Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Pintura Barroca

No description
by

Filipa Pinto

on 17 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Pintura Barroca

Pintura Barroca
Barroco
Pintura Barroca
- A arte barroca originou-se na Itália (séc. XVII).

- No barroco, a pintura é inquietante e altamente espiritualizada. Os pintores barrocos enfatizaram novos e sugestivos métodos de composição. Usaram técnicas tais como figuras desproporcionais ante a perspectiva e desenhos que eram intencionalmente assimétricos.

- A pintura barroca é uma pintura realista, concentrada nos retratos no interior das casas, nas paisagens nas naturezas mortas e nas cenas populares.

- É uma época de conflitos espirituais e religiosos.
As obras barrocas romperam o equilíbrio entre o sentimento e a razão ou entre a arte e a ciência, que os artistas renascentistas procuram realizar de forma muito consciente.


Características da Pintura Barroca
- Emocional sobre o racional;

- Busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas, colunas retorcidas;

- Entrelaçamento entre a arquitetura e escultura;

- Violentos contrastes de luz e sombra;

- Pintura com efeitos ilusionistas;

- Composição assimétrica, em diagonal; substituindo a unidade geométrica e o equilíbrio da arte renascentista;

- Acentuado contraste de claro-escuro;

- Realista, abrangendo todas as camadas sociais;

- Escolha de cenas no seu momento de maior intensidade dramática.
A Igreja Católica revitalizava-se com a Contra-Reforma. Os artistas italianos eram então convocados a transformar as Escrituras em realidade perceptível aos fiéis. O conteúdo emocional intensificado e o realismo do barroco eram meios ideais para que se atingisse esse objetivo.

A pintura passou por um reforma. No século XIX, o novo estilo foi denominado barroco. Antes, acreditava-se que fosse apenas uma forma de voar pós-renascentista, associado a Rafael. Os artistas afastaram-se do Maneirismo e criaram obras mais medrosas àquelas da Alta Renascença.
A arte do Séc. XVII está dividida em 2 liturgias: Tendência Clássica e Tendência Barroca.

A Barroco foi o nome dado á época. Como tal o nome indica, a estravagância.
É bastante acentuado o desfasamento entre contexto histórico em que nasceu visto que a Europa ultrapassava um grave período de crise tanto económico como social devido á guerra dos 10 anos que a levou ao declínio.

Para o homem deste tempo tudo é espectáculo. Dá-se uma sinfonia harmoniosa em que o mundo da pintura e o mundo humano são difundidos tornando tudo mutuamente grandioso e faustoso.


Pintores
- Os artistas barrocos interessavam-se mais em captar a idéia de espaço e movimento do que apresentar formas individuais como a última perfeição. Miguel Ângelo, Caravaggio e Annibale Carraci foram pintores barrocos de grande nome. Petrus Paulus Rubens, de Flandres (hoje pertence à Bélgica), foi o líder da pintura barroca no norte.

- Em Itália também se destacam Guercino e Andrea Pozzo em França Nicolas Poussin e na Holanda Rembrandt.

- Os pintores espanhóis El Greco e Diego Valázquez acrescentaram elementos fortes e sombrios ao movimento.

- No Brasil, destacam-se os trabalhos de Manuel da Costa Ataíde e Francisco Xavier Carneiro, em Minas Gerais, e as pinturas alegóricas de Pernambuco (Recife e Olinda).
Pintura Móvel
- A pintura móvel sobre tela deste período é constituida por 3 diferentes tendências:
CLASSICISMO (Carraci + Poussin + Lorrain);
NATURALISMO (Caravaggio + Ribera);
REALISMO (Vermeer + Rembrandt).

- Para além da diversidade estilística, podemos acrescentar uma diversidade temática que se destribuiu por temas:
RELIGIOSOS
PROFANOS/MITOLÓGICOS
RETRATOS
PAISAGEM
CENAS DE GÉNERO
NATUREZA-MORTA

Características Técnico-Formais
Pintura Mural
Técnicas:

trompe-l’oeil - truques de perspetiva que criam uma ilusão óptica de objetos ou formas que não existem realmente;

soto in sú – perspetiva vista de igrejas e dos palácios baixo para cima;

quadri riportati – imitação dos quadros de cavalete inscritos nas paredes ou nos tetos.

Local onde se verificam: paredes, tetos de igrejas e palácios.

Pintura Mural
Representação do momento;

Linha do horizonte delineada abaixo do normal;

Composição aberta, de dentro para fora;

Sobreposição de formas;

Formas dinâmicas e sinuosas, enquadradas ou combinadas com estruturas poligonais e com formas circulares ou ovaladas.

