Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

No description
by

Andréa Monks

on 29 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

CONTABILIZOU 31.922 ADULTOS EM SITUAÇÃO DE RUA
COMO SE CARACTERIZA:
De acordo com o Decreto nº 7.053, de 23 de dezembro de 2009, que institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua, trata-se de grupo populacional heterogêneo que possui em comum a pobreza extrema, os vínculos familiares fragilizados ou rompidos e a inexistência de moradia convencional regular.

PESQUISA NACIONAL SOBRE POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA
EM 2008, UM REPRESENTANTE DO MNPR ENTROU PARA O CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA
Em 2005, no I Encontro Nacional sobre População em Situação de Rua, representantes de governos municipais, organizações sociais, pessoas em situação de rua e o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) se reuniram para traçar os desafios e definir estratégias para a construção de políticas públicas.
Em 2006, o Presidente da república criou um Grupo de Trabalho Interministerial (GTI), com representantes de 6 ministérios, da Secretaria Especial de Direitos Humanos e da sociedade civil, para abrir um amplo processo de estudos e elaboração de propostas com participação social na definição do conteúdo da política.
Em 2009, realizou-se o II Encontro Nacional com o objetivo de discutir e consolidar a Política Nacional.
Essa população se caracteriza, ainda, pela utilização de logradouros públicos (praças, jardins, canteiros, marquises, viadutos) e áreas degradadas
(prédios abandonados, ruínas, carcaças de veículos) como espaço de moradia e de sustento, de forma temporária ou permanente, bem como
unidades de serviços de acolhimento para pernoite temporário ou moradia provisória.
$1.25
Santos, 29 de Maio de 2014
Vol XCIII, No. 311
CONTEXTO HISTÓRICO
DECRETO 7.053 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009
Dados do Censo de 2008 para PSR apontam:
PESQUISA NACIONAL PARA PSR
82% do sexo masculino
53% com idade entre 25 e 44 anos
67% são negros
70,9% exercem alguma atividade remunerada
15,7 % pedem dinheiro para sobreviver
69,6% costuma dormir na rua
22,1% costuma dormir em albergues
95,5% não participa de movimento social
24,8% não possui documento ou identificação
61,6% não excerce o direito de cidadania elementar
que é o voto
88,5% não é atingida pela cobertura dos programas
governamentais, ou seja não recebem qualquer
benefício dos orgãos governamentais
POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA
Na década de 1960, já se observa iniciativas de organização em algumas cidades brasileiras. Na década de 1970 e 1980, a Pastoral do Povo da Rua, da Igreja Católica, inicia movimento de organização de pessoas em situação de rua, com destaque para os municípios de São Paulo e Belo Horizonte. Tais iniciativas religiosas foram responsáveis por implantar casas de assistência aos então moradores de rua, organizar movimentos de representação popular, sobretudo em relação aos catadores de material reciclável, e realizar eventos e comemorações de mobilização social de cunho local.
No final dos anos 1990 e até o início dos anos 2000, inúmeras mobilizações nas principais cidades brasileiras tornaram visíveis, à sociedade e aos poderes públicos, as duras condições de vida na rua.
TODA PESSOA QUE ESTÁ EM SITUAÇÃO DE RUA É UM CIDADÃO
PRINCIPAIS RAZÕES PELAS QUAIS ESSAS
PESSOAS ESTÃO EM SITUAÇÃO DE RUA:
35,5% ALCOOLISMO / DROGAS
29,8% DESEMPREGO
29,1% DESAVENÇAS FAMILIARES
Full transcript