Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Howard Gardner (Teorias da aprendizagem)

mah and jam's report
by

Talissa Rodrigues

on 20 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Howard Gardner (Teorias da aprendizagem)

por Howard Gardner
INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS
Quem é Howard Gardner?
Psicólogo, americano, professor de Psicologia da Universidade de Harvard e de Neuropsicologia do Hospital de Boston.
Implicações & Aplicações
Principais obras
PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO - PUCRS
METODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR
Profª. Betina Steren dos Santos

Victor Castro - PGTEMA
Talissa Rodrigues - EDUCEM
Alexandre Capaverde; Mônica Martins; Gerson Pinho- PPGEE
(1982) Arte, Mente e Cérebro: uma abordagem cognitiva da criatividade

(1983) Frames of Mind – Estruturas da Mente

(1991) A Criança Pré-Escolar: Como Pensa e como a Escola Pode Ensiná-la

(1993) Inteligências Múltiplas – A Teoria na Prática

(1999) Inteligência: um conceito reformulado

(2009) Inteligências Múltiplas ao redor do Mundo
Inteligência representa um conjunto de faculdades mentais, entendidas como habilidades que interagem entre si para buscar a solução de problemas em uma determinada cultura.
Nascido em Scranton, Pensilvânia, em 1943, em uma família de judeus alemães refugiados do nazismo.
Redirecionou sua carreira para os campos combinados de psicologia e educação.
As inteligências podem ser vistas em termos de uma sequência de estágios:
1° Estágio
O aparecimento da competência simbólica é visto em bebês quando eles começam a perceber o mundo ao seu redor
2° Estágio
Ocorre aproximadamente entre os dois e cinco anos de idade, quando as inteligências se revelam através dos sistemas simbólicos.
3° Estágio
Prossegue para adquirir níveis mais altos de destreza em domínios valorizados em sua cultura. Se aprende os sistemas que Gardner chama de "sistemas de segunda ordem"(a escrita, os símbolos matemáticos, a música escrita etc).
4° Estágio
O indivíduo adota um campo específico e focado; se realiza em papéis que são significativos em sua cultura. Ocorre durante a adolescência e a idade adulta, onde as inteligências, geralmente, se revelam através de ocupações vocacionais ou não-vocacionais.
O que é Inteligência?
Para definir as inteligências GARDNER (1994) utilizou um conjunto de oito critérios relacionados aos estudos da psicologia comportamental, neurologia e biologia genética.
Alfred Binet
e
Theodore Simon
Howard Gardner
X
Criaram testes para identificar uma possível necessidade de maior intervenção do professor no processo de aprendizado de crianças que poderiam, futuramente, apresentar dificuldades.
Testes para dificuldades escolares.
Escala Binet-Simon
Quantização da inteligência.
Inteligência é a capacidade de resolver problemas ou de elaborar produtos que sejam valorizados em um ou mais ambientes culturais ou comunitários, pois todos os indivíduos têm em princípio, habilidade de questionar e buscar respostas usando as inteligências.
(Gardner, 1995)
É um potencial biopsicológico para processar informações que pode ser ativado para solucionar problemas ou criar produtos que sejam valorizados numa cultura.
(Gardner, 2000)
Agora, observe essas pessoas:
Oscar Niemeyer
Villa-Lobos
Einstein
Machado de Assis
Obama
Quem é o mais inteligente?
Indivíduos normais são capazes de uma atuação em pelo menos sete diferentes áreas, que até certo ponto, são independentes. (Gardner, 1985)
Gardner passa a integrar o seleto grupo da psicologia que redefine a inteligência centrada nas origens biológicas de um conjunto de competências intelectuais que dependem, muitas vezes, do contexto cultural do indivíduo.
Cada inteligência tem sua origem e limites genéticos próprios e substratos neuroanatômicos específicos e dispõem de processos cognitivos próprios.
Embora sejam independentes, raramente funcionam isoladamente. Mesmo que algumas ocupações exemplifiquem uma inteligência, na maioria dos casos, se faz necessário uma combinação de inteligências.
Todas as inteligências são capazes de se realizar através de múltiplos sistemas sensoriais.
UM ESPECTRO DE INTELIGÊNCIAS
GARNER (1994)
Lógico matemática
Linguística
Espacial
Corporal-cinestésica
Musical
Pessoal
“A inteligência lógico-matemática envolve a capacidade de analisar problemas com lógica, de realizar operações matemáticas e investigar questões cientificamente.
Os matemáticos, lógicos e os cientistas exploram a inteligência lógico-matemática.” (GARDNER, 2001, pg. 56)
“A inteligência linguística envolve sensibilidade para a língua falada e escrita, a habilidade de aprender línguas e a capacidade de usar a língua para atingir certos objetivos. Os advogados, locutores escritores e poetas estão entre as pessoas de inteligência linguística elevada.” (GARDNER, 2001, pg. 56)
Capacidade de produzir e apreciar ritmo, tom e timbre; apreciação das formas de expressividade musical. Permite a organização de sons de maneira criativa, a partir da discriminação dos elementos musicais. (GARDNER, 1994)
