Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Capítulo V - Três visões sobre o processo educacional no séc

No description
by

Juliana Gomes

on 29 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Capítulo V - Três visões sobre o processo educacional no séc

Capítulo V - Três visões sobre o processo educacional no século XX

design by Dóri Sirály for Prezi
Objetivo de demonstrar o peso do "sistema" sobre as práticas educacionais.

Capital econômico:
Renda/sálario, imoveis adquiridos, consumo;
Capital cultural:
Saberes reconhecidos por diplomas e títulos;
Capital Social:
rede de relações interpessoais estabelecidas, grupos sociais valorizados;
Capital Simbólico:
Prestigio adquirido
Bourdieu e os esquemas reprodutores
Análise weberiana da proposta de um modelo educacional que incorpore as diferentes pedagogias que Weber identifica.
Karl Mannheim
Capitais, violência simbólica e a escola
Se é tão importante assim o convencimento das pessoas na sociedade, dentro da luta politica, não basta apenas eliminar a exploração econômica de uma classe sobre a outra, eliminar a apropriação privada dos meios de produção da riqueza, como demonstrara Marx no século anterior. É preciso também lutar contra a
apropriação privada, ou elitista, do saber e da cultura. Com isso, diz ele, a meta seria acabar com a divisão entre "intelectuais" e "pessoas simples". E isso é fundamental porque apenas aquele que é tido como intelectual ocupa os postos da administração do Estado, da vida política e social em geral, e portanto concentra mais poder. p. 90
É preciso conquistar a consciência das pessoas. (...) "ganhar a batalha das idéias. p. 89
(...) na luta pelo poder, há obviamente os que desejam manter a hegemonia atual e os que desejam uma nova hegemonia. Esses grupos representam, é claro, as diferentes classes.
É preciso mais convencimento do que força, é preciso ser hegemônico.
Antônio Gramsci
A partir do marxismo, nos ajuda a pensar as caracteristicas da luta pelo poder nas sociedades contemporaneas e, também, o quanto a educação está relacionada a essa luta.
A reprodução
Violência simbolica (p. 86)
Campo
Capital
Habitus (p. 87)
Regenerar de quê?
Regenerar a sociedade e o homem dos efeitos perversos que vêm embutidos no processo de racionalização detectado por weber. Mannheim vê como luz no fim do túnel a possibilidade de valer-se da compreensão dos diferentes tipos históricos de educação, construidos por Weber, para a montagem de uma pedagogia que dê conta de educar o homem moderno sem arrancar-lhe as possibilidades oferecidas por uma formação mais integral. p. 97
No plano das suas próprias convicções pessoais, ele defendia uma sociedade que fosse essencialmente democrática, uma democracia de bem-estar social dirigida pelo planejamento racional e governada por cientistas.
Estruturalismo + teoria durkheimiana = individuos em sua ação reproduzem orientações determinadas pela estrutura social vigente.
"Marionetes das estruturas dominantes" (p. 84-85)

Livros: Os herdeiros (p. 85) e A reprodução
Impõe o reconhecimento e a legitimidade de uma única forma de cultura, inferiorizando outras formas.
Pequenos grupos da atividade humana em que ocorrem conflitos devido ao poder simbolico

Capital economico; Capital cultural; Capital social e Capital simbolico

Conjunto dos capitais
Violência simbólica
Escola
Imposto o que representa a maioria ou mesmo o que se defende como "verdade"
Reprodução
(...) para obter poder, as classes ou grupos politicos revolucionários não podem fazer uma politica apenas de insurreição ou de luta golpista contra o Estado.
É preciso uma revolução no cotidiano
. p. 89
Luta pelo poder político nas sociedades complexas - Disputa da Hegemonia
INTELECTUAIS
Intelectual orgânico/
Intelectual tradicional
A cada um desses agrupamentos de classes e frações de classe em torno de interesses históricos determinados Gramsci chama de bloco ou "bloco histórico".
Intelectual orgânico

Intelectual orgânico
Surge em ligação direta com os interesses da classe que ascende ao poder. (...) A burguesia, as classes dominantes em geral, possuem seus intelectuais orgânicos, cuja função é fazer com que todos pensem com a cabeça da classe dominante, inclusive e principalmente os dominados. p. 91
Do mesmo modo, os dominados, a classe trabalhadora, possuem seus intelectuais, cujo objetivo é desenvolver a concepção de uma contra-hegemonia.
Intelectual tradicional
Uma classe de intelectuais que, em épocas passadas, foram intelectuais orgânicos das classes que eram então dominantes. O exemplo clássico deste tipo é o clero, pois os padres deram coerência e organicidade à dominação da nobreza aristocrática, na época do feudalismo. p. 92
A função dos dois tipos de intelectual, portanto, é a de ser um instrumento de construção e consolidação de uma vontade coletiva, de um consenso social em torno das ideias por eles veiculadas, das concepções de mundo do bloco histórico (...)
De onde vêm os intelectuais ?
Sim, é claro, o intelectual é formado na
escola
. Quer dizer, para vir a ser um dia um intelectual orgânico ou um intelectual tradicional, e desempenhar funções de organização da cultura, o individuo precisa passar por uma formação escolar que lhe dê acesso especial a esta cultura.
Escola humanista X Escola especializada
Politica educacional -
Uma nova escola
Escola unitária - Corresponderia aos níveis do Ensino Fundamental e do Médio, com carater formativo, desenvolvendo a capacidade de trabalhar manualmente e a capacidade de trabalho intelectual.
Escola única intermediada por orientação profissional - Aluno passaria a uma escola especializada para trabalho produtivo.
Escola de qualidade pública - garantia de acesso de todas as classes, sem que os interesses econômicos interferissem.

Pedagogias do cultivo e do treinamento
Para Mannheim (...) nem os objetivos do processo educacional nem as metas que ele visa podem ser concebidos sem a consideração do contexto social, pois eles são socialmente orientados.
Quem ensina quem? Para qual sociedade? Quando e como ensina?
"Queremos compreender nosso tempo, as dificuldades desta Era e como a educação sadia pode contribuir para a regeneração da sociedade e do homem". Mannheim
E o que seria essa "educação sadia"?
A principal contribuição de todas as que a moderna democracia é capaz de oferecer é a possibilidade de que todas as camadas sociais venham a contribuir com o processo educacional. E a sociologia é a disciplina, em sua visão, capaz de fazer a síntese dessas contribuições. Por isso é tão importante, para ele, que a sociologia sirva de base à pedagogia. p. 98
Em suma, Mannheim era um homem de seu tempo, em busca de um programa de estudos em sociologia da educação que possibilitasse a formulação de projetos educacionais que ampliassem o horizonte do homem, que superasse as divisões em blocos políticos e ideológicos, que não o satisfaziam. p. 98-99.
Full transcript