Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Os filhos da droga

No description
by

Sandra Oliveira

on 4 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Os filhos da droga

Citações Importantes
Apresentação oral
de Português

(cc) photo by Metro Centric on Flickr
(cc) photo by Franco Folini on Flickr
Título:
Os Filhos da Droga
Autor:
Christiane Vera Felscherinow
Género Literário:
Texto Narrativo
Tema:
História Verídica sobre a Droga
Resumo
“ – Ouve, acabou-se o cheirar heroína! Desta vez vou-me picar,”
“… as coisas não podiam continuar assim e propôs que fizéssemos prostituição juntos.”
“o viciado continua a drogar-se unicamente para evitar os cruéis sintomas da carência da droga.”
Informações Biográficas sobre a autora:

Christiane F., nasceu em Hamburgo a 20 de maio de 1962, é uma alemã viciada em heroína, que se tornou conhecida por ter escrito o livro biográfico "os filhos da droga" e que descreve a sua luta contra o vício durante a adolescência.
Curiosidades
A maioria dos amigos de Christiane morreu vítima de heroína. Os mais "destacados" foram a sua amiga Babsi com 14 anos, porque foi a mais jovem vítima da heroína na Alemanha e Andreas W. (Atze), de 17 anos, que deixou uma carta de conselhos aos jovens, alertando sobre o perigo da heroína.
Christiane sobreviveu, mas nunca se conseguiu livrar do vício. Aos 45 anos, tomava vários medicamentos, passava regularmente por sessões de terapia que não eram bem sucedidas.
Tem hepatite C (doença incurável) e problemas circulatórios. Os médicos, além de afirmarem que, devido a eles, ela pode ter uma crise súbita, dizem também que o seu estado é irreversível. Em Dezembro de 2005, o serviço público de saúde alemão registou duas internações da paciente.
Christiane passou um período onde morava num apartamento em Berlim com dois tios e com o filho, Jan-Niklas.
Detlef também sobreviveu e trabalha como motorista de autocarros em Berlim. Mora com a esposa e dois filhos e garante que se livrou das drogas em 1980.
Actualmente
Aos 46 anos, Christiane, voltou a tomar drogas pesadas.
O filho vive actualmente numa instituição para menores nas redondezas de Berlim, e os avós deverão ajudar a decidir onde será a sua futura morada.
O novo drama de Christiane começou no início de 2008, quando ela e o namorado decidiram emigrar para a Holanda, levando a criança. Ao ter conhecimento do plano, a justiça alemã tirou a criança da mãe, com a ajuda da polícia. Pouco tempo depois, ela sequestrou o próprio filho e fugiu para Amesterdão.
Na capital holandesa, Christiane voltou a consumir heroína.
Após um conflito com o namorado, Christiane regressou no fim de Junho de 2008 à Alemanha, quando o seu filho foi retirado da sua guarda pelas autoridades alemãs.
Christiane antes de entrar nas drogas
Christiane depois de entrar nas drogas
Christiane adulta
Detlef - O grande amor de Christiane
Babsi
Discoteca Sound, onde Christiane começou a consumir as chamadas “drogas duras”. Ainda hoje existe, mas num local diferente.
Opinião Sobre o Livro
André Cunha º3
Cátia Soares nº4
Juliana Costa nº10
Sandra Oliveira nº15
Carta que Atze deixou á namorada quando se suicidou:
«quero pôr fim à vida, porque um drogado não faz mais do que dar tristezas, preocupações, amarguras e desespero aos parentes e amigos. Não só se destrói a si próprio como também aos outros. Agradeço aos meus queridos pais e à avozinha. Fisicamente, sou um zero à esquerda. Ser drogado é uma das maiores porcarias. Mas quem arrasta à desgraça essa gente que vem ao mundo cheia de juventude e de vitalidade? Esta carta deve ser um aviso, uma chamada de atenção para todos aqueles que se encontram na fase do poderei provar uma vez. Estúpidos, olhem para mim. Adeus Simone, já te livraste de todas as tuas preocupações.»
Argumentos:
Este livro serve para tentar "abrir os olhos" dos adolescentes de hoje em dia, a fim de prevenir que estes não se envolvam nos vícios que Christiane e os amigos se envolveram.
Full transcript