Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Prevalência Near Miss

No description
by

Tatyana Rosendo

on 28 July 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Prevalência Near Miss

Prevalência e Fatores Associados ao
Near Miss
Materno em Natal, RN

Tatyana Maria Silva de Souza Rosendo
Orientador: Prof. Dr. Angelo Giuseppe Roncalli
Introdução
Iniquidades em saúde
– desigualdades socialmente injustas (CSDH, 2008)

Saúde da Mulher
– indicadores de mortalidade e de morbidade - iniquidades em saúde (GRAAF, 2013)

Morte materna
- evento trágico (GOMES, 2006; UN, 2013)

Morbidade materna grave

near miss
materno – vantagens (CECATTI, 2007)

Revisão de Literatura
A mortalidade materna – panorama internacional e aspectos importantes no contexto brasileiro:

Distribuição desigual das MM no mundo (WHO, 2010)

Principais causas: hemorragia, doenças hipertensivas (PMNCH, 2011)



Tamanho do território dos países de acordo com a proporção de mortes maternas ocorridas.

64,8 mortes por 100.000 NV (2011)
disparidades regionais
dificuldades para redução de ¾ da
mortalidade até 2015
problemas de subregistro
iniquidades nos serviços de saúde
No Brasil
BRASIL, 2006; BRASIL, 2009; SOARES, 2008; BRASIL, 2011c; VICTORA 2011; MORSE, 2011a)
O conceito de near miss materno e sua aplicação como indicador da saúde materna:

Conceito
de near miss materno (SAY, 2009)

Vantagens

para o uso desse indicador (PATTINSON, 2003; CECATTI, 2011; WHO, 2011)

Desafio
para padronização dos critérios – Mantel (1998), Waterstone (2001) e OMS (2009)

IMPORTANTE
: não perde o poder discriminatório (TUNÇALP, 2013)

Aspectos epidemiológicos do near miss materno no Brasil e as propostas de estudos de base populacional auto-referidos:
No Brasil: VIGGIANO, 2000 - 8,2/1.000 partos

Principais causas
: doenças hipertensivas (DIAS DE SOUZA, 2002; SOUZA, 2005; MORAES, 2011)

Fatores associados:
raça preta/parda
(BROWN, 2011)
idade acima de 35 anos
(OLIVERA JR, 2014)
menos de seis consultas no pré-natal
(MORAES, 2013; PACHECO, 2014)
delays
no atendimento (AMARAL, 2011; PACHECO, 2014)

Viabilidade de inquéritos epidemiológicos (SOUZA, 2008a; SOUZA, 2010a)

Objetivos
Geral: Determinar a prevalência do
near miss
materno e de complicações no período gravídico-puerperal no município de Natal/RN e estudar os seus fatores associados.

Específicos
Investigar quais os fatores socioeconômicos e demográficos têm relação com o
near miss
materno e com as complicações no período gravídico-puerperal;

Investigar quais as características da assistência materna estão relacionadas com o
near miss
materno e com as complicações no período gravídico-puerperal.

Método
Fonte: SASI Group (University of Sheffield) and Mark Newman (University of Michigan), 2006.

Características da pesquisa
Cenário do estudo

Distribuição dos setores censitários sorteados nos Distritos Sanitários do município de Natal/RN. Natal/RN, 2013.

Plano Amostral
População alvo
Amostragem e estratificação
Plano Amostral

Tamanho da Amostra:
prevalência de
22%
(Souza, 2010a)
margem de erro relativa de
15%
efeito de desenho de
1,5
taxa de não-resposta de
20%
1.135 mulheres
(LWANGA, 1991).

Processo de Alocação da amostra
Seguiu critérios de pesquisas de base domiciliar (UNITED NATIONS, 2005)
Técnica de percurso das quadras adaptada segundo a metodologia adotada pela OMS –
EPI coverage surveys
(WHO, 1991)
Total de domicílios a serem percorridos:
4.128
(1.135/0,275)

Treinamento para trabalho de campo

Variáveis do estudo
Coleta de dados
Trabalho de campo
Estudo piloto
Intrumento de coleta
Supervisão de campo
Análise dos dados
Análise descritiva
- razões, proporções e intervalo de confiança de 95% (IC95%) pesos e efeitos de delineamento.

