser feito, e eles passaram horas a discutir quem seria o humano a quem Zorbas iria falar. Ao acabar a reunião tinham decidido, escolheram um poeta que era o dono de uma gata muito bonita. Depois de falar com o poeta, Zorbas vai dar as notícias aos gatos e a Ditosa. Nessa mesma noite, o gato, a gaivota e o poeta subiram sob a chuva à torre de S. Miguel.
Do cimo da torre, o poeta e Zorbas encorajaram Ditosa a voar. Esta salta com as asas abertas, e afunda-se na escuridão. Quando esperavam que Ditosa tivesse caído, ela apareceu a voar, tinha finalmente aprendido a voar! Luis Sepúlveda nasceu em Ovalle, a 4 de Outubro de 1949. É um romancista, realizador e activista político chileno. Reside actualmente em Gijón, em Espanha, após viver entre Hamburgo e Paris.
Em 1969 vence o “Prémio Casa das Américas” pelo seu primeiro livro Crónicas de Pedro Nadie, e também uma bolsa de estudo de cinco anos na Universidade Lomonosov de Moscovo. Membro activo da Unidade Popular chilena nos anos 70, teve de abandonar o país após o golpe militar de Augusto Pinochet.

Algumas das suas obras são ´´As Rosas de Atacama``, ´´Contos Apátridas``, ´´Encontro de Amor num País em Guerra``, ´´História de uma Gaivota e do Gato que A Ensinou a Voar`` e ´´O Velho Que Lia Romances De Amor``. Biografia de Luís Sepúlveda 1.Autor - Luís Sepúlveda
1.1.Biografia
2.Título - História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
3.Narrador - Não participante
3.1.exemplo do texto -
4.Personagens - Zorbas, Kengah, Ditosa, Colonello, Secretário, Barlavento e Sabetudo
4.1.Principal - Zorbas
4.1.1.Características físicas e psicológicas - Era grande, preto e gordo / muito preguiçoso
4.2.Secundárias - Ditosa, Collonelo, Secretário, Barlavento e Sabetudo
5.Ação
5.1.Tempo
5.2.Espaço
5.3.Momentos principais
5.4.Resumo
5.5.recursos expressivos - «E tu? Que me dizes? - perguntou Zorbas dirigindo-se ao outro gato.» (personificação)
6.Opiniaõ individual . trabalho realizado por Carlota Gamito
6A n3
See the full transcript