Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

METROPOLE NA PERIFERIA DO CAPITALISMO

No description
by

Magno Martins

on 20 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of METROPOLE NA PERIFERIA DO CAPITALISMO

design by Dóri Sirály for Prezi
Ermínia Maricato
Arquitetura e Urbanismo
Drielle + Miriam + Eudes + Gabriel + Leandro + Magno
Tatiane Ribeiro Roselli
8º Semestre
Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo (1989/1992)
Possui Graduação (1971), mestrado (1977), doutorado (1984) e Livre Docência (1996) em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo.
URBANISMO NA PERIFERIA DO CAPITALISMO: DESENVOLVIMENTO DA DESINGUALDADE E CONTRAVENCAO
ENTRE O LEGAL E O ILEGAL: MERCADO E ESCASSEZ
SEGREGACAO AMBIENTAL E VIOLENCIA URBANA:
O uso ilegal do solo e a ilegalidade das edificações em meio urbano atinge mais de 50% das construções nas grandes cidades brasileiras
Ilegalidade desigualdade e violência.

SEGREGAÇÃO AMBIENTAL E VIOLÊNCIA URBANA

URBANISMO NA PERIFERIA DO CAPITALISMO: DESENVOLVIMENTO DA DESIGUALDADE E CONTRAVENÇAO
ENTRE O LEGAL E O ILEGAL:
MERCADO E ESCASSEZ

Os moradores do campo os quais eram em média 70 a 80%, em relação a população total do Brasil migrou
para zona urbana em busca de melhores de condições de vida.

LEI Nº 10.257. DE 10 DE JULHO DE 2001

Aqui a autora deixa bem claro sua indignação pela demora na tomada de providências em relação a política Urbana.

* Lembrando que este livro fora publicado em julho de 1995.

O então eleito Presidente da Republica não apresentou no programa de governo uma proposta de política urbana.

Em análise no Congresso Nacional desde 1983.

A falta em gerir política de habitação, saneamento e transportes urbanos como setoriais é grave, acaba por gerar uma enorme incompreensão da gestão de uso do solo, injustiça social, agressões ambientais...

Conseqüentemente gerando o tema mais famoso hoje em dia violência urbana, uma preocupação geral da população.

A Ausência Da Política Urbana
Exclusão Social
A fragmentação, a dualização, a favelização e o isolamento da pobreza, atingem não somente o Brasil, mas também cidades britânicas e norte americanas.

A exclusão social acompanha o processo de Industrialização / urbanização brasileiros.
Paradigmas constantes do capitalismo brasileiro.

EUA – 56 milhões de pobres
O maior índice de pobreza da história do país em acelerado crescimento – Estatísticas publicadas - Census Bureau 2010

Não chegou com a Globalização e sim com a explosão da violência Urbana - Violência expressa / homicídios- Constitui com a exclusão econômica , social, cultural, legal e ambiental.

Sociedade Tão Desigual
Trata-se de um conceito classista da sociedade, onde prioriza a defesa do patrimônio individual antes de priorizar a integridade do trabalhador ou da criança.

A violência institucionalizada - esta presente nas relações de trabalho.

Sistema de saúde.

Violência institucionalizada na ação da própria policia

Transportes congestionados durante longos percursos.

Concentração das rendas e
privilégios
O crescimento dos homicídios e latrocínios- ao lado de roubos, seqüestros, assaltos, etc... Aumenta demais a partir dos anos 80 – uma questão que todo cidadão brasileiro notou desde então.

Crescimento da violência
Estudo comparativo da violência, aponta 47% nos homicídios acima do crescimento populacional
O Censo de 1991 que um aumento era notável , a elevação do numero de mortes de crianças e adolescentes assassinados
Entre 1983 e 1994, a taxa de homicídios passou de 23 para 124 por 100 mil habitantes, um aumento de 540% em 11anos
www.seade.gov.br
Levantamento realizado pela
prefeitura de Florianópolis
( menos de 300mil habitantes)
Entre os favelados da cidade,
Surpreende os funcionários do
município, onde o maior
preocupação da população que é
carente de inúmeros serviços
urbanos, não é transportes, saúde ou abastecimento, mas sim o trafico de drogas
Violência e Drogas
Em João Pessoa na Paraíba esta preocupação é com a segurança.

