Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O LEITOR NO ESPELHO

No description
by

Elaine Hoffmann

on 22 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O LEITOR NO ESPELHO

QUE EFEITOS DE SENTIDOS OS ESTUDANTES DE LETRAS
PRODUZEM PARA SUA FORMAÇÃO LEITORA?
O ESTUDO DE MEMÓRIAS
RASTROS DO LEITOR NA HISTÓRIA
COMO TUDO COMEÇOU?
CLÁSSICOS X BEST-SELLERS
"A pesquisa estava sem forma e vazia, as trevas cobriam o abismo e um vento impetuoso soprava sobre as palavras. Eu supliquei: 'Que exista luz!' E a luz começou a existir porque, na verdade, Deus sempre soube que a luz era boa".

(Paródia de Gênesis 1. 2-4)
OBJETIVO GERAL:
Compreender que efeitos de sentidos são possíveis depreender da formação leitora de acadêmicos do curso de Letras.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
Discutir as compreensões que o sujeito produz sobre si enquanto leitor.
Refletir sobre o discurso que se produz acerca da formação leitora a partir da posição-sujeito que ocupa o leitor em espaços institucionais.
Relacionar as discursividadades à futura atuação docente dos sujeitos.
Tudo bem que eu ainda não sabia ler com eficácia, mas ao chegar em minha casa procurava alguma bíblia, pedia para que alguém que estivesse por perto ouvir, abria em qualquer página e
começava a recontar
a história fresquinha que havia ouvido anteriormente na "
escolinha
", como se estivesse de fato lendo a narrativa nas "
páginas sagradas
".
"Uma daquelas noites em que eu estava mais possuído do livro, lia com expressão uma das páginas mais comoventes da nossa biblioteca. As senhoras, de cabeça baixa, levavam o lenço ao rosto e poucos momentos depois não puderam conter os soluços que rompiam-lhes o seio.
Com a voz apagada pela comoção e a vista empanada pelas lágrimas, eu também, cerrando ao peito o livro aberto, disparei em pranto e respondia com algumas palavras de consolo às lamentações de minha mãe e suas amigas".
No contexto da igreja,
sempre tive acesse à várias histórias da Bíblia
, além de, mais tarde, me tornar professora de grupos de pré-adolescentes,
o que sempre me fazia
continuar compreendendo
os textos.

A preocupação com a distinção entre bens culturais sacralizados ou não "nasce com o acesso das classes subalternas à fruição dos bens culturais, e com a possibilidade de produzir esses bens graças a processos industriais".
Na adolescência lembro-me de ler os
livros exigidos pela escola
e
Paulo Coelho
. O que não suporto mais ler agora.
Na escola nunca tive grandes incentivos para a leitura, uma vez que a maioria dos livros que deveríamos ler era para fazer trabalho, provas orais ou escritas,
ler por obrigação no ensino fundamental ou médio nunca me incentivou
.
SER LEITOR É...
Conhecer os clássicos consagradas da literatura?
Desenvolver a criticidade?
Ler romances e contos?
Ler por prazer e entretenimento?
Ler em quantidade?
Ter a leitura como hábito?
E como fica o papel do professor diante disso?
NA GRADUAÇÃO...
Depois de entrar na faculdade já tenho alguns livros na minha estante, hoje penso em
esvaziar meu quarto e fazer uma biblioteca
.
MAS, NEM SEMPRE SE PENSOU ASSIM...
Abreu (2006) comenta que no século XVIII, o médico suíço Simon-André Tissot escreveu um livro sob o título de
A Saúde dos Homens de Letras
, em que apresentava os perigos da leitura para a saúde. A leitura prejudicaria os olhos, o cérebro, os nervos e o estômago. Outro cientista, J. G. Heinzemann, teria publicado um folheto descrevendo sintomas ainda mais assustadores, como: ondas de calor, gota, artrite, hemorroida, distúrbio nervoso, etc.
22 de abril de 2014
Mulher Lendo - Fernando Botero
O LEITOR NO ESPELHO
"É à memória que está vinculado o sentido de orientação na passagem do tempo; orientação de mão dupla, do passado para o futuro, de trás para a frente, por assim dizer, segundo a flecha do tempo da mudança, mas também do futuro para o passado, segundo o movimento inverso de trânsito da expectativa à lembrança, através do presente vivo".
(RICOEUR, 2012, p. 108)
José de Alencar
Portraits à la campagne - Gustave Caillebotte
O LEITOR E AS ESCRITURAS
Sujeito e sujeito no discurso religioso
Lembro-me que
esperava meu pai sair de casa para adentrar seu escritório e
escolher
pelos títulos alguns livros nas estantes carregadas de literatura
. Acho que até hoje meu pai não sabe que mesmo sem querer instigou minha curiosidade
MAS... COM QUE DISCURSO EU VOU?!
(BOURDIEU, 1996, p. 64 - grifos nossos)
"A ciência do discurso em sua forma atual só pode existir na medida em que seja não apenas gramaticalmente correta, mas sobretudo
socialmente aceitável
. [...] Tal ciência deve levar em conta as leis de
formação de preços característicos do mercado
em questão, ou em outros termos, as leis capazes de definir as
condições sociais de aceitabilidade
".
(ECO, 1990, p. 11)
Nessa época,
por iniciativa própria
, eu li aquele que acredito ter sido
meu primeiro livro
,
O Alquimista
(Paulo Coelho), também li alguns livros de coleções juvenis encontradas na escola.
[...] comecei a ler poemas de autores regionais como Ricardo schindler,
amadureci

