Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Psicologia do Esporte

No description
by

naiara oliveira matos

on 25 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Psicologia do Esporte

Psicologia do Esporte
AS ESPECIALIDADES DA PSICOLOGIA DO ESPORTE
Conclusion
O que é a psicologia do esporte? E em que consiste?
ORIENTAÇÃO DA PSICOLOGIA DO ESPORTE
O psicologo do esporte pode escolher entre muitas orientações diferentes no campo do esporte e do exercício e as três abordagens
predominantes: Psicofisiologia, Sociopsicologia, Cognitiva-Comportamental.
Psicofisiologia: é a melhor forma de estudo do comportamento durante o esporte ou exercício, examina os processos fisiológicos do cérebro e suas influências sobre o exercício fisíco, avaliam-se os batimentos cardiacos, atividades de ondas cerebrais e potência de ação muscular.

O sociopsicologia: é determinado por uma intervenção complexa pelo ambiente social, examina como ambiente social do indivíduo influência o seu comportamento e de que forma o comportamento influência do esporte e praticante de exercícios.
Cognitivo comportamental: enfatiza que o pensamento é central de determinação do comportamento, e pode desenvolver alguma medida para relatos pessoais, para a autoconfiança, para ansiedade, orientações ao objetivo é a visualização mental, acreditam que existem ligações do pensamento e com o comportamento.
A PSICOLOGIA DO ESPORTE NO MUNDO
A international Society of Sport Paychology (ISSP) foi estabelecida em 1965, para promover e disseminar informações sobre a psicologia do esporte em todo o mundo. A ISSP participou 8 congressos mundiais de psicologia do esporte. Nos congressos os temas foram focalizados na personalidade, no desempenho humano, no bem- estar exercícios, na aprendizagem motora e na psicologia do treinamento esses temas no congresso foram fundamentais para promover a consciência e o interesse na área.
A HISTÓRIA DA PSICOLOGIA DO ESPORTE
A psicologia do esporte não é um campo novo na área da Psicologia, ela existe a mais ou menos um século. Sua história começa nos EUA, e é dividido em cinco periodos que estão focalizadas juntamente com algumas personalidades e eventos específicos em cada período. Período 1: Os primeiros anos (1895-1965)
Período 2: A era Griffith (1921-1938)
Período 3: Preparação para o futuro (1939-1965)
Período 4: O estabelecimento da psicologia do esporte como disciplina acadêmica (1966-1977)
Período 5: Psicologia do esporte e do exercício conteporâneo (1970 até hoje)

A HISTORIA DA PSICOLOGIA NO BRASIL
O futebol e o ínicio da Psicologia do esporte no Brasil.
A psicologia do esporte, apesar de ter surgido a mais ou menos um século, aqui no Brasil ainda é uma novidade tanto por psicólogos, que só reconheceu como uma especialidade da psicologia em dezembro de 2000, como por profissionais do esporte (atletas, técnicos e dirigentes), que não têm noção de que maneira essa intervenção pode ajuda a aumentar o rendimento esportivo e superar situações adversas.
Seu grande marco se deu pela atuação de João Carvalhaes um profissional com experiência em psicométrica. A psicologia só foi reconhecida em 1962 como profissão, isso representou duas frente acadêmica e profissional.
O Clínico:
profissional capacitado para atuar com atletas e equipes esportivas, em clubes ou seleções, para desenvolver habilidades psicoloicas e para melhorar o seu desempenho nas competições, nos treinamentos e no dia a dia do indivíduo, cuja preparação específica envolve conhecimentos da área de psicologia e do esporte, não bastante apenas à formação em psicologia ou educação fisíca.
O pesquisador:
cujo objetivo é estudar ou desenvolver um determinado conhecimento na psicologia do esporte, sem que haja uma intervenção direta sobre o atleta ou equipe esportiva;
E o educador:
que desenvolve a disciplina psicologia do esporte na area academica seja na psicologia do esporte ou na educação fisíca.

