Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Madeleine Leininger - HEE II

No description
by

Ana Oliveira

on 23 January 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Madeleine Leininger - HEE II

Curso de Licenciatura de Enfermagem 2011-2015
UC: História e Epistemiologia de Enfermagem II
Regente da UC: Profª Isabel Ferraz
3º Ano - 1º Semestre - TC

Madeleine
Leininger
Docente Orientador:
Prof. Jorge Ferreira

Discentes:
Andreia Fernandes, Nº 4353
Carolina Humanes, Nº 4360
Catarina Guedes, Nº 4287
Filipa Oliveira, Nº 4564
João Paixão, Nº 4324
Mª Inês Veríssimo, Nº 4276
Pedro Gueifão, Nº 4486

Lisboa, Janeiro de 2014
Sumário
1. Biografia de Madeleine Leininger
2. Cuidar Cultural: Teoria da Diversidade e da Universalidade
2.1. Influências - O Holismo
2.2. Conceito principal - Cuidado de Enfermagem
2.3. Pressupostos
2.4
.
Postulados
3. Modelo Sunrise
4. Metaparadigmas
5.1. Saúde e Ambiente
5.2. Pessoa
5.3. Cuidados de Enfermagem
5. Influência/Contributo da Teoria na Atualidade
6. Anotação/Comentário Crítico
Conclusão
Referências Bibliográficas

Biografia de Madeleine
Leininger
Biografia de Madeleine
Leininger
2. Cuidar Cultural - Teoria da Diversidade e Universalidade
Em meados dos anos 50, Leininger trabalhava como enfermeira clínica especialista com crianças perturbadas e com os seus pais;

Percebeu que as diferenças de comportamentos entre as crianças tinham uma base cultural;

Identificou a falta de conhecimento sobre a cultura das crianças: o elo que faltava, na enfermagem, para o entendimento das variações de cuidados para os clientes

Nascimento da Teoria
Teoria da Diversidade e Universalidade
A teoria de Leiniger é oriunda da Antropologia e da Enfermagem, mas foi reformulada para ser uma Enfermagem Transcultural com uma perspetiva direcionada para o cuidar humano;
Baseia-se na “(…) crença de que as pessoas de culturas diferentes podem informar e são capazes de orientar os profissionais para receber o tipo de cuidados que desejam ou necessitam dos outros” (Welch, 2004);
Tem como objetivo “(…) prestar um cuidar culturalmente congruente” (Welch, 2004).
Teoria da Diversidade e Universalidade
Teoria de médio-alcance: Fala sobre fenómenos ou conceitos específicos e reflete a prática nas várias situações de enfermagem.

Insere-se no Paradigma da Transformação e na Escola de Pensamento do Cuidar (Caring)
2.1. Influências - O Holismo
A teoria da enfermagem holística inclui:
Fatores de enquadramento social;
A visão do mundo;
A história e os valores culturais;
O contexto ambiental;
As expressões da linguagem;
Os padrões populares (genéricos) e profissionais.

2.2. Conceito Principal - Conceito de cuidado em Enfermagem
2.2. Conceito Principal - Conceito de Cuidado de Enfermagem
2.2. Conceito Principal - Conceito de Cuidado de Enfermagem
2.2. Conceito Principal - Conceito de Cuidado de Enfermagem
Definição segundo Leininger
“Ciência e arte humanista aprendida, centrada sobre os comportamentos, as funções e os processos de cuidados personalizados dirigidos para a promoção e a a manutenção dos comportamentos de saúde ou a sua recuperação, preservando, adaptando e reestruturando os cuidados culturais” (Lopes, 2001)


Conceitos Principais de Leininger
Cuidar (verbo)
Cuidado (substantivos)
Cultura
Cuidar Cultural
Cuidar Cultural Congruente
Diversidade do Cuidar Cultural
Universalidade do Cuidar Cultural
Enfermagem
Enfermagem Transcultural
Cuidar:
Verbo que se refere a acções de assistir, ajudar, facilitar o outro indivíduo ou grupo, com necessidades evidentes ou que podem ser antecipadas, que levam a melhorar ou aperfeiçoar uma condição humana ou modo de vida.

Cuidado:
Substantivo que se refere às actividades empregadas na assistência, ajuda ou facilitação desse indivíduo ou grupo com necessidades evidentes ou antecipadas, a fim de melhorar a condição ou modo de vida humana ou para enfrentar a morte.
Leininger, 1981
Finalidade:
Manter/desenvolver saúde, conforto e bem-estar (mesmo no ato de morrer). Objetivo: conduzir o ser humano para a homeostase;
Intencionalidade:
integram-se em planos e surgem mediante sequências planeadas, determinadas pelos objetivos;
Complexidade:
a compreensibilidade do “todo” permite a recomposição das partes - estrutura unificadora;
Especificidade:
suporte e a ajuda aos seres humanos - agir técnico e relacional em enfermagem;
Tecnicidade:
os gestos mais simples convivem com os atos mais complexos;
Utilidade:
socialmente compreensíveis e valorizados;
Caracteristíca Unitária:
transversal aos saberes e às práticas dos enfermeiros.
2.3. Pressupostos
1. O cuidado é a essência da enfermagem e um ponto distinto, dominante, central e unificador;
2. O cuidar (cuidados) é essencial para o bem-estar, saúde, cura, crescimento, sobrevivência e para enfrentar dificuldades ou a morte;
3. O cuidado cultural é a forma holística mais lata de saber, explicar, interpretar e prever os fenómenos do cuidar cultural para orientar as práticas do cuidar em enfermagem;
4. A enfermagem é uma disciplina e profissão humanística e cientifica de cuidar transcultural com o objetivo principal de servir os seres humanos por todo o mundo;
5. O cuidar (cuidados) é essencial ao tratamento e cura, pois não pode existir cura sem cuidar;
6. Os conceitos, significados, expressões, padrões, processos do cuidar cultural e as formas estruturais do cuidar são diferentes (diversidade) e semelhantes (no sentido das comunidades ou das universalidades) entre todas as culturas do mundo;



