Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Insulina, Glucagon e Diabetes Melito (DM)

Apresentação para aula. FONTE: TRATADO DE FISIOLOGIA
by

Júnior Sarmento

on 29 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Insulina, Glucagon e Diabetes Melito (DM)

Pápeis Fisiológicos Insulina, Glucagon e Diabetes Mellitus (DM) Pâncreas ÁCINOS Formado por 2 tipos de tecidos: ILHOTAS DE LANGERHAN célula Beta hemácias célula Alfa célula Delta Enzimas digestivas
Hormônios Insulina Amilina Glucagon Somatostatina Alexandra Rodrigues
Genilson Sarmento
Lydia Vanessa
Myrian Cicyanne
Rayne Amorim EFEITO DA INSULINA SOBRE O METABOLISMO DOS CARBOIDRATOS Defeito na secreção e/ou ação da insulina.


Elevada concentração de glicose no sangue, causada pela secreção de insulina inadequada ou resistência da célula alvo.










Diabetes Mellitus (DM) Glucagon Secretado nas células Alfa Polipeptídeo Hormônio Hiperglicêmico Glicogenólise

Gliconeogênese DM Tipo 1 Função oposta à insulina Uma cadeia de 29 AA das ilhotas de Langerhans Apenas 1µg/kg eleva a glicose
sanguínea em torne de 20mg/100ml Efeitos sobre o metabolismo da glicose: Aumenta a concetração de glicose Glucagon ativa adenilil ciclase na membrana
Formação AMPc
Ativa PTN reguladora quinase
Ativa PTN quinase
Ativa fosforilase b
Converte fosforilase b em fosforilase a
Degrada o glicogênio em glicose-1-fosfato
Desfosforilada e a glicose é liberada Hiperglicemia constante Conversão de AA em glicose A infusão de glucagon durante um período de 4 horas pode levar a uma glicogenólise hepática tão intensa que todas as reservas de glicogênio hepático são esgotados Aumento da taxa de captação de AA Altos níveis de glucagon no sangue Outros efeitos: Ativa a lipase das células adiposas Inibe armazenamento de triglicerídeos Aumenta a força do coração Aumenta o fluxo sanguíneo Secreção de bile Inibe a secreção de ácido gástrico Regulação Concentração de glicose Conversão rápida dos AA em glicose Concentrações elevadas de AA (Ala, Arg) Exercício estimula a secreção de glucagon Aumento dos AA circulantes Somatostatina células delta Polipeptídeo Com apenas 14 AA Meia-vida curta Quase todos os fatores relacionados à ingestão de alimentos estimulam a secreção Age dentro da própria célula Diminui a secreça da insulina e do glucagon Diminui os movimentos do estômago, duodeno e da vesícula biliar Prolonga o período de tempo que os nutrientes alimentares são assimilados no sangue Após uma refeição rica em carboidratos, a glicose que é absorvida pelo sangue provoca a rápida secreção de insulina. Por sua vez, a insulina causa a rápida captação, armazenamento e utilização da glicose por quase todos os tecidos do organismo, porém especialmente pelos músculos, pelo tecido adiposo e pelo fígado Efeito da insulina no sentido de promover o metabolismo da glicose no músculo Condições nas quais os músculos utilizam grandes quantidades de glicose:

Durante os períodos de exercícios moderados á intenso as fibras musculares em atividade tornam-se permeáveis a glicose, sem a utilização de grandes quantidades de insulina, por razões ainda desconhecidas.
Durante o período de algumas horas após as refeições. Nesse momento o nível de glicemia apresenta-se elevado; além disso, o pâncreas secreta grandes quantidades de insulina. Essa situação faz com que a célula muscular passe a utilizar preferencialmente os carboidratos em relação aos ácidos graxos, visto que o fluxo de ácidos graxos a partir do tecido adiposo é fortemente inibido pela insulina. Um dos efeitos de maior importância da insulina consiste em promover o armazenamento quase imediato no fígado da maior parte da glicose absorvida após uma refeição, sob a forma de glicogênio. Assim, entre as refeições, quando não há disponibilidade de alimentos e o nível da glicemia começa a declinar, o glicogênio hepático é novamente degradado em glicose, que retorna ao sangue para impedir que a glicemia sofra queda para níveis demasiadamente baixos. Efeito na insulina no sentindo de promover a captação, o armazenamento e a utilização da glicose pelo fígado Ausência do efeito da insulina sobre a captação e a utilização de glicose pelo cérebro A insulina exerce pouco ou nenhum efeito sobre a captação e/ou utilização da insulina pelo cérebro. Pois as células do cérebro são permeáveis á glicose sem intervenção as insulina. As células do cérebro só utilizam glicose para a obtenção de energia. A insulina também aumenta o transporte e a utilização da glicose pela maioria das outras células do organismo.

