Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Método Experimental

No description
by

Paloma Mendes

on 30 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Método Experimental

Método Experimental
Paloma Mendes Saldanha
Definição
O Método experimental é um conjunto de procedimentos rigorosos que, desenvolvendo-se habitualmente em contexto laboratorial, procura controlar variáveis estranhas ou parasitas de modo a que os resultados se devam única e simplesmente à manipulação da variável independente, isto é, que sí a esta se devam as alterações na variável dependente (BALBI, 2015)
Construção do Método
GALILEU GALILEI (1564-1642), pretendia investigar a natureza diretamente com base nos dados fornecidos pelos sentidos, ou seja, através da observação e da experiência empírica. Dessa forma, Galileu reduzia os problemas a um simples conjunto de termos, baseados em experiências diárias do senso lógico. Assim, utilizando e valorizando a experiência e a linguagem matemática, Galileu se tornou fundador do método experimental (LAKATOS, 1991).
“Parte da constatação de que o aparecimento de um fenômeno tem uma causa necessária e suficiente, isto é,
em cuja presença o fenômeno ocorrerá sempre e em cuja ausência nunca se produzirá
. Por esse motivo, o antecedente causal de um fenômeno está unido a ele por intermédio de uma relação de sucessão, constante e invariável.
Discernir o antecedente que está sendo unido ao fenômeno é determinar experimentalmente sua causa ou lei
. Dessa forma, o método das coincidências constantes postula: aparecendo a causa, dá-se o fenômeno; retirando-se a causa, o efeito não ocorre; variando-se a causa, o efeito altera-se. Para garantir a anotação correta das fases da experimentação, Bacon sugere a utilização de três tábuas:
1. tábua de presença, circunstâncias em que se produz o fenômeno;
2. tábua de ausência, situações em que o fenômeno não se produz;
3. tábua dos graus, casos em que o fenômeno varia de intensidade e variam também todos os antecedentes”. (LAKATOS, IDEM)
Dentro dessa perspectiva, Lombroso, e seu estudo sobre a antropologia criminal, pôde observar o homem como objeto de pesquisa possibilitando, assim, a utilização da pesquisa experimental não só para fins científicos da física, química ou biologia, mas também para as ciências humanas (WIKIPEDIA, 2015). De uma maneira mais recente, mas com formação na década de 80 (George Orwell), tem-se o
Big Brother
(PERANI, 2015). Formato claro e objetivo de um experimento cujo objeto é o homem que apresenta modificações a cada alteração (tratamento) da variável independente.

FRANCIS BACON (1561-1626), também precursor do método experimental, expôs as suas etapas do método indutivo (ou experimental), que considerou a única forma de atingir a verdade:
* observar fatos precisos;
* formular explicativas;
* provocar a repetição dos fatos através de experiências.
Segundo Lakatos, o tipo de experimentação proposto por Bacon é denominado de coincidências constantes onde:
1. Formulação de um problema;
2. Experimentação
2.1. Controle e Manipulação das variáveis
2.1.1. Identificação das variáveis relevantes
2.1.2. Definição operacional das variáveis relevantes
2.1.3. Definir operacionalmente a variável independente (experimental ou ativa)
2.1.4. Definir operacionalmente a variável dependente
2.1.5. Seleção dos sujeitos participantes
2.1.6. Constituição dos grupos experimental (recebe tratamento) e de controle (não é submetido à manipulação)
3. Observação e registro de dados
4. Conclusão e generalização dos resultados
Etapas
* Problema
: O Processo Judicial Eletrônico garante a segurança jurídica das demandas processuais?

* Hipótese:
Se o Processo Judicial Eletrônico é considerado um sistema corrompível podendo ser crackeado, então não garante a segurança jurídica.