União plástica da luz/sombra e da cor,
os restantes elementos ficam diluídos na penumbra:
- a luz rasante chama a atenção para determinadas zonas do quadro, orientando a leitura
- a cor pura e cálida tem como objetivo captar e sensibilizar o espectador

História da Cultura e das Artes
Docente: Paulo Reis
Trabalho Elaborado Por:
Filipa Pinto, 14
Leandra Teixeira, 20
Pedro Martins, 23

Escola Secundária de Paredes
11ºI
2013/2014

Este tipo de pintura caracterizou-se por uma imensa grandiosidade/teatralidade; pela ilusão e pelo movimento.

Elementos que a definem:
- estruturas arquitectónicas simuladas que se projectam para cima;
- figuras movimentadas;
- as vestes das personagens.

Pintores Barrocos
Conhecido como: Mestre Ataíde
Batizado: 18 de outubro de 1762
Faleceu: 2 de fevereiro de 1830
Vida: Foi um militar e celebre pintor e decorador brasileiro. Importante artista do Barroco-Rococó e teve uma grande influência sobre os pintores da sua região através de numerosos alunos e seguidores, os quais, até a metade do século XIX, continuaram a fazer uso de seu método de composição, particularmente em trabalhos de perspectiva no teto de igrejas. Documentos da época fazem frequentemente referências a ele como professor de pintura.

Manuel da Costa Ataíde
Dilúvio (detalhe do forro da nave) , ca. 1807
pintura sobre madeira
Igreja da Ordem Terceira de São Francisco (Mariana, MG)
Francisco Xavier Carneiro
Foi um pintor barroco, dourador, encarnador e louvador, durante parte do século XVIII e XIX. Nasceu em Mariana, no estado de Minas Gerais, em 1765 e morreu em 1840 na sua cidade natal. Era filho de uma escrava e devido à lei do ventre livre, acredita-se que foi alforriado (libertado) ao ser batizado. Viveu de 1793 a 1795 em Itabirito Minas Gerais.
Nicolas Poussin
Conhecido como: Poussin
Nasceu: 15 de junho de 1594 em Les Andelys, França
Faleceu: 19 novembro de 1665
Vida: Pintor Barroco, o seu foco era a pintura e o desenho, tinha como
assunto a figura e a paisagem. É frequentemente descrito como o oposto de Caravaggio.