Robert Singer (1988) aponta para outras possibilidades no campo de atuação profissional do psicologo do esporte, fornecendo os seguintes modelos:
O especialista em psicodiagnóstico:
faz uso de instrumentos para avaliar o potencial e deficiências em atletas;
O conselheiro:
profissional que atua apoiando e intevindo junto à atletas e comissão técnica no sentido de lidar com questões coletivas ou indivíduais do grupo;
O consultor:
busca avaliar estratégias e programas estabelecidos, otimizando o rendimento;
O cientista:
produz e transmite o conhecimento da e para à àrea;
O analista:
avalia as condições do treinamento esportivo, fazendo a intermediação entre atletas e comissão técnica;
O otimizador:
com base numa avaliação do evento esportivo busca organizar programas que aumentem o potencial de performance

É o estudo científico dos fatores psicologicos
que estão associados à participação e perfor-
mance nos esportes, exercícios e outros tipos de atividade fisíca. Os profissionais da psicologia do esporte estão interessados em dois objetivos principais:
Ajudar atletas a usar os princípios psicologicos para melhorar a performance.
Compreender como a participação em atividades fisícas, esportes, exercícios e jogos afeta o desenvolvimento psicologico, à saúde e o bem- estar ao longo da vida.
A pisicologia do esporte pode se aplicar em uma ampla parcela da população, alguns psicologos do esporte trabalham com atletas profissionais para atingir o desempenho máximo. Mais outros psicologos do esporte estão preocupados com as crianças, com indivíduos fisícos e mentalmente incapacitados, com idosos, e com praticantes normais.
Entrevista realizada com o psicologo Rodrigo Scialfa Falcão
Rodrigo Scialfa Falcão é Psicólogo formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestre em Esportes para Resolução de Conflitos pela Universitat Oberta da Catalunya / Unesco. Especialista em Psicologia do Esporte pelo Instituto Sedes Sapientiae. Psicólogo Clínico com especialização em Terapia Comportamental e Cognitiva pela USP (CRP – 06/80950).
Fundador do site: www.psicologianoesporte.com.br.

Qual a importância do psicólogo do esporte pra um jogador?
R.: Assim, como a preparação física, técnica e tática a preparação psicológica também é um dos pilares de importância para o bom desempenho de atletas.
Quais métodos o psicólogo do esporte utiliza com os seus pacientes?
R.: Depende da abordagem teórica que o psicólogo do esporte utiliza, mas todas são com
com o código de ética profissional.
Como fazer o paciente ter motivação após uma perda?
R.: Perder faz parte de qualquer modalidade esportiva, a motivação é algo muito mais complexo do que perder uma partida, porém, a motivação é individual e cada pessoa sente de maneira diferente e se motivação também de formas diferentes.
Quando um jogador é afastado por ter se machucado, como fazer para que ele não perca a confiança, motivação e a vontade de jogar?
R.: Não dá para não fazer com que ele não sentir a dor psicológica da lesão, o que podemos realizar é fortalecê-lo emocionalmente para que consiga passar por esse período com saúde mental equilibrada.
Fale um pouco mais sobre sua carreira:
R.: Atualmente sou coordenador de psicologia num projeto social que utiliza o rugby como ferramenta educativa em uma comunidade pobre de São Paulo, em Paraisópolis. Também atuo no Bradesco Esporte e educação com basquete feminino nas categorias sub 17 e 19 e finalmente no meu consultório particular.





Alguma insatisfação com sua área de atuação?
R.: Sim a remuneração não é como gostaria e também o desconhecimento de colegas de outras áreas do esporte.

Como você vê a psicologia do esporte?
R.: É um mercado emergente, no Brasil ainda pouco conhecido, porém, há muitos campos de atuação, tanto na prática quanto na parte acadêmica e teórica, mas, há pouca oferta de trabalho, mesmo com muita demanda.

Como é o mercado de trabalho pra um recém-formado em psicologia do esporte? É fácil encontrar um emprego? Como a sociedade trata um psicólogo do esporte por ser uma área não muito conhecida?
R.: É extremamente difícil a um recém-formado, é praticamente impossível se inserir no mercado, para tal é necessário fazer pós-graduação, com isso fica mais fácil.  Por ser uma área especifica é necessário que o psicólogo tenha uma formação diferenciada. A psicologia em geral é desconhecida da população, a psicologia do esporte mais ainda.

PERSONALIDADE E ESPORTE
A psicologia do esporte tem o objetivo de investigar um conjunto de elementos relevantes para o rendimento esportivo, e seus estudos envolvem temas de aprendizagem, habilidades motoras e variáveis da personalidade.
A melhor maneira de entender a personalidade é por meio de sua estrutura dividida em três níveis separados, porém relacionados:
Núcleo psicológico: nível mais básico, sendo o componente mais profundo que inclui as suas atitudes, valores, interesses, motivação e crenças. Basicamente, o núcleo psicológico representa a peça central da personalidade e o "eu real".
- Respostas típicas: é a forma como cada um aprende a ajustar- se ao ambiente ou geralmente como respondemos a ao mundo a nossa volta. Podendo ser uma pessoa otimista, tímida, equilibrada, frequentemente as respostas típicas são bons indicadores de um núcleo psicológico.
- Comportamento: relacionado ao desempenho de papéis age baseado na situação social. Esse comportamento é o aspecto mais variável de personalidade; o comportamento mudará à medida que mudam as percepções do ambiente. Você pode desempenhar papéis diferentes em várias situações.


