Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

HISTORIA DA ENFERMAGEM (DISCIPLINA DE CURSO DE ENFERMAGEM)

No description
by

Rafael Ribeiro

on 28 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of HISTORIA DA ENFERMAGEM (DISCIPLINA DE CURSO DE ENFERMAGEM)

DA
ENFERMAGEM

Período Pré-Cristão

Doença = Castigo de Deus ou resultavam do poder do demônio.

Sacerdotes e feiticeiros = Médicos e Enfermeiros.

Tratamentos = massagens, banho de água fria ou quente, purgativos, substâncias provocadoras de náuseas, plantas ritualisticas, ou "medicinais"
O tratamento consistia em aplacar as divindades, afastando os maus espíritos por meio de sacrifícios...
Os doentes de todos os tipos (físicos, mentais, emocionais...) perambulavam pelas ruas, muitas vezes sem resolverem seus casos.
A morte era tida como vontade dos Deuses, inquestionável, inevitável...
http://phylos.net/direito/pd-historia/
EGITO
Praticava-se o hipnotismo, a interpretação de sonhos; acreditava-se na influência de algumas pessoas sobre a saúde de outras. Havia ambulatórios gratuitos, onde era recomendada a hospitalidade e o auxílio aos desamparados.
Os egípcios deixaram alguns documentos sobre a medicina conhecida em sua época.
As receitas médicas deviam ser tomadas acompanhadas da recitação de fórmulas
religiosas.

VEJA A SEGUIR UM EXEMPLO DE ANOTAÇÃO DE CUIDADO ENCONTRADO EM PERGAMINHO DATADO DA ÉPOCA.
A HISTORIA DO "CUIDAR" NO MUNDO
Documentos do século VI a.C. nos dizem que os hindus conheciam: ligamentos, músculos, nervos, plexos, vasos linfáticos, antídotos para alguns tipos de envenenamento e o processo digestivo. Realizavam alguns tipos de procedimentos, tais como: suturas, amputações, trepanações e corrigiam fraturas
INDIA
Bibliografia Básica
GEOVANINI, Telma, et al.História da Enfermagem Versões e Interpretações.Ed. Revinter. R.J. 1995 
MURTA, Genilda Ferreira (org). Saberes e Práticas Guia para o Ensino Aprendizado de Enfermagem 1 3ª ed. Cap.8 Difusão editora S.P. 2007..
PAIXÃO, W. História da Enfermagem. R.J. C. Reis. 1979


Bibliografia Complementar
ATKINSON, L.D. Fundamentos de Enfermagem: introdução ao processo de enfermagem. Editora Guanabara, são Paulo 1989.
CARRARO, T.E. Enfermagem e Assistência: resgatando Florence Nightingale. Ed. Cultura e Qualidade, 1 ed. Goiânia, 1997.
CIANCIARULLO, T.I. Instrumentos Básicos para o Cuidar: um desafio para a qualidade de assistência. Ed. Atheneu, 1 ed. São Paulo, 2000.

Resumo: HISTÓRIA DA ENFERMAGEM :AS PRÁTICAS DE SAÚDE AO LONGO DA HISTÓRIA E O DESENVOLVIMENTO DAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM . Retirado do site da ABEN/PE
www.abenpe.com.br
O Budismo contribuiu para o desenvolvimento da enfermagem e medicina.
Os Hindus foram OS PRIMEIROS a citar "enfermeiros" e exigir conhecimento científico.
O Bramanismo aparece como posição responsável por atrapalhar o desenvolvimento científico. (GEOVANINI,1995)
PALESTINA / POVO HEBREU
:

Moisés, grande legislador, prescreveu preceitos de higiene e exame do doente: diagnóstico, desinfecção , afastamento de objetos contaminados e leis sobre o sepultamento de cadáveres para que não contaminassem a terra. Os enfermos ,
quando viajantes, eram favorecidos com hospedagem gratuita.
ASSÍRIA E BABILÔNIA
Médicos imcompetentes eram duramente penalizados;

