Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Teoria das Relações Interpessoais - Hildegard E. Peplau

Disciplina de Comunicação e Relacionamento 2 - UNESP/Botucatu
by

Thiago Domingos

on 30 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Teoria das Relações Interpessoais - Hildegard E. Peplau

hildegard e. peplau
"teoria das relações interpessoais"
Teoria das relações interpessoais
A enfermagem é um processo interpessoal, significativo e terapêutico
(A relação interpessoal faz parte da própria natureza da enfermagem)
Enfermagem é terapêutica
Teoria das relações interpessoais
Por meio de sua teoria, Peplau inseriu os conceitos de ´crescimento e desenvolvimento pessoal´ desenvolvido no processo de cuidado que se dá na relação enfermeiro-paciente
Processo interpessoal
Respeito mútuo
Aprendizagem e crescimento como resultados da interação
A Enfermagem é uma relação humana entre uma pessoa que está doente ou necessita de cuidados de saúde, e uma enfermeira com uma formação especializada para reconhecer e responder ao pedido de ajuda (PEPLAU, 1990).
Enfermeiro e paciente com uma meta comum
IDENTIFICAÇÃO
EXPLORAÇÃO
RESOLUÇÃO
SÍNTESE
1943-1952
1950-1970
Títulos
1970 - 1999
1909 - 1931
HIldegard elizabeth peplau
01/09/1909 - Nascimento: Reading (Pensilvânia). Filha de Gustav e Ottylie Peplau, segunda de seis irmãos.

1918 - Epidemia da Gripe.

1931 - Enfermagem em Pottstown (Pensilvânia)
HILDEGARD ELIZABETH PEPLAU
- 1943: Especialização em Psicologia Interpessoal pela Bennington College. Oportunidade em que trabalhou diretamente com Eric From, Frida From-Reichman e Harry Stack Sullivan cujas teorias influenciaram o desenvolvimento de seus trabalhos na Enfermagem

- 1943-1945: Trabalho junto ao grupo de Enfermagem no Exército dos EUA

- 1947 - Títulos de Mestre (Enfermagem Psiquiátrica) e Doutora (Desenvolvimento Curricular) em Enfermagem, pela University Colombia, onde também foi responsável pelo programa avançado de Enfermagem Psiquiátrica

- 1952 - Publicação do livro "Interpersonal Relations in Nursing"
HIldegard elizabeth peplau
- Década de 1950: professora de Enfermagem Psiquiátrica no "Teachers College", onde tornou obrigatório a entrevista de enfermagem, assim como seu registro, sobre esses dados elaborou constructos importantes para sua teoria

- Década de 1970: criou a Pós-Graduação em Enfermagem Psiquiátrica da Faculdade de Enfermagem de Rutgers
HIldegard elizabeth peplau
1970 - 1980: Trabalhou como enfermeira consultora na Organização Mundial de Saúde, visitando Instituições de Ensino Superior na África, América Latina e Europa. Exerceu atividades junto a American Nursing Association (ANA) como Diretora Executiva e Presidente

17/03/1999: Aos 89 anos, faleceu em sua casa (Sherman Oaks - Califórnia).
HIldegard elizabeth peplau
- Professora emérita da Rutgers University

- Mestre e Doutora em Enfermagem pela Colombia University

- Formação em Psicanálise pelo Instituto William Alanson White

- Enfermeira do século e "Mãe da Enfermagem Psiquiátrica"
Aspectos Biográficos
Teoria:
fixa, mas fluida
A conquista da meta é obtida por meio do uso de uma série de passos que seguem um padrão
- Profissional e paciente encontram-se como dois estranhos

- O paciente apresenta uma necessidade percebida

- O enfermeiro deve trabalhar com cooperação com o paciente e sua família, na análise da situação, para que juntos reconheçam, esclareçam e definam o problema

- Estabelece-se uma relação de harmonia que gradualmente é fortaleclida à medida que os problemas são identificadas

- Essa fase é diretamente afetada pelas atitudes do paciente e do profissional, assim, o ENFERMEIRO DEVE ESTAR ATENTO QUANTO ÀS SUAS REAÇÕES AO PACIENTE (Pensar a definição de empatia usada por Peplau)

- O reconhecimento e a definição do problema repercutem em diminuição da ansiedade
- O paciente reage, seletivamente, às pessoas que conseguem satisfazer suas necessidades;

- Reação tripla: interdependência, independente, passivo;

- Nessa fase, paciente e enfermeiro precisam esclarecer as percepções e expectativas mútuas, de forma que sejam mais exploradas que na orientação (aprendizagem construtiva)

- Capacidade para lidar com o problema
- Exploração ao máximo da relação/serviços para a obtenção dos melhores benefícios possíveis

- Fase das solicitações, mobilizações e... manipulações. Com isso o enfermeiro deve lidar com as forças inconscientes que provocam as ações do paciente

- Ambivalência

- O profissional deve estar consciente acerca de sua comunicação - esclarecer, escutar, aceitar e interpretar
- As necessidades do paciente foram satisfeitas

- Finalizar a relação terapêutica = fenômeno psicológico

- Liberação gradual da identificação

- Ansiedade e tensão
referências
Almeida VCF, Lopes MVO, Damasceno MMC. Teoria das relações interpessoais de Peplau: análise fundamentada em Barnaum. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2005, vol.39, n.2, pp. 202-210.

Belcher JR, Fish LJB. Hildegard E. Peplau. In: George JB. Teorias de Enfermagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

Peplau. Hildegard Elizabeth. Interpersonal techniques: the crux of psychiatric nursing. The American journal of nursing. V. 62, n.6. jun. 1962.

Peplau, Hildegard Elizabeth. Interpersonal constructs for nursing practice. Nurse education Today (1987) 7, 201.
Cada pessoa pode ser encarada como uma estrutura biológico-psicológico-espiritual-sociológica única
Cada pessoa participa com ideias preconcebidas que influenciam suas percepções, e são exatamente essas diferenças de percepção que são tão importantes no processo interpessoal
Paciente e enfermeiro trabalham juntos e, como consequência, ambos adquirem mais conhecimento do processo e amadurecem nele
empatia
"O comportamento de outros precisa ser compeendido à luz autocompreensão" (BURTON, 1958)
O tipo de pessoa que o profissional passa a ser exerce uma influência direta na relação terapêutica, interpessoal
Papéis
1. Professor (health teacher)
2. Recurso (socializing agent)
3. Conselheiro (counselor/psychotherapist)**
4. Líder (manager)
5. Especialista (technician)
6. Substituto (mother-surrogate)
Enfermagem: "força de amadurecimento e um instrumento educativo" (Peplau)
ORIENTAÇÃO
- Orientação - definição do problema

- Identificação - seleção do auxílio

- Exploração - auxílio profissional

- Resolução - finalização
Relação x Relacionamento
Obrigado!
Relação
Enfermeiro-Paciente
Enfermeiro
Paciente
Valores
Cultura
Ideias preconcebidas
Expectativas
Experiências prévias
Crenças
Raça
Raça
Valores
Cultura
Crenças
Ideias preconcebidas
Experiências prévias
Expectativas
Full transcript