Pra você conseguir chegar onde está agora ocorreu muita dificuldade?
R.: Com certeza, fiz pós-graduação, especialização e mestrado, trabalhei durante muito tempo como voluntário, até conseguir me inserir no mercado de trabalho, tive oportunidades para trabalhar com muitas modalidades diferentes e isso me ajudou bastante na formação.

O que você diria pra um estudante que pensa em se tornar um psicólogo do esporte?
R.: Continuar os estudos após a graduação será essencial, ter paciência e perseverança que com tempo e dedicação poderá se inserir no mercado de trabalho. Necessitamos de mais pessoas para que nossa área evolua, uma ciência só cresce e se desenvolve com pesquisa e aplicação do conhecimento, portanto, é necessário mais estudantes e profissionais gabaritados para isso.

ENTENDO OS AMBIENTES ESPORTIVOS E DO EXERCÍCIO
A competição tem sido definida como um processo social que ocorre quando recompensas são dadas as pessoas com base em seu desempenho em relação a outros competidores. Além disso, o componente de avaliação social da competição é visto como fundamental a esse processo, porque a cooperação sempre envolve um julgamento comparativo e os participantes são avaliados sobre quão bem eles se saíram.
A cooperação também é vista como um processo social por meio do qual o desempenho é avaliado e recompensado em termos das realizações coletivas de um grupo de pessoas que trabalham juntos para alcançar um objetivo em comum.
O processo de competição é constituído por quatro estágios que são:
1- Estágio competitivo objetivo;
2- Estágio competitivo subjetivo;
3- A resposta;
4- As consequências.

REFORÇOS E MOTIVAÇÃO INRÍNSECA
Existem duas abordagens básicas paras reforços de controle positivos e negativos:
Controle positivo: recomenda-se uma abordagem positiva, existem vários fatores que podem tornar o esforço mais afetivo, incluindo a escolha de comportamento apropriado e o desempenho como habilidades sociais e emocionais.
Controle negativo: a punição tem efeito negativo potências como criar medo de fracasso ou criar um ambiente de aprendizagem aversivo.

As recompensas extrínsecas têm o potencial de abalar a motivação da intrínseca como a teoria cognitiva demonstrou que a recompensa extrínseca pode aumentar ou diminuir a intrínseca dependendo de se a recompensa for mais informativa ou mais controladora.
Se você quer aumentar a motivação intrínseca de um participante o segredo é tornar as recompensas mais formais como usar elogios verbais e não verbais incentivar a tomar decisões mostras os objetivos.
O estado de influências contém muito elemento comum, mas um dos aspectos chaves é que há um equilíbrio entre percepção de capacidade de indivíduo com vários fatores como confiança, ativação ideal, atenção focalizada, ajuda de alcançar um estado de confiança, como atitude, autoridade. Distrações e falta de preparação podem impedir ou interromper o estado de influências.


GRUPO x EQUIPE
Entendendo processos de grupo
Grupo: junção aleatória de pessoas sem interação significativa entre elas

Equipe: envolvimento de pessoas com um objetivo em comum, com características peculiares como interdependência
Estágios para formação de uma equipe

Formação: começo do desenvolvimento da equipe

Agitação: fase conflitos

Normalização: estabilizam- se os papéis de cada atleta

Atuação: estágio final, onde ocorre a união de uma equipe
Estrutura ideal da equipe
Designação de papéis:
-Formal
-Informal
Normas:
-Regras de comportamento
-Freqüência
-Produtividade

Desempenho coletivo
Ivan Steiner
-Produtividade real= produtividade potencial- perdas devido a processos falhos
Efeito Ringelmann
-Grupos menores tem maior rendimento individual que grandes grupos de pessoas.

