Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Comunicação Empresarial e Profissional

No description
by

Thiago Paiva

on 22 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Comunicação Empresarial e Profissional

Comunicação Empresarial e Profissional

Prof. Thiago Paiva


Quem é esse cara?
Economista
Turismólogo
Pós em Gestão e Planejamento de Negócios
Mestrado em Administração

Sabemos muito de mim....e de você?
Sendo uma disciplina de comunicação é importante que você já inicie seu ano letivo saindo da "zona de conforto"
Exercício
Prepare-se para sua apresentação!
Sim sim...as regras dos jogo!
Provas
Faltas
Postura
Horário
Celular
Computador

O que mais preciso saber desse professor?
O que faremos nesse ano?
Zona de conforto!!!!
O que queremos saber de você?
Nome
Idade
Trabalha?
Por que escolheu seu curso?
Você é de Curitiba?
Mora sozinho(a)?
O mais importante!
O que ninguém sabe da sua vida?
Possui tatuagens?
Gosta de som? Toca algum?
Faz algum esporte?
O que já viveu tacitamente?
Você trabalha ou somente ministra aulas?????
Empresário
Consultor
Empreendedor
Casado
Vocalista de banda
Proprietário da Choice Academia de Profissões
Corinthiano
e com uma história..
thiago@choiceprofissoes.com.br
41 3205-8888
41 9611-1717

O que o mercado pensa de você?
Comunicação
INPUT
OUT PUT
Comunicação
O que é comunicação organizacional?
A quem se dirige?
Principais objetivos?
Formas de comunicação empresarial e sua relação com a comunicação

Conexões teóricas
A comunicação organizacional é o somatório de todas as atividades de comunicação de uma empresa.

Tipos de comunicação organizacional: site, memorandos, e-mails, intranet, publicações, editais, boletins internos, caixas de comunicação, placas de sinalização, normas, regulamentos, planos, relatórios, uniformes, crachás, faixas no piso, etc.

Teoria
Segundo Cahen (2001):
Criar, onde não existir ou for neutra; manter, onde já exista ou, ainda, mudar para favorável, onde for negativa, a imagem da empresa junto aos seus diversos
stakeholders
(grupos de interesse).

Quem são os stakeholders de uma organização?
Consumidores, funcionários, governo, fornecedores, sindicatos, associações, comunidade, etc.

stakeholders???
Comunicação
Através da comunicação, os seres humanos e os animais partilham diferentes informações entre si, tornando o ato de comunicar uma atividade essencial para a vida em sociedade.
A mensagem é codificada num sistema de sinais definidos que podem ser gestos, sons, indícios, uma língua natural (português, inglês, espanhol, etc.), ou outros códigos que possuem um significado (por exemplo, as cores do semáforo), e transportada até o destinatário através de um canal de comunicação (o meio por onde circula a mensagem, seja por carta, telefone, comunicado na televisão, etc.).
TRÊS FORMAS DE COMUNICAÇÃO DENTRO DA EMPRESA

De cima para baixo

De baixo para cima

Horizontalmente

Comunicação nas empresas
Comunicação de cima para baixo
Informações e mensagens são enviadas dos níveis hierárquicos superiores para os níveis hierárquicos inferiores da empresa;

Empresas burocráticas
Formas e exemplos dessa comunicação
Enviando mensagens por alto-falante;

Colocando mensagens em jornais, revistas, boletins informativos, quadros de avisos e no portal ou sites da empresa;

Anexando panfletos aos contracheques dos funcionários;

Elaborando e distribuindo o regulamento da empresa;

Formas e exemplos dessa comunicação
Enviando e-mails, memorandos, circulares e relatórios;

Praticando a “comunicação visual”;

Promovendo reuniões informativas;

Realizando palestras;

Realizando treinamento.

Vantagens e desvantagens
Vantagens
Caráter diretivo – orientação;

Possibilidade de incentivar a comunicação de baixo para cima.

Problemas
Perda de parte do conteúdo da mensagem original

Sobrecarga de informação.

Comunicação de baixo para cima
O que é?
Participando de reuniões;

Participando de entrevistas e/ou preenchendo formulário de desligamento;

Respondendo a enquetes e pesquisas internas
Como funciona?

