Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

MAX WEBER - OS TIPOS DE DOMINAÇÃO CAPÍTULO III - Economia e

No description
by

on 17 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of MAX WEBER - OS TIPOS DE DOMINAÇÃO CAPÍTULO III - Economia e

MAX WEBER -
OS TIPOS DE DOMINAÇÃO CAP. III
-
Economia e Sociedade

5. Rotinização do Carisma
OS TRÊS TIPOS DE DOMINAÇÃO
7. A REINTERPRETAÇÃO ANTIAUTORITÁRIA DO CARISMA
6. FEUDALISMO
1. A vigência da legitimidade
- Dominação:
obediência às ordens
não implica em necessariamente exercer poder e influência
ocorre por diversos motivos

Toda dominação procura ser legítima.

EXEMPLO
- Obedecer ao chefe pode ser obrigação; obedecer a quem se admira pode ser um ato voluntário.
Para Weber, as duas formas são formas de dominação.
*A única dominação totalmente involuntária se dá em casos de escravidão.

Obediência
Para Weber é algo formal, não estando de acordo com as opiniões próprias do indivíduo.

- Três tipos puros de dominação legítima:
racional/legal
tradicional
carismática

TRADICIONALIZAÇÃO E RACIONALIZAÇÃO (legalização)

NOMEAÇÃO DE SUCESSOR

a. o interesse dos adeptos
b. o interesse do quadro administrativo.

Torna-se um fundamento cotidiano duradouro.

A. escolha nova
B. por revelação
C. por designação pelo portador anterior
D. por designação pelo quadro administrativo anterior
E. carisma hereditário
F. carisma de cargo

O carisma é permanente?

Dominação carismática se torna dominação tradicional?

NOMEAÇÃO QUADRO ADMINISTRATIVO

Rotinização do carisma.

1. poderes e oportunidades adquiridas do mestre/ recrutamento

2.1) normas. Modo de recrutamento:
a. normas de educação
b. normas de prova

O carisma só pode ser despertado/ provado e não pode ser aprendido.

2) normas carismáticas transformam-se: estamentais tradicionais (carismático-hereditarias)

Estado de linhagem – tradicionalizado.

3) o quadro administrativo pode exigir a criação de cargos aquisitivos individuais

a. prebendas
– de mendicância – de rendas em espécie – de impostos em dinheiro – de emolumentos.
b. cargos (patrimonialização/burocratização)
c. feudos.

12.a) Rotinização do carisma e eliminação de sua atitude alheia à economia.

- Dominação cotidiana : patrimonial (estamental) ou burocrática


“O carisma é um fenômeno inicial típico de dominações religiosas (proféticas) ou políticas ( de conquista) que, no entanto, cede aos poderes do cotidiano logo que a dominação esta assegurada e, sobretudo, assim que assume o caráter de massa.”

- Problemas administrativos

- Adaptação a economia

- Economia como dirigente

- Ricos e monarquias.

- Carisma = revolução?


FEUDO X PREBENDA

O QUE É FEUDO? Apropriação de poderes de mando e direitos senhoriais.

A. Poderes dentro da gestão patrimonial
B. Direitos dentro da associação (econômico/fiscais)
C. Poderes de mando dentro da associação

ENFEUDAÇÃO: Concessão em troca de serviços específicos.
Ex: militares e/ou administrativos

CONCESSÃO:
- Caráter puramente pessoal.
- Em virtude de contrato.
- tem modo de vida estamental (de cavaleiro)
- é uma confraternização (reciprocidade de fidelidade)

ADMINISTRAÇÃO FEUDAL SIGNIFICA:
a. só manda com a promessa de fidelidade.
b. associação política é diferente de relações de fidelidade pessoais.
c. deslealdade = senhor pode retomar o feudo.
d. hierarquia feudal estamental.
e. súditos inferiores
-> dependentes patrimoniais.
f. senhor feudal
-> poderes próprios a gestão patrimonial
-> direitos fiscais
-> poderes de mando

FEUDALISMO DE FEUDO PURO?

O QUE É PREBENDA? Apropriação de rendas estimadas e concedidas segundo o rendimento. Apropriação pessoal e que depende do desempenho.

