Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Arte Conceitual - CILDO MEIRELES

Leonardo da Vinci - Ensino Médio - 3ª série
by

Wagner Bôa Morte

on 11 September 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Arte Conceitual - CILDO MEIRELES

Anos 1970: Arte Conceitual
CILDO MEIRELES

As Artes Plásticas e a luta contra a Ditadura Militar

Nascido em 09 de fevereiro de 1948, no Rio de Janeiro, Cildo Meireles inicia seus estudos em arte em 1963, na Fundação Cultura do Distrito Federal, em Brasília.

É um dos fundadores da Unidade Experimental do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ).

Em 1970, participou da exposição chamada
Information
, no MoMA, NY
considerada um
marco na Arte Conceitual
.

DUAS OBRAS COM CONTEÚDO POLÍTICO:

Para a exposição
Information
, criou
Inserções em Circuitos Ideológicos (1970), obra do
PAS.

Performance

Tiradentes - Totem - monumento ao preso político
(1970), em Belo Horizonte, numa referência à tortura e ao desaparecimento de militares que se opunham ao regime militar.
O artista tem desenvolvido uma obra que exige a participação do espectador, convidado a entrar e experimentar suas instalações, como
DESVIO PARA O VERMELHO
(1969),
FONTES
(1992) e em
MARULHO
(1991-97).
A trajetória do artista
Cildo Meireles é conhecido internacionalmente e é reconhecido como um dos mais importantes artistas contemporâneos.
Versátil, político e questionador, até o ano de 2014 participou de 282 exposições coletivas e fez 63 exposições individuais.
O artista tem se afirmado como um importante artista no cenário da arte contemporânea, criando os objetos e as instalações que acoplam diretamente o espectador em uma experiência sensorial completa, questionando, entre outros temas, a ditadura militar no Brasil (1964 - 1984) e a dependência do país na economia global.
Seu trabalho pioneiro no campo da arte da instalação prima pela diversidade de suportes, técnicas e materiais, apontando quase sempre para questões mais amplas, de natureza política e social. (INHOTIN, 2014).
Cildo Meireles examina a falibilidade da percepção humana, os processos de comunicação, as condições do espectador e a relação da obra de arte com o mercado.
CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO ARTISTA E SUAS OBRAS
OBRAS E CARACTERÍSTICAS
INSERÇÕES EM CIRCUITOS IDEOLÓGICOS "PROJETO COCA-COLA" (1970)
Garrafas de Coca-Cola, texto Impresso altura de 18 cm.
Coleção do New Museum of Contemporary Art, Nova York.
Neste trabalho, Cildo Meireles almejava chegar a uma fórmula que pudesse ter efeito politico, pois trata da questão do individuo com o capitalismo.
INSERÇÕES EM CIRCUITOS IDEOLÓGICOS "PROJETO CÉDULA"
Carimbo de borracha sobre cédulas de um cruzeiro.
Dimensões variáveis.
Coleção do New Museum of Contemporary Art, Nova York.
O projeto cédula foi a segunda etapa dos circuitos ideológicos.
Neste projeto, o confronto é entre o individuo e o Estado, visto claramente como o problema.
Desvio para o vermelho (1969)
1987
600.000 moedas, 800 hóstias, 2.000 ossos de boi.
Altura de 2,35 m; Área: 36 m²
Coleção da Fundação Iochpe, Porto Alegre e do Jack S. Blanton Museum of Art, Austin, Texas.
Essa obra é uma representação do poder espiritual e do poder material, o divino feito de ossos, a terra inundada por moedas, e a coluna de hóstias ligando as duas extremidades.
Instalação
Missão/Missões (Como construir Catedrais
)
No caderno, registre:
a) Quem foi Herzog?
b) Identificar as razões da polêmica e das manifestações contrárias à versão oficial divulgada sobre sua morte.
c) Relacionar a imagem (obra do PAS) de Cildo Meireles com a morte de Vladimir Herzog?
MOVIMENTOS ARTÍSTICOS NO BRASIL
ARTE CONCEITUAL
Várias posturas artísticas que valorizam e destacam a parte intelectual e a ideia por trás da criação como essência da obra de arte.
Libera a obra de problemas técnicos e de estilo, uma vez que a obra é um mero suporte para a criação.
Boa parte da arte conceitual desenvolve-se em torno da linguagem - jogos linguísticos (Bruce Nauman).
Entrevista
O contexto da obra (21:12)
Cildo Meireles (5:09
Arte Conceitual
Para não esquecer!!!
1) Concretismo - década 50 - Russos - incorporar processos matemáticos na produção artística / arte e indústria.
2) Final da década de 50 o Concretismo entra em crise, formalizada no Manifesto Neoconcreto, escrito por Ferreira Gullar.
3) Integrantes do Movimento Neoconcreto promovem experiências não estéticas.