Enviando e-mails aos superiores ou à ouvidoria (se houver);

Vantagens

Proporciona aos líderes o feedback das decisões administrativas;

Problemas da comunicação

Presença de líderes que não veem com bons olhos reclamações e/ou sugestões;

A desconfiança de funcionários que, por não confiar em seus superiores, não manifestam suas opiniões, ou reclamações com medo de represálias;

O fato de alguns funcionários não desejarem ser portadores de notícias ruins com medo de serem associados a elas.

Informações e mensagens são enviadas dos níveis hierárquicos inferiores para os níveis hierárquicos superiores da empresa;

Comunicação Horizontal
Comunicação Horizontal
Troca de informações entre funcionários que se encontram no mesmo nível hierárquico ( pode ser intradepartamental ou interdepartamental)
Formas de comunicação
Em eventos promovidos pela empresa;

Em reuniões de discussão intradepartamentais;

Em reuniões de discussão entre chefes de diferentes departamentos;

Formas de comunicação
Em reuniões de discussão entre executivos de diferentes unidades da empresa;

Em conversas informais interpessoais

Redes digitais e canais de comunicação digital
Vantagens e desvantagens
Caráter colaborativo e multidisciplinar

Compartilhamento de informações, experiências, ideias e responsabilidades entre os funcionários;

Falta de coesão entre funcionários de um mesmo departamento ou de diferentes departamentos;

Rivalidade e Individualismo
Praticando
Para fixarmos o conteúdo:
Formar grupos de 3 componentes
Analisar as situações comunicacionais apresentadas a seguir, considerando a pirâmide de capacidade do canal e as formas de comunicação
Anotar em uma folha de papel que deverá ser entregue ao professor
Colocar o nome dos componentes da equipe
Apresentar as respostas ao grupo geral

SITUAÇÃO 1

“Uma secretária precisa avisar ao chefe ausente que a reunião das 11 horas foi antecipada em uma hora.”

Canal mais adequado
Canal menos adequado
Direção da comunicação
Análise do canal mais adequado

O Diretor de Marketing vai desenvolver uma campanha para divulgação de um novo produto e precisa levantar um orçamento com a sua agência de publicidade.”

Canal mais adequado
Canal menos adequado
Direção da comunicação
Análise do canal mais adequado

O Presidente de uma empresa quer passar uma mensagem de final de ano a todos os funcionários.”

Canal mais adequado
Canal menos adequado
Direção da comunicação
Análise do canal mais adequado

Considerações finais
A comunicação organizacional é o somatório de todas as atividades de comunicação de uma empresa.

A escolha de um meio de comunicação depende do público que eu quero comunicar e do conteúdo da mensagem a ser passada.

A comunicação em uma empresa assume diferentes formas (ou direções): de cima para baixo, de baixo para cima e horizontal.


3º encontro
Continuando a comunicação
Comunicação é o
ato
de compartilhar informações entre
duas ou mais pessoas
, com a finalidade de persuadir ou de obter um entendimento comum a respeito de um assunto ou de uma situação.

Informação?
Informar é um
ato unilateral
, que apenas envolve a pessoa que tem uma informação a dar. É apenas transmitir a informação,
sem saber se o receptor recebeu de forma correta e se ele entendeu

Exercício de análise de comunicação não verbal
Como funciona o processo de comunicação por completo?
Emissor
Codificação da Mensagem
Decodificação da mensagem



Receptor
O que pode alterar a comunicação?
Ruídos

Ambiente
Mensagem Enviada
Canal de comunicação
Momento teoria
Emissor
Inicia a comunicação
Transmite a mensagem codificada ao receptor;
O que o motiva: informações, necessidades ou desejos e o propósito de comunicá-los a uma ou mais pessoas.

Receptor
É quem recebe, decodifica e interpreta a mensagem enviada;
Em uma comunicação pode existir diversos receptores

Mensagem
É o objeto da comunicação
. É constituída de um conjunto organizado de sinais (ou signos) pertencentes a um
código linguístico ou não;
A mensagem pode ter qualquer forma que possa ser captada e compreendida por um ou mais sentidos do receptor.