O aumento da delinqüência
Segundo James Petra, professor Universidade Estado Nova York, em seus estudos de 1950 á 1988, não é a pobreza a causa direta do aumento de roubos e homicídios, mas a perda da integração na sociedade, a estabilidade familiar, o desemprego
Exclusão é
um todo
(discriminação em relação a raça, cor, origem, gênero, idade)
Sociais
Culturais, econômicos
(menores oportunidades de emprego, salários mais baixos...)
Políticos
(ausência da cidadania)
Ambientais
( dificuldade de acesso aos serviços de infraestrutura urbana.

A violência discrimina
também o local da moradia
Pesquisa ISER- Rio de Janeiro
“ Se você é branco, próspero, instruído, provavelmente mora em uma região da cidade em que é raro o crime de morte. Para os pretos e pardos , do sexo masculino, jovens entre 18 e 29 anos, pobres, residentes em áreas caracterizadas pelo baixo índice médio de escolaridade, os riscos se elevam e a situação pode chegar a ser grave. (ISER, 1994)”.

Ilegalidade nas relações do trabalho
A violência discrimina também o nível educacional
Ilegalidade nas ações da policia
Ilegalidade na moradia

Nestes casos o Estado não esta simplesmente ausente, mas sua presença pode se dar de forma incerta e sentenciaria
Promessas de governo.
Eleito Senador de São Paulo em 1994.

Infelizmente muitos eleitores acreditaram e de fato ainda acreditam nas promessas em relação a segurança
Urbanismo
Contribui sem duvida para um mercado imobiliário capitalista, de relação de subordinação, de repressão, ou de segregação no espaço urbano. Nas áreas de concentração de pobreza nas metrópoles brasileiras o conflito não esta entre o espaço social e sim nas lutas pela regularização fundiária, ou pela implantação de infra estrutura nas áreas de ocupação ilegal.



Destacando o empilhamento entre o espaço, economia e sociedade no desenvolvimento da violência.

Estudos do IBGE/ PMSP 1993, Afirmam que o numero de homicídios cresce ainda mais nos municípios (regiões) onde a infra estrutura básica é precária, isso não é apenas coincidência. Essas regiões possuem as maiores taxas de analfabetismo, as maiores taxas de mortalidade proporcional em menores de 1 ano de idade, a maior proporção da população morando em favelas, maiores taxas de congestionamento habitacionais. Onde constata-se que nossa sociedade produz verdadeiras “ bombas sócio-ecológicas”.

Violência.
http://www.1cn.com.br/2010/9/1/taxa-de-homicidios-no-pais-cresce-32-em-15-anos-diz-ibge-4140.htm

Essa concentração se deve ao Estado?
A imobilidade de tão grande números de pessoas leva a cidade a se tornar um conjunto de guetos e transforma sua fragmentação em desintegração (Santos 1990).

http://geoconceicao.blogspot.com.br

O que contribui para este aumento.
Este de conjunto fatores gera...

www.peroladecultura.blogspot.com 

Má localização (segregação ambiental.

A falta de moradia digna.

O aumento do desemprego

As testemunhas da cidade oculta
As manifestações culturais que reúnem a massa de jovens pobres ( especialmente negros) moradores das periferias metropolitanas , começam a merecer atenção da mídia e de estudiosos.


Racionais MC - Este são moradores da periferia localizada na Zona Sul de São Paulo, onde os indicadores mostram os altos índices de homicídios.

Racionais MC
* 2 Letras que passam a realidade sentida na pele.

