Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Oportunidades no Processo de Formação e a Internacionalização

UEFS - 10/nov/2014 - VI Workshop Internacionalização Universitária
by

Guilherme Rosso

on 5 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Oportunidades no Processo de Formação e a Internacionalização

Oportunidades no Processo de Formação e a Internacionalização

Lembrança...
Quem sou eu?
Guilherme de Rosso Manços
Nascido em Boa Vista, RR
20 anos
2011
Ingressei no Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT) e me tornei um estudante da UFRN.
2012
Mobilidade Acadêmica Internacional pelo programa Ciência sem Fronteiras
Equação
Oportunidades
2013
Agarrando as oportunidades!!!
2014...
Consultor
SGS Soluções
Iniciação Científica
"Análise e Caracterização de Sistemas Turbulentos: Um Estudo da Criticalidade Auto-organizada e da Fractalidade."
EJECT
Based on Jim Harvey's speech structures
Feira de Santana, 10 de outubro de 2014.
Guilherme de Rosso Manços
guilhermerosso@usp.br
guilherme.rosso@redecsf.org.br

Estudantes
Oportunidades
Mudar o
futuro do Brasil
Tarcisio Manços do Nascimento
Pai:
Mãe:
Ana Terezinha de Rosso Manços
Sun Tzu
"As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas."
Disciplinas
Cálculo I, II, III
GEApES/Eco-Kará
Inicicação Científica
"A criticalidade auto-organizada no modelo da pilha de areia."
Início ao processo de mobilidade
"Ciência, Tecnologia e Inovação: Estratégia para o País"
Álgebra Linear
PLE I, II, III
IF
LP
CN
CTS I, II, III
Química Tecnológica
PFM
PFTO
PFE
Projeto de Extensão
abr/2011 - jan/2012
Orientador: Prof. Gustavo Zampier
ago/2011 - dez/2011
Pesquisa
Aula Magna da UFRN, 26/ago/2011
Aloízio Mercadante
Ministro da Ciência e Tecnologia
Lançamento do Programa Ciência sem Fronteiras
26/jul/2011
...
Resultado da aprovação, 02/dez/2011
Physics Department, Clark University, EUA
Um ano de muitas oportunidades e experiências...
Physics Department, Clark University
Worcester, Massachusetts, EUA
Um ano de muitas mais oportunidades e experiências...
Orientador: Prof. Gustavo Zampier
Pesquisa
jan/2013 - jan/2014
Trainee -> Assessor de Inovação -> Diretor de Projetos -> Conselheiro Fiscal
Empresa Júnior da Escola de Ciências e Tecnologia
abr/2013 - presente
Desafio Suécia-Brasil
2013.1
3º lugar geral
+3000 candidatos
2013.2
Top 6
1254 candidatos
Muito obrigado!!!
Vice-presidente e idealizador
Rede CsF
Mestrado em Modelagem de Sistemas Complexos
Estudantes
Oportunidades
Mudar o
futuro do Brasil

Ciência sem Fronteiras
=
=
(
+
)
101 mil bolsas para graduação e pós-graduação no exterior
+ + + INTERNACIONALIZAÇÃO P/ O BRASIL
Felicidade dos pesquisadores e estudantes brasileiros
Atração de investimentos e pesquisadores internacionais
Qualificação Profissional e desenvolvimento tecnológico de áreas prioritárias
||
||
"Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional."
www.cienciasemfronteiras.com.br
Painel de Controle (09/11/2014)
Segundo o artigo "Brasil registra menos patentes do que Toyota sozinha", publicado no Jornal Brasil Econômico de 09/02/10, "em 2009, em plena recessão, a Toyota sozinha registrou no mercado internacional mais de mil patentes. No mesmo ano, todas as empresas brasileiras reunidas não conseguiram registrar pelo sistema internacional nem metade dese volume."
Comparativamente, no grupo BRIC (Brasil, Rússica, Índia e China), o Brasil forma menos engenheiros por ano: cerca de 40 mil (incluindo tecnólogos e habilitações em construção civil, produção e meio ambiente), diante de 650 mil na China, 220 mil na Índia e 190 mil na Rússia (dados de 2009).
ASCOM/CAPES, 15 de março de 2011
A CNI destaca a "escassez de engenheiros", cuja atividade possui um impacto amplo sobre muitos setores e atividades, sobretudo para a indústria. Somente 5% dos graduados no Brasil formam-se em engenharia.
Economia, UOL, 2013
Jornal Brasil Econômico, 09 de março de 2010
Ana Carolina Lima (ESCS/BU) e Daniel Lopes (ITA/MIT). Boston, 2012.
Engenharias e demais áreas tecnológicas;
Ciências Exatas e da Terra;
Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
Computação e Tecnologias da Informação;
Tecnologia Aeroespacial;
Fármacos;
Produção Agrícola Sustentável;
Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
Energias Renováveis;
Tecnologia Mineral;
Biotecnologia;
Nanotecnologia e Novos Materiais;
Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
Biodiversidade e Bioprospecção;
Ciências do Mar;
Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
Formação de Tecnólogos.
Áreas contempladas pelo programa Ciência sem Fronteiras
“Linhas de ação da ENCTI visam, igualmente, ampliar e robustecer a
formação de recursos humanos estratégicos
, com foco nas ciências básicas e nas engenharias (...) e o consequente aumento da
inserção da ciência brasileira nas redes internacionais de P&D
.”

Fortalecimento de
redes de pesquisa
Formação de
mão de obra
e qualificação profissional
Internacionalização
das IES
Desenvolvimento
científico e tecnológico
de ponta
Oportunidades de
mobilidade
e
atração
de cientistas
Formação Pessoal, Acadêmica e Profissional
Dificuldades
operacionais
: 101.000 bolsas
Estrutura
dos órgãos de fomento
não cresceu

proporcionalmente
às demandas do Programa
Pouco acompanhamento
pelos gestores
Dificuldade no
aproveitamento de créditos
Avaliação e acompanhamento
pós-mobilidade
ACERTOS E BENEFÍCIOS
ADVERSIDADES E DIFICULDADES
Para o futuro pretendo transformar o Brasil atuando com Gestão e Políticas Públicas de alto impacto!
INTERNACIONALIZAÇÃO
“Processo de
integrar uma dimensão internacional e intercultural
nas funções de ensino, pesquisa e extensão de uma instituição.”
(Knight, 1999)

Estratégia
de mudança institucional que origine o
desenvolvimento de uma nova cultura
onde se valorem os enfoques internacionais, interculturais e interdisciplinares, permitindo assim a promoção e o apoio de
iniciativas para a interação, a cooperação e o intercâmbio internacionais
."
(Gacel-Ávila, 1999)

Internationalisation is a
process to introduce intercultural, international and global dimensions in higher education
to improve the goals, functions and delivery of higher education, and with that to improve the quality of education and research.
(Hans de Wit, 2011)
UNESCO, 2009.
Fluxo global de estudantes
IAU 4th Global Survey
1336 Instituições de Ensino Superior
131 diferentes países

50%: há políticas de internacionalização em curso
22: há políticas de internacionalização em desenvolvimento

69% das IES afirmam que a internacionalização é de suma importância para as suas lideranças
Principais atividades de internacionalização em curso:
29% Mobilidade Estudantil
24% colaboração entre grupos de pesquisa internacionais

Mairoes benefícios esperados:
Aumento do conhecimento e engajamento dos estudantes em aspectos globais
Impacto na qualidade do ensino e aprendizagem

Maior medo
Commodity e comerciaalização da educação
Full transcript