Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Rato de Biblioteca

No description
by

Américo Costa

on 15 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Rato de Biblioteca

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS

Histórias, lendas e tradições
da cidade de Guimarães

Guimarães em movimento
Lendas
Introdução
O que nos distingue...
Comparação com Évora
Porque escolhemos este tema?
- Riqueza do património arquitetónico, paisagístico e cultural.
Semelhanças na riqueza do património arquitetónico, paisagístico e cultural e da classificação do Centro Histórico como Património Cultural da Humanidade

Porquê a comparação com Évora?
Dissemelhanças a nível geográfico, das tradições, das festividades, do artesanato e da gastronomia.

Porquê a comparação com Évora?
Conhecer a razão de Guimarães ser o Berço da Nação;

Aprofundar os conhecimentos sobre as histórias, lendas, tradições - gastronomia, artesanato e festividades ;

Desvendar as “histórias” ou lendas associadas aos principais monumentos das duas cidades;

Compreender como as tradições influenciam no comportamento e nas atitudes quotidianas dos vimaranenses;

Desenvolver competências na área da pesquisa com temáticas associadas às nossas raízes.

O que pretendemos...
Comparação com a Cidade de Évora
História e património edificado;
Reconhecimento pela UNESCO como património mundial da humanidade.
Mostrar as semelhanças...
Comparação com a Cidade de Évora
Área, demografia e socioeconómica;
Lendas, tradições, festividades;
Artesanato e gastronomia.
Mostrar as diferenças...
Caracterização Física e Demográfica
População estudantil
Caracterização económica. População ativa.
O que nos distingue...
Guimarães
Évora
Influência árabe em Évora
O que nos aproxima...

O que nos aproxima...
- O património edificado - reconhecido pela UNESCO como património mundial da humanidade;
- História de Portugal e da Europa
.
Património Cultural da Humanidade
Guimarães... um pouco de história
Fundada no século X, pela Condessa Mumadona Dias.
Considerada o Berço da Nacionalidade.
Nasceu e foi batizado o primeiro Rei de Portugal.
O Castelo
Mandado construir no século X pela Condessa Mumadona Dias.
Nele nasceu o primeiro rei de Portugal.
Capela de S. Miguel
Construído no século XII em estilo românico.

De acordo com a tradição, D. Afonso Henriques terá sido aqui batizado.

Paço dos Duques de Bragança
- Mandado construir por D. Afonso, futuro duque de Bragança no século XV .
- No século XIX foi convertido em quartel militar.
- Em meados do século XX, foi convertido em Museu.
Praça de Santiago
Deve o nome ao apóstolo S. Tiago que, segundo a tradição, trouxe uma imagem da Virgem Santa Maria para a cidade de Guimarães.
Muralhas de Guimarães
- Datam dos séculos XIV e XV, reinados de D. Dinis e D. João I.
- Alguns historiadores remetem as origens destas muralhas para o século X.

Padrão do Salado
Monumento mandado erguer por D. Afonso IV, no século XIV, para comemorar a vitória obtida na Batalha do Salado.

Antigos Paços do Concelho e Largo da Oliveira
- Os Paços do Concelho situam-se no Largo da Oliveira.
- A sua edificação iniciou-se, ainda, no reinado de D. João I, séc. XIV.
Largo do Toural
Considerado hoje como o coração da cidade, era, no século XVII, um largo extramuros junto à principal porta da vila, onde se realizavam a feira de gado bovino e outras de diversos produtos.
Rua de Santa Maria
Foi uma das primeiras ruas abertas em Guimarães, pois destinava-se a ser um elo de ligação entre o Convento fundado por Mumadona e o Castelo situado na parte alta da vila.
Igreja de N. Senhora da Oliveira
Évora... um pouco de história
Foi integrada na Província da Lusitânia na época do Imperador Augusto (63 a.C. - 14 d.C.)
Foi conquistada aos mouros em 1165 por
Geraldo Geraldes - o "Sem Pavor"
No século XVI transforma-se num dos mais importantes centros culturais e artísticos do reino.
Templo Romano
Foi construído no século I d.C. na praça principal (fórum) em homenagem ao imperador Augusto.
A Sé Catedral
- Construída em 1186 no bispado de D. Paio.
- A Sé de Évora está construída em estilo românico e gótico e é a maior Catedral medieval do país.

