Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Curso de Introdução à Fotografia

4ª edição do Curso de Introdução à Fotografia / Julho de 2013
by

Diogo Bento

on 12 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Curso de Introdução à Fotografia

“desenhar com a luz”
Breve história da fotografia

Camera obscura

Fotossensibilidade
Fotometria
Máquinas fotográficas
Perspectiva
Profundidade de campo
Velocidade
Sensibilidade
Controlo de movimentos

Composição de imagem

PROGRAMA
Velocidade de Obturação

Velocidade do Objecto

Movimento da Máquina

Distância Máquina – Objecto

Direcção do Movimento do Objecto

Relação de movimentos Máquina – Objecto
Controlo do Movimento com a câmara fotográfica
Fotometria
Medição no Sol
Fotometria
Niépce – primeira fotografia: 1826 (séc. XIX)
Invenção
Séc. IV a.C. – Aristóteles observa pela primeira vez uma projecção da forma do crescente no chão, através dos intervalos entre folhas de uma árvore, durante um eclipse parcial do Sol.
É a partir desta observação que constrói a sua própria camera obscura
Antecedentes
Regra de ouro
Composição
Regra dos terços (assimetria, equilíbrio entre elementos)
Composição
Fotografia sobreexposta (+1,+2,+3… stops)
Fotografia com exposiçao normal (0 stops)
Fotografia subexposta (-1,-2,-3… stops)
“Expomos correctamente” quando a quantidade de luz recebida pelo material fotossensível consegue produzir a imagem desejada.


A exposição é controlada pela abertura de diafragma, pelo tempo de exposição e pela sensibilidade do material fotossensível.
Exposição
1/30
mais tempo de exposição
velocidade de obturação lenta
aumento do efeito tremido ou arrastado
Obturador / Velocidade
velocidade de obturação
2000 – 1000 – 500 – 250 – 125 – 60 – 30 – 15 – 8 – 4 – 2 – 1 – 2’’ – 4’’ – B
O obturador controla o intervalo de tempo em que o material fotossensível é exposto à luz
Obturador
f: 4
distância focal de 28mm
(em equivalente 35mm)
Distância Focal / PdC
focagem a 2 metros (primeira árvore)
Distância de Focagem / PdC
números f:
– 1,4 – 2 – 2,8 – 4 – 5,6 – 8 – 11 – 16 – 22 – 32 –
O diafragma controla a largura do feixe de luz que chega ao material fotossensível e faz variar a profundidade de campo (p.d.c.)
Diafragma
situação de contra-luz, ao fim do dia; contraste acentuado
Fotometria
Fotografia Científica
Fotogrametria
Street Photography
Fotojornalismo
Retrato
Retrato Social
Fotografia Aplicada (Moda e Publicidade)
Expressão Artística (Documental, Reportagem, Paisagem, Ficção e Encenação, Auto-Representação, Álbum pessoal, Conceptualismo....)
Fotografia de Arquitectura
Fotografia Vernacular
Equipamento
Captar momentos
Recordar acontecimentos
Expressão pessoal
Estruturação visual
das imagens
Fotografia de Natureza
Retrato
Interesses e abordagens em Fotografia
Invenção
Talbot – desenvolveu o processo negativo/positivo que tem sido usado ao longo dos séculos XIX e XX
Daguerre – desenvolveu o trabalho de Niépce, chamando-lhe Daguerreótipo e apresentou-o à academia francesa de ciências (1839) que, por sua vez, declarou o invento livre para ser usado em todo o mundo
Leonardo da Vinci também utilizou a camera obscura para estudar o olho humano e como uma ferramenta para o auxílio do desenho.
Antecedentes
Camera Obscura – antecedente das câmaras fotográficas.
No século XI, o cientista iraquiano Alhazen conduziu diversas experiências onde utilizou um quarto escuro com um orifício numa das paredes para estudar o funcionamento do olho humano e as características da luz. É considerado o inventor da camera obscura.
valores ISO
25 – 50 – 100 – 200 – 400 – 800 – 1600 – 3200
Rapidez com que o material fotossensível regista, numa imagem latente, a luz.
A sensibilidade da película à luz é indicada pelo valor ISO
Sensibilidade / Grão ou Ruído
1/1000
Obturador / Velocidade
menos tempo de exposição
velocidade de obturação rapida
aumento do efeito congelado
focagem a 5 metros (segunda árvore)
A profundidade de campo aumenta com o aumento da distância de focagem
Distância de Focagem / PdC
f: 16
abertura de menor diâmetro
número f: grande
muita profundidade de campo
Diafragma / Profundidade de Campo
f: 2.8
abertura de maior diâmetro
número f: pequeno
pouca profundidade de campo
(fundo desfocado)
Diafragma / Profundidade de Campo
distância focal: 100mm
Distância do objecto / Distorção
tele-objectiva
pequeno ângulo de campo visual
distorção cilíndrica
distância focal: 28mm
Distância do objecto / Distorção
grande angular
grande ângulo de campo visual
distorção cónica
Os avanços tecnológicos na fotografia permitem novas possibilidades de produção de arte.
No período entre guerras a fotografia ganha um espírito humanista e envereda pelo documento social, mas também pela straight photography. É ainda impulsionada por movimentos vanguardistas, como o Dadaísmo ou o Surrealismo.
Nos anos 30, as revistas da actualidade e de foto-reportagem têm um papel importante na divulgação da fotografia.
Nos anos 50, torna-se mais frequente o uso da cor.
A década de 60 protagonizou rápidas e profundas alterações na fotografia.
A fotografia é plenamente aceite como arte e o número de exposições organizadas aumenta exponencialmente, tendo grande adesão por parte do público.
Atitudes
No início do séc. XX a fotografia começa a ser apreciada pelas suas características intrínsecas – excelência técnica, nitidez "exagerada", vasta gama tonal. Começa a desenhar-se a aceitação da fotografia enquanto arte autónoma.
Desde a sua invenção no séc. XIX, que a fotografia alterou profundamente a percepção e a experiência que temos da realidade.
Desenvolve-se um longo debate sobre o lugar da fotografia na arte onde, na maioria das vezes se opõem a fotografia e a pintura. A invenção da fotografia foi, afinal, o nascimento de uma nova linguagem e, como tal, deveria tornar possível uma nova forma de comunicação visual.
Até ao final do séc. XIX, e como forma de encontrarem reconhecimento, os fotógrafos aproximam-se da pintura, no aspecto e na função.
Durante o séc. XIX os fotógrafos não eram reconhecidos pelos pintores, que os acusavam de incapacidades artísticas. A fotografia parecia não passar de um processo mecânico.
Atitudes
FOTOGRAFIA
s. f.,
Processo técnico ou artístico de produção de imagens através da fixação da luz reflectida pelos objectos numa superfície impregnada com um produto sensível às radiações luminosas.
www.infopedia.pt
s. f.,
Arte de fixar a imagem de qualquer objecto numa chapa ou película com o auxílio da luz.
www.priberam.pt/DLPO
Diogo Bento
Julho de 2013