EXPERIÊNCIAS QUE TENTAM FUNDIR ARTE E VIDA E QUE APRESENTAM, NA MESMA OBRA, VÁRIAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS.
A exibição do vídeo tem caráter educativo.
O Tropicalismo nas Artes Visuais
Os artistas e suas produções
Crítica ao sistema de arte e aos conceitos de "museu" e "exposição".
Uma espécie de nova ANTROPOFAGIA (deglutir, reprocessar e filtrar a partir do contexto local).
Uma crítica, velada ou explícita, ao ufanismo desmedido, à censura e à violência da Ditatura Militar.
HÉLIO
OITICICA
Hélio Oiticica (Rio de Janeiro, 26 de julho de 1937 — Rio de Janeiro, 22 de março de 1980) foi um pintor, escultor, artista plástico e performático brasileiro.

É considerado um dos artistas mais revolucionários de seu tempo e sua obra experimental e inovadora é reconhecida internacionalmente.

É neto de José Oiticica, anarquista, professor e filólogo brasileiro, autor do livro
O anarquismo ao alcance de todos
(1945).

Em 1959, fundou o Grupo Neoconcreto, ao lado de artistas como: Amilcar de Castro, Lygia Clark e Franz Weissmann.
TROPICÁLIA, HÉLIO OITICICA
É um penetrável, exposto pela primeira vez no MAM-RJ, na mostra Nova Objetividade Brasileira, em 1967.
ALGUMAS OBRAS
NÚCLEOS - eram várias chapas retangulares que pareciam "flutuar" ao redor do espectador.
BÓLIDES - eram caixas de madeira, plástico ou vidro.
NINHOS - fios de plástico luminosos que embrulhavam os visitantes no apartamento.
PENETRÁVEIS - labirintos em que a pessoa interagia com a obra.
PARANGOLÉS - O Parangolé é uma espécie de capa (ou bandeira, estandarte ou tenda) que só mostra plenamente seus tons, cores, formas, texturas e grafismos, e os materiais com que é executado (tecido, borracha, tinta, papel, vidro, cola, plástico, corda, palha) a partir dos movimentos de alguém que o vista.
Tropicália é uma instalação, PN2 (A pureza é um mito) e PN3 (Imagético).
Algumas obras
Dois penetráveis, PN2 e PN3, com plantas tropicais, chão de areia, poemas-objetos, araras vivas num viveiro, Parangolés e uma televisão ligada.
Uma obra em sintonia com o teatro (Grupo Oficina), Cinema Novo e a música de Caetano e Gil.
La bruja
Qual o futuro da arte?
Vídeo (15:48)
Fontes (1992)
Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto
Me lembrou Carlitos...

A lua
Tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel

E nuvens!
Lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas
Que sufoco!
Louco!
O bêbado com chapéu-coco
Fazia irreverências mil
Pra noite do Brasil.
Meu Brasil!...


Que sonha com a volta
Do irmão do Henfil.
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora!
A nossa Pátria
Mãe gentil
Choram Marias
E Clarices
No solo do Brasil...

Mas sei, que uma dor
Assim pungente
Não há de ser inutilmente
A esperança...

Dança na corda bamba
De sombrinha
E em cada passo
Dessa linha
Pode se machucar...

Azar!
A esperança equilibrista
Sabe que o show
De todo artista
Tem que continuar...
O Bêbado e a equilibrista (Elis Regina)
Marulho (1991-97)
Exibição permanente em Inhotim, MG
I
N
S
T
A
L
A
Ç
Õ
E
S
Obra PAS
Nesta obra, Cildo Meireles executou uma ação realmente inesperada. Diante de uma platéia atônita (da mostra Do Corpo à Terra), o artista amarrou dez galinhas a uma estaca de madeira e, depois de encharcá-las com gasolina, incendiou-as vivas, num ritual público de grande crueldade. A execução da obra foi um momento crucial da história da arte brasileira. Foi considerada uma crítica brutal ao regime militar e ao desaparecimento de seus opositores promovido pelo Estado. Esta obra radical rompeu os limites entre realidade e representação.
RELEMBRANDO ALGUNS CONTEÚDOS PARA A AVALIAÇÃO
Arquitetura moderna, dando uma atenção para o arquiteto Lelé, materiais, da Igrejinha comentada em sala de aula, etc.
Arte conceitual.
Sebastião Salgado.
Azulejos da FE.
Grafite.
Performance
Full transcript