Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os lusiadas

No description
by

Inês Guerreiro

on 22 February 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os lusiadas

O excerto da ilha dos amores que vamos falar chama-se Máquina do Mundo, e está compreendido entre as estrofes 77 e 81.
Durante o banquete oferecido por Tétis aos portugueses , esta decide mostrar a Vasco da Gama a Máquina do Mundo. Enquanto as ninfas presentiavam os marinheiros com uns cantos proféricos que mostravam propicias ações portuguesas no futuro, Tétis mostrou um monte, onde lhe apresenta a máquina do mundo, uma representação da visão do mundo daquela época que lhes dava contacto para ver o “futuro”, Conseguindo ver o Cosmos, os planetas na sua organização real.
No âmbito da disciplina de Português iremos apresentar o nosso trabalho sobre a análise de um excerto
Os lusiadas
Ilha dos amores
Máquina do tempo
Estrofes:
Estrofe 77
Estrofe 78
Estrofe 79
Estrofe 80
Estrofe 81
No fundo, a Máquina do Mundo, esférica e perfeita, reflecte a disposição heliocêntrica dos planetas, e do seu criador Deus. Alem de um simbolo divino, e um episodio que simboliza o privilegio dado aos portugueses de ver a realidade por detrás da doutrina católica (teoria geocêntrica).
Trabalho realizado por:
Inês Guerreiro nº8
12ºI
Sara Barbosa nº19
Introduzindo um pouco, a Ilha dos Amores reflecte sobre a vontade da Deusa Venus de premiar os navegadores lusitanos pelos seus feitos gloriosos, atraves de prazeres divinos e do repouso numa ilha paradisiaca.
Nessa ilha repousavam belas ninfas que seduziam os portugueses, onde se destaca Tétis. Tétis, sendo a ninfa mais bela e a mais inteligente, ia mais além da beleza fisica, atraindo a atenção de Vasco da Gama porque era possível conversar sobre os mais variados temas.
Depois de mostrar a máquina do mundo, Tétis explica o sentido dos Deuses, explicando que a verdadeira divindade é so uma e é invisível. Explica também que todas as coisas mitológicas incluindo ela eram para a poesia e que não possuíam existência.
Após o repouso dos portugueses, estes partem de regresso a Lisboa.
Máquina do Mundo
A máquina do mundo foi um mito criado por Camões para ilustrar a visão que tinha para o mundo
Na época que se é tratado ainda perdurava a teoria geocêntrica que acreditava que a terra era o centro do universo e os planetas e o sol a rodiavam. Camões acreditava na teoria heliocêntrica em que o sol era o centro do universo e os planetas por ordem circulavam o sol.
Desta forma, Camões expõe uma opinião heliocêntrica, sem levantar grandes expeculações com a igreja católica.
Estrofe 77
"Não andam muito que no erguido cume
Se acharam, onde um campo se esmaltava
De esmeraldas, rubis, tais que presume
A vista que divino chão pisava.
Aqui um globo vêm no ar, que o lume
Claríssimo por ele penetrava,
De modo que o seu centro está evidente,
Como a sua superfícia, claramente."

Análise estrofe 77
Tétis conduziu Vasco da Gama ao cimo de um monte enorme e divino, onde se situa a Máquina do Mundo.
É feita uma descrição da máquina e do ambiente que a rodeia.
Alusão ao heliocêntrismo, a luz e as pedras preciosas, e a figuras geométricas como a esfera (simbolos de poder divino).

Estrofe 78
Máquina do mundo
"Qual a matéria seja não se enxerga,
Mas enxerga-se bem que está composto
De vários orbes, que a Divina verga
Compôs, e um centro a todos só tem posto.
Volvendo, ora se abaxe, agora se erga,
Nunca s’ergue ou se abaxa, e um mesmo rosto
Por toda a parte tem; e em toda a parte
Começa e acaba, enfim, por divina arte"

Análise estrofe 78
Estrofe 79
Estrofe 80
Estrofe 81

Análise estrofe 79
Análise estrofe 80
Análise estrofe 81

Continua a descrever a máquina.
Trata-se de uma beleza incrível, que expõe todo o explendor da criação divina.

"Uniforme, perfeito, em si sustido,
Qual, enfim, o Arquetipo que o criou.
Vendo o Gama este globo, comovido
De espanto e de desejo ali ficou.
Diz-lhe a Deusa: - O transunto, reduzido
Em pequeno volume, aqui te dou
Do Mundo aos olhos teus, pera que vejas
Por onde vás e irás e o que desejas."

Pasmado com tamanha beleza , Tétis diz a Vasco da Gama que a máquina mostra em ponto pequeno tudo o que o mundo tem para lhe oferecer, e mostrou-lha precisamente para o abençoar e recompensar, e para que visse tudo o que ainda existe por desvendar.

"Vês aqui a grande máquina do Mundo,
Etérea e elemental, que fabricada
Assi foi do Saber, alto e profundo,
Que é sem princípio e meta limitada.
Quem cerca em derredor este rotundo
Globo e sua superfícia tão limada,
É Deus: mas o que é Deus, ninguém o entende,
Que a tanto o engenho humano não se estende."

"Este orbe que, primeiro, vai cercando
Os outros mais pequenos que em si tem,
Que está com luz tão clara radiando
Que a vista cega e a mente vil também,
Empíreo se nomeia, onde logrando
Puras almas estão daquele Bem
Tamanho, que ele só se entende e alcança,
De quem não há no mundo semelhança."

Tétis afirma que a máquina é o simbolo do saber, da criação, do infinito e da perfeição que é o divino. Apesar de o ser humano nao conhecer com certeza o que constitui o divino, sabe quais as suas criações.
É feita uma descrição bem especifica da disposição dos planetas, onde a luz tão clara e radiante, simboliza o Sol ao centro, e "os outros mais pequenos" (planetas) que simboliza os planetas em torno do Sol.
Fim
vasco esteve aqui
Full transcript