Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Imunossenescência

No description
by

Luiz Felipe Libonati

on 7 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Imunossenescência

Imunossenescência
Grupo
:

Clara de Andrade
Dênis de Souza
Dimas de Melo
Gabriela Farias
Gisele Mariel
Indira Maria
Karol Paes
Luiz Felipe
Victor Hugo

Introdução
O envelhecimento, hoje, faz parte da maioria das sociedades

Idoso: 60 anos ou mais, para os países em desenvolvimento; 65 anos ou mais, para os países desenvolvidos (OMS)

Aumento rápido do número de idosos -> aumento do número de doenças relacionadas à idade

Algumas alterações do processo de senescencia podem ser minimizados pela assimilação de um estilo de vida mais ativo
Envelhecimento


processo natural de diminuição da reserva funcional do organismo (senescencia)


Limitações


condições de sobrecarga


condições patológicas (senilidade)
"Denomina-se imunossenescencia o envelhecimento imunológico que está associado ao progressivo declínio da função imunológica e consequente aumento da suscetibilidade a infecções, doenças autoimunes e câncer, além de redução da resposta vacinal."
A imunossenescencia afeta diferentes tipos celulares na medula óssea, o timo, os linfócitos maduros presentes no sangue periférico e nos órgãos linfoides secundários, além dos elementos da resposta imune inata, embora estes estejam mais preservados
Envelhecimento -> inflamm-aging -> aumento de 2 a 4 vezes dos níveis séricos de mediadores inflamatórios
Alterações do compartimento de células-tronco hematopoiéticas e células progenitoras linfoides
Tecido Hematopoiético
Duas linhagens: células-tronco mielóides e células-tronco linfoides

Mielóides

Eritrócitos, plaquetas, granulócitos (neutrófilos, eosinófilos, basófilos), mastócitos e os monócitos

Linfóides
LinfócitosT e B Células NK
Com o avançar da idade, a capacidade geral para renovação das células-tronco e a quantidade total de tecido hematopoiético na medula óssea diminui;

Desvio para progenitores mieloides à custa de progenitores linfoides;

Alterações relacionadas à idade não afetam progenitores eritroides e mieloides;

Encurtamento da Telomerase -> menor capacidade de proliferação das células-tronco

Conclusão
Imunossenscência
infecções, doenças autoimunes, câncer
Modifica
Um estilo de vida saudável ajuda a amenizar os danos desse processo
resposta a vacinas
Importante para a melhoria da qualidade de vida
Ressaltando a importância de uma alimentação balanceada e da prática de exercícios
Células-tronco, a imunidade inata e a adaptativa
OBRIGADO!
Referências
Alterações da imunidade inata
Conhecendo:

Maneira rápida e inespecífica
Mostra alterações com a idade

Células:
NK
NKT
Fagócitos
DCs

Células polimorfonucleares (PMN) neutrofilicas
Peça chave no sistema imunológico
Fungos e bactérias
Geração de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio

Alterações com a idade:

Fagocitose e burst oxidativo

OBS1
: não existe uma redução do número de neutrófilos com o envelhecimento, apenas redução de sua atividade

OBS2
: número de NK aumenta com a idade, mas as quimiocinas diminuem.

Monócitos
Originam: Macrófagos e DCs

Numero de monócitos aumenta com a idade, mas há diminuição da formação de macrófagos.

Diminuição de receptores toll-like (TLRs) (Reconhecimento dos componentes microbianos pelos TLRs ativa a via de transdução que culmina com a elaboração da resposta citocinas pró-inflamatórias e ativação de IFN-1)

Desregulação de TLRs com a idade

Diminui a sinalização celular

Células Dendríticas (DCs)
Principais células apresentadoras de antígenos

Essenciais para a formação de células produtoras de anticorpos nos centros germinativos dos órgãos linfoides

Alterações em moléculas co-estimuladoras em idosos doentes

- Embora não haja diminuição do numero total de linfócitos, a representação de várias células estão alteradas, no compartimento LTs principalmente.

- LTs naive , LTs de memória

- Contagem absoluta de células CD4 e CD8
- Senescência replicativa -> número limitado de replicações do linfócito T.

- CD8 – senescência associada à resistência à apoptose.

- Alteração da produção de citocinas. As da LTs são essenciais para a comunicação entre células e a função imune.
- Linfócito T -> TNF-A e IL-6 -> fragilidade do idoso.

- CD8 -> anti-viral IFN-γ -> função citotóxica.

- Senescência replicativa de LTs -> perda completa e irreversível da expressão da principal molécula de sinalização, o CD28. -> ativação, proliferação e estabilização dos níveis de RNA mensageiro de várias citocinas
Inflamação e exposição antigênica crônica
Os leucócitos de indivíduos idosos produzem TNF em maior concentração, após indução com lipopolissacarideos (LPS);

Manutenção da vigilância imunológica contra patógenos persistentes ou estressores endógenos --> Processo inflamatório crônico de baixo grau;

A família de patógenos que está mais ligada à expansão de LTs nos idosos é a herpesviridae, sendo os principais, herpes simples (HSV), Epstein-Barr (EBV) e citomegalovirus (CMV)
CMV: herpes vírus geneticamente estável e universal, infecta de 60 a 100% da população humana e estabelece uma longa permanência no hospedeiro;

Dados científicos mostram que a infecção crônica por CMV pode acelerar o envelhecimento do sistema imunológico e pode levar a níveis altos de inflamação subclínica crônica;

Mudança na distribuição dos subtipos de LTs com um declínio na população de LT naïve e um aumento nos LTs efetores;
PERINI, S.; CILLA, L.; ANDRADE, F. A telomerase em células-tronco hematopoéticas. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. vol.30 no.1. São José do Rio Preto, 2008.
ALTERAÇÕES NA IMUNIDADE ADAPTATIVA
Linfócitos T e B
medula
passagem dos progenitores linfocíticos para linfócitos
os compartimentos dos LBs e LTs são afetados pelo envelhecimento
A perda de LBs naïve representa a marca da imunossenescência

-a qualidade da reposta imune humoral vai declinando

- respostas de anticorpos reduzem

- diminuição da produção de anticorpos de alta afinidade

- aumento de anergia no idoso

- diminuição nos níveis de IgM e IgD na superfície celular sugere uma mudança do compartimento de LB naïve para o compartimento de LB de memória
Em relação aos LBs, a qualidade da resposta dos anticorpos é substancialmente prejudicada.

- falta de auxílio pelas células T

- involução do timo com a idade

- funções T-independentes das células B

- células do estroma da medula óssea

- células dendríticas foliculares
AGONDI, R.C.; RIZZO, L.V.; KALIL, J.; MYRTHES, T.B. Imunossenescência. Revista Brasileira de Alergia e Imunologia. 2012.
MOTA, S.M.Q.; PORTO, D.B. Imunossenescência: alterações imunológicas no idoso. 2009.
- Linfócitos TCD8 -> perdem a habilidade de ativar a telomerase.

- Perda da expressão da telomerase e de CD28 leva ao encurtamento progressivo do telômero e a diminuição da divisão celular
Full transcript