Associações bivariadas -

razão de prevalência (RP), com IC95% e o teste Qui-quadrado (significância de 5%) para o
near miss

Associação multivariada

-
RP e significância estatística calculadas através do teste de Wald na regressão de Poisson com significância de 5% e IC95%


Aspectos éticos
Resolução 466/12 do CNS e nº protocolo: 39057/12

Resultados e Discussão
Caracterização da Amostra
Entrevistadas
848
mulheres das
1.132
mulheres elegíveis em
8.227
domicílios percorridos, totalizando uma taxa de não-resposta de 7%
56,5% idade entre
15 a 29 anos

48,9% raça
parda
68,7%
casada
ou possui
união estável
81,5% cursou até o ensino
fundamental ou médio
54,9% possui renda familiar de
até R$ 1.000,00
40,7% residente no distrito sanitário
Norte
64,9% das gravidezes entre
2010 a 2012
Prevalência do
Near Miss
Materno
Souza (2010a) – 21/1.000NV
Marcadores:
transfusão sanguínea
(8,1/1.000NV), seguida de
eclampsia
(6/1.000NV),
internação em UTI
(5,2/1.000NV) e
histerectomia
(2,2/1.000NV).

Doenças hipertensivas
possível intervir no pré-natal
necessidade de recursos especializados
reponsável por 10 a 15% de mortes maternas

Internação em UTI – marcador de manejo
consequência de complicações
associado a outras intervenções
pior prognóstico
importância da assistência terciária

Maior prevalência de
near miss
:
acima de 35 anos
raça preta/parda
solteira ou divorciada
menor escolaridade
menor renda familiar
maior densidade domiciliar
menor número de bens
sem diferença estatisticamente significativa

Análise Bivariada
Análise Bivariada
Maior prevalência de near miss materno:

não realizaram o pré-natal
menos de 6 consultas no pré-natal
pré-natal no serviço público
gravidez de risco
comorbidades durante a gestação
parto no serviço público

mais de um hospital
sem acompanhante ou antes do parto, ou durante o parto ou depois do parto
sem acompanhante em nenhum momento
cesárea
cesárea de urgência
transferidas de hospital
maior período de internação pós-parto

Prevalência de complicações
Souza (2007b) – inquérito populacional na América Latina -
17%
para o Brasil.

Souza (2008a) -
18%
, que variou de 15 a 22% a depender da região geográfica do Brasil.

Souza (2010a) - prevalência de
22%
para o Brasil

Assim como Souza (2010a) - condição clínica -
hemorragia
e a intervenção mais auto referida foi a
permanência no hospital após o parto por mais de uma semana

Doenças hipertensivas - 8,4% - terceira causa

Estudos realizados em hospitais – doenças hipertensivas estão em primeiro lugar

Análise Bivariada - 'número de complicações'
Socioeconômicas e demográficas:
ser da raça preta/parda
(RP: 1,23; IC95%: 1,04-1,46)

ter condição socioeconômica ruim
(RP: 1,33; IC95%: 1,12-1,58)

idade - sem associação


fazer pré-natal no serviço público (RP: 1,42; IC95%: 1,16-1,72)

fazer os exames básicos (RP: 1,26; IC95%: 1,01-1,61)

não ter orientação de onde deveria fazer o parto (RP: 1,24; IC95%: 1,05-1,46)

fazer o parto no serviço público (RP: 1,63; IC95%: 1,30-2,03)

percorrer mais de um hospital para realizar o parto (RP: 1,22; IC95%: 1,03-1,45)

sem acompanhante durante o parto (RP: 1,19; IC95%: 1,01-1,41)

sem acompanhante em todos os momentos (RP: 1,25; IC95%: 1,05-1,48)

ficar internada acima de sete dias pós-parto (RP: 1,59; IC95%: 1,36-1,86)




Assistência Materna
Obs: sem associação com o número de consultas do pré-natal, nem com o seu início, nem com a sua qualidade
Análise Multivariada - 'número de complicações'
Piores condições socioeconômicas e ter sido atendida no serviço público

Determinação social nos desfechos maternos

Serviços de saúde pouco efetivos na redução das iniquidades

Contexto – município de Natal

Limitações do estudo

Considerações Finais
A realização de inquéritos populacionais sobre near miss materno é factível


Foi possível perceber a expressão das
iniquidades em saúde
relacionadas à saúde materna tanto na análise das condições
socioeconômicas
como na questão da utilização dos
serviços de saúde

Necessidade do fortalecimento das
políticas públicas
que modifiquem as condições socioeconômicas, minimizando as iniquidades em saúde

A assistência tanto no pré-natal como no momento do parto e pós-parto,
reforçou a distância existente entre as mulheres das diferentes classes sociais

É necessário investir em iniciativas locais que levem a sua realidade em consideração e que estimulem a articulação da rede de serviços pautando as ações na integralidade, humanização e no respeito aos direitos das mulheres
É!
A gente quer viver pleno direito
A gente quer viver todo respeito
A gente quer viver uma nação
A gente quer é ser um cidadão
A gente quer viver uma nação...

Gonzaguinha
FONTE: Acervo de Enilce Leão Barbalho, 2013.
FONTE: Acervo de Enilce Leão Barbalho, 2013.
Full transcript