Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

USO DE VÍDEOS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS CONTEÚDOS CURRICULARES DA ESCOLA

Leandro & Sayonara
by

Leandro Veloso

on 3 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of USO DE VÍDEOS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS CONTEÚDOS CURRICULARES DA ESCOLA

Quais as possibilidades do
uso de VÍDEOS na prática pedagógica da sala de aula?!
O que é um VÍDEO?!
MORAN, J. M. A proposta de utilização de vídeos. Revista Comunicação & Educação. São Paulo, ECA - Ed. Moderna, n. 2, p 27-35, jan./abr. de 1995.

________. Desafios da televisão e do vídeo à escola. In: Integração das Tecnologias na Educação/ Secretaria de Educação a Distância. Brasília: Ministério da Educação, Seed, 2005. Disponível em http://tvescola.mec.gov.br/images/stories/publicacoes/salto_para_o_futuro/livro_salto_tecnologias.pdf > Acesso em maio de 2012.

________. O vídeo na sala de aula. Revista Comunicação & Educação. São Paulo, ECA - Ed. Moderna, n. 2, p 27-35, jan./abr. de 1995. Disponível em: file:///C:/DOCUME~1/User/CONFIG~1/Temp/O%20v%C3%ADdeo%20na%20sala%20de%20aula.htm Acesso em março 2013.

VELOSO, L. & RIBEIRO, S. Vídeos na EAD: novas formas de construção do conhecimento. São João Del Rei, II Seminário EaD/NEAD, 2013.
REFERÊNCIAS:
DINÂMICAS DE ANÁLISE/AVALIAÇÃO

Análise em conjunto

É uma conversa sobre o vídeo, com o professor como moderador.

Análise globalizante

Roteiro de perguntas sobre o tem abordado perguntas serão respondidas primeiro em grupos menores e depois relatadas/escritas no plenário. O professor e os alunos destacam as coincidências e divergências. O professor faz a síntese final,
Antes da exibição

Informar somente aspectos gerais do vídeo (autor, duração, prêmios...). Não interpretar antes da exibição, não pré-julgar (para que cada um possa fazer a sua leitura).
Checar o vídeo antes. Deixá-lo no ponto antes da exibição.

Durante a exibição
Comentários , interferências

Depois da exibição
Avaliação
VÍDEOS NA EDUCAÇÃO, PARA ALÉM DAS TEORIAS...
O melhor professor do mundo, o que ele faz?
Possibilidades de vídeos anotados no Youtube
TV Escola , você já usou?
Repositório mais usado - domínio público -
youtube
Onde encontrar?
O vídeo é sensorial, visual, linguagem falada, linguagem musical e escrita.
Linguagens que interagem superpostas, interligadas, somadas, não separadas. Daí a sua força. Nos atinge por todos os sentidos e de todas as maneiras. O vídeo nos seduz, informa, entretém, projeta em outras realidades (no imaginário) em outros tempos e espaços. O vídeo combina a comunicação sensorial-cinestésica, com a audiovisual, a intuição com a lógica, a emoção com a razão. Combina, mas começa pelo sensorial, pelo emocional e pelo intuitivo, para atingir posteriormente o racional
(MORAN, 1995)
O vídeo parte do concreto, do visível, do imediato, do próximo, que toca todos os sentidos.

Mexe com o corpo, com a pele - nos toca e "tocamos" os outros, que estão ao nosso alcance, através dos recortes visuais (...).

O vídeo explora também, e basicamente, o ver, o visualizar, o ter diante de nós as situações, as pessoas, os cenários, as cores, as relações espaciais .
CONTEXTUALIZANDO...

A imagem está em nossa vida, faz parte de nosso dia-a-dia
e necessitamos dela como forma especial de compreensão e de conhecimento do mundo que nos cerca.

Mas precisamos de uma educação para o convívio com a imagem.

Não basta: o olhar ingênuo, passivo, submisso, desatento ou distraído.

É necessário responder, é preciso ser atuante, participante, ativo.

Nesse processo, colocamos as capacidades de nossa mente e de nossa sensibilidade em intensa atividade.

Esse trabalho é ao mesmo tempo de indagação, de questionamento e de elaboração de múltiplas e possíveis respostas
Apresentar aos professores a utilidade do vídeo como recurso tecnológico e pedagógico.

(Re)conhecer os tipos de vídeos disponíveis na internet e suas propostas de utilização.


Compartilhar o processo de busca e acesso aos vídeos, adequando-os aos conteúdos curriculares.


