Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Cola de breu e a química da colagem

No description
by Walysson Gama on 13 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Cola de breu e a química da colagem

OBRIGADO FATORES QUE AFETAM A COLAGEM COLAGEM DO PAPEL A colagem do papel ainda compete uma gama de operações no entanto tais operações ainda não foram definidas cientificamente no entanto as principais finalidades são tornar o papel resistente parcialmente a água e outros líquidos assim como os vapores. (Referência) MÉTODO DE COLAGEM “Proteção” das fibras"
Dosado à massa na forma de sabão (solúvel) ou de emulsão finamente dispersa (parcialmente saponificada ou não).
Adição de um agente precipitante comumente o sulfato de alumínio que coagula a resina
Transformação da fibra em papel
Ocorre a fusão do material precipitado (cilindros de secagem) CONCLUSÃO A preparação do BREU por mais rústica que seja, carece de intensa atenção e estudos, boa parte das analises realizadas garantE subsidio para estudos acadêmicos e até mesmo produções artesanais no entanto, o valor adequado no processo permite minimização de perdas e de incidência altas de custo, além da eficiência da colagem. QUÍMICA DA COLAGEM Dentre as teorias propostas que explicam a colagem interna permanece a “teoria eletrocoloidal” que segundo KLOCK (1998) considera as fibras com carga negativa enquanto o sulfato de alumínio em solução aquosa tem carga positiva.Essa diferença de carga favorece a precipitação sobre as fibras que forma uma proteção sobre elas e o excesso de alumina carrega-se positivamente. Logo a cola de breu em solução aquosa e a um pH 4,2=5,0 é negativa e atrai os conjuntos de fibra e alumina. Cola de breu e a Química da colagem O BREU é um resíduo obtido a partir da destilação da terebintina de certas espécies de coníferas.
Muito utilizado na fabricação de papel no preparo da cola de breu.
Apresenta cor amarelada, odor de pinho (terebintina) e sólido amorfo(quando em temperatura ambiente). Composição com grande parte de ácido abiético(resinóico) O BREU O breu é encontrado também em forma esterificada aplicada em tintas, produtos alimentícios, arcos de violino, viola, violoncelo e entre outros.
Na atualidade o a produção de breu é destinada à colagem interna do papel.
Utilizado para a produção de outros produtos, principalmente tintas.
Terebintina deriva de terebinto conífera fonte de oleoreesina na Ásia. Além das demais aplicações o breu também é muito utilizado em centro de estéticas (depilação) e indústria de borracha. PRODUÇÃO DA RESINA E SUA DESTILAÇÃO PARA OBTENÇÃO DE BREU Como já citado anteriormente, o processo de extração da resina se dá a partir da retirada de um painel de casca e aspersão do ácido sulfúrico a 50 % (sobre o lenho exposto) que mata as células circundantes ao local da aplicação, duplicando o tempo de exposição. A resina extraída é disposta em latão e posteriormente armazenada em tambores fechados e a partir daí começa o transporte para usina de destilação. A casca é retirada a cada 14 dias e o tempo de resinagem por árvore é de 6 anos de 3 anos cada face da resinagem (CORAIOLA,1978). Universidade do Estado do Pará
Curso de Tecnologia Agroindustrial Madeira
Disciplina: Papel e Celulose
Docente: Rosa Helena
Discente: Walysson Gama A extração do Breu a partir da resinagem de árvores de coníferas
A matéria prima para a produção do Breu é a goma-resina (breu,terebintina e água) extraida de Pinus elliottii e o pinus tropicalis.
O processo de extração do Breu se compara ao da seringueira, no entanto, ao invés de furos, abre-se um painel sobre a casca. COLAGEM DO PAPEL A colagem do papel é feita para que o material resista a penetração de líquidos, água ou soluções aquosas, existem dos tipos de colagem: Interna Quando os materiais de colagem são misturados a suspensão aquosas de fibras durante o processo de transformação em folhas caracteriza-se a colagem interna, quando os produtos colantes são aplicados na folha parcialmente seca denomina-se a colagem superficial. Papel com colagem: Embrulho, embalagens, sacos, escritas, sulfite entre outros.

