Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

silencio

No description
by

Maurício Beck

on 10 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of silencio

Maurício Beck
Pós-doc FAPERJ/UFF
pardalbeck@gmail.com Língua, silêncio e subtração subjetiva Com a resistência caminha e se levanta um silêncio terrível: o silêncio que acusa e põe o dedo na ferida. EZLN O Fascismo da Língua "a língua, como desempenho de toda linguagem, não é reacionária, nem progressista, ela é simplesmente: fascista; pois o fascismo não é impedir de dizer, é obrigar a dizer.” BARTHES. Céticos clássicos O mel aparece para nós como doce (e isto nós garantimos, pois nós percebemos doçura através de nossos sentidos), mas se ele é também doce em sua essência é para nós matéria de dúvida, uma vez que isso não é uma aparência, mas um julgamento com relação à aparência. SEXTUS EMPIRICUS Pode o sujeito se subtrair ao rito discursivo? Uma vez interpelado o indivíduo em sujeito, há possibilidade de recusar a injunção ao dizer ? Há como não tomar posição em dado ritual, cujas coordenadas pre-estabelecidas não potencializariam uma ruptura com o funcionamento reprodutivo da ideologia? "O fato primordial não é o Silêncio (à espera de ser quebrado pela Palavra divina), mas o Ruído, o murmúrio confuso do Real..." Zizek Abade Dinouart Arte de Calar arte de fazer alguma coisa ao outro pelo silêncio”. Espécie de semiótica do silêncio permeada por uma ética da prudência atenta às circunstâncias “conforme o tempo e o lugar em que se está no mundo” "O Silêncio tem sido uma das repostas dos zapatistas à estratégia de guerra do governo. [...] Ironicamente, o silêncio do comando se ouve com a mesma força que sua palavra de ontem. Longe de ter perdido espaço na vida política nacional, o zapatismo se mantém, sem publicar uma só frase, no centro da tormenta. “Quem permanece em silêncio é ingovernável”, disse Ivan Illich."
Navarro Illich "O homem é dono do que cala e escravo do que fala."
Freud PREFERIA NÃO FAZER

"A fórmula germina e prolifera.
A cada ocorrência, é o estupor em torno de Bartleby, como se se tivesse ouvido o Indizível ou o Irrebatível. E é o silêncio de Bartleby, como se tivesse dito tudo e de chofre esgotado a linguagem." Deleuze "PREFERIA NÃO FAZER"
Bartleby Seria o silenciar, uma forma de apatia (a-pathos) que suspende o investimento libidinal no poder? A recusa em tomar a palavra, quando se é interpelado, funcionaria, por conseguinte, como uma subtração subjetiva que, no extremo, solapa o grande Outro, desamarrando o laço social (capitalista) que o sustenta. Deleuze - nada da vontade/vontade do nada; corrosão dos pressupostos (já ditos, não-ditos, tudo que foi dito), identificação/indistinção/suspensão; “Sei não”.
Foucault - Don Quijote e a virada cética moderna, descrença - distância entre as palavras e as coisas.
Suspensão da descrença (Colerigde) fruição estética; investimento X suspensão do juízo (crença)
Preguiça - ataraxia, aparaxia e afasia - apatia?/ Realidade X ficção - Lacan- a realidade tem a estrutura de uma ficção.
Zizek- Fantasia ideológica PIRRO Subcomandante Marcos
Full transcript