HOMEM NA ESTRADA
Letra de Mano Brown

FIM DE SEMANA NO PARQUE
Letra de Mano Brown

Bibliografia
http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI287190-17155,00-EMPRESARIO+SO+MAS+PROTEGIDO.html

http://www.cronologiadourbanismo.ufba.br/biografia.php?idVerbete=1423&idBiografia=76

WWW.muitasbocasnotrombone2.blogspot.com

http://wacandido.blogspot.com.br/2010/10/violencia-urbana.html

http://www.forumdaconstrucao.com.br

www.scielo.br

http://g1.globo.com

www.acervo.epsjv.fiocruz.br
http://geomixgeo.blogspot.com.br/2010_06_01_archive.html

Década de 40.
Crescimento desordenado.
A partir dessaS atitudeS
Surgem então:

Inúmeras ocupações ilegais e os demais problemas provenientes dessas ocupações.

Ilegalidade e Exclusão
Muitas vezes as empresas responsáveis pela infra estrutura básica naquele município se negam a realizar o serviço, pela área estar irregular
E com certeza essas melhorias fariam com que as condições de vida daquela população seria bem melhor, principalmente em relação a saúde!

Como aconteceu no Regime Militar em São Paulo, a SABESP realizou diversas melhorias em áreas ilegais, o que diminuiu a mortalidade infantil nas regiões
atendidas.

É notável o distanciamento entre quem pensa a cidade nos executivos municipais e quem exerce o controle urbanístico
A legislação detalhista e "rigorosa" contribui para a prática de corrupção e constitui um exemplo da contradição entre a cidade do direito e a cidade do fato.

Enquanto os imóveis não têm valor como mercadoria, a ocupação ilegal se desenvolve sem interferências do Estado. Quando os imóveis adquirem valor de mercado por sua localização, as relações passam a ser regidas pela legislação e pelo direito oficial.


A “lei do mercado” é mais efetiva do que a norma legal.
A população favelada cresce a taxas muito maiores que a população da cidade como um todo
Muitos terrenos ocupados por favelas estão situados no núcleo hegemônico, desvalorizando os imóveis do entorno
Além do interesse econômico, a exclusão social é omitida porque a ausência de informações junto à chamada opinião pública, permite a mistificação
A ausência do saneamento básico é o fator principal da disseminação de epidemias
A violência que eclodiu a partir dos anos 80, massa de excluídos do mercado de trabalho e de consumo, além de excluída dos serviços e infraestrutura urbanos
As reformas urbanísticas expulsaram a “massa sobrante” (negros, pedintes, pessoas sem documentos, desempregados de um modo geral) dos locais urbanos mais centrais ou mais valorizados pelo mercado em transformação.

Mais do que a cidade colonial ou imperial, a cidade, sob a República, expulsa e segrega
De 1940 a 1980 a população urbana passa de 26,35% do total para 68,86%.

Até o trabalhador da indústria é levado a morar em favelas, já que nem os salários pagos por ela e nem as políticas públicas de habitação são suficientes para atender as necessidades de moradias regulares, legais.

A "distribuição" das moradias populares em troca de favores políticos contribuíram para a alta inadimplência no pagamento das prestações, já que a relação de favor não permitia a cobrança mais rigorosa
Outro fato que contribuiu para o crescimento de favelas, foi a promulgação da lei federal 6766 em 1979
As leis municipais de parcelamento do solo são mais exigentes do que a lei federal.
Mas ela trouxe a novidade da criminalização do loteamento ilegal
DISTRIBUIÇÃO DA RENDA - BRASIL 1981/89

50% mais pobres...............10,4% da renda
01% mais ricos..................17,3% da renda

Em 1995, o Relatório de Desenvolvimento do Banco Mundial, aponta o Brasil como o país de maior desigualdade social do mundo.

Durante os anos 80 a população urbana brasileira cresceu, chegando a representar 76,3% do total.

O ajuste do capitalismo internacional nos anos 70 trouxe um aprofundamento das características de exclusão social


o aprofundamento da miséria que vem com a globalização, irá acarretar uma explosão de violência em escala até então desconhecida e que será denominada de violência urbana
Projeto Urbano - Cidades
Full transcript