Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

SERGEI EISENSTEIN

Trabalho Academico - Multimidia - Professor Fabio
by

Carlos Mendonça

on 28 April 2010

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of SERGEI EISENSTEIN

Double click anywhere & add an idea SERGEI EISENSTEIN Mikhailovitch Eisenstein nasceu no dia 23 de janeiro de 1898, em Riga na Letônia, mas sua família mudava-se com frequência nos seus primeiros anos, como Eisenstein continuou a fazer ao longo de sua vida. O pai de Eisenstein, Mikhail Osipovich Eisenstein, era descendente de judeus-alemães e suecos e sua mãe, Julia Ivanovna Konetskaya, era de uma família russa ortodoxa. Ele nasceu em uma família de classe média. Seu pai era um arquiteto e sua mãe era filha de um próspero comerciante. Julia deixou Riga no ano da Revolução de 1905, levando Sergei com ela para São Petersburgo. Sergei voltaria às vezes para ver seu pai, que mais tarde mudou-se para se juntar a eles por volta de 1910. O divórcio seguiu-se esse tempo de separação, com Julia abandonando a família para morar na França No Instituto de Engenharia Civil de Petrogrado, Sergei estudou arquitetura e engenharia, a profissão de seu pai. No entanto, na escola, junto com seus colegas, Sergei se juntaria aos militares para servir a revolução, o que o separaria de seu pai. Em 1918 Sergei juntou-se ao Exército Vermelho, enquanto seu pai Mikhail apoiava o lado oposto. Isso levou seu pai para a Alemanha após a derrota, enquanto Sergei foi a Petrogrado, Vologda e Dvinsk. Em 1920, Sergei foi transferido para uma posição de comando em Minsk, após providenciar uma exitosa propaganda para a Revolução de Outubro. Nesta época, Sergei estudou japonês, aprendeu cerca de trezentos caracteres kanji que ele citava como uma influência no seu desenvolvimento pictórico, e ganhou uma exposição no teatro Kabuki; esses estudos levaram-no a viajar para o Japão Em 1920 Eisenstein mudou-se para Moscou e começou sua carreira no teatro trabalhando em Proletkult. Suas produções receberam os títulos Máscaras de Gás, Ouça Moscou e Estupidez Suficiente em cada Homem Sábio, Eisenstein trabalharia então como designer de Vsevolod Meyerhold. Em 1923, Eisenstein começou sua carreira como um teórico, escrevendo A Montagem das Atrações para o jornal LEF. O primeiro filme de Eisenstein, O Diário de Glumov, também foi feito no mesmo ano com Dziga Vertov contratado inicialmente como um "instrutor". O filme fez parte da sua produção teatral O Homem Sábio. O Diário de Glumov - 1923 Eisenstein teve constantes atritos com o regime de Josef Stalin, devido à sua visão do Comunismo e à sua defesa da liberdade de expressão artística e da independência dos artistas em relação aos governantes, posição que era perseguida num país no qual a indústria cinematográfica sofria com a falta de recursos para se nacionalizar Com 26 anos fez “A greve”, mostrando que arte e política podiam andar juntas. Com 27, deu ao mundo “O Encouraçado Potemkin”, obra que é considerada, juntamente com "Cidadão Kane", de Orson Welles, das mais importantes na história do cinema. O Encouraçado Potemkin -1925 O filme se passa em 1905, na Rússia czarista, onde aconteceu um levante que pressagiou a Revolução de 1917. Tudo começa no navio de guerra Potemkin quando os marinheiros estavam cansados de serem maltratados, sendo que até carne estragada lhes era dada com o médico de bordo insistindo que ela era perfeitamente comestível.
Alguns marinheiros se recusam em comer esta carne, então os oficiais do navio ordenam a execução deles. A tensão aumenta e, gradativamente, a situação sai cada vez mais do controle. Logo depois dos gatilhos serem apertados Vakulinchuk (Aleksandr Antonov), um marinheiro, grita para os soldados e pede para eles pensarem e decidirem se estão com os oficiais ou com os marinheiros. Os soldados hesitam e então abaixam suas armas. Louco de ódio, um oficial tenta agarrar um dos rifles e provoca uma revolta no navio, na qual o marinheiro é morto. Mas isto seria apenas o início de uma grande tragédia.

Graças ao sucesso extraordinário do “O Encouraçado Potemkin”, Eisenstein foi chamado pela MGM e embarcou para os Estados Unidos. Só que seus projetos não decolavam, apesar de ter amigos poderosos como Chaplin e Flaherty. Eisenstein resolveu então afastar-se de Hollywood e fazer “Que Viva México”, uma obra ambiciosa sobre a história de um país e sua cultura. Infelizmente, as filmagens foram interrompidas por problemas financeiros Charles Chaplin e Robert Flaherty Cena do filme "que viva méxico" - 1931 uma cena marcante e muito bem concebida deste filme foi "copiada", 62 anos depois, por Brian de Palma no filme "Os Intocáveis" de 1987. Desolado, o cineasta voltou para seu país, mas nem a imprensa o perdoava por seu afastamento e pelo seu curto idílio capitalista. Quando sua carreira parecia perdida, entretanto, recebeu a ordem de filmar “Alexandre Nevski”, como uma peça de propaganda anti-germânica. E, assim como já fizera no “Potemkin”, Eisenstein construiu uma obra-prima que está acima da ideologia Com o prestígio recuperado, Eisenstein começou “Ivã, o Terrível”, que deveria três partes. Mas então começou a II Guerra, e tudo se complicou. A primeira parte foi concluída, mas a segunda, que teria seqüências em cores, novamente caiu no desagrado de Stálin, que queria um herói indômito, vigoroso, monolítico, e não um ser humano de verdade, como Eisenstein planejava construir. O cineasta morreu de ataque cardíaco em Moscou, no dia 11 de fevereiro de 1948, em desgraça com o regime soviético, mas já consagrado no mundo todo. Logo depois de "Potenkim", Eisenstein fez “Outubro”, menos narrativo, demonstrando sua “Teoria da Montagem de Atrações”, conhecida como montagem intelectual ou dialéctica, até hoje modelo para filmes experimentais e trabalhos de vídeo-arte. Filmografia 1923 - Dnevnik Glumova (O Diário de Govou)
1924 - Statchka (A Greve)
1925 - Bronenosets Potiomkin (O Encouraçado Potemkim)
1927 - Oktiabr (Outubro)
1928 - Gueneralnaia Linnia (A Linha Geral)
1929 - Sturm uber la sarraz - curta metragem
1930 - Romance sentimentale - curta metragem
1931 - Da Zdravstvuiet, Meksika! (Que Viva México!) - Inacabado
1935 - Bejin Lug (O Prado de Bejin) - Inacabado
1938 - Aleksandr Nevski
1939 - Ferghana canal
1943 - Seeds of freedom
1944 - Ivan Groznii I (Ivan, o Terrível - Parte I)
1945 - Ivan Groznii II (Ivan, o Terrível - Parte II)





CArlos eduardo mendonça r.a.5173274 Relacionado ao movimento de arte de vanguarda russa, participou ativamente da Revolução de 1917 e da consolidação do cinema como meio de expressão artística.
Notabilizou-se por seus filmes mudos Strike, O Couraçado Potemkin e Outubro: Dez Dias que Abalaram o Mundo, assim como os épicos históricos Alexander Nevsky e Ivan, o Terrível. Sua obra influenciou fortemente os primeiros cineastas devido ao seu uso inovador de escritos sobre montagem.
Full transcript