Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Água, sais minerais e vitaminas

No description
by

RICARDO LOBO

on 11 April 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Água, sais minerais e vitaminas

Água, sais minerais e vitaminas
Água
É a substância química mais abundante na matéria viva, podendo variar sua taxa de acordo com a idade (seres mais jovens têm mais água), o tecido (Ex: células adiposas - 20% de água; neurônios - 90% de água), a espécie (Ex: cnidários como a "água-viva" têm mais água que crustáceos). Nos três casos há relação direta com o metabolismo do organismo.
Vitaminas Lipossolúveis
Vitaminas hidrossolúveis
Sais minerais
Ácido ascórbico (C)
Participa da formação e a manutenção dos tecidos conjuntivos. É encontrada em frutos cítricos (caju, abacaxi, laranja, goiaba, acerola, limão). Sua carência causa enfraquecimento dos dentes e dos ossos, sangramento no tubo digestório e diminuição da imunidade, quadro conhecido como escorbuto. Essa doença está relacionada ao contexto histórico das grandes navegações, quando os marinheiros passavam muito tempo em alto mar sem fontes dessa vitamina. Seu excesso pode levar a formação de cálculos renais.
Complexo B
Grupo de vitaminas que agem como coenzimas, principalmente no metabolismo energético. É amplamente distribuído na dieta, sendo encontrado em carnes, ovos, fígado e vegetais. Sua carência pode causar fraqueza e inflamação nos tecidos, que pode receber diversos nomes: beribéri (B1 ou tiamina), pelagra (B3 ou PP ou niacina), anemia macrocítica (B9 ou ácido fólico) e anemia perniciosa (B12 ou cianocobalamina).
Prof. Ricardo Lobo
• Polaridade: Há um compartilhamento desigual dos elétrons entre o átomo de oxigênio e os átomos de hidrogênio.
• Solvente universal: Apresenta alta capacidade de dissolução.
• Capilaridade: Afinidade que a molécula da água tem a se agarrar a superfícies.
• Coesão-tensão: As moléculas da água são fortemente unidas por pontes de hidrogênio, que também lhe confere uma alta tensão superficial.
• Alto calor específico: Tem uma alta capacidade de reter calor.
• pH: Da água pura é 7,0. Porém, a água não é encontrada na natureza neste estado, apresentando normalmente um grau levemente ácido dependendo do que está diluída nela.
Propriedades da água
Cálcio
Atua na coagulação sanguínea, na contração muscular, na transmissão do impulso nervoso e na formação dos ossos e dos dentes. É encontrado em leite e derivados, além de alguns vegetais, como: brócolis, espinafre e soja. Sua carência pode causar raquitismo na infância e osteoporose nos adultos. Seu excesso pode levar a formação de cálculos renais.
Ferro
Componente essencial na formação da hemoglobina. É encontrado em carnes, fígado, inhame, beterraba, ovos e espinafre. Sua carência causa anemia ferropriva. Seu excesso pode levar a lesões no fígado.
Iodo
Importante na formação dos hormônios tireoidianos (triiodotironina, tetraiodotironina e iodocalcitonina). É encontrado em alimentos vindos do mar (peixes, moluscos e crustáceos) e acrescentado ao sal de cozinha (sal iodado). Sua carência pode causar bócio endêmico. Seu excesso pede levar a formação de cálculos renais.
Sódio
Essencial à transmissão do impulso nervoso e no controle hídrico do organismo. Sua carência (hiponatremia) causa pressão baixa, desmaios, náuseas, cefaleia e vômitos. Seu excesso causa hipertensão.
Potássio
Participa da transmissão do impulso nervoso, da contração muscular, do controle hídrico do organismo e da formação de glicogênio. É encontrado em carnes, leite e frutos. Sua carência causa fraqueza muscular, desorientação e fadiga. Seu excesso (hipercalemia) pode causar batimentos cardíacos irregulares, náuseas e vômito.
Cloro
Importante no balanço hídrico do organismo, participa do controle do pH sanguíneo e da formação do ácido clorídrico gástrico. È largamente distribuído na alimentação. Sua carência causa alcalose metabólica e má digestão. Seu excesso pode causar cefaleia, confusão mental e acidose metabólica.
Fosfato
Componente dos dentes, dos ossos, dos ácidos nucleicos (DNA e RNA) e do ATP. É encontrado em carnes, leite, repolho e outros vegetais. Sua carência causa enfraquecimento dos ossos. Seu excesso pode levar a formação de cálculos renais.
Magnésio
Essencial na formação de uma série de coenzimas que participam do funcionamento dos nervos e dos músculos, também participa da formação de colágeno. É encontrado em cereais integrais e vegetais verdes. Sua carência pode causar espasmos musculares, dores de cabeça, degeneração das cartilagens, dos ossos e das articulações. Seu excesso pode formar cálculos renais e causar diarreias. Nos vegetais é componente essencial na formação da clorofila.
Enxofre
É constituinte de algumas vitaminas e de alguns aminoácidos, sendo essencial na formação de proteínas. É encontrado no leite, em peixes, ovos e vegetais, como: cebola, alho e aspargo.
Os íons cálcio, fósforo, enxofre, potássio, sódio, cloro e magnésio são classificados como macroelementos ou macronutrientes minerais por serem necessários em quantidades maiores ao organismo (superiores a 100 mg por dia). Já o ferro, zinco, cobalto, flúor, manganês, selênio, cromo e cobre são classificados como microelementos ou micronutrientes minerais por serem necessários em pequenas quantidades no organismo (inferiores a 20 mg por dia). Independente da quantidade, todos esses sais são essenciais à boa saúde.
Retinol (A)
Importante na formação dos pigmentos da retina e na manutenção dos epitélios. É encontrada no fígado, em ovos, leite e vegetais amarelados ou alaranjados. Sua carência pode causar cegueira noturna (incapacidade de enxergar na penumbra) na infância, além de xeroftalmia (olhos secos) e ressecamento dos epitélios (pele escamosa ou de sapo) em qualquer fase da vida. Seu excesso pode causar diarreias, dores abdominais, hiperpigmentação da pele e hepatite.
Calciferol (D)
Atua no metabolismo do cálcio e do fósforo. É encontrada em leite, peixes, ovos e sementes oleosas e pode ser metabolizada na pele, pela irradiação ultravioleta, a partir de uma forma inativa, o 7-desidrocolesterol. Sua carência pode levar ao raquitismo e a osteoporose. Seu excesso pode causar diarreias e dores abdominais.
Tocoferol (E)
Atua como antioxidante, protegendo a membrana plasmática e das membranas internas da ação dos radicais livres. Tem ação inibitória da agregação plaquetária e poder anti-inflamatório e antineoplásico. É encontrada em fígado, ovos, vegetais verde-escuros e sementes oleosas. Sua carência está relacionado ao envelhecimento precoce dos tecidos e trombose. Sua falta também está relacionada a casos de esterilidade e abortos. Seu excesso pode causar cefaleia, náuseas e risco de hemorragia cerebral.
Filoquinona (K)
Fundamental na síntese hepática de vários fatores da coagulação sanguínea (II, VII, IX e X). É encontrada em quantidades significativas em vegetais folhosos e óleos vegetais. Pode ser produzida por bactérias da flora intestinal. Sua carência pode levar à hemorragia. Dificilmente há excesso natural de vitamina K, mas caso isso ocorra, pode levar à trombose.
Bócio
Lagarto Jesus
Full transcript