Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Modelo Lata de Lixo

Seminário 3 - Breve visão sobre o Modelo Organizacional Lata de Lixo

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Modelo Lata de Lixo

Seminário 3
Considerações Finais
As características de anarquia organizada estão presentes em qualquer organização em parte - ou parte do tempo. Elas são particularmente notáveis em organizações públicas, organizações educacionais e organizações ilegítimas (crime organizado, transporte clandestino, contrabando, jogo do bicho, etc ...). A teoria descreve um parcela de quase todas as atividades de qualquer organização, mas não descreve todas elas.

Nos dias de hoje, podemos identificar estas características em universidades, empresas startup, "em quase todos" os ambientes organizacionais de T.I, etc ...
Professora: Dra. Luciana Massaro Onusic
Teoria das Organizações
Teoria Neoclássica - Parte II
Modelo lata de lixo de escolha organizacional
"A Garbage Can Model of Organizational Choice" (1972)
O Modelo da Lata de Lixo leva ao extremo a visão desestruturada do processo de tomada de decisão, tendo outro ângulo de enfocar a questão. As organizações tendem a produzir muitas "soluções" que são descartadas no lixo devido a uma falta de problemas. Mas podem surgir problemas cuja solução se encontra nesse “lixo”.

Como a realidade enfrentada pelas empresas está distante do processo definido no Modelo Racional, aproximando-se mais para lidarem com as incertezas do ambiente, elas estão constantemente tomando decisões de maneira não programadas, desestruturadas e como uma lata de lixo.

O modelo lata de lixo é um modelo de comportamento organizacional desenvolvido por Cohen, March e Olsen, que descreve a cultura dessas instituições como sendo uma
anarquia organizacional
. Anarquias organizadas não contam com a hierarquia vertical normal das regras de decisão de autoridade e burocrático. O modelo leva esse nome porque as latas de lixo revelam muito sobre o estilo de vida, e os interesses dos indivíduos.

Para compreender os processos dentro das organizações, pode-se visualizar uma oportunidade de escolha como um lata de lixo em que vários tipos de problemas e as soluções, são despejados por participantes da maneira como são gerados. A mistura do lixo em um único, pode depender da variedade de latas disponíveis, dos rótulos anexados, a variedade de lixo, e da velocidade com que o lixo é recolhido e removido da cena.
Modelo lata de lixo
Michael D. Cohen
(1945-2013)
James G. March
(1928)
Johan P. Olsen
(1939)
Aluno: Marcelo Augusto Moraes Leonardeli Matrícula: 89132
Características da anarquia organizada
Resultam de três características:

1-Preferências problemáticas
Objetivos, problemas, alternativas e soluções são mal definidas. Ambiguidade caracteriza cada etapa de um processo de decisão. Podem ser definidas mais como um conjunto disperso de ideias, do que como uma estrutura coerente; preferências são mais definidas através da ação.

2-Tecnologia mal compreendida
Relações de causa e efeito dentro da organização são difíceis de identificar. Não existe uma base de conhecimento disponível, que se aplique às decisões.

3-Participação fluida
Alta rotatividade de participantes. Além disso, os funcionários se esforçam para se dedicar a diferentes atividades e só têm um tempo limitado para alocar a qualquer problema ou decisão. Como resultado, os limites da organização são incertos e mutáveis, e decisões são tomadas por tipos particulares de escolha pessoal.

Fluxos de eventos
Os quatro fluxos são:

1-Problemas
Só os mais graves desencadeiam processos de decisão. Normalmente os indivíduos passam pelo "lixo" e procuram uma correção adequada, chamada de "solução". Um problema pode levar a uma proposta de solução, ou talvez não.

2-Possíveis

Soluções
 Têm vida própria, são diferentes dos problemas que podem ser chamadas a resolver. As soluções são respostas à procura de um problema e podem ser trazidas para a organização por meio de novos funcionários, ou, pelo RH existente. Estas ideias formam um fluxo de soluções alternativas através da organização, e os funcionários podem ser atraídos a certas ideias e empurrá-las como escolhas lógicas, independentemente de problemas.

3-Oportunidades de decisão
São ocasiões em que uma empresa geralmente toma uma decisão. Elas ocorrem quando os contratos são assinados, as pessoas são contratadas, ou um novo produto é autorizado. Também podem ocorrer quando existir a mistura certa de participantes, soluções e problemas. Um gerente que participou de um curso, pode de repente se tornar ciente de um problema e fornecer à organização uma excelente oportunidade de escolha, que muitas vezes resulta em decisão.

4-Participantes
 Eles vêm e vão, variando entre os problemas e as soluções. Podem ter idéias de problemas ou soluções “ favoritas” que carregam consigo, até que sejam capazes de compartilhá-las com os outros e fornecer uma solução para um problema. As pessoas são contratadas, transferidas ou demitidas. Os participantes variam muito em suas ideias, percepção de problemas, experiências, valores e bagagem técnica.


O modelo foi desenvolvido para explicar como o modo das tomadas de decisão afetam as organizações que possuem altos níveis de incerteza. Isso ocorre por três motivos: prioridades mal definidas, pouco entendimento da tecnologia e alta rotatividade dos cargos da organização.


Ele não vê o processo de tomada de decisões como uma sequência de passos que começa com um problema e termina com uma solução, pelo contrário, as decisões são efeitos de uma cadeia independente de eventos dentro da organização. Eles podem ser problemas pontuais, soluções possíveis, participadores e oportunidades de escolha. A organização é uma "lata de lixo" onde tudo é atirado.