Curso de Introdução à Fotografia
Diagonais (dinâmica)
Composição
Fotometria
Medição matricial




Medição ponderada




Medição pontual
A câmara fotográfica indica-nos a leitura do fotómetro (medição da luz)
Exposição
+1 stop 2x mais luz
250


125


60


30


15
2000
1000
500
250
125
60
30
15
8
4
2
1
2”
4”
B
Velocidade
de
Obturação
distância focal de 80mm
(em equivalente 35mm)
f: 4
O aumento da distância focal determina a diminuição da profundidade de campo
Distância Focal / PdC
O ângulo de cobertura do campo visual é indicado pela distância focal (em mm).
distância focal variável
Ângulo de visão entre 30º e 6º (distância focal entre 85 mm e 400 mm)
Ângulo de visão de 45º (distância focal de 50 mm)
Permite fazer a focagem e incorpora um mecanismo de controlo da luz,
o diafragma. As objectivas são designadas pela sua distância focal.
Ângulo de visão entre 100º e 60º (distância focal entre 18 mm e 35mm)


“Normal”

Tele-objectiva
Objectiva
Objectiva + Camera Obscura + Película ou sensor
Câmara Fotográfica
Grande Formato
TLR
SLR
Rangefinder
Compactas
Grande Formato – película rígida, chapas, de tamanho 9x12cm ou 4x5 polegadas
Médio Formato – película 120, formato 6x6cm, 6x7cm ou 6x9cm
Pequeno Formato – película de 35mm
Câmaras fotográficas
Exposição
+ 1 stop
100