Ociosidade social
Fenômeno que psicólogos caracterizam por perda de motivação, pois indivíduo aplica menos que 100% de seu esforço.
-Efeito de abuso
-Estratégia de alocação
-O “carona”

Coesão
Processo dinâmico que se reflete na tendência de um grupo a unir-se e permanecer unido na busca de suas metas e objetivos (Carron)

Fatores que afetam o desenvolvimento de coesão em situações esportivas
Fatores ambientais: contrato com empresário ou clube, bolsa de estudos, patrocínio etc.
Fatores pessoais: motivação individual
Fatores de liderança: compatibilidade com o líder
Fatores de equipe: tempo de em que a equipe fica junta

O papel do líder

Existem 2 tipos de líderes:
-Orientados a tarefa
-Orientado ao relacionamento
Comunicação:
-Crítica construtiva
-Confrontação
Escuta de apoio:
-Ocorre quando o orador (atleta) expressa seus sentimentos de forma mais construtiva possível, sendo reafirmado pelo líder que sua atenção esta voltada para ele sendo empático e cauteloso.

Intervenções psicólogicas em atletas lesionados

1. Atletas lesionados
Maior causa das lesões em atletas de diferentes modalidades está relacionadas a movimentos muitos rapidos e repetitivos e na maioria das vezes por impactos muitos fortes.

2. Da lesão a reabilitacão - Processos de intervencões psicologicas

a. Ocorrência da lesão
b. Decisões quanto ao tratamento a ser feito
c. Retorno as atividades esportivas


3. Suporte Social
4. Principio de intervenções Psicologicas

a. Relaxamento = inibir tensões musculares
b. Visualização = visualização mental consiste em treinos de imaginação
c. Reconstruções Cognitivas = organizar processos de raciocinio
d. Dialogo interno = auto conversação estabelecer foco de atenção do atleta


Distúrbios alimentares e uso de drogas no esporte
Anorexia Nervosa: perda de peso abaixo do normal esperado, medo intenso de ganhar peso ou de se tornar obeso.
Bulimia : Um sentimento de falta de controle, consumo rápido de grandes quantidades de comida.
Normalmente o jejum, a restrição de líquidos, dietas excessivas, não comer em público, uso de laxantes entre outras formas são utilizadas para perca rápida de peso.

Critérios que podem levar ao distúrbio
- Pressão do técnico e torcida.
- Expectativa familiar
- Cobrança de si mesmo (atleta) em ser o melhor
- Medo da perca de uma partida (sede de competição)

Instrutores, Preparadores físicos e técnicos devem estar preparados para identificar indivíduos com transtornos alimentares. Tomar cuidado com comentários referente a perca ou ganho de peso com atletas pois nunca se sabe quando este comentário pode ser mal interpretado.
O mesmo cuidado deve ser tomado com atletas no qual já fez ou fazem uso de substancias ilegais no esporte. Alguns fatores como: melhorar o desempenho, aliviar o stress antes ou pós treino/competição são fatores que levam atletas ao uso das drogas.
Cabe ao psicólogo do esporte fazer um acompanhamento dos atletas visando um esclarecimento quanto ao perigo do uso de drogas, e a punição caso seja constatado o uso de drogas em uma exame de doping por exemplo, e também buscar formas de intervir na situação que o levou ao uso.
Psicólogo clínico do esporte tem em geral licença para praticar psicologia clínica em um determinado estado e são treinados para tratar vários transtornos mentais, incluindo alguns problemas relacionados ao esporte, como abuso de substância, distúrbios alimentares e depressão grave.
(Robert Weinberg e Daniel Gould 2001)

Introdução ao Treinamento de Habilidades Psicológicas (THP)

Tópicos tratados por psicólogos do esporte

Psicólogos educacionais do esporte

Estabelecimento de metas
Mentalização
Regulação da ativação
Concentração
Preparação mental

Psicólogos clínicos do esporte
Transtorno de personalidade
Distúrbios alimentares
Abuso de substância
Psicopatologia
Depressão/ansiedade grave

4 mitos em relação ao THP

É apenas para “atletas-problema”;
É apenas para atletas de elite ;
Fornece soluções rápidas;
Não é útil.

Lidar com estresse de competição
“Ansiedade cognitiva deve ser tratada com relaxamento mental, e a ansiedade somática deve ser tratada com relaxamento físico.” (Weinberg e Gould 2001)


Autoconfiança
Benefícios X Malefícios
Estabelecimento de metas

Metas são objetivos ou alvo de ações. Podendo ser subjetivas ou objetivas.
Principais tipos de metas:
desempenho (autocomparação para melhora);
processo (ações que levam a melhorar o desempenho);
resultado (vencer ou superar outros).
O importante é saber quando focar em cada tipo de meta e evitar focar toda a atenção só em metas de resultado.
Diretamente dirigem a atenção do realizador para elementos importantes da habilidade ou da tarefa.
Indiretamente provocam mudanças em fatores psicológicos importantes como: confiança, ansiedade e satisfação.


