Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÕES EM PÚBLICO ORATÓRIA

No description
by

Thomas Post

on 12 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÕES EM PÚBLICO ORATÓRIA

TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÕES EM PÚBLICO ORATÓRIA
Palestrante:
Luiz Claudino Machado

10 maiores medos do ser humano
1. De falar em público.
2. De altura.
3. De insetos e vermes.
4. De problemas financeiros.
5. De águas profundas.
6. De doença.
7. Da morte.
8. De voar.
9. Da solidão.
10. De cachorro.
Fundamentos da arte de
falar em público
A arte de falar em público nasceu na Grécia antiga com o nome de Retórica.
O cristianismo passou a usar esta arte como meio da pregação, que no século 17 passou a ser chamada de Homilética
Homilia é uma preleção dada por um sacerdote no decorrer de um culto religioso.
Homilética - É a ciência ou a arte de elaborar e expor o sermão religioso.
Arte de falar ao público.
Trata-se de método de discurso, e o conjunto de regras e técnicas para se falar em público.
Muito estudada na Grécia e Roma antiga.
Oratória
Termo derivado do Latim Eloquentia que significa: Elegância no falar, falar bem, ou seja, garantir o sucesso de sua comunicação, capacidade de convencer.
ELOQUÊNCIA
Definições
Discurso - Conjunto de frases ordenada faladas em público.
Homilética - É a ciência ou a arte de elaborar e expor o sermão.
Oratória - Arte de falar ao público.
Pregação - Ato de pregar, sermão, ato de anunciar uma notícia.
Sermão - Discurso cristão falado no púlpito.
“A comunicação adequada é aquela que tenta diminuir conflitos, mal-entendidos e atingir objetivos definidos para a solução de problemas detectados na interação com o meio/pessoas”.
MARIA JULIA PAES DA SILVA
“É impossível não se comunicar: atividade ou inatividade, palavras ou silêncio,
tudo possui um valor de mensagem.
PAUL WATZLAWIZK
Conceituando Comunicação
Vamos criar nosso conceito de comunicação:

Comunicação é...................................
Origem da palavra
comunicação
Comunicação é uma palavra derivada do termo latino “communicare", que significa "partilhar, participar algo, tornar comum”.
Comunicar:
tornar algo comum
Diante desta definição, o que seria a não comunicação?
Exemplos:
Deixar um recado
Enviar um torpedo, e-mail....., face
partilhamos, participamos,
mas se será tornamos
comum????
Comunicação é:
I – a expressão verbal ou corporal dos nossos pensamentos de forma clara e direta, ou seja, simples.
Comunicação é:
II – uma teia de aranha com vários fios e várias aranhas.
Fios principais e sub-fios
Se movermos um dos fios principais irão se mexer vários outros fios, que moverão outros e consequentemente as aranhas.
A maneira com mexemos nesse fio não vai impedir que os demais sejam afetados.
II – uma teia de aranha com vários fios e várias aranhas.
Fios principais e sub-fios
Se movermos um dos fios principais irão se mexer vários outros fios, que moverão outros e consequentemente as aranhas.
A maneira com mexemos nesse fio não vai impedir que os demais sejam afetados.
Comunicação é:
III – formada pela PASSAGEM EXTERNA, o conteúdo transmitido e pela PASSAGEM INTERNA, nossas crenças, valores, criação, estilo de vida, comportamento......
A passagem interna é onde se encontram nos filtros.
O que é mais importante?
I – O que eu digo?
ou
II – Como eu digo?
Elementos da comunicação
Conteúdo da mensagem
Transmissor
Destino da mensagem
Receptor
Meio de transmissão
ou canal
Ruídos
Ruído - consiste em interferências estranhas à mensagem, que provocam respostas diferentes daquilo que esperávamos ou desejávamos.
Ruidos podem ser:
Físicos
Sócio culturais
(nossas diferenças)
Psicológicos
(preconceitos e estereótipos)
Da parte do emissor pode ser:
Na forma de esquecimentos
Cansaços
Má dicção
Emoção
Da parte do receptor:
Medo
Ignorância (do assunto)
Preconceito
Da parte da mensagem:
Pela ilegalidade,
Falta de legitimidade
Falta de autenticidade
Se nenhuma ou pouca lógica
FICHA MENTAL
CINÉSICA
DESEMPENHO
ORTOÉPIA
CLAREZA
PROXÊMICA
PERCEPÇÃO
PERSUASÃO
Ficha Mental
1º - Familiarize-se com o tema
2º - Preparar-se para reações diferentes da esperada por parte da plateia.
3º - Ordene suas ideias
4º - Clareza com os objetivos
5º - Não possibilitar interferências duradouras.
É o preparo mental e escrito para uma boa apresentação num tempo determinado.
E se você tiver somente 10 min. para apresentar um projeto em que vem se preparando há meses?
DNA DA APRESENTAÇÃO

I - O porque do projeto? (o que acontecia antes...)
II – O que é o projeto?
III – Como (você pretende solucionar...)