O transporte da glicose nas células adiposas é essencial para o fornecimento da fração glicerol da molécula de gordura para a deposição de gordura nessas células. Efeito da insulina sobre o metabolismo dos carboidratos em outras células Efeito do excesso de insulina sobre a síntese e o armazenamento de gordura.. EFEITO DA INSULINA SOBRE O METABOLISMO DAS GORDURAS. SÍNTESE DE ÁCIDOS GRAXOS CÉLULAS
HEPÁTICAS CÉLULAS
ADIPOSAS PRIMEIRA ETAPA Piruvato Glicose Acetil CoA Malonil CoA ETAPA ESSENCIAL PARA A ABSORÇÃO PELAS CÉLULAS ADIPOSAS. ÁCIDOS GRAXOS TRIGLICERÍDIOS ÁCIDOS GRAXOS 1. Insulina inibe ação da lipase *ARMAZENAMENTO DA GORDURA NAS CÉLULAS ADIPOSAS 2. Insulina promove o transporte de glicose através da membrana celular para as células adiposas Lipólise da gordura armazenada e liberação de ácidos graxos livres durante a falta de insulina.

Efeito da falta de insulina sobre as concentrações plasmáticas de colesterol e fosfolipídios.

Efeitos cetogênicos e acidóticos da ausência de insulina Aumento da utilização metabólica da gordura causado pela falta de insulina. Efeito da Insulina sobre o metabolismo das proteínas e o crescimento Efeito da insulina sobre a síntese e o armazenamento de proteínas Depleção proteica e aumento dos aminoácidos plasmáticos devido a falta de insulina. Efeito da insulina sobre o crescimento - seu efeito sinérgico com o hormônio do crescimento. •Estimulação da secreção de insulina pela glicemia Controle da secreção de insulina •Relação de feedback entre a glicemia e a
secreção de insulina; •Papel da insulina (e de outros hormônios) na “alternância” entre o metabolismo dos carboidratos e lipídios:

- O aumento da insulina = utilização de carboidratos;
- A diminuição de insulina = utilização de gorduras (ácidos graxos).
- hormônio do crecimento, Cortisol e epinefrina realizam também esta “alternância”. Outros fatores que estimulam a secreção de insulina: Aminoácidos:
Arginina e Lisina Hormônios Gastrointestinais:
Gastrina, secretina, colescistocina e peptído inibidor gástrico Outros hormônios e o sistema nervoso autônomo Mais severa – insulino dependente.

Alta concentração de glicose e baixa concentração de insulina

Destruição das células Beta por doença auto-imune ou tendência genética.

10% dos diabéticos são do tipo I
DM Tipo 2 Não insulino dependente - DMNID

Concentração de insulina sanguínea normal ou até elevada.

90% dos diabéticos são do tipo II e 80% são obesos.

Caracterizada pela resistência das células alvo a insulina.
Hiperglicemia: alta taxa de glicose no sangue.

Jejum celular: músculos degradam suas proteínas, e o tecido adiposo utiliza seu estoque de gordura.

Polifagia: alimentação excessiva

Ativação da glicogenolise e gliconegogenese pelo fígado.

Diuresse osmótica: perda de liquido na urina devido aos solutos não reabsorvidos. -> desidratação

Polidipsia: consumo de líquido constante
Acidose metabólica: auto concentração de cetonas sanguínea.

Tratamentos através de injeção de insulina, exercício físicos e dieta adequada para os 2 tipos de diabetes.
Full transcript