Incentivar a produção de vídeos como processo avaliativo.
PRINCIPAIS OBJETIVOS
Aprender a aprender
Valeu muito pela atenção!!
Sucesso com o uso de vídeos...
CTAE

Nos apaixonamos pela TV, e deixemos nos apaixonar pelo uso e produção de vídeos , não porque queremos ser modernos mas porque desejamos uma educação que liberte jovens e adultos para a construção autônoma de saberes individuais e coletivos que contribuam para democratização do ensino, para a redescoberta do prazer de ensinar e aprender e melhores formas de se viver nesse mundo tecnologicamente desenvolvido.
(Leandro e Sayonara, 2012)
...encerrando para começar
MODIFICAR O VÍDEO
Os alunos procuram vídeos e outros materiais audiovisuais sobre um determinado assunto.
Modificam, adaptam, editam, narram, sonorizam diferentemente.
Criam um novo material adaptado a sua realidade, a sua sensibilidade.

VÍDEO PRODUÇÃO

Contar em vídeo um determinado assunto.
Elaboração do roteiro, gravação, edição,
sonorização.
Exibição em classe e/ou em circuito interno.
Comentários positivos e negativos.
A diferença entre a intenção e o resultado
obtido. 

VÍDEO ESPELHO
ANÁLISE CONCENTRADA
As questões são propostas antes de assistir ao video para que sejam respondidas individualmente

ANÁLISE FUNCIONAL
Antes da exibição, escolher algumas funções ou tarefas (desenvolvidas por vários alunos)

ANÁLISE DA LINGUAGEM

COMPLETAR O VÍDEO
Exibe-se um vídeo até um determinado ponto.
Os alunos desenvolvem, em grupos, um final próprio e justificam o porquê da escolha.
Possibilidades pedagógicas
Como superá-los? Trabalho colaborativo

a) Quanto à crítica negativa por um grupo de educadores que apontam que o aluno assiste a ele passivamente não podendo interferir no conteúdo;

b) Que existe ainda a dificuldade apontada por profissionais e professores de se encontrar um vídeo adequado em bibliotecas com grande acervo;

c) A dificuldade de encontrar e/ou adequar cenas de vídeo com os conteúdos pretendidos
Há desafios?
VÍDEOS INTEGRADOS AO CURRÍCULO: POSSIBILIDADES E DESAFIOS
Novembro, 2012
VÍDEOS NA EDUCAÇÃO, PARA ALÉM DAS TEORIAS...
Como baixar vídeos ?
Vídeo como INTEGRAÇÃO/SUPORTE – de outras mídias como televisão / cinema /
Computador / internet / vídeo-games (reportagens / documentários / filmes / animações)
Vídeo ESPELHO - para análise do grupo e dos papéis de
cada um, para acompanhar o comportamento de cada um, do ponto de vista
participativo
Vídeo como AVALIAÇÃO - Dos alunos, do professor, do processo.
USO ADEQUADO DE VÍDEOS...
Vídeo como PRODUÇÃO - Como documentação: registro de eventos, de aulas, de estudos; Como intervenção: interferir, modificar um determinado programa, um material Audiovisual; Vídeo como expressão, como nova forma de comunicação.
Vídeo como CONTEÚDO DE ENSINO - vídeo que mostra determinado assunto,
de forma direta ou indireta. De forma direta, quando informa sobre um tema específico
orientando a sua interpretação.
De forma indireta, quando mostra um tema, permitindo abordagens múltiplas,
interdisciplinares.
Vídeo como SIMULAÇÃO - é uma ilustração mais sofisticada.
O vídeo pode simular experiências de química
que seriam perigosas em laboratório ou que exigiriam muito tempo e recursos.
Vídeo como ILUSTRAÇÃO - ajuda a mostrar o que se fala em aula, a compor cenários
desconhecidos dos alunos. Por exemplo, um vídeo que exemplifica como eram
os romanos na época de Julio César ou Nero, mesmo que não seja totalmente
fiel, ajuda a situar os alunos no tempo histórico.
Vídeo como SENSIBILIZAÇÃO - um bom vídeo é interessantíssimo para introduzir um novo assunto, para despertar a curiosidade, a motivação para novos temas.
USO INADEQUADO DE VÍDEOS...
Só vídeo - não é satisfatório didaticamente exibir o vídeo sem discuti-lo, sem
integrá-lo com o assunto de aula.
Vídeo- perfeição - Existem professores que questionam todos os vídeos
possíveis porque possuem defeitos de informação ou estéticos.
Vídeo - deslumbramento - O professor que acaba de descobrir o uso do vídeo
costuma empolgar-se e passa vídeo em todas as aulas.
Vídeo - enrolação - exibir um vídeo sem muita ligação com a matéria.
Vídeo - tapa buraco - colocar vídeo quando há um problema inesperado, como
ausência do professor.
I Encontro de Formação Continuada
Secretaria Municipal de Educação
Lavras - MG
2013
USO DE VÍDEOS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS CONTEÚDOS CURRICULARES DA ESCOLA

EIXO TEMÁTICO: MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

Leandro Veloso
leandro.vellozo@yahoo.com.br

Sayonara Ribeiro
sayormcruz@yahoo.com.br
Full transcript