A desistência
Muito do que é discutido na psicologia do esporte é o porquê da desistência de muitos jovens no esporte, razão pela qual o psicólogo é indispensável. Segundo estudos existem vários motivos para a desistência por parte dos jovens dentre elas são:

A PSICOLOGIA DO ESPORTE NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A psicologia do esporte vem com o objetivo de melhorar o desenvolvimento psicológico e mental entre os praticantes que fazem alguma prática esportiva e atividade física.
Desde muito cedo as crianças conhecem o esporte como uma prática que lhes traz
diversão,
entretenimento,
por serem boas em um determinado esporte,
pela vontade de ficar em forma,
inclusão social,
além da possibilidade de interação com os amigos e novos amigos.
Através do esporte é possível ver que as crianças conseguem compreender formas de relacionarem-se com os outros colegas, trocando experiências, competindo e ajudando uns aos outros.
O esporte é uma área na vida das crianças, na qual, elas participam intensamente, o esporte que é mais popular entre as crianças é o futebol que entre os jovens é difundido desde pequeno, esse reconhecimento não se deve somente pelo fato de que a criança pode se socializar com outras crianças, mas por ser uma chance de carreira profissional.
1.2 A PSICOLOGIA DO ESPORTE NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
O esporte na maioria das vezes segundo a psicologia do desenvolvimento chega aos pés das crianças por volta dos 12 anos de idade e que é nessa idade e os períodos anteriores são os chamados momentos ''críticos'' no desenvolvimento infantil pela criança estar conhecendo a si mesma e estar sujeita as consequências que trarão no futuro para a sua autoestima. Por tanto toda experiência obtida no esporte poderá estimular efeitos sobre a vida da criança sua personalidade e o seu desenvolvimento psicológico.
- Ter outras coisas a fazer;
- Mudança de interesse;
- Não foi tão bom como queria que fosse;
- Não foi suficientemente divertido;
- Querer praticar outro esporte;
- Não gostava da pressão;
- Acreditava ser "tedioso";
- Não gostava do técnico ou professor;
- O treino ser muito duro;
- Não ser suficientemente prazeroso.

Um dos papeis cruciais do psicologo do esporte é avaliar os motivos pelos quais esse jovem desistiu do esporte especifico
Envolvimento dos pais
Algumas responsabilidades quanto aos pais que possuem filhos praticantes de esporte:
É preciso ter limites para a prática, não deixe que seu filho exceda suas condições emocionais e físicas.
Assegure-se que haja segurança em suas práticas.
Quando necessário corrija seu filho.
Não interfira nos treinamentos e nos jogos, isso é trabalho do profissional adulto em questão.
Alerte o técnico sobre o estado de saúde da criança se tem alguma por exemplo: alergia ou asma, e sobre tudo se possui alguma necessidade especial.
Assegure-se de que o técnico seja de confiança e qualificado para conduzir seu filho à vida esportiva.

AFILIAÇÃO
A psicóloga do esporte Maureen Weiss junto com outros colegas da área, fizeram um estudo com jovens de 8 a 16 anos, com o intuito de estudarem a amizade e as relações entre os pares no esporte. As mulheres são mais propensas a identificar apoio emocional como aspecto positivo. Foram encontrados alguns aspectos positivos e negativos:

Positivas:
Companhia (grupo de amigos/ou um amigo)
Associação de jogo agradável (por estar acompanhado)
Aumento da Autoestima (amigos influenciando dizendo coisas)
Ajuda e orientação (amigos auxiliando em alguma atividade em que tenha dificuldade sejam no esporte ou na escola)
Intimidade (sentimentalismo amigável, vínculos pessoais)
Lealdade (consideração de compromissos uns com os outros)

Coisas em comum (alguns interesses em comum)
Qualidades pessoais atraentes (quando se espelha com ao amigo em suas características positivas, seja personalidade ou fisicamente)
Apoio emocional (preocupação com o próximo)
Ausência de conflito (quando todos se dão bem e não há discussões e nem brigas)
Resolução (este outro é quando os amigos)

Negativas:
Conflito (discussões, insultos verbais e discordâncias)
Qualidades pessoais não-atraentes (características comportamentais ou de personalidade indesejáveis como ser egoísta)
Traição (falta de caráter e lealdade por parte do amigo)
Inacessibilidade (falta de oportunidade de interagir uns com os outros)
Full transcript