Toda a apresentação necessita de: Começo/Meio/Fim
Como preparar uma apresentação em 10 min.
DNA DA APRESENTAÇÃO

Cumprimento
Apresentação pessoal
Contrato (como será conduzida a apresentação)
Introdução:
O que acontecia antes
O que você pretende com o projeto
Início
(2 minutos)
DNA DA APRESENTAÇÃO

Aspectos técnicos (o que é )
Soluções (o que resolve)
Benefícios (o que ganhamos)
Meio
(5 minutos)
DNA DA APRESENTAÇÃO

Alguma frase de impacto
Perguntas
E então o encerramento
(depois das perguntas)
Fim
(3 minutos)
PERSUASÃO
Persuadir é levar alguém a
adotar alguma ideia.
É a argumentação X afeto
PERSUADIR: SUAD = Grego: Doce/Suave

Antes de persuadir, preciso estar persuadido
Como levar alguém a adotar uma ideia que nem você acredita?
PERSUASÃO NAS APRESENTAÇÕES
Como ferramenta, a persuasão
pode ser usada como uma
ferramenta de:
- CONVICÇÃO: certeza adquirida,
identificação com o tema – acreditar.
- EMPATIA: capacidade de colocar-se no lugar do outro.
- GANCHOS: elemento utilizado para atrair o receptor
a fim de conseguir utilizar os exemplos do próprio interlocutor como atrativo da ideia que estamos tentando vender.
CLAREZA NA COMUNICAÇÃO
Em apresentações a clareza tem de partir do transmissor.
Nem sempre o receptor fará perguntas para dirimir dúvidas.
O transmissor é quem deve detectar através de perguntas e percepção aguçada, qualquer sinal de não entendimento
Você se
comunica
com clareza?
Faça o teste........
DESEMPENHO NA COMUNICAÇÃO
Desempenho é o ato de exercer/executar toda a atividade
d
e forma a atingir plena e eficazmente seus objetivos.
Para melhorar noss desempenho, aprofundemo-nos no significado de três palavras:
ORTOÉPIA
CINÉSICA
PROXÊMICA
OROTOÉPIA NA COMUNICAÇÃO
Do grego:
ORTOS
ÉPIA

correto
Fala
Falar corretamente a língua portuguesa
OROTOÉPIA NA COMUNICAÇÃO
Vícios da fala - os erros, jargões e gírias na língua portuguesa.
Não devemos, jamais, imaginar que a linguagem chula tem alguma relação com simpatia e cortesia.
Everton Soares
Não devemos, jamais, imaginar que a linguagem chula tem alguma relação com simpatia e cortesia.
Vícios da fala - os erros, jargões e gírias na língua portuguesa.
CINÉSICA NA COMUNICAÇÃO
Do grego:
CINE
MOVIMENTO
Sinais e comportamentos não verbais (gesticular, franzir a testa, virar os olhos.....)
Devem estar condizentes com o que estamos querendo dizer.
CINÉSICA NA COMUNICAÇÃO
Sinais e comportamentos não verbais (gesticular, franzir a testa, virar os olhos.....)
Devem estar condizentes com o que estamos querendo dizer.
CINÉSICA
CINÉSICA
Erguemos a sobrancelha por incredulidade.
Esfregamos o nariz por atrapalhação. Cruzamos os braços para nos proteger. Encolhemos os ombros por indiferença, piscamos os olhos por intimidade, batemos os dedos por impaciência, batemos na testa por esquecimento.
Erguemos a sobrancelha por incredulidade.
Esfregamos o nariz por atrapalhação. Cruzamos os braços para nos proteger. Encolhemos os ombros por indiferença, piscamos os olhos por intimidade, batemos os dedos por impaciência, batemos na testa por esquecimento.
JULIUS FAST
Sinais do corpo - a linguagem
não verbal transmite mais
rapidamente que a verbal.
Compreendo a fúria em suas palavras,
mas não as palavras.
William Shakespeare
PROXÊMICA NA COMUNICAÇÃO
É o movimento de aproximação ou distanciamento das pessoas com as quais estamos interagindo.
PROXÊMICA NA COMUNICAÇÃO
Ao me aproximar para responder a uma pergunta, estou demonstrando a importância que aquela pessoa tem e o respeito que o grupo merece.
PROXÊMICA
“ A noção do eu individual não se restringe aos limites da pele. Ela passeia dentro de uma espécie de bolha particular, representada pela quantidade de ar que se sente existir entre o “eu” e o “outro”.