Igreja de S. Francisco
- Construída entre 1480 e 1510 em estilo gótico-manuelino.
- Segundo a tradição, nesta igreja foi sepultado Gil Vicente, em 1536.
A Capela dos Ossos
- Foi construída no século XVII.
- Pretendeu transmitir a mensagem da transitoriedade da vida, tal como se depreende do célebre aviso à entrada: "Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos".

O Palácio de D. Manuel
- Foi mandado construir por D. Afonso V.
- Foi habitado por vários monarcas, entre os quais, D. Manuel, D. João III e D. Sebastião.
- Atualmente, o que resta do palácio é apenas a Galeria das Damas, representante exímia do estilo manuelino.

A Praça do Giraldo
- Foi aqui que se fez a primeira feira franca, durante o reinado de D. Dinis.
- A praça acolhe importantes monumentos da cidade, como: a Igreja de Santo Antão, as Arcadas e a Fonte Henriquina.
Chafariz da Praça do Giraldo
Construído no século XVI, por mármore branco, finalizado com uma coroa de bronze e oito bicas que correspondem às oito ruas que desembocam na praça.
Arco Romano de Dona Isabel
O Arco Romano de Dona Isabel corresponde a uma das portas da outrora cidade romana de Évora.
Capital Europeia da Cultura 2012
Guimarães Cidade Europeia do Desporto 2013
Histórias, lendas e tradições
da cidade de Guimarães

Museus em Guimarães
Paço dos Duques de Bragança
Museu Alberto Sampaio
Museu Martins Sarmento
Museus de Évora
Museu de Évora
O MADE - antigo Museu do Artesanato/Centro de Artes Tradicionais
Lendas de Guimarães
As lendas e tradições mostram a cultura de um povo nas suas diversas vertentes.
Cada uma das cidades tem as suas lendas que procuram explicar as suas origens ou acontecimentos importantes para a cidade.

Lenda de Santa Catarina da Penha
Lenda do Milagre da Oliveira
Lenda das Duas Caras
Lenda do Espirro de D. João I
Relíquia da Santa Cabeça
Lendas de Évora
O Dilúvio
Lenda do Templo de Diana
Lenda de Geraldo Geraldes – O sem Pavor
Lenda da Sempre Noiva I, II e III
Guimarães
Évora
Guimarães
Évora
Guimarães
Évora
Primário- Pouco representativo nos dois concelhos: destaque para a produção vinícola em Évora.

Secundário – Com uma elevada representatividade em Guimarães (têxteis, cutelarias e curtumes).

Terciário – Destaque para Évora.
- Típicas chaminés do casario da cidade;
- Sistema de rega tradicional
- Culturas vegetais: oliveira; azinheira, sobreiro, figueira e alfarrobeira.
Triptico da Natividade
Loudel de D. João I
Guerreiros Lusitanos
Edifício da SMS
Ermida de S. Brás
Gastronomia
Guimarães e Évora são locais ideais para conhecer os sabores que nos conquistam os sentidos. As artes de bem cozinhar e bem comer estão bem representadas nas duas cidades. Os principais pratos revelam-se nas receitas tradicionais da cozinha minhota e da cozinha alentejana.

Doçaria Tradicional
Guimarães
Évora
Tortas de Guimarães
Encharcada do Convento de Santa Clara
Artesanato
Cantarinha dos namorados
Bordados de Guimarães
Mantas de Évora
Produtos de cortiça
Guimarães
Évora
Festividades
As festas e as romarias são um outro aspeto da cultura de um povo
Guimarães
Gualterianas
Festas Nicolinas
Guimarães
Festas de Santa Luzia
Guimarães
Feira de S. João
Évora
Curiosidades
Curiosidades
Outras curiosidades
Guimarães
Évora
Brasão de filho ilegítimo
Residência do Presidente no Norte
Face em alto relevo
Palácio de Dom Manuel
Conclusões
Aprendemos a conhecer melhor a nossa cidade, a apreciar mais conscientemente os nossos valores, e a reconhecer mais facilmente a nossa identidade;

Tentamos divulgar Guimarães, conhecemos um pouco mais de Évora e satisfar-nos-á a convicção de que, talvez com as nossas qualidades e ou imperfeições, possamos suscitar curiosidade, interesse e gosto que levem outros a virem visitar-nos e conhecer-nos melhor.

Conclusões
Full transcript