Midas e Baco (1627)
Petrus Paulus Rubens
Conhecido como: Rubens
Nasceu: 28 de junho de 1577 em Siegen
Faleceu: 30 de maio de 1640
Vida: foi um pintor flamengo inserido no contexto do Barroco.
Além de manter um grande estúdio em Antuérpia que produziu muitas pinturas populares entre a nobreza e os colecionadores por toda a Europa, Rubens foi humanista de educação clássica, um colecionador e um diplomata, e foi elevado ao título de cavaleiro por Filipe IV de Espanha e Carlos I de Inglaterra.
Rembrandt Harmenszoon van Rijn
Conhecido como: Rembrandt
Nasceu: 15 de julho de 1606 em Leida
Faleceu: 4 de outubro de 1669 no Amesterdão
Vida: Foi um pintor e gravador holandês. É geralmente considerado um dos maiores nomes da história da arte europeia e o mais importante da história holandesa. É considerado, por alguns, como o maior pintor de todos os tempos.
Andrea Pozzo
Nome: Andrea Pozzo
Nasceu: 30 de novembro de 1642 em Trento
Faleceu: 31 de agosto de 1709 Viena
Vida: Foi um irmão leigo jesuíta e artista italiano, atuando como decorador,
arquiteto, cenógrafo, pintor, professor e teórico, e sendo uma das figuras principais da arte barroca católica. É também conhecido como Andreas Puteus, em sua versão latina, ou Padre Pozzo, embora jamais tivesse sido efetivamente ordenado.
Apoteose de Santo Inacio
Annibale Carracci
Conhecido: Carracci
Data de Nascimento: 03 de novembro de 1560 em Bolonha, Itália
Data da Morte: 15 de julho, 1609
Foco: Pinturas a óleo sobre madeira, Desenhos
Assuntos: Figura, Paisagem
Vida: Annibale faz parte de uma das mais conceituadas famílias de artistas, os Carracci.
Foi muitas vezes considerado o pintor mais talentoso do nome Carracci, devido ao estilo individual. O seu desenho detalhado, a sutileza das cores e graciosa abordagem muitas vezes elevou-o em comparação com Rafael.
Annibale Carracci, O comedor de feijões
Giovanni Francesco Barbieri
Conhecido como: Guercino ou Il Guercino
Nasceu: a 1591 em Cento, perto de Ferrara
Faleceu: a 1666 em Bolonha
Vida: Foi um pintor do Barroco italiano, natural da região da Emília-Romanha e ativo em Roma e na Bolonha. "Guercino" é a palavra italiana para "estrábico", apelido que lhe foi dado por conta de seu desvio ocular. Tornou-se especialmente célebre por conta de seus caprichosos desenhos.
Johannes Vermeer
Conhecido como: Vermeer de Delft ou Johannes van der Meer
Nasceu: 31 de outubro de 1632, Delft
Faleceu: 15 de dezembro de 1675, Delft
Vida: É o segundo pintor holandês mais famoso e importante do século XVII (um período que é conhecido por Idade de Ouro Holandesa, devido às espantosas conquistas culturais e artísticas do país nessa época), depois de Rembrandt. Os seus quadros são admirados pelas suas cores transparentes, composições inteligentes e brilhante com o uso da luz.
Michelangelo Merisi da Caravaggio
Conhecido como: Caravaggio,
Nasceu: 29 de setembro de 1571 em Porto Ercole
Faleceu: 18 de julho de 1610 em Monte Argentario
Vida: Foi um pintor italiano atuante em Roma, Nápoles, Malta e Sicília, entre 1593 e 1610.
É normalmente identificado como um artista barroco, estilo do qual foi o primeiro grande representante.
Diego Rodrigues da
Silva y Velázquez
Conhecido como: Velásquez
Nasceu: 6 de junho de 1599 em Sevilha
Faleceu: 6 de agosto de 1660 em Madrid
Vida: Foi um pintor espanhol e principal artista da corte do Rei Filipe IV de Espanha.
Era um artista individualista do período barroco contemporâneo, importante como um retratista. Além de inúmeras interpretações de cenas de significado histórico e cultural, pintou inúmeros retratos da família real espanhola, outras notáveis figuras europeias e plebeus, culminando na produção de sua obra-prima, Las Meninas (1656).
Pietro da Cortona
Conhecido como: Pietro Berettini
Nasceu: 1 de novembro de 1596 em Cortona, Toscana
Faleceu: 16 de maio de 1669 em Roma
Vida: artista e arquiteto do Barroco italiano. Como pintor, reconhecido por seus afrescos, e como arquiteto, foi um influente contemporâneo dos grandes nomes do Barroco.
Em 1633 Pietro de Cortona começou a pintar os afrescos do teto do Palazzo Barberini (hoje a Galeria Nacional de Arte Antiga, em Roma), comissionado pelo Papa Urbano VIII. Completada seis anos depois, o afresco representa uma Alegoria da Divina Providencia e do poder dos Barberini.

José de Ribera
Conhecido como: Giusepe de Ribera
Nasceu: 12 de Janeiro de 1591 em Xàtiva
Faleceu: Nápoles, 1652
Vida: Foi pintor tenebrista espanhol do sec. XVII. Foi apelidado pelos seus contemporâneos como Lo Spagnoletto, «el espanholito», por ser de baixa estatura e porque reivindicava as suas origens assinando como «Jusepe de Ribera, espanhol».
Barroco Italiano
Embora a Holanda fizesse fronteira com Flandres, os dois países não podiam ser mais diferentes, tanto cultural como politicamente. Enquanto Flandres era regida pela monarquia e pela Igreja Católica, a Holanda - ou Países Baixos - era um país independente, democrático e protestante.

Nos rígidos e despojados templos protestantes, a arte religiosa era proibida e as fontes normais de mecenato - Igreja, corte e nobreza – tinham-se acabado. O resultado foi uma democratização da arte, tanto em relação aos temas quanto aos proprietários. Pela primeira vez, os artistas foram deixados à mercê do mercado. Felizmente, a próspera classe média tinha mania de colecionar arte.
Barroco na Holanda e Flandres
Pintores Barrocos Portugueses:
Autor: Pedro Nunes
Descrição: A Deposico
Data: 1620
Técnica: Óleo e tempera sobre madeira
Localização: Capela do Esporão da Sé de Évora
Autor: André Reinoso
Descrição: Milagre de S. Francisco Xavier
Data: 1619
Técnica: Óleo sobre madeira
Localização: Igreja de S. Roque, Lisboa
Autor: Josefa de Óbidos (1630–1684)
Descrição: Nativity
Data: cerca de 1669
Técnica: Pintura
Localização: Museu Nacional de Arte Antiga
Full transcript