Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Cyperaceae e Poaceae

Apresentaçao de botânica
by

Elizandra Azevedo Sampaio

on 1 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Cyperaceae e Poaceae

Cyperaceae e Poaceae
BOTÂNICA

Elizandra Azevedo Sampaio
Karla Rafaela Costa Ferreira




5° bio1/11n prof: Liliane Melo

Cyperaceae
Características vegetativas e reprodutivas

Características vegetativas e reprodutivas
- caules triangulares.
- 3 folhas basais
- ausência de lígula
- bainhas fechadas.

Características vegetativas e reprodutivas
-
hermafroditas ou unissexuais
reunidas em várias inflorescências (espiga, cacho, panícula ou umbela).
- caule maciços, em
tufos basais e trisseriados
.
- limbo são cortantes .
- perianto está reduzido a aristas ou escamas, o número de
estames
é, geralmente,
3
e os filetes são livres.
- ovário é
súpero
com 2 ou 3 carpelos fundidos formando um único lóculo com um único óvulo basal.
- fruto é um aquénio e as sementes contêm um pequeno embrião envolvido por abundante albúmen carnudo.
Classificação Taxonômica
A grande semelhança entre estas 2 famílias reside no aspecto graminiforme e flores drasticamente reduzidas que todas elas apresentam (fig. 1 e 2).
- cerca de 122 gêneros e 4500 espécies
- Carex com 2000 espécies e Cyperus com 600.
- monocotiledóneas herbáceas perenes.
- são anuais.

Fig. 1 - Detalhe da flor de Cyperus eragrostis.
Fig. 2 – Detalhe da flor de Carex divulsa. Mata da Fôja
Além disso, as flores das Cyperaceae são protegidas por uma única bráctea, enquanto que a maioria das gramíneas possuem duas (lema e pálea).

Fig. 3 e 4 – Detalhe da flor e do fruto de Carex sp. Souselas.
considerando que ambas derivaram de antepassados do tipo das liliáceas através das Juncaceae.
colocou-as em duas ordens distintas:

(Cyperales e Poales)
Durante muito tempo acreditava-se que estas 2 famílias estavam relacionadas filogeneticamente.

Cyperaceae + Poaceae

Hutchinson (1884- 1972)
Atualmente, continua a existir controvérsia quanto à classificação destas famílias e a investigação molecular ainda não trouxe uma solução satisfatória para o problema.
A análise das sequências rbcL (gene cloroplastidial que codifica a subunidade maior da enzima oxigenase, a qual é fundamental para a fotorespiração) parece revelar que Cyperaceae e Poaceae não estão filogeneticamente relacionadas.
O curioso é que os mesmos genes apontam para a proximidade entre Cyperaceae e Juncaceae.
Distribuição Geográfica
abundantes em:
habitats úmidos
pantanosos ou
ribeirinhos das regiões subárticas e temperadas
Fig. 5 – Carex paniculata,
planta robusta de folhas planas largas.
Arzila.
http://www.flickr.com/photos/morftaxsperm/4011501717/
Importância ecológica e econômica
As Cyperaceae contribuem para o controle da erosão e a purificação da água nas áreas pantanosas e ribeirinhas.
Fig. 6 – Scirpus lacustris, também conhecido por bunho
Quando erradicadas, todo o ecossistema é drasticamente alterado, desaparecendo zonas de nidificação e de proteção de mamíferos e animais aquáticos
- uma praga em mais de 90 países!
- crescimento rápido
- tubérculos regeneram facilmente
- um único tubérculo cortado dá rapidamente origem a várias novas plantas
- produzindo toxinas que inibem a germinação e desenvolvimento das outras espécies

C. rotundus (tiririca)
http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC1687892-1489-5,00.html
- tubérculos e raízes ligadas muito fragilmente até 50 cm de profundidade.
- difícil remover a planta com todo o sistema radicular
- tubérculos facilmente se regeneram
Cyperus esculentus
http://www.imagekind.com/Cyperus-esculentus-art?IMID=f2f65374d26a-4641-9625-285acfe1d7a9
- A medula dos colmos era utilizada para fabricar o papiro
- até ao século X e XI d.C
- atualmente o papiro é utilizado na construção de barcos na Etiópia
Cyperus papyrus
Cyperus esculentus e
Cyperus articulatus (priprioca) são usados na perfumaria
Classificação Taxonômica
Poaceae

Taeniatherum caput-medusae,
uma gramínea anual frequente em pastagens secas. O nome é alusivo ao comprimento exagerado das glumas e arista.
- capins, gramas ou relvas,
- são plantas floríferas,
- monocotiledôneas (classe Liliopsida), da
família Poaceae
.
- APG II, de 2003, reconhece esta família, incluindo-a na ordem Poales.
- A família é constituida por 668 gêneros com 10 035 espécies.
- APG, de 1998, reconhecia a família na ordem Poales com o nome de Gramineae (Juss.),
com
700 gêneros e 12 000 espécies.
- O Sistema de Cronquist, de 1981, também reconhecia esta família, porém colocando-a na ordem Cyperales (Wettst., 1911), que não existe mais.