Sem colagem: Toalhas, guardanapos, papel higiênico, filtros e outros. (KLOCK, 1998) PROPRIEDADES DA TEREBINTINA Densidade - 0,8696
Índice de refração - 1,472
Resíduo de destilação - 1,2%
Análise cromatográfica
- pineno - 48,5%
canfeno - 2,0%
- pineno - 41,0%
mirceno - 1,5%
não identificado - 7,0% FUNÇÕES DA COLAGEM Segundo (Referência) as principais funções de colagem são;
a) Prevenir o espalhamento da tinta de impressão, ou de escrever, sobre o papel;b) Tornar o papel mais resistente ã penetração de umidade, sem torná-lo totalmente impermeável;
c) Tornar o papel mais consolidado e mais rígido;
d) Aumentar a retenção de fibras, cargas e outros materiais adicionados ao papel (CORAIOLA,1978).
  Tal afirmação sustenta-se a partir do teste com emprego de sulfato de alumínio ou qualquer produto capaz de fornecer hidróxido ser essencial na obtenção de uma boa colagem (CORAIOLA,1978). O Agente principal da colagem é o BREU.
Sua qualidade é definida pela cor, pureza e número de ácido.Ponto de amolecimento - 63 – 82oC
Densidade - 1,045 – 1,086
Número de ácido - 140-168 mg KOH/g breu
Equivalente em ácido abiético - 0,750 – 0,900 g/g breu. Em seguida o sulfato de alumínio (serve como ajuste do pH da massa) e o alumínio de sódio (empregado em associação com o ácido sulfúrico ou sulfato de alumínio). No qual o primeiro fornece o hidróxido de alumínio por hidrólise: 
Al2(S04)3 + 60H- = 2Al(OH)3 + 3SO4 = 
E o segundo sofre hidrólise fornecendo também o hidróxido de alumínio conforme a reação:Na2Al204 + H2SO4 + 2H20 - Na2S04 + 2A1(OH)3 Segundo (REFERENCIA) Fatores que afetam a colagem são:
a) Perda de produtos químicos;
b) Condições de máquina altamente corrosivas;
c) Perda de permanência a resistência do papel;
d) Formação de depósitos, especialmente de alumina, devido ao excesso de alúmen introduzido;
e) Colagem irregular (CORAIOLA,1978). COLAGEM INTERNA COLAGEM SUPERFICIAL Diferente da colagem interna pois o agente de colagem (amido ou goma animal) aplicado à superfície do papel cimenta as fibras depositando um “filme” em parte contínuo que não será raspado pela pena quando o papel for escrito, não permitindo o espalhamento da tinta. Além do aumento da resistência à penetração de óleo aumentada (KLOCK, 1998) REFERÊNCIAS Fonte: (CORAIOLA,1978) Fonte: (CORAIOLA,1978) BAENA, Eliseu de Souza. Análise da viabilidade econômica da resinagem em pinus elliottíi Engelm. Var.elliottii nas regiões sul do estado do Paraná e sul e sudoeste do estado de São Paulo. 1994. 107 f. Tese (Pós-Graduação em Engenharia Florestal) – Universidade Florestal do Paraná, Curitiba, 1994.
CORAIOLA, Ricardo. Obtenção e Utilização da Cola de Breu para a Fabricação de Papel. SEMINÁRIO: “Resina de Pinus Implantados no Brasil”. Circular Técnica n. 40. IPEF: Piracicaba (SP), 11 a 12 maio de 1978.
KLOCK, Umberto. Polpa e papel. Série Didática. Curitiba: FUNPEF Paraná, n. 04/98. 1998.
See the full transcript