Código
É o conjunto de sinais (ou signos)
linguísticos ou não
, comuns tanto ao emissor como ao receptor, e das regras de utilização desse conjunto;

Codificação
É a conversão de uma ideia ou de uma informação em mensagem e desta em código
Continuando com a teoria...
Canal de Comunicação
É o meio
(oral, escrito, visual ou corporal) por meio do qual a mensagem é transmitida e que serve de suporte físico á transmissão da mensagem;

Descodificação
Consiste na percepção e interpretação, por parte do receptor, do significado da mensagem recebida
Resposta ou Feedback
É a reação do receptor ao ato de comunicação e permite que o emissor saiba se sua mensagem foi ou não compreendida pelo receptor;

Ambiente
É o contexto no qual as mensagens são transmitidas e recebidas
Exercício prático
Código
Codificação
Canal de comunicação
Decodificação
Emissor
Receptor
Ruídos
É tudo aquilo que interfere na comunicação, ocasionando perda de informação durante a transmissão da mensagem.

Motivos dos ruídos
O emissor ou o receptor (mal estar físico, psicológico etc.)

O ambiente (excesso de barulho, falta de luminosidade etc.)

A mensagem (velocidade da fala, uso de jargão ou gíria profissional diante de uma plateia mista etc.).

TOMASI, Carolina; MEDEIROS, João Bosco; Comunicação Empresarial. São Paulo: Atlas, 2010. (Capítulo 1)

TERCIOTTI, Sandra Helena; MACARENCO, Isabel. Comunicação Empresarial na Prática. São Paulo: Saraiva, 2009. (Capítulo 1)

BERLO, David Kenneth. O processo da comunicação: introdução à teoria e a pratica. 9. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. (Capítulo 1)

Aula prática
O que a aula passada nos mostrou?
Hospitalidade?
Carisma? / Apatia?
O que faremos hoje?
Comunicação Organizacional por canais de comunicação
E-mail
Telefone
Memorando
Carta
Orçamento
Como podemos seguir um padrão?
Organização de sete grupos
Selecionar um dos sete textos
Organizar um ato organizacional recente que seja vinculado ao texto escolhido
Organizar uma ação que o grupo acredita estar vinculado ao texto (representação)
Organizar um discurso - Porta Voz - da opinião do grupo em como minimizar os efeitos em um profissional do tema apresentado.
Para que serve o Porta Voz da empresa?
Vejamos como funcionará o exercício
Para quem se fala?
O que é público para empresa?
O agrupamento espontâneo de pessoas adultas e/ou de
grupos sociais organizados
, com ou sem contiguidade física, com
abundância de informações
, analisando uma controvérsia, com atitudes e opiniões múltiplas quanto à solução ou medidas a serem tomadas perante ela, com ampla oportunidade de discussão, e acompanhando ou participando do debate geral por meio da integração pessoal ou dos veículos de comunicação, à procura de uma atitude comum, expressa em uma decisão ou opinião coletiva, que permitirá a ação conjugada (Andrade, 1989, p. 41)

Quem são esses públicos?
Públicos essenciais
Públicos constitutivos da organização
Públicos não constitutivos ou de sustentação
Primários
Secundários
Públicos não essenciais
Públicos de rede de interferência

Públicos Essenciais
A organização
deles
depende
para sua constituição, manutenção de sua estrutura, sobrevivência e execução das atividades-fim.

Nível de dependência situacional
, variará de acordo com a natureza e os interesses de cada organização.

Públicos essenciais - Constitutivos da organização

Garantem a existência
, manutenção, sobrevivência da organização, oferecendo todos os recursos para sua constituição e operação.

São os empreendedores que criam e correm o risco do negócio ou o autorizam: investidores, sócios, presidentes, diretores, governo

Públicos essenciais – Não-constitutivos ou de sustentação

São imprescindíveis
; não interferem diretamente na constituição da empresa, mas na sua viabilização, enquanto colaboram para a execução das atividades-fim.

São formados pelos empregados, fornecedores, clientes, revendedores, sócios de clube, alunos de instituições particulares

Conjunto abstrato de pessoas com interesses comuns entre si e referentes à organização
Publico
Públicos essenciais – Não-constitutivos ou de sustentação - Primários

A empresa depende deles para a viabilização do seu empreendimento
: gozam de maior estabilidade na relação com a empresa por estarem envolvidos com ela de modo legal e permanente.