Distribuição Geográfica


Podem ser desde aquáticas, inclusivamente, de águas salgadas, até formar florestas ou viver nas fendas das rochas mais secas e desertos.
- Conseguiu ocupar quase todos os tipos de habitat disponíveis, em todos os climas
http://grassworld.myspecies.info/content/poaceae-angiosperm-phylogeny
desde plantas muito pequenas, como a vulgar Poa annua que surge entre as pedras da calçada até aos bambus que podem exceder 30
metros de altura.
Hyparrhenia hirta, uma gramínea perene de habitats muito secos e quentes, aqui crescendo num zambujal alentejano.
é a mais importante de todas as famílias de plantas para economias humanas, incluindo gramas de forragem; os grãos são o principal alimento cultivado em torno do mundo e o bambu, usado extensamente para a construção em toda Ásia
Importância Econômica
Os cereais constituem a fonte principal de calorias para seres humanos
Arroz na Ásia
o milho no México
o trigo
e a cevada na Europa e na América do Norte
Sua expressão nos ecossistemas.
as gramíneas são importantes constituintes de diversos habitats.
- fixação da areia trazida pelo vento da praia
Elas são imprescindíveis na fixação da areia trazida pelo vento da praia, e, se ausentes, a duna primária (aquela mais próxima do mar) colapsa, o que, ao longo do tempo, pode resultar na degradação de todo o complexo dunar, pois não existe outra espécie que substitua a A. arenaria nem o E. farctus nesta tarefa.
Características vegetativas e reprodutivas
Folhas

- alternas dísticas
- alongadas
- paralelinérvias
- invaginantes com baínha abarcante fendida.
- Na junção da lâmina foliar com a bainha há a formação da lígula que pode ser membranosa, pilosa ou mista, característica muito importante para a taxonomia.
-A epiderme é rica em
silício.

Flores
- sem pétalas nem sépalas
-polinização é feita pelo vento
- duas minúsculas escamas : as lodículas
- lema, pálea e glumas – são brácteas, isto é, folhas modificadas (importante na dispersão da semente)


Dispersão das sementes nas gramíneas, após uma tarde de campo num montado alentejano. Principais espécies presentes: Bromus diandrus, e Vulpia myurus.
As flores das gramíneas são compostas por:
• Androceu com 3 estames de anteras grandes, versáteis e de filetes delgados.
• Gineceu de ovário súpero, unilocular, uniovulado, encimado por dois estigmas plumosos.
• Indícios de polinização anemófila.
Inflorescência indefinida (não cimeira): Espiga, constituída por subunidades: espiguetas/flórulas. Nas gramíneas cada espigueta possui geralmente duas brácteas (glumas) na base e cada fórula da espigueta é protegida por 2 bractéolas (glumelas).

Bibliografia consultada:

Heywood, V.H. (1993). Flowering Plants of the World. Batsford : London.Judd, W.S., CAMPBELL, C.S., KELLOG, E.A. & STEVENS, P.F. (1999). Plant Systematics : A Phylogenetic Approach. Sinauer Associates, Inc.: Sunderland.
Lawrence, G.H.M. (1977). Taxonomia das Plantas Vasculares. Vol. II. Fundação Calouste Gulbenkian : Lisboa.
http://www.flickr.com/people/bryonia/. Acesso em: 17 Set. 2013 .
http://www.plantzafrica.com/plantcd/cyperaceae.htm. Acesso em: 17 Set. 2013
http://www.uc.pt/herbario_digital/Flora_PT/Familias/gramineas/. Acesso em 20 Set. 2013
http://www.uc.pt/herbario_digital/Flora_PT/Familias/cyperaceae/. Acesso em 20Set. 2013
http://pt.wikipedia.org/wiki/Poaceae. Acesso em 20 Set. 2013


Full transcript