Incapacidade de pagar? Apropriação das terras e súditos pelos fiscais/exercito).

PREBENDA: Feudos atribuídos a:

1) Cavaleiros dependentes do senhor patrimonial (diferente de contrato livre)
2) Guerreiros que não são cavaleiros.
3) clientes, colonos diferente de contrato livre e diferente de cavaleiros.

-> Principio carismático de igualdade = reinterpretado como
antiautoritário
Legitimidade democrática
-> Líder livremente eleito (eleição legítima)
Reconhecimento de diretrizes jurídicas carismáticas
Diferente da dominação carismática genuína.

“[...] a comunidade pode, segundo seu arbítrio, declarar, reconhecer
e revogar o direito, tanto em geral quanto no caso individual [...]”
(pág. 176)

-> Dominação plebiscitária: lideranças de partidos do Estado
moderno.
-> ”Democracia plebiscitária”
-> Relação com a economia

8. COLEGIALIDADE E DIVISÃO DE PODERES
Uma dominação pode ser limitada (relações sociais e associações que limitam a dominação)

-> Princípio de colegialidade:

Acabar com decisões precisas, inequívocas e rápidas;
Necessidade de enfraquecer o dominador, não por parte dos dominados, mas por parte dos membros do quadro administrativo.

-> Poder senhorial enfraquecido pela:
Divisão especificadas dos poderes políticos;

-> Relações da divisão de poderes políticos com a economia

A colegialidade pode favorecer as condições de existência de uma economia racional;

Divisão de poderes = “calculabilidade” no funcionamento do estado burocrático  favorável a racionalização (formal) da economia

9. Partidos
- São relações de associação com entrada livre. Visa determinado objetivo ou interesse pessoal dos membros.

- Composto por:
líderes
membros
grande massa (necessária somente na hora do voto)

- O partido pode ser orientado pelos três tipos de dominação.

- Financiamento:
"máquina"
candidatos
10. Administração de associações alheia à dominação e administração de representantes
- Associações trabalham com igualdade entre os membros e democracia, a fim de diminuir os poderes de mando.

- Redução no número de pessoas e de cargos que exijam profissionais.

- Funcionário honorário:
pode viver para a política, e não dela
11. Representação
- Quatro tipos:
apropriada
estamental
vinculada
livre

- Governo constitucional:
ocorre quando a apropriação do
poder pelo partido não se dá por completo

- Governo representativo:
ocorre quando o parlamento elege os representantes
RELAÇÃO COM A ECONOMIA
burguesia passou a limitar os poderes do
príncipe e da nobreza
proletariado não ameaçava os burgueses
política voltada ao capitalismo
príncipes e ministros tentavam conquistar os operários
o parlamento estava mudando devido a criação de novos partidos

- Representações de interesses: surgem com a criação de partidos classistas, para privar determinada camada do direito eleitoral. Geralmente são ausentes de líderes.
* As representações parlamentar e de interesse são próprias do Ocidente, pois se explicam pelo desenvolvimento de classes e de estamentos que ocorreram aqui.

2.Dominação Legal com quadro administrativo burocrático
Forma típica moderna:
Tipo ideal ou tipo puro de dominação legal.
Racionalidade mediante pacto e imposição.
Qualificação profissional
Superior à burocracia



a) Qualificação nivelada, tendencial.
b) Tendência a plutocratização.
c) A dominação da impessoalidade formalista

formalismo
execução materialista e utilitarista


3. Dominação Tradicional
4.Dominação Carismática


Gerontocracia: questão da idade.

Patriarcalismo: questão da sucessão.




Patrimonialismo: questão da apropriação e tradições

Sultanismo: questão das tradições

Dominação Estamental: questão da dominação do quadro administrativo
Sem quadro administrativo
Com quadro administrativo
Qualidade extracotidiana.
crença sobrenatural, heróica e lider.
homens de confiança.
provas, e a necessidade de provar
carisma.
exemplo China.
oposição aos outros tipos de dominação.
questão econômica
Dominação burocrática significa em geral:
extracotidiano e cotidiano
Full transcript