Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os Templários e Hospitalários

No description
by Fagner Pereira dos Santos on 14 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os Templários e Hospitalários

Os Templários
e os Hospitalários

Os Templários
e os Hospitalários

As Ordens Militares Cristãs
As Ordens Militares religiosas foram criadas, motivadas e oficializadas,
pela necessidade de proteção as peregrinações da cristandade em alguns lugares sagrados ao Cristianismo, em especial à Terra Santa, pois o fato dos árabes habitarem nas terras da Palestina neste mesmo período contribuía para que ocorressem saques as comitivas cristãs que em muitas vezes eram compostas por nobres e até mesmo reis.

Mas como os árabes chegaram a palestina?
Os Árabes na Palestina
Com a divisão do Império Romano em 395, a região da Palestina passou a pertencer à sua porção oriental, que viria a ser conhecida como Império Bizantino. Com o surgimento do islamismo na Península Arábica no século VII, as tribos árabes se uniram e conquistaram largas porções do Império Bizantino, incluindo a Palestina.
As Cruzadas
Na época eram chamadas de peregrinação e guerra santa;

O termo Cruzada surgiu porque seus participantes se consideravam soldados de Cristo, distinguidos pela cruz aposta a suas roupas;

As Cruzadas eram também uma peregrinação, uma forma de pagamento a alguma promessa, ou uma forma de pedir alguma graça, e era considerada uma penitência;

Por volta do ano 1000 houve um grande aumento da peregrinação de cristãos para Jerusalém;
Fundação
A Ordem foi fundada por Hugo de Payens em 1118, com o apoio de mais 8 cavaleiros e do rei Balduíno II de Jerusalém.
Propósito
da Ordem Templária
Proteger os cristãos que voltaram a fazer a peregrinação em Jerusalém após a sua conquista.
Sua Notoriedade
Uma das mais famosas Ordens Militares de Cavalaria a serviço da igreja no período das Cruzadas;

- A força militar mais temida;

Ganhou privilégios e isenções pelo Papa Honório II.
A Ordem dos Templários
Os seus membros fizeram voto de pobreza e castidade para se tornarem monges, usavam mantos brancos com a característica cruz vermelha, e o seu símbolo passou a ser um cavalo montado por dois cavaleiros.
A regra dessa ordem religiosa de monges guerreiros (militar) foi escrita por Bernardo de Clairvaux. A sua divisa foi extraída do livro dos Salmos:
"Non nobis Domine, non nobis, sed nomini tuo da gloriam"
(Salmos. 115:1 - Vulgata Latina)
"Não a nós, Senhor, não a nós, mas pela Glória de teu nome"
(tradução Almeida).
Sua Regra de Fé
13 de Outubro
de 1307
1314
18 de Março
de 1314
1314
Na sexta-feira de 13 de outubro de 1307, os templários no reino da França são presos em massa por ordem de Filipe IV, o belo, então rei de França. O grão-mestre Jacques de Molay é capturado em Paris.
Imediatamente após a prisão, Guilherme de Nogaret proclama publicamente nos jardins do palácio real em Paris as acusações contra a ordem.
O rei pressiona para uma decisão relativa à sorte dos prisioneiros. Já num estado terminal da sua doença, com violentas hemorragias internas que o impedem de sair do leito, Clemente V ordena que uma comissão de bispos trate da questão. As suas ordens seriam a salvação dos prisioneiros ficando estes num regime de prisão perpétua sob custódia apostólica e assegurando ao rei que a temida recuperação da ordem não será efetuada. Perante a comissão Jacques de Molay e Geoffroy de Charnay proclamam a inocência de toda a ordem face às acusações dirigidas a ela, a comissão para o processo e decide consultar a vontade do papa neste assunto.
O ultimo Grão Mestre é morto
Ao ver que o processo estava ficando fora do seu controle e estando a absolvição da ordem ainda pendente, Filipe IV, o belo, decide um golpe de mão para que a questão templária fosse terminada. Ordena o rapto de Jacques de Molay e de Geoffroy de Charnay, então sob a custódia da comissão de bispos, e ordena que sejam queimados numa fogueira na Île de la Cité, pouco depois das vésperas, em 18 de março de 1314.
Na sua ira antes de ser queimado, DeMolay teria chamado o rei e o Papa a encontrá-lo novamente diante do julgamento de Deus antes que aquele ano terminasse - apesar de este desafio não constar em relatos modernos da sua execução. Filipe o Belo e Clemente V morreram ainda no ano de 1314.
Começa a perseguição aos Templários
A coroa e o Papa acusam a Ordem
A Ordem de Malta ou Cavaleiros Hospitalários (oficialmente Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta) é uma organização internacional católica que começou como uma ordem beneditina fundada no século XI na Palestina, durante as Cruzadas, mas que rapidamente se tornaria numa ordem militar cristã, numa congregação de regra própria, encarregada de assistir e proteger os peregrinos àquela terra.
Os Hospitalários
Os Hospitalários também tomaram parte nas Cruzadas e tinham seu hospital em Jerusalém. Mesmo depois do fim das Cruzadas, as quais tiveram um importante papel engrossando as fileiras de combate junto a outras ordens militares e ao mesmo tempo assistindo os feridos nas batalhas, a ordem continuou. A ordem enfrentou após as Cruzadas o Império Otomano em diversas batalhas, como a Batalha de Lepanto e o Cerco de Rodes.
Sua participação nas Cruzadas
Os Cavaleiros Hospitalários nos dias de hoje
Atualmente, a Ordem de Malta mantém relações diplomáticas com o Vaticano e com 104 Estados, onde possui, inclusive, embaixadas. Os representantes diplomáticos da Ordem são todos cidadãos malteses. A ordem ainda possui representação na ONU (tendo até um Observador Inter-nacional), e é filiada à Cruz Vermelha e a outras organizações internacionais. A Ordem de Malta atua como uma organização humanitária internacional, fundando hospitais e centros de reabilitação em diversos países, principalmente na África.
Douglas Favero Santana
Victor Tadeu Colodro
Fagner P. Santos
See the full transcript