A medicina era baseada na magia -
acreditava-se que sete demônios eram os causadores das doenças. Os sacerdotesmédicos vendiam talismãs com orações usadas contra os ataques dos demônios. Nos documentos assírios e babilônicos não há menção de hospitais, nem de enfermeiros. Conheciam a lepra e sua cura dependia de milagres de Deus, como no episódio bíblico do banho no rio Jordão. "Vai, lava-te sete vezes no Rio Jordão e tua carne ficará limpa".(II Reis: 5, 10-11).
CHINA
Doenças classificadas em: Benígnas, Médias ou graves. Sacerdotes divididos em categorias conforme a gravidade da doença.

Os chineses conheciam algumas doenças: varíola e sífilis. Procedimentos: operações de lábio. Tratamentos: anemias, indicavam ferro e fígado; verminoses, tratavam com determinadas raízes; sífilis, prescreviam mercúrio;doenças da pele, aplicavam o arsênico. Anestesia: ópio. Construíram alguns hospitais deisolamento e casas de repouso. A cirurgia não evoluiu devido a proibição da dissecação de cadáveres.
JAPÃO
As mulheres cuidavam parcialmente, a aceitação a morte e eutanásia era cultural.
GRECIA
As primeiras teorias gregas se prendiam à mitologia. Apolo, o deus sol, era o deus da
saúde e da medicina.

Usavam sedativos, fortificantes e hemostáticos, faziam ataduras e
retiravam corpos estranhos, tinham casas para tratamento dos doentes.

Tratamento: banhos, massagens, sangrias, dietas, sol, ar puro, água pura
mineral. Dava-se valor à beleza física, cultural e a hospitalidade, contribuindo para o
progresso da Medicina e da Enfermagem.

O nascimento e a morte eram considerados impuros, causando
desprezo pela obstetrícia e abandono de doentes graves.

A medicina tornou-se
científica, graças a Hipócrates, que deixou de lado a crença de que as doenças eram
causadas por maus espíritos. Hipócrates é considerado o Pai da Medicina.

Observava o
doente, fazia diagnóstico, prognóstico e a terapêutica.

Reconheceu doenças, tais como:
tuberculose, malária, histeria, neurose, luxações e fraturas. Seu princípio fundamental
na terapêutica consistia em "não contrariar a natureza, porém auxilia-la a reagir".

Tratamentos usados: massagens, banhos, ginásticas, dietas, sangrias, ventosas,
vomitórios, purgativos e calmantes, ervas medicinais e medicamentos minerais.
A medicina não teve prestígio em Roma. Durante muito tempo era exercida por
escravos ou estrangeiros.

povo guerreiro.

Roma distinguiu-se pela limpeza das ruas, ventilação das casas, água pura e abundante e redes de esgoto.

Os mortos eram sepultados fora da
cidade, na via Ápia.

O desenvolvimento da medicina dos romanos sofreu influência do
povo grego.
Os cristãos até então perseguidos, receberam no ano 335 D.C. pelo Edito de Milão, do imperador Constantino, a liberação para que a Igreja exercesse suas obras assistenciais e atividades religiosas...