Embora a organização consiga sobreviver e até mesmo produzir, seus próprios processos não são compreendidos por seus membros. Atua com base nos simples procedimentos de tentativa e erro, o resíduo do aprendizado com os acidentes de experiências passadas e invenções pragmáticas de necessidade.


Linguagem de programação Fortran Programa Modelo lata de lixo
Exigência de Energia Carga Leve
Sob esta condição a energia necessária para fazer uma escolha é 1,1 vezes o número de problemas ligados a essa escolha. Isto é, a energia necessária para cada problema é de 1,1, Assim, a energia total eficaz mínimo requerido para resolver todos os problemas é 22.
Exigência de Energia Carga Moderada
Sob esta condição, a energia necessária para cada problema é de 2,2. Assim, a energia necessária para fazer uma escolha é 2,2 vezes o número de problemas associados a essa escolha, e a energia mínima eficaz necessária para resolver todos os problemas é 44.
Referências Bibliográficas
Cohen, M.D., March, J.G., & Olsen, J.P. (1972). A Garbage Can Model of Organizational Choice. Administrative Science Quarterly. 17, 1-25.

Daft, Richard L. (2009). Organization Theory and Design, Tenth Edition.
470-473

Consequências
Há quatro consequências específicas que o modelo lata de lixo pode proporcionar:

1. As soluções podem ser propostas mesmo quando os problemas não existem.
Um empregado pode ter uma boa ideia e tentar vendê-la para o resto da organização. Um exemplo foi a adoção de computadores por muitas organizações durante os anos 1970. O computador parecia uma solução interessante e foi empurrado por fabricantes e analistas de sistemas dentro das organizações. O computador não conseguiu resolver nenhum problema inicialmente e causou alguns novos.

2. As escolhas são feitas sem a resolução de problemas.
A escolha, por exemplo, a criação de um novo departamento ou revisão de procedimentos de trabalho pode ser feita com a intenção de resolver um problema, mas, em condições de elevada incerteza, a escolha pode estar incorreta. Podem ocorrer escolhas que não resolvam os problemas, afetadas por corte no orçamento, desligamento de funcionários, alteração de chefia, etc ...

3. Problemas podem persistir sem serem resolvidos.
Funcionários da organização se acostumam com certos problemas e desistem de tentar resolvê-los: ou os participantes podem não saber como resolver certos problemas, porque a tecnologia não é clara.

4. Alguns problemas podem ser resolvidos.
Simulação Computacional
Variáveis da estrutura organizacional
Quatro variáveis básicas são consideradas, cada uma é em função do tempo.

Fluxo de escolhas
Um número fixo de opções é assumido.
(a) um tempo de entrada, o calendário momento em que essa escolha é ativada para decisão.
(b) a estrutura de decisão, uma lista de participantes elegíveis para participar na tomada de essa escolha.

Fluxo de problemas
Cada problema é caracterizado pelo:
(a) um tempo de entrada, o calendário tempo em que o problema se torna visível,
(b) um requisito de energia, a energia necessária para resolver uma escolha para a qual o problema está ligado.
(c) um acesso estrutura, uma lista de opções à qual o problema tem acesso.

Fluxo de soluções
Uma solução de coeficiente, variando entre 0 e 1, opera nas energias potenciais de decisão para determinar a resolução de problemas de saída efetivamente realizado durante todo o dado período de tempo especificado.

Fluxo de energia dos participantes
Cada participante é definido por uma série temporal de energia disponível para tomada de decisão organizacional; em cada período de tempo, cada participante pode fornecer uma certa quantidade especificada de energia potencial para a organização.
Valor da variáveis no
exemplo apresentado
(a) Um conjunto de parâmetros fixos que não mudam de uma variação para o outro,
(b) os horários de entrada para escolhas,
(c) a entrada vezes para os problemas,
(d) a carga de energia líquida sobre a organização,
(e) a estrutura de acesso da organização,
(f), a estrutura de decisão da organização, e
(g) a energia distribuição entre os tomadores de decisão na organização.

(a) o número de períodos de tempo é
20
anos, (b) o número de oportunidades de escolha é
10
, (c) o número de tomadores de decisão é
10
, (d) O número de problemas é
20
(e) Os coeficientes de solução para os
20
períodos de tempo –
0.6
para cada período.

Duas sequências geradas aleatoriamente ao longo dos primeiros 10 períodos de tempo:
(a)
10,7,9,5,2,3,4,1,6,8
ou (b)
6,5,2,10,8,9,7,4,1,3


Da mesma forma, duas sequências geradas aleatoriamente diferentes dos tempos de entrada, ao longo dos primeiros 10 períodos de tempo:
(a)
8,20,14,16,6,7,15,17,2,13,11,19,4,9,3,12,1,10,5,18
ou (b)
4,14,11,20,3,5,2,12,1,6,8,19,7,15,16,17,10,18,9,13

A
energia total disponível
para a organização em cada período de tempo é de 5,5 unidades. Assim, o total de energia disponível para 20 períodos de tempo é de 20 x 5,5 = 110 - coef. soluções =
66.
Modelo lata de lixo
Exigência de Energia Carga Pesada
A energia necessária para fazer uma escolha é 3,3 vezes o número de problemas ligados a essa escolha. A energia mínima eficaz necessária para resolver todos os problemas é de 66.
Mesmo neste cenário, a empresa ainda teria condições de resolver o problema !
Full transcript