São formados por: fornecedores de matéria-prima, insumos básicos, colaboradores diretos

Públicos essenciais – Não-constitutivos ou de sustentação – Secundários

Secundários: contribuem para a viabilização da empresa em nível de menor envolvimento e participação; estabilidade menor em relação à empresa.

São formados por: fornecedores de produtos não essenciais, empregados terceirizados, temporários.

Públicos não-essenciais ou especiais:

Não participam das atividades-fim; não ligados a fatores produtivos, mas à prestação de serviços, à intermediação política ou social. Atuam externamente na promoção institucional ou mercadológica da empresa ou intermediando relacionamentos com entidades organizadas e com a comunidade.

Públicos não-essenciais ou especiais: De consultoria e promoção

Representados por empresas externas prestadoras de serviços; oferecem colaboração qualificada.

Exemplos: agências de relações públicas, de propaganda, consultorias

Públicos não-essenciais ou especiais: Setoriais associativos

Representados por associações de classe e de categorias empresariais. As empresas filiadas têm diferente nível de envolvimento e participação, mas há sempre laços legais que garantem a representatividade das associações.

Exemplos: associações de classe, setoriais, patronais, comerciais, conselhos profissionais etc.

Públicos não-essenciais ou especiais: Setoriais sindicais

São os sindicatos patronais e de trabalhadores. São diversos em suas finalidades, mas ambos defendem interesses classistas.

Públicos não-essenciais ou especiais: Setoriais comunitários

Existem na comunidade múltiplos públicos. Devem ser considerados dentro do sistema administrativo-jurídico-político da comunidade;
poderes: executivo, legislativo, judiciário; demais organizações e associações da comunidade
Públicos de redes de interferência
Representam públicos especiais do cenário externo às empresas
; pelo seu poder operacional ou representativo podem exercer fortes influências no desempenho das organizações e no seu conceito público.

Públicos de redes de interferência: Rede de concorrentes

Representam qualquer tipo de organização que oferece ao mercado produtos e serviços similares aos de outras organizações
. A concorrência pode ser direta, indireta, com características locais, regionais, nacionais e internacionais.

Públicos de redes de interferência: Rede de comunicação de massa

As redes de comunicação centralizadas na mídia de massa, em particular na
imprensa
, representam permanentes ameaças a qualquer organização. Público especial, de características exclusivas; pode interferir na legitimação ou não das organizações pelo seu alto poder de persuasão.

Grupos de Pressão
Influência dos públicos (stakeholders)
Adormecido
. Tem poder para impor sua vontade na organização, porém não tem legitimidade ou urgência e, assim, seu poder fica em desuso, tendo pouca ou nenhuma interação com a empresa. A empresa deve conhecer esse stakeholder para monitorar seu potencial em conseguir um segundo atributo.

Arbitrário
.
Possui legitimidade
, mas não tem poder de influenciar a empresa nem alega urgência. A atenção que deve ser dada a essa parte interessada diz respeito à
responsabilidade social corporativa, pois tende a ser mais receptiva.
Mitchell et al. (1997) sugerem que a
interferência dos stakeholders
em uma organização se dá por mediação de três atributos:
poder, legitimidade e urgência

Reivindicador
: Quando o atributo mais importante na administração do stakeholder for urgência, ele é reivindicador. Sem poder e sem legitimidade, não deve atrapalhar tanto a empresa; porém deve ser monitorado quanto ao potencial de obter um segundo atributo.
Dominante
: Tem sua influência na empresa assegurada pelo poder e pela legitimidade. Espera e recebe muita atenção da empresa.

Perigoso
. Quando há poder e urgência, porém não existe a legitimidade. É um stakeholder coercitivo e possivelmente violento para a organização, o que pode ser um perigo, literalmente.

Dependente
: Apresenta urgência e legitimidade, mas depende do poder de um outro stakeholder para ver suas reivindicações sendo levadas em consideração.

Influência dos públicos (stakeholders)
Por que estudar isso?
A precisão do conhecimento do público a ser trabalhado cria a possibilidade de comunicação direta e eficaz com ele pelo atendimento de suas expectativas em relação à empresa
Definitivo
: possui poder e legitimidade. Quando, além disso, alega urgência, deve-se dar atenção imediata e priorizada a esse stakeholder.
Full transcript