Houve uma profunda modificação na
assistência aos doentes - os enfermos eram recolhidos às diaconias, que eram casas
particulares, ou aos hospitais organizados para assistência a todo tipo de necessitados.
CRISTIANISMO
Desenvolvimento das práticas de saúde durante os períodos históricos
Subdivisão do períodos relacionados com a mudança das práticas de saúde:
?...EVOLUÇÃO...?..SAÚDE..?..AMBIENTE..?
As práticas de saúde instintivas
- caracteriza a prática do cuidar nos grupos nômades primitivos, tendo como pano-de-fundo as concepções evolucionista e teológica. Neste período as práticas de saúde, propriamente ditas, num primeiro estágio da civilização, consistiam em ações que garantiam ao homem a manutenção da sua sobrevivência, estando na sua origem, associadas ao trabalho feminino. (PAIXÃO,1979 - REVISÃO ABEN)
Com o evoluir dos tempos,
constatando que o conhecimento dos meios de cura resultavam em poder, o homem, aliando este conhecimento ao misticismo, fortaleceu tal poder e apoderou-se dele.
Observa-se que a Enfermagem está em sua natureza intimamente relacionada ao cuidar das sociedades primitivas.
As práticas de saúde mágico-sacerdotais -
aborda a relação mística entre as práticas
religiosas e as práticas de saúde primitivas desenvolvidas pelos sacerdotes nos templos.
Este período corresponde à fase de empirismo, verificada antes do surgimento da especulação filosófica que ocorre por volta do século V a.C. (PAIXÃO)
Essa prática permanece por muitos séculos desenvolvida nos templos que, a princípio, foram simultaneamente
santuários e escolas, onde os conceitos primitivos de saúde eram ensinados.
Posteriormente, desenvolveram-se escolas específicas para o ensino da arte de curar no sul da Itália e na Sicília, propagando-se pelos grandes centros do comércio, nas ilhas e cidades da costa
Quanto à Enfermagem, as únicas referências
concernentes à época em questão estão relacionadas com a prática domiciliar de partos e a atuação pouco clara de mulheres de classe social elevada que dividiam as atividades dos templos com os sacerdotes.
As práticas de saúde no alvorecer da ciência - relaciona a evolução das práticas de
saúde ao surgimento da filosofia e ao progresso da ciência, quando estas então se
baseavam nas relações de causa e efeito. Inicia-se no século V a.C., estendendo-se até os primeiros séculos da Era Cristã.
A prática de saúde, antes mística e sacerdotal, passa agora a ser um produto desta nova fase, baseando-se essencialmente na experiência, no conhecimento da natureza, no raciocínio lógico - que desencadeia uma relação de causa e efeito para as doenças - e na especulação filosófica, baseada na investigação livre e na observação dos fenômenos, limitada, entretanto, pela ausência quase total de conhecimentos anatomofisiológicos.
As práticas de saúde monástico-medievais -
Focaliza a influência dos fatores sócioeconômicos e políticos do medievo e da sociedade feudal nas práticas de saúde e as
relações destas com o cristianismo.
imagens a seguir retiradas de: http://intl.feedfury.com/content/46115536-voc-teria-coragem-de-ir-ao-m-dico-na-idade-m-dia.html
Esta época corresponde ao aparecimento da Enfermagem como prática leiga, desenvolvida por religiosos e abrange o período medieval compreendido entre os séculos V e XIII. Foi um período que deixou como legado uma série de valores que, com o passar dos tempos, foram aos poucos legitimados e aceitos pela sociedade como características inerentes à Enfermagem.
Abnegação, o espírito de serviço, a obediência e outros atributos que dão à
Enfermagem, não uma conotação de prática profissional, mas de sacerdócio.
As práticas de saúde pós monásticas -
evidencia a evolução das práticas de saúde e, em especial, da prática de Enfermagem no contexto dos movimentos Renascentistas e da Reforma Protestante. Corresponde ao período que vai do final do século XIII ao início do século XVI A retomada da ciência, o progresso social e intelectual da Renascença e a evolução das universidades não constituíram fator de crescimento para a Enfermagem.
Nessa época a enfermagem se via enclausurada em hospitais sob responsabilidade da Igreja Católica, mantendo tradições de doação e caridade... os hospitais eram um amontado de gente doente, a enfermagem era considerada como que um serviço doméstico quando os hospitais estavam abarrotados, adotada pelas classes aristocráticas.
As práticas de saúde no mundo moderno -
analisa as práticas de saúde e, em especial, a de Enfermagem, sob a ótica do sistema político-econômico da sociedade capitalista.
Ressalta o surgimento da Enfermagem como prática profissional institucionalizada. Esta análise inicia-se com a Revolução Industrial no século XVI e culmina com o surgimento da Enfermagem moderna na Inglaterra, no século XIX.
ENFERMAGEM MODERNA
Evolução dos hospitais.
Falta de condições de salubridade.
Séc XVIII e IX época em que estiveram sob piores condições, devido principalmente à doenças infecto-contagiosas e à falta de pessoas preparadas para cuidar dos doentes.
Os ricos continuavam a ser tratados em suas próprias casas... os pobres objetos de instrução e experiências que resultariam em um maior conhecimento sobre as doenças em benefício da classe abastada.
É neste cenário que a Enfermagem passa a atuar, quando Florence Nightingale é
convidada pelo Ministro da Guerra da Inglaterra para trabalhar junto aos soldados
feridos em combate na Guerra da Criméia.
Quem foi Florence ? (Resumo)