200


400


800
25
50
100
200
400
800
1600
3200
valores ISO
Exposição
- 1 stop 1/2 da luz


- 2 stops 1/4 da luz
4


5.6


8


11


16
1.4
2
2.8
4
5.6
8
11
16
22
32
números f:

Abertura de
Diafragma
Exposição
maior
exposição
25
50
100
200
400
800
1600
3200
Sensibilidade
ISO
maior
exposição
2000
1000
500
250
125
60
30
15
8
4
2
1
B
Velocidade de
Obturação
maior
exposição
32
22
16
11
8
5.6
4
2.8
2
1.4
Abertura do
Diafragma (f:)
Distância Focal
Camera obscura
É uma caixa estanque à luz, que incorpora normalmente um obturador, o fotómetro e alberga a película ou sensor e uma série de outros componentes mecânicos e electrónicos.
Grande angular
Zoom
Abertura Grande
número f: = distância focal da objectiva / diâmetro efectivo da abertura
Abertura Pequena
maior sensibilidade
(permite fotografar com pouca luz)
rapidez “maior”
rapidez “menor”
menor sensibilidade
(em situações de luz abundante)
sem vestígios de ruído
presença de ruído
Sensibilidade / Grão ou Ruído
Película ou sensor
Acto fotográfico:
- 4 stops 1/16 da luz
- 3 stops 1/8 da luz
+4 stop 16x mais luz
+3 stops 8x mais luz
+2 stops 4x mais luz
+ 3 stops
+ 2 stops
Câmara Fotográfica
Enquadramento / Composição
pós-Produção
Fotometria (medição da luz)
tempo de exposição = 1 segundo / velocidade de obturação
disparo mais rápido
disparo mais lento
FOTOGRAFIA
FOTO + GRAFIA
[fós] (“luz”) + γραφις [grafis] (“estilo”, “pincel”, “registar”)
Tipos:
Formatos:
ISO 1600
Impressão / Web
Distância Focal / Perspectiva
Tele-objectiva
medição pontual
Medição na sombra
Medição matricial
Fim-de-tarde, luz suave, contraste pouco acentuado
Meio-dia, luz forte
Fotometria
Medição ponderada
Medição na sombra
Medição no "Sol"
Medição no céu
Fotossensibilidade
Fotossensibilidade
Fotossensibilidade
Grande angular
"Normal"
50mm
28mm
"Normal"
60mm
Grande angular
35mm
Focagem
Diafragma
60mm
f: 2.4
Zoom
24-70mm
medição matricial
-2.0 EV
Objectiva
Película
Obturador
Material fotossensível de suporte para a captura da luz e retenção de uma imagem latente.
processamento
sensor
edição em photoshop
redes sociais e web
impressão
imagem latente
ficheiro
digital
Exposição
efeito tremido / arrastado
efeito congelado
pouca p.d.c.
(fundo desfocado)
muita p.d.c.
(todos os planos focados)
Luz
Visualização
LUZ
Previsualização
A Natureza da Fotografia
A fotografia é uma disciplina inerentemente analítica. Enquanto um pintor começa com uma tela branca e constrói a imagem, o fotógrafo tem o seu ponto de partida na desordem do mundo e selecciona uma imagem. O fotógrafo dá uma estrutura e impõe uma ordem, estabelece hierarquias e relações entre as coisas.
Há 4 factores gerais que definem a forma como lemos a realidade que é transformada em imagem fotográfica: a superfície plana, o enquadramento, o tempo de exposiçao e o plano de foco.
Superfície Plana
Enquadramento
Tempo
Foco
Superfície Plana
Foco
Superfície Plana
Foco
Tempo
Tempo
Superfície Plana
Superficie Plana
Enquadramento
Enquandramento
Enquadramento
Enquadramento
Lee Friedlander
August Sander
Thomas Struth
Thomas Struth
Andreas Gursky
Martin Parr
Thomas Struth
Stephen Shore
Henri Cartier-Bresson
Edgerton Harold Eugene
Garry Winogrand
Darren Almond
Lewis Hine
Henri Cartier-Bresson
Ansel Adams
Stephen Shore
Processo mental-emocional de antecipação do resultado da imagem final.
A fotografia não regista propriamente os objectos mas a luz que reflecte deles.
200mm
Stephen Shore
Distância Focal
Full transcript