Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

CRICOTIREOIDOSTOMIA

No description
by

fernanda viecili

on 10 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CRICOTIREOIDOSTOMIA

CRICOTIREOIDOSTOMIA
Integrantes
ANDRÉ GOULART RAMOS
CAMILA LEITE
FERNANDA VIECILI
JULIANA E. EHLERS
LUIZA HEINEBERG
RODRIGO PACHECO
ANATOMIA

Indicações
Impossibilidade de intubação da traqueia
Vias aéreas obstruídas por edema, traumas faciais graves
Presença de sangramento oral
Hemorragia traqueobrônquica persistente
Contraindicações
Na emergência não há contraindicações absolutas
Trauma massivo da laringe ou da cartilagem cricoide
Relato do Caso: Paciente 50 anos, sexo masculino, tabagista, com diagnóstico de neoplasia de base de língua. Após a anestesia tópica para endoscopia digestiva alta, o paciente apresentou tosse importante seguida por um quadro de obstrução respiratória aguda, culminando com apnéia.
Durante laringoscopia, evidenciou-se grande massa em cavidade oral impossibilitando a visualização da glote.
A ventilação com máscara facial, naquele momento, foi praticamente impossível, sendo realizada a cricotireoidostomia por punção.
Caso Clínico

Definição
Consiste em técnica alternativa emergencial para garantir a mínima oxigenação enquanto se providencia uma via definitiva.
MARTINS, Herlon Saraiva; BRANDÃO NETO, Rodrigo Antonio; SCALABRINI NETO, Augusto; VELASCO, Irineu Tadeu. Emergências Clínicas: Abordagem Prática. 9. ed. São Paulo: Manole, 2014.
Cricotireoidostomia por Punção
Complicações
Ventilação inadequada levando à hipóxia e morte
Sangramento e hemorragia
Perfuração Esofágica
Hematoma
Perfuração da parede traqueal posterior
Enfisema subcutâneo e/ou mediastinal
Perfuração da tireóide
Materiais Utilizados
1
MONTAR E PREPARAR O TUBO DE OXIGÊNIO
2
PRÉ-OXIGENAÇÃO COM MÁSCARA

COLOCAR O PACIENTE EM DECÚBITO DORSAL
3
MONTAR UM CATETER AGULHADO
DE CALIBRE 12 OU 14, DE 8,5 CM,
EM UMA SERINGA DE 5 A 10 ML
4

PREPARAR O PESCOÇO PARA
A CIRURGIA

ANTISSEPSIA

5
LOCALIZAR A MEMBRANA CRICOTIREOIDEA


6
PUNCIONAR A PELE NA LINHA MÉDIA COM AGULHA SOBRE A MEMBRANA CRICOTIREOIDEA

FAZER UMA PEQUENA INCISÃO, SE NECESSÁRIO, COM LÂMINA nº 11









7
DIRECIONAR A AGULHA EM
ÂNGULO DE 45° CAUDALMENTE,
APLICANDO PRESSÃO NEGATIVA
NA SERINGA.
8
INSERIR CUIDADOSAMENTE A AGULHA ATRAVÉS DA METADE INFERIOR DA MEMBRANA CRICOTIREOIDEA,
ASPIRANDO A MEDIDA QUE A AGULHA
AVANÇA
9
ASPIRAÇÃO DE AR SIGNIFICA
PENETRAÇÃO NA LUZ DA TRAQUEIA
10
REMOVER A SERINGA E RETIRAR A AGULHA

11
CONECTAR O TUBO DE OXIGÊNIO AO
CATETER E FIXAR O CATETER NO
PESCOÇO DO PACIENTE
12
OBSERVAR INSUFLAÇÃO DO
TORÁX


AUSCULTA PULMONAR
Luvas
Roupa de proteção
Máscara facial
Antisséptico (Clorexidine)
Gazes
1 ou 2% de lidocaína com epinefrina (ATLS)
3 a 10 mL de solução salina ( UpToDate)
Agulha de 12 ou 14
Seringa de 5 ou 10 mL
Bisturi nº 11
Tubo ou máscara de oxigênio

Conduta:

Como o paciente apresentava-se bradicárdico e sem pulso palpável, a conduta imediata foi a realização de VJTT através de uma cricotireoidostomia com uma cânula de punção venosa do tipo extracath n°14, acoplada a um extensor de dupla via (Polifix®), de forma a permitir que o paciente pudesse ser ventilado e também para a instilação de duas ampolas de adrenalina. Constatou-se a recuperação imediata da oxigenação, evidenciada pela oximetria de pulso e melhora da condição hemodinâmica.

Com o quadro estabilizado, realizou-se a broncofibroscopia, que evidenciou grande massa neoplásica que invadia boa parte da cavidade oral e toda a orofaringe, com desvio importante das estruturas laríngeas, que apresentavam edema importante, impossibilitando a passagem de um tubo traqueal de calibre adequado.

A ventilação foi mantida sob cricotireoidostomia até a realização de uma traqueostomia percutânea sob visão direta, que permitiu a melhora imediata do padrão ventilatório.
Paciente recebeu alta hospitalar após 24h de observação.
BLOQUEIO ANESTÉSICO COM LIDOCAÍNA
Referências
MARTINS, Herlon Saraiva; BRANDÃO NETO, Rodrigo Antonio; SCALABRINI NETO, Augusto; VELASCO, Irineu Tadeu. Emergências Clínicas: Abordagem Prática. 9. ed. São Paulo: Manole, 2014.
ATLS - Suporte Avançado de Vida no Trauma para Médicos. 7.ed. Editora Elsevier , 2004.
"NÃO PODE INTUBAR, NÃO PODE VENTILAR"
(Aaron, 2015)
Full transcript