Nascida a 12 de maio de 1820, em Florença, Itália, era filha de ingleses.

1844 em Roma, estudando as atividades das Irmandades Católicas

1849 faz uma viagem ao Egito com Diaconisas, depois vai para Alemanha, entre as irmãs decidida à caridade cristã.

1854, a Inglaterra, a França e a Turquia declaram guerra à Russia: é a Guerra da Criméia.Usando seus conhecimentos reduziu a mortalidade de 40 para 2% para os feridos de batalha.

Durante a guerra contrai tifo e ao retornar da Criméia, em 1856, leva uma vida de inválida.
Perfil de Florence:

Possuía inteligência incomum, tenacidade de propósitos, determinação e perseverança - o que lhe permitia dialogar com políticos e oficiais do Exército, fazendo prevalecer suas idéias. Dominava com facilidade o inglês, o francês, o alemão, o italiano além do grego e latim.

(1849)...Decidida a seguir sua vocação, procura completar seus conhecimentos que julga ainda insuficientes...

...Florence partiu para Scutari com 38 voluntárias entre religiosas e leigas vindas de diferentes hospitais. Algumas das enfermeiras foram despedidas por incapacidade de adaptação e principalmente por indisciplina. Florence é incomparável: estende sua atuação desde a organização do trabalho, até os mais simples serviços como a limpeza do chão...

...Os soldados fazem dela o seu anjo da guarda e ela será imortalizada como a "Dama da Lâmpada" porque, de lanterna na mão, percorre as enfermarias, atendendo os doentes...

O LEGADO NIGHTINGALEANO

1859. Após a guerra, Florence fundou uma escola de Enfermagem no Hospital Saint Thomas. A disciplina rigorosa, militar, a exigência de qualidades morais das candidatas. O curso, de um ano de duração, consistia em aulas diárias ministradas por médicos.

Florence morre a 13 de agosto de 1910, deixando florescente o ensino de Enfermagem. Assim a Enfermagem surge não mais como uma atividade empírica,
desvinculada do saber especializado, mas como uma ocupação assalariada que vem atender a necessidade de mão-de-obra nos hospitais, constituindo-se como uma prática
social institucionalizada e específica.

Contribuição científica :
TEORIA AMBIENTALISTA DO CUIDADO

O JURAMENTO DE FLORENCE:

"Juro, livre e solenemente, dedicar minha vida profissional a serviço da pessoa humana, exercendo a Enfermagem com consciência e dedicação: guardar sem desfalecimento os segredos que me forem confiados, respeitando a vida desde a concepção até a morte; não participar voluntariamente de atos que coloquem em risco a integridade física ou psíquica do ser humano; manter e elevar os ideais de minha profissão, obedecendo aos preceitos da ética e da moral, preservando sua honra, seu prestígio e suas tradições."
Nos Estados Unidos a
primeira Escola foi criada em 1873.
Em 1877 as primeiras enfermeiras diplomadas começam a prestar serviços a domicílio em New York.
COMO A ENFERMAGEM DE NIGHTINGALE SE DIFUNDIU ?
As escolas deveriam funcionar de acordo com a filosofia da Escola de Florence Nightingale, baseada em quatro idéias chave:

1. O treinamento de enfermeiras deveria ser considerado tão importante quanto qualquer outra forma de ensino e ser mantido pelo dinheiro público.