* Variáveis relevantes:
- Independente (experimental): Java e JBoss
- Dependente: Demanda judicial

* Variável Independente (definição operacional):
Tratamento: Crackeamento ou Hackeamento

* Variável Dependente (definição operacional)
: Demanda judicial

* Sujeitos participantes
: Cracker, Judiciário, Demandante e Demandado

* Grupo experimental

* Grupo de controle

* Observação e registro de dados

* Conclusão
PJE
Propriedade Industrial
- Patente -
* Problema
: A reprodução em laboratório de um procedimento químico patenteado infringe a patente?

* Hipótese:
Se a reprodução do procedimento se refere a estudo ou pesquisa, então não há infração de patente.

* Variáveis relevantes
- Independente: autorização (permissão)
- Dependente: reprodução do procedimento

* Variável Independente (definição operacional):
A permissão deverá ser dada ou não pelo detentor dos direitos da patente (Art. 42, LPI);
A permissão está automaticamente/legalmente descartada quando se trata de estudo ou pesquisa (Art. 43, II, LPI).

* Tratamento:
Acréscimo ou retirada dos itens “estudo” ou “pesquisa”

* Variável Dependente (definição operacional):
A reprodução do procedimento acontecerá ou não, a depender da permissão.

* Sujeitos participantes:
Pesquisadores e Titular da patente

* Grupo experimental:
A permissão descartada (autorização legal)

* Grupo de controle:
A permissão autoral

* Observação e registro de dados:
Alteração direta e imediata da variável dependente quando realizado o tratamento na variável independente.

* Conclusão:
Quando a variável independente norteia-se, unicamente, pelo artigo 42, LPI, terceiros que não possuem fins de estudo e pesquisa recaem na infração de patente por não terem a permissão/autorização para realizar a reprodução do procedimento. Entretanto, quando tem-se um estudo ou pesquisa por terceiros que queriam reproduzir o procedimento, a permissão/autorização do titular da patente está automaticamente descartada. Podendo, portanto, o procedimento ser reproduzido sem qualquer interferência jurídica.

Direito Autoral
Figura 1 Fonte: http://ohda.matrix.msu.edu/2012/06/a-creative-commons-solution/
Primeiro Sistema Operacional livre:

GNU/Linux

Bandas que já disponibilizaram seus albuns via licenças Creative Commons:
Nine Inch Nails; Gilberto Gil; RadioHead; Bnegao e os seletores de frequência; etc.

Projetos:
Open Education
Open Library

Site para acesso as licenças
:
http://creativecommons.org/license/
BALBI, João Carlos Sinott. Método Experimental. Disponível em http://pt.slideshare.net/joaobalbi/22-metodo-experimental Acessado em 06 abr 2015.

FIORIO, Rudinei. Pesquisa experimental. Disponível em http://pt.slideshare.net/Lucovolan/pesquisa-experimental-24065841?related=3 Acessado em 06 abr 2015.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Metodologia científica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

PARANAGUÁ, Pedro. Patentes. Disponível em http://academico.direito-rio.fgv.br/wiki/Patentes Acessado em 07 abr 2015.

PERANI, Letícia. Os níveis de jogo do bbb. Disponível em https://ciberludens.wordpress.com/2012/01/10/os-niveis-de-jogo-do-bbb-ou-como-um-programa-futil-pode-ser-bem-complexo/ Acessado em 07 abr 2015

SEGREDOS DA PSICOLOGIA. Método Experimental. Disponível em http://segredosdapsicologia.webnode.com.pt/metodos-e-tecnicas-em-psicologia/metodo-experimental/ Acessado em: 06 abr 2015.

VERÍSSIMO, Diogo. O método experimental e o progresso do conhecimento. Disponível em http://pt.slideshare.net/Diogo.Verissimo/o-mtodo-experimental-e-o-progresso-do-conhecimento?related=1 Acessado em: 06 abr 2015.

WIKIPEDIA. Cesare Lombroso. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Cesare_Lombroso Acessado em 07 abr 2015
Referências
Full transcript