Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Embriologia do Sistema Cardiovascular

No description
by

Victória Goulart

on 8 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Embriologia do Sistema Cardiovascular

Desenvolvimento do sistema condutor do coração
Os Arcos Aórticos
Ao se desenvolverem durante a quarta semana, os arcos branquiais ou faríngeos recebem artérias do coração.
Ao longo do desenvolvimento, os arcos aórticos ajudam na formação de vários vasos sanguíneos.
Embora sejam seis os pares de arcos aórticos, eles
não estão presentes todos ao mesmo tempo.
Ex.: quando o sexto par de arcos aórticos se forma, os dois primeiros já desapareceram.
A Circulação Pós-natal
Desenvolvimento inicial do coração
Fusão de tubos endocárdicos formando um único tubo cardíaco.
Com a fusão dos tubos cardíacos endoteliais, o mesoderma que envolve o celoma pericárdico forma uma camada externa do coração embrionário.
Esta camada representa o miocárdio primitivo.
O tubo cardíaco é separado do tubo do miocárdio pela geléia cardíaca.
Três pares de veias drenam o coração tubular do embrião (vitelinas, umbilicais e cardinais).
O coração se alonga e forma dilatações e constrições alternadas: o tronco arterioso, o bulbo arterioso (ou bulbus cordis), o átrio, o ventrículo e o seio venoso.
O coração se curva sobre si mesmo, formando uma alça bulboventricular em "U".
A circulação primitiva
As contrações começam após 20/21 dias do embrião.
Os movimentos ocorrem em ondas peristálticas que têm inicio no seio venoso e forçam o sangue através do coração tubular.
O sangue primitivo forma-se na parede do saco vitelino durante a terceira semana e passa para o seio venoso do coração através das veias vitelinas.
O seio venoso também recebe sangue do córion pelas veias umbilicais (inicialmente são duas).
O sangue proveniente do córion contém nutrientes e oxigênio derivados do sangue da mãe.
Como o saco vitelino não contem vitelo, o embrião precisa obter sua nutrição e oxigênio da mãe através da placenta primitiva.
Introdução
"O Sistema Cardiovascular"
É o primeiro a entrar em funcionamento no embrião (final da 3ª semana).
Necessidade de
aquisição
de oxigênio e nutrientes, e de
excreção
de dióxido de carbono e outros produtos.
Embriologia do Sistema Cardiovascular
O sangue do coração primitivo é distribuído para os arcos braquiais vindo dos arcos aórticos, e, para o resto do embrião das aortas (inicialmente são duas) e seus ramos.
O sangue do coração primitivo também passa para o saco vitelino e para o córion via artérias vitelina e umbilical, respectivamente.
Depois de liberar oxigênio e nutrientes para os tecidos e órgãos e deles receber produtos de excreção, o sangue retorna ao coração pelas veias cardinais.
O sangue que passa do coração para a placenta primitiva (córion) libera os seus produtos de excreção para o sangue materno, dele recebendo nutrientes e oxigênio.
Este sangue bem oxigenado retorna ao coração pelas veias umbilicais.
Importantes ajustes circulatórios ocorrem ao nascimento quando cessa a circulação fetal do sangue pela placenta e os pulmões começam a funcionar.
O forame oval, o ducto arterioso, o ducto venoso e os vasos umbilicais
já não são mais necessários.
A oclusão da circulação placentária provoca uma queda imediata na pressão sanguínea da veia cava inferior e átrio direito.
O
tubo endotelial
transforma-se no revestimento endotelial interno do coração, o endocárdio.
O
miocárdio

primitivo
torna-se sua parede muscular, ou miocárdio.
O
epicárdio
ou pericárdio visceral é derivados das células mesoteliais que nascem da superfície externa do seio venoso e se espalham sobre o miocárdio.
Desenvolvimento final do coração
O coração primitivo tem um átrio e um ventrículo.
A divisão do canal atrioventricular, átrio e
ventrículo começam por volta da metade da quarta semana e esta completa ao final da quinta semana.
Embora sejam descritos separadamente, esses processos do desenvolvimento acontecem ao mesmo tempo.
Divisão do átrio primitivo
1º par e 2º par de arcos aórticos:
desaparecem.

3º par de arcos aórticos:
artérias carótidas comuns e junto com a aorta dorsal formam as artérias carótidas internas.

4º par de arcos aórticos:
o esquerdo forma parte da croça da aorta e o direito torna-se a porção proximal da artéria subclávia direita.

5º par de arcos aórticos:
não forma derivados.

6º par de arcos aórticos:
parte proximal da artéria pulmonar esquerda e ducto arterial(desvio arterial).
Full transcript