2. As escolas de treinamento deveriam ter uma estreita associação com os hospitais, mas manter sua independência financeira e administrativa.

3. Enfermeiras profissionais deveriam ser responsáveis pelo ensino no lugar de pessoas não envolvidas em Enfermagem.

4. As estudantes deveriam, durante o período de treinamento, ter residência à disposição, que lhes oferecesse ambiente confortável e agradável, próximo ao hospital.
Sistema Nightingale de Ensino

As escolas conseguiram sobreviver graças aos pontos essenciais estabelecidos:

1º. Direção da escola por uma enfermeira.

2º. Mais ensino metódico, em vez de apenas ocasional.

3º. Seleção de candidatos do ponto de vista físico, moral, intelectual e aptidão profissional.
Relembrando e questionando:

- Como eram as praticas do cuidar no período pré-cristão ? Cite exemplos de alguns países no mundo naquela época.

- Dentro das referências estudadas, em qual país é que vimos sendo citado o termo "enfermeiro" pela primeira vez?

- Como foram as práticas de saúde Instintivas ?

- Como é caracterizado o período das praticas de saúde magico-sacerdotais ?

- Como podemos caracterizar as praticas de saúde no período do alvorecer da ciência ?

- Caracterize as práticas de saúde Monástico-medievais. Quais os séculos em que se evidenciaram tais práticas?

- Como era a saúde no período pós-monástico ?

- Defina as praticas de saúde no mundo moderno.

- Como podemos compreender o surgimento da enfermagem de modo caridoso e vocacional-religioso?

- Quem foi Florence Nightingale e como foi idealizada a enfermagem por ela ?

- O que muda na enfermagem com o advento Nightingaleano ?
- Como deve ser o aprendizado da enfermagem no modelo de Escola Nightingale ?
HISTORIA DA ENFERMAGEM NO BRASIL
PERÍODO COLONIAL
ANTES DOS PORTUGUESES COLONIZAREM O BRASIL, OS ÍNDIOS DEMONSTRAVAM RITUAIS SIMILARES AOS QUE ESTUDAMOS ANTERIORMENTE PARA MANIFESTOS DE CURA.
No que diz respeito à saúde do nosso povo, merece destaque o Padre José de Anchieta.
Ele não se limitou ao ensino de ciências e catequeses; foi além: atendia aos necessitados do povo, exercendo atividades de médico e enfermeiro. Em seus escritos encontramos estudos de valor sobre o Brasil, seus primitivos habitantes, clima e as doenças mais comuns. A terapêutica empregada era à base de ervas medicinais minuciosamente descritas. Supõe-se que os Jesuitas faziam a supervisão do serviço que era prestado por pessoas treinadas por eles. Não há registro a respeito.
Frei Fabiano de Cristo, que durante 40 anos exerceu atividades de enfermeiro no Convento de Santo Antonio do Rio de Janeiro, (Séc. XVIII).
Desde o princípio da colonização foi incluida a abertura das Casas de Misericórdia, que tiveram origem em Portugal. A primeira Casa de Misericórdia foi fundada na Vila de Santos, em 1543
OS ESCRAVOS AUXILIAVAM OS RELIGIOSOS NO CUIDADO COM ENFERMOS
Em 1738 Romão de Mattos Duarte, outro religioso padre, fundou no Rio de Janeiro a "Casa dos Expostos". 1822 foi criado ali mesmo a primeira sala de partos.
Somente em 1822, o Brasil tomou as primeiras medidas de proteção à maternidade que se conhecem na legislação mundial, graças a atuação de José Bonifácio Andrada e Silva.
(Santos, 13 de junho de 1763 — Niterói, 6 de abril de 1838) foi um naturalista, estadista e poeta brasileiro. É conhecido pelo epíteto de "Patriarca da Independência" por ter sido uma pessoa decisiva para a Independência do Brasil.
Primeira universidade Rio de Janeiro 1832
Primeira universidade de medicina da Bahia e do Brasil , 1808.
A Faculdade de Medicina do Rio, formou em 1834, como parteira, Maria Josefina Matilde Durocher.
" (...) A historiadora Maria Lucia Mott aponta em seus estudos, que Durocher adotava este estilo por ser mais cômodo para a atividade exercida e decente para uma Parteira Diplomada. Ademais, alegava que este estilo inspirava mais confiança às mulheres, bem como de certo era uma das necessidades de não ser confundida à noite com as prostitutas, quando atendia em domicílio as parturientes, pois parir na enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro era apavorante (...) "(A luta das parteiras diplomadas pela prática da obstetrícia no Rio de Janeiro (Brasil) PORTO F e CARDOSO T. C. 2009)
Ana Neri :
Aos 13 de dezembro de 1814, nasceu Ana Justina Ferreira, na Cidade de Cachoeira, na Província da Bahia. Casou-se com Isidoro Antonio Neri, enviuvando aos 30 anos.
Seus dois filhos, um médico militar e um oficial do exército, são convocados a servir a Pátria durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), sob a presidência de Solano Lopes.
ANA NERI
Francisco Solano Lopez.
voltando a Ana Neri...Em 15 de agosto parte para os campos de batalha, . Improvisa hospitais e não mede esforços no atendimento aos feridos. Após cinco anos, retorna ao Brasil, Victor Meireles pinta sua imagem, que é colocada no Edifício do Paço Municipal.
O governo Imperial lhe concede uma medalhas humanitárias e de campanha. Faleceu no Rio de Janeiro a 20 de maio de 1880. A primeira Escola de Enfermagem fundada no Brasil recebeu o seu nome.
A formação de pessoal de Enfermagem - para atender inicialmente aos hospitais civis e militares ; às atividades de saúde pública -

