Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

António Gedeão

No description
by

Andreia Gomes

on 19 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of António Gedeão

Biografia
Lágrima de Preta


Encontrei uma preta

que estava a chorar,

pedi-lhe uma lágrima

para a analisar.



Recolhi a lágrima

com todo o cuidado

num tubo de ensaio

bem esterilizado.



Olhei-a de um lado,

do outro e de frente:

tinha um ar de gota

muito transparente.




Curiosidades

Rómulo, foi batizado com este nome em honra do protagonista de um drama escrito num folhetim de jornal.
Aos 5 anos escreve os primeiros poemas e aos 10 decide completar "Os Lusíadas" de Camões.
A data do seu nascimento foi adotada em Portugal, em 1996, como Dia Nacional da Cultura Científica
Teve dois filhos, Frederico de Carvalho, também formado em Ciências, e Cristina Carvalho, escritora
António Gedeão, afirmava em 1989: "continuarei a escrever poesia até ao último suspiro. Suponho que o último suspiro será um verso."
A sua escultura no Parque dos Poetas foi construída em mármore de Lioz devido a um poema seu com o nome de "Poema de Pedra Lioz"

António Gedeão

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.
Pedra Filosofal
Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.
Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.
Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.
Mandei vir os ácidos,

as bases e os sais,

as drogas usadas

em casos que tais.



Ensaiei a frio,

experimentei ao lume,

de todas as vezes

deu-me o que é costume:



Nem sinais de negro,

nem vestígios de ódio.

Água (quase tudo)

e cloreto de sódio.
Análise Formal:
O poema é constituido por 6 estrofes, todas elas quadras
Rima cruzada em B,C, E,F,I,M
Rima cruzada e emparelhada em D
E as restantes sao versos soltos
Métrica: 5 silabas metricas Ex: En/con/trei u/ma/ pre/ta
Figuras de estilo: "Ensaiei a frio, experimentei ao lume" (versos 17,18)- Antitese
"Nem sinais de negro nem vestígios de ódio" (versos 21, 22)- Metáfora e Anáfora

Análise do Tema:
O poema têm como tema central o preconceito perante os escravos da época
Em que o poeta análisa uma lágrima de preta com o objectivo de a distinguir das lágrimas das restantes pessoas.
António Gedeão recolhe-lhe a lágrima num tubo de ensaio bem esterilizado, observa-a em várias posições para ver se denota alguma impureza, mas, sem sucedido
Análise Formal:
O poema é formado por 4 estrofes, 2 sextilhas e duas irregulares de 12 versos e 24
Rima emparelhada em B, E,F, G, I, J,L,M,O,Q,S,U
Rima interpolada em A,I,N,P,R,T,X
Rima cruzada em Q, Z
Silaba métrica: Maioritariamente sete sílabas métricas
Figuras de estilo: "como esta pedra cinzenta" (verso 4) - comparação
"o sonho é vinho, é espuma, é fermento" - metáfora
Rómulo Vasco da Gama de Carvalho nasceu a 24 de Novembro de 1906 em Lisboa.
Como em sua casa existia uma paixão pela literatura por parte da sua mãe , esta foi lhe trasmitida o que o incentivou a começar a escrever.
Ao entrar para o liceu Gil Vicente, toma pela primeira vez contacto com as ciências, e desperta nele um novo interesse.
Este fator mostra-se decisivo aquando da sua entrada na Universidade, pois, embora amasse literatura,esta não se mostrava a melhor escolha
Cresceu, juntamente com as irmãs, numa casa modesta da rua do Arco do Limoeiro, num ambiente familiar tranquilo.
Estudou Ciências Fisico-Química na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.
Em 1932, um ano depois de se ter licenciado, forma-se em ciências pedagógicas na faculdade de letras do Porto, tornando-se professor e pedagogo.
Foi um académico efectivo da Academia das Ciências de Lisboa e Diretor do Museu Maynense da Academia das Ciências de Lisboa
Faleceu, a 19 de Fevereiro de 1997, com 90 anos
Análise Tema:
O tema do poema é o sonho, onde este é entendido como a base do progresso e da evolução do ser humano. O sonho “é uma constante da vida”, ou seja que nunca paramos de sonhar e de certa forma isso nos leva a realização pessoal.
O título do poema – Pedra Filosofal – remete para a alquimia,associando o sonho humano à magia dos alquimistas, sugerindo que este, tal como a pedra filosofal poderia transforma em ouro as fraquezas e as pequenas ambições dos humanos

1º Primeiro nome do poeta
2º Data de nascimento
3º Titulo do primeiro poema apresentado
4º Tema do segundo poema apresentado
5º Profissão da filha
6º Sua paixão, para alem da literatura

Jogo
Full transcript