Gardner descreve a inteligência espacial como uma capacidade para perceber o mundo visual e espacial de forma precisa. É a habilidade para manipular formas ou objetos mentalmente e, a partir das percepções iniciais, criar tensão, equilíbrio e composição, numa representação visual ou espacial (GARDNER, 1994)
Habilidade para usar o próprio corpo e controlar os movimentos do deste e/ou manipular objetos habilmente para solucionar problemas. (GARDNER, 1994)
Interpessoal
A inteligência interpessoal está baseada numa capacidade nuclear de perceber distinções entre os outros; em especial, contrastes em seus estados de ânimo, temperamento, motivações e intenções. (GARDNER, 1993)
Intrapessoal - o conhecimento dos aspectos internos de uma pessoa; o acesso ao sentimento da própria vida, à gama das próprias emoções, à capacidade de discriminar essas emoções e eventualmente rotulá-las e utilizá-las como uma maneira de entender e orientar o próprio comportamento. (GARDNER, 1993)
Embora a teoria tenha sido desenvolvida com o objetivo de ampliar as noções psicológicas da inteligência, sua maior contribuição está na educação.
A teoria de Gardner apresenta alternativas para algumas práticas educacionais atuais, oferecendo uma base para:
a) Desenvolvimento de avaliações que sejam adequadas às diversas habilidades humanas (Gardner & Hatch, 1989; Blythe & Gardner, 1990)
b) Educação centrada na criança com currículos específicos para cada área do saber (Konhaber & Gardner, 1989; Blythe & Gardner, 1390)
c) Ambiente educacional pluralista com foco em todas as inteligências e não somente linguagem e lógico-matemática (Walters &- Gardner, 1985; Blythe & Gardner, 1990)
“As crianças podem compensar seu conjunto particular de fraquezas intelectuais ou combinar suas forças intelectuais de uma maneira satisfatória em termos profissionais e de passatempo” (GARDNER, 1993, p.34)
“Embora a teoria das inteligências múltiplas seja consistente com muitas evidências empíricas, ela não foi submetida a sólidos testes experimentas dentro da psicologia. Na área da educação, as aplicações da teoria estão sendo atualmente examinadas à luz da experiência atual de sala de aula. No entanto, há razões importantes para considerar a teoria das inteligências múltiplas e suas implicações para a educação.
“Nas mãos de educadores, a teoria das IM parece o teste de Rorschach. Olhando uma mesma mancha de tinta, duas pessoas podem ver coisas diferentes” (GARDNER, 2001, pg. 173)
Para Gardner (2010) é impossível ser coerente com a teoria das IM se não adotarmos uma posição que defenda o que é relevante ensinar na sala de aula e por quê. Defende que a educação deve fornecer aos alunos uma base para que compreendam o mundo dos humanos, dos seus artefatos e o mundo do “eu” .
Gardner (2010) defende que abordagens sistemáticas baseadas no uso de analogias e metáforas, observações e principalmente no confronto de ideias, auxiliam no processo da compreensão.
A Teoria das IM na educação
“Quando os professores são capazes de usar diferentes abordagens pedagógicas, eles conseguem atingir mais alunos, com maior eficácia.” (GARDNER, 2010, pg. 203)
Pontos de entrada para a teoria das IM na prática educacional:
A Teoria das IM na educação
1. N
a
r
r
a
t
i
v
o
2. Q
u
a
n
t
i
t
a
t
i
v
o
/
N
u
m
é
r
i
c
o
3. Lógico
4. Fundamental/Existencial
5. E
s
t
é
t
i
c
o
6. M
ã
o n
a
M
a
s
s
a
7. Social
Principais Mitos
da
Teoria das IM:
1.
2.
4.
5.
Uma inteligência não é o mesmo que um sistema sensorial.
Uma inteligência não é um estilo de aprendizagem.
Uma inteligência não é o mesmo que um domínio.
As pessoas não nascem com o espectro de inteligências pronto. Ao longo da vida ele é aprimorado e os limites da realização desse aprimoramento depende, principalmente, da motivação e da cultura.
Não existem escolas de inteligências múltiplas. Existem escolas que utilizam a abordagem da teoria das IM na prática escolar.
Futuramente chamada de teste de QI.
Intrapessoal
Naturalista
Segundo Gardner (2001), o naturalista é aquele que tem o talento para interagir, domar e cuidar de muitas criaturas vivas.
Capacidades aparentemente remotas, como reconhecer automóveis pelo barulho, detectar novos padrões em laboratórios ou discernir estilos artísticos exploram mecanismos que evoluíram dos hábitos de um naturalista.
GARDNER, H. Arte, Mente e Cérebro: uma abordagem cognitiva da criatividade. Ed. ARTMED, 1982.
GARDNER, H. Estruturas da Mente. Ed. ARTMED, 1994.
GARDNER, H. A Criança Pré-Escolar: Como Pensa e como a Escola Pode Ensiná-la. Ed. ARTMED, 1991.
GARDNER, H. Inteligências Múltiplas – A Teoria na Prática. Ed. ARTMED, 1993.
GARDNER, H. Inteligência: um conceito reformulado. Ed. ARTMED, 2001.
GARDNER, H. Inteligências Múltiplas ao redor do Mundo. Ed. ARTMED, 2010.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Ana Botafogo
Darwin
3.
Full transcript