2.3. Pressupostos
(Cont.)

7. Toda a cultura humana possui conhecimentos e práticas genéricas sobre o cuidar e conhecimentos e práticas do cuidar normais que variam transculturalmente;
8. Os valores, as crenças e as praticas do cuidado cultural são influenciadas por e tendem a estar englobados na visão do mundo, na língua, no contexto religioso (ou espiritual), de parentesco (social), político (ou legal), educativo, económico, tecnológico, etno-historico e ambiental de uma cultura especifica;
9. O paradigma qualitativo fornece novas formas de conhecimento e diferentes formas de descobrir, transculturalmente, as dimensões epistémicas e ontológicas do cuidar humano.

2.4. Postulados
3. Modelo Sunrise
4. Metaparadigmas
Saúde e Ambiente
Ordem dos Enfermeiros
Madeleine Leininger
Florence Nightingale
Comparação: O.E. e Madeleine Leininger
Comparação: Madeleine Leininger e Florence Nightingale
Pessoa
Ordem dos Enfermeiros
Madeleine Leininger
Florence Nightingale
Comparação: O.E. e Madeleine Leininger
Comparação: Madeleine Leininger e Florence Nightingale
Cuidados de Enfermagem
Ordem dos Enfermeiros
Madeleine Leininger
Florence Nightingale
Comparação: O.E. e Madeleine Leininger
Comparação: Madeleine Leininger e Florence Nightingale
5. Influência/Contributo da Teoria na Atualidade
No período de
1975 a 1983
, houve um aumento do interesse pela Enfermagem Transcultural, ocorrendo uma
valorização
por parte das enfermeiras. Esse período foi marcado por um
aumento
substancial de
publicações
, cujos autores apresentavam preparo antropológico e estavam familiarizados com métodos de pesquisa de campo;
A teoria é altamente
útil e aplicável
à
prática, ensino e investigação
em Enfermagem;

(Cont.)
A investigação e teoria da autora ajudaram os estudantes de enfermagem a compreenderem as diferenças culturais no cuidar humano, na saúde e na doença;
A sua teoria do Cuidar Cultural é actualmente usada por todo o mundo e a sua relevância está a aumentar para a obtenção de dados culturais e fundamentados de diversas culturas.

6. Anotação/Comentário Crítico
“O que é, na cultura deste indivíduo/grupo, a saúde, o bem-estar, a doença?”
“Como lidam com a morte/deficiências?”
“Que exigências de percurso de vida têm?”.

O enfermeiro inicia normalmente o seu percurso com os conhecimentos adquiridos na instituição de ensino e, posteriormente, com os ganhos recebidos na sua prática clínica e com o estudo que faz de novas investigações, cria a rede de conhecimentos que melhor se adapta ao seu cliente e à sua prática, tendo sempre como fim último o potencial máximo do seu cliente.

Conclusão
Referências Bibliográficas
Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002) –
Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem)
. Lusociência. 5ª ed.
Leininger, M. (2001) –
Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing.
Alexander, J.E. et al.(1989)
Madeleine Leininger Cultural Care Theory. Art and Science of Humanistic Nursing.
P 146-63.
http://www.ordemenfermeiros.pt/ consultado a 27-11-13
Lopes, M.J. (2000) - Concepções de Enfermagem e Desenvolvimento Sócio-Moral. Lisboa: Associação Portuguesa de Enfermeiros
KÉROUAC, S. et al. (1996).
El pensamiento enfermero
. Barcelona: Doyma

Objetivos
Chapter 15 - Leininger, M. (2001). Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing
Chapter 15 - Leininger, M. (2001). Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing

Leininger, M. (2001). Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing.
Lopes, M.J. (2000) - Concepções de Enfermagem e Desenvolvimento Sócio-Moral.
 Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002). Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem).
 Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002). Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem).
 Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002). Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem).

Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002). Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem).

Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002). Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem).
 Alligood, M. R.; Tomey,A. M. (2002). Teóricas de Enfermagem e a Sua Obra (Modelos e Teorias de Enfermagem).
Leininger, M. (2001). Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing.
Ordem dos Enfermeiros (2001)
Ordem dos Enfermeiros (2001).
Ordem dos Enfermeiros (2001)
Leininger, M. (2001). Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing.
Leininger, M. (2001). Culture Care Diversity and Universality, a theory of nursing. National League for Nursing.
Kérouac (1996)
Pessoa
Pessoa
Pessoa
Cuidados de Enfermagem
Cuidados de Enfermagem
Cuidados de Enfermagem
Saúde
Ambiente
Saúde
Ambiente
Saúde
Ambiente
Finalidade
Capacitar os estudantes para a compreensão da teoria e dos seus conceitos centrais
Full transcript