- Criação, através do governo, da Escola Profissional de Enfermeiros e Enfermeiras, no Rio de Janeiro, junto ao Hospital Nacional de Alienados do Ministério dos Negócios do Interior.

Escola de Enfermagem, foi criada pelo Decreto Federal nº 791, de 27 de setembro de 1890, e denomina-se hoje Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, pertencendo à Universidade do Rio de Janeiro - UNI-RIO.
Um importante personagem da saúde:
Osvaldo Gonçalves Cruz (São Luiz do Paraitinga, 5 de agosto de 1872 — Petrópolis, 11 de fevereiro de 1917) foi um cientista, médico, bacteriologista, epidemiologista e sanitarista brasileiro.

Foi o pioneiro no estudo das moléstias tropicais e da medicina experimental no Brasil. Fundou em 1900 o Instituto Soroterápico Nacional no bairro de Manguinhos, no Rio de Janeiro, transformado em Instituto Oswaldo Cruz, respeitado internacionalmente.
A CRUZ VERMELHA E OSWALDO CRUZ
A Cruz Vermelha Brasileira foi organizada e instalada no Brasil em fins de 1908, tendo como primeiro presidente Oswaldo Cruz. Destacou-se a Cruz Vermelha Brasileira por sua atuação durante a I Guerra Mundial (1914-1918). Fundaram-se filiais nos Estados. Durante a epidemia de gripe espanhola (1918), colaborou na organização de postos de socorro, hospitalizando doentes e enviando socorristas a diversas instituições hospitalares e a domicílio.
Impossível não falar de Carlos Chagas...
Carlos Chagas (1920), numa tentativa de reorganização dos serviços de saúde, cria o Departamento Nacional de Saúde Pública, órgão que, durante anos, exerceu ação normativa e executiva das atividades de Saúde Pública no Brasil.
Carlos Justiniano Ribeiro Chagas (Oliveira, 9 de julho de 1878 — Rio de Janeiro, 8 de novembro de 1934) Atuante na saúde pública do Brasil, i no combate à malária.Descobriu o protozoário Trypanosoma cruzi (cujo nome foi uma homenagem ao seu amigo Oswaldo Cruz) e a tripanossomíase americana, conhecida como doença de Chagas. Ele foi o primeiro e até os dias atuais, permanece o único cientista na história da medicina a descrever completamente uma doença infecciosa: o patógeno, o vetor (Triatominae), os hospedeiros, as manifestações clínicas e a epidemiologia.
Vamos falar de saúde pública ...
Em 2 de janeiro de 1920, pelo Decreto 3.987, foi criado o Departamento Nacional de Saúde Pública