FLORA DAVIS
PROXÊMICA
FATORES QUE MODIFICAM AS DISTÂNCIAS ESCOLHIDAS
1- Idade e gênero (é sua filha?)
2- Cultura e etnia (você é japonês ou chinês?))s
3- Tema ou assunto
4- Ambiente de interação
5- Características físicas (vocês está grávida?)
6- Orientação emocional (como você é equilibrado)
7- Características da personalidade (que caráter nobre..)
Percepção na Comunicação
Percepção
- Centro de tudo, todos os demais comportamentos derivam dela.

Conhecida como domínio do território.
Percepção na Comunicação
Expressão
- Dá vida às palavras,contagia e envolve.
Sensibilidade
- Nunca esquecendo que lidamos com pessoas.
Humildade
- Reconhecendo erros e alterando comportamentos.
Avaliar:
Expressão Facial
Gesticulação
Movimentação
Postura
Aparência
Volume de voz
Pronúncia
Sonoridae
Velocidade
Entonação
Exercício 2
(Filmagem)
Timidez/Dificuldade de expressão;
Escolha inadequada do momento ou do local;
Suposições (supor o que os outros pensam a respeito do assunto);
Experiências anteriores (negativas);
Esteriótipos e preconceitos (a aparência física, grupo étnico ou social pode levantar barreiras por parte do interlocutor).
BLOQUEIOS COMUNS AO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO
Juizo precipitado (conclusões precoces por achar que já sabemos o os outros pensam);
Competição de Mensagens (emissor e receptor querem passar suas mensagens sem ouvir um ao outro);
Palavras de duplo sentido (quando o receptor atribui outro sentido as palavras que foram ditas)

BLOQUEIOS COMUNS AO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO
BLOQUEIOS COMUNS AO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO
BLOQUEIOS COMUNS AO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO
Desmistificando a arte de falar em público
Controlando o medo
O comunicador real (a verdadeira imagem do comunicador) e o comunicador imaginário (a imagem que o comunicador pensa que transmite aos ouvintes)

Reinaldo Polito
Dicas para falar em público
Encare o medo naturalmente
(Você não é o único a sentir medo de falar em público)

Os maiores oradores também sentem medo, portanto não se desepere e procure manter a calma!
Controle seu nervosismo
Deixe os braços soltos e respire profundamente, não alimente o desepero roendo unhas, cruzando e descruzando os braços, pois isto só reforçará o nervosismo.
Tenha uma postura correta
Lembre-se da linguagem corporal e demonstre um comportmaneto seguro e confiante.
Domine o assunto
Não pense só no como falar, coloque-se no lugar do ouvinte e imagine prováveis questões que poderão surgir.
Não sofra por antecipação
Não tire conclusões precipitadas. Enquanto estiver aguardando sua vez de falar, não imagine cenas pessimistas.
Cuidado com os vícios
Botões de paletó, bolsos, caneta, pincle atômico, folhas de papel, geralmente são utilizados como descarregadores de tensão. Cuidado para não incorporar um deles e fazê-lo sempre.
Trabalhe com a respiração
Se o nervosismo começar a prejudicar a voz (desequilíbrio vocálico), fique tranquilo, respire fundo que em seguida a voz retornará ao normal.
Liberte-se do perfeccionismo
Pare de se pressionar para ter o discurso perfeito, aceite que erros acontecerão, quando isto acontecer, tente recuperar a calma e siga
em frente.
Prepare seu emocional
Muita gente passam horas se preparando sobre o que vai falar, quando deveria passar bons momentos se preparando para falar!
A prática o ajudará!
No início sempre é mais difícil, mas com o tempo você adquirirá a confiança e experiência necessária.
MEMÓRIA
HABILIDADE
INSPIRAÇÃO
CRIATIVIDADE
ENTUSIASMO
DETERMINAÇÃO
OBSERVAÇÃO
TEATRALIZAÇÃO
SÍNTESE
RITMO
VOZ
VOCABULÁRIO
EXPRESSÃO CORPORAL
NATURALIDADE
CONHECIMENTO
REFERÊNCIA
16 QUALIDADES DE COMUNICADOR EFICAZ
16 QUALIDADES DE COMUNICADOR EFICAZ
claudinomachado@gmail.com
Full transcript