com Clarice Lispector
e até tentava criar meus próprios poemas.
OPINIÃO DO LEITOR
No ensino médio, graças ao vestibular, li alguns dos clássicos brasileiros como ‘A Escrava Isaura’ de Bernardo Guimarães, que gostei muito. Eu acompanhava a novela, então adorei ler o livro.

O Ateneu’ de Raul Pompeia que fiquei traumatizada
, ‘O Gaúcho’ e ‘O Guarani’ de José de Alencar, desses nem lembro muito. [...]
Desde que me apaixonei pela leitura
, venho sendo presenteada com livros. Leio Best Sellers, uns que me apaixonei e outros que detestei. Harry Potter, os dois últimos, os livros da Série Crepúsculo. A Menina que Roubava Livros, a Cabana, Delírios de Consumo de Becky Bloom, Diários dos Vampiros, O Diário de Bridget Jones...
Li também clássicos, Helena de Machado de Assis, apesar de não ter terminado (estágios)
, Contos de Edgar Allan Poe, O Cortiço de Aloisio Azevedo,
tentei ler ‘O Ateneu’ de novo
, li poemas de Augusto dos Anjos [...]
COM A PALAVRA O LEITOR: A ESCOLA E O CURSO DE LETRAS
Meus professores nunca me deram uma leitura obrigatória. Eles somente falavam que a biblioteca estava lá e poderíamos usá-la quando quiséssemos.

Acho que foi esse meu maior incentivo. algo sem compromisso, com liberdade. Com vontade
.
[...]
entrei na faculdade e acabei deixando de ler com tanta frequência
(não sei o porquê até hoje), mesmo que os professores recomendem tantos livros de todos os tipos e gêneros possíveis.
Hoje, não consigo ficar sem ler algum livro, termino um, e já começo a ler outro. Eu sempre leio no ônibus, quando vou à faculdade e trabalhar.
Nos fins de semana, não tenho muito tempo para ler os livros que eu gosto, pois, sempre tem os livros da faculdade para ler e fazer relatório de estágio
, etc. Meus livros favoritos são
romance e ficção
.
REFERÊNCIAS

ABREU, Márcia.
Cultura letrada: literatura e leitura
. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

ALENCAR, José de.
Como e por que sou romancista
. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998.

BOURDIEU, Pierre.
A Produção da Crença
. 2. ed. São Paulo: Editora Zouk, 2004.

ECO, Umberto.
Apocalipticus e Integrados
. 4. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1990.

RICOEUR, Paul.
A memória, a história, o esquecimento
. Campinas: Editora da Unicamp, 2012.
Full transcript