A pedido a Fundação Rockfeller (Norte americana...através de articulações políticas) 1921 Rio de janeiro, envia Enfermeiras para auxiliar na saúde pública e "educar" mais enfermeiras para atuar no Departamento Nacional. A Escola Ana Neri tem reforço e influência nightingaleana no seu ensino- aprendizagem.
Teve início então um trabalho de educação sanitária nos setores de profilaxia da tuberculose e higiene infantil, estendendo-se depois, à higiene pré-natal e visitação aos portadores de doenças transmissíveis.
... fundada em agosto de 1926, sob a denominaçào de "Associação Nacional de Enfermeiras Diplomadas Brasileiras"

Em 1929, no Canadá, na Cidade de Montreal, a Associação Brasileira de Enfermagem, foi admitida no Conselho Internacional de Enfermeiras (I.C.N). Por um espaço de tempo a associação ficou inativa...
Em 1944, um grupo de enfermeiras resolveu reerguê-la com o nome Associação Brasileira de Enfermeiras Diplomadas. Seus estatutos foram aprovados em 18 de setembro de 1945.

Em 1952, a Associação foi considerada de Utilidade Pública pelo Decreto nº 31.416/52

Em 21 de agosto de 1964, ficou com o nome Associação Brasileira de Enfermagem.

Sede em Brasília e distritos em todo país.
Para que serve a ABEn ?

• Congregar os enfermeiros e técnicos em Enfermagem, incentivar o espírito de união e solidariedade entre as classes;
• Promover o desenvolvimento técnico, científico e profissional dos integrantes de Enfermagem do País.
• Promover integração às demais entidades representativas da Enfermagem, na defesa dos interesses da profissão.
informações, acesse: www.abennacional.org.br
Criação - Em 12 de julho de 1973, através da Lei 5.905, foram criados os Conselhos Federal e Regionais de Enfermagem, constituindo em seu conjunto Autarquias Federais, vinculadas ao Ministério do Trabalho e Previdência Social
Para acessar o estatuto clique aqui: http://www.abennacional.org.br/download/Estatuto_ABEn_.pdf
- Questões de fixação:

1 Quem foram os primeiros cuidadores no Brasil após sua descoberta?

2 Como você descreveria a ideologia da enfermagem brasileira antes do ensino da profissionalização?

3 Quem foi Osvaldo Cruz ? E o que representou para a saúde ?

4 Quem foi Carlos Chagas e o que representou para a saúde ?

5 Quem foi Ana Nery ? Resuma sua historia

6 dentifique e descreva quais as contribuições do modelo de ensino nightingaleano americano para enfermagem brasileira.

7 O que é a ABEn ? Qual o seu ano de formação ?

8 Fale quando surgiu o sistema COFEN e sobre o que se trata ?
PROTÓTIPO DISCIPLINAR " HISTÓRIA DA ENFERMAGEM"

OBJETO VIRTUAL DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Atenção: A Apresentação a seguir contou com diversas imagens retiradas de várias fontes que estão devidamente citadas nos casos de possuirem algum direito autoral ou fonte que estava com marca d'água.

O presente trabalho tem finalidades educativas e portanto não há nenhum tipo de lucratividade financeira pessoal envolvida no mesmo.
Full transcript