Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Gestão de Resíduos na Indústria de Cerveja

No description
by

Ligia Garcia

on 11 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gestão de Resíduos na Indústria de Cerveja

Resíduos sólidos do processo de fabricação da cerveja
Classificação dos Resíduos
Conclusion
O que são resíduos sólidos?
Compromissos ambientais permanentes da empresa:
• Garantir o cumprimento dos requisitos e regulamentações legais
• Buscar aplicar tecnologias que minimizem os impactos ao meio ambiente e previnam a poluição
• Manter conscientização e qualificação das equipes para promover melhoria contínua de seu desempenho ambiental
• Desenvolver, promover e apoiar programas de difusão da consciência ambiental entre clientes, fornecedores, prestadores de serviço e comunidade

Metas de ecoeficiência:
• Reaproveitar 99% dos subprodutos
• Atingir um índice de consumo de água por hectolitro produzido de 3,5HL/HL
• Reduzir o consumo de energia em 10%
• Reduzir a emissão de CO² em 10%

Entende-se como resíduos sólidos todo o tipo de material oriundo da atividade humana considerado sem utilidade que deve ser descartado.

.São provenientes em sua maioria de indústrias, comércios e residências.

.São classificados em função: de sua origem;do tipo de resíduo; de sua composição e/ou de seu grau de periculosidade.

Dados e Realizações
• Em 2012 a taxa de reaproveitamento de subprodutos foi de 99,05%
• Nos últimos 10 anos a quantidade de lixo gerado nas unidades fabris foi reduzida em 81%
• A Ambev possui Estações de Tratamentos de Efluentes Industriais (ETEIs) em todas as suas unidades no Brasil


Estudo de caso:
Ambev

• O que é e qual a finalidade de um PGRS?
• No seu PGRS(Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos), deverá constar, por exemplo, a destinação de cada resíduo sólido produzido durante o processo de fabricção da cerveja.
• Exemplo: Uma cervejaria produz como resíduos sólidos o bagaço do malte, excesso de leveduras, Kiesselgurl, garrafas e plástico.

Política Ambiental
O que é falar sobre políticas ambientais?
Introdução
Gestão de Resíduos na Indústria de Cerveja
Como são classificados os resíduos sólidos
A caracterização dos Resíduos Sólidos consiste em determinar suas principais características físicas e/ou químicas, qualitativa e/ou
quantitativamente dependendo da abrangência e aplicação do
resultado que se quer obter.
Eles podem ser classificados de acordo com:

Origem
- “Resíduo Comercial”: são aqueles produzidos pelo comércio em geral. A maior parte é constituída por materiais recicláveis como papel e papelão, principalmente de embalagens, e plásticos.
- “Resíduo Industrial”: são originados dos processos industriais. Possuem composição bastante diversificada e uma grande quantidade desses rejeitos é considerada perigosa. Podem ser constituídos por escórias (impurezas resultantes da fundição do ferro), cinzas, lodos, óleos, plásticos, papel, borrachas, etc.
Tipo:
- “Resíduo Reciclável”: papel,
plástico, metal, alumínio, vidro, etc.
- “Resíduo Não Reciclável” ou “Rejeito”: resíduos que não são recicláveis, ou resíduos recicláveis contaminados;
Composição Química
-Orgânicos: restos de alimentos, folhas, grama, animais mortos, esterco, papel, madeira, etc..
- Inorgânicos: vidros, plásticos, borrachas, etc.
Periculosidade
Classe 1(resíduos perigosos)
São aqueles que por suas características podem apresentar riscos para a sociedade ou para o meio ambiente. São considerados perigosos também os que apresentem uma das seguintes características: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e/ou patogenicidade. Os resíduos que recebem esta classificação requerem cuidados especiais de destinação.

ANEXOS NORMATIVOS
Anexo A – Resíduos perigosos de fontes não especificas
Anexo B – Resíduos perigosos de fontes específicas
Anexo G – Padrões para o ensaio de solubilização
Classe 2( resíduos não perigosos):
Como não apresentam nenhuma das características acima, podem ainda ser classificados em dois subtipos:
• Classe II A – não inertes: são aqueles que não se enquadram no item anterior, Classe I, nem no próximo item, Classe II B. Geralmente apresenta alguma dessas características: biodegradabilidade, combustibilidade e solubilidade em água.
• Classe II B – inertes: quando submetidos ao contato com água destilada ou desionizada, à temperatura ambiente, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões de potabilidade da água, com exceção da cor, turbidez, dureza e sabor
• Lei nº 12.305/10- instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos(PNRS)
• Prevenção e Redução
• Responsabilidade compartilhada
• Metas para a eliminação dos lixões
• Instrumentos de planejamento em diferentes níveis (federal, estadual, ...)
• Inclusão de catadoras e catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, tanto na Logística Reversa quando na Coleta Seletiva.
• Igualdade com países desenvolvidos no que concerne ao marco legal
• Mas o que é necessário para um bom gerenciamento de resíduos sólidos?
• 1. Elaboração de um PGRS
• 2. Elaboração de Ficha de Emergência e Envelope
• 3. Licenciamento Ambiental e, se necessário, emitir DTRP
• 4. Segregação de resíduos nos pontos de geração
• 5. Armazenamento de resíduos
• 6. Registro de movimentação de resíduos
• 7. Coleta de resíduos
• 8. Tratamento de resíduos e/ou destinação final

Um correto gerenciamento dos resíduos sólidos deve levar em conta as seguintes etapas:
1- Elaboração de um PGRS

Fluxograma de uma PGRS
FLUXOGRAMA DA FASE INTRA-ESTABELECIMENTO
FLUXOGRAMA DA FASE EXTRA-ESTABELECIMENTO
• 4. Segregação de resíduos nos pontos de geração
• 6º Registros de movimentação de resíduos
• 7º Coleta de Resíduos
• 8º Tratamento de Resíduos e/ou Destinação Final
O tratamento consiste na aplicação de método, técnica ou processo que modifique as características dos riscos inerentes aos resíduos, reduzindo ou eliminando o risco de dano ao meio ambiente.

3. Licenciamento Ambiental e Emissão de DTRP
• 5º Armazenagem de resíduos:
• Os resíduos sólidos industriais devem ser segregados de acordo com o tipo, conforme a LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010 (institui a Politica Nacional de Resíduos Sólidos) e a NBR 10.004 da ABNT (trata da classificação dos resíduos).

• 2. Elaboração de Ficha de Emergência e envelope:
De acordo com o Decreto 88.821/83 e Resolução 420 da ANTT, a ficha de emergência é um documento de responsabilidade do expeditor. A norma que especifica todos os requisitos desta ficha é a ABNT NBR 7503
• A ficha de emergência é destinada as equipes de atendimento a emergência As informações ao motorista devem estar descritas exclusivamente no envelope para transporte

Ficha de Emergência
Envelope Destinado ao Motorista
Descumprimento da Ficha
• DTRP( Declaração de Transporte de Resíduos Perigosos)
• Deve ser emitida pelo gerador de resíduos e deve constar na declaração a quantidade anual estimada do resíduo transportada
• O ciclo do licenciamento inicia-se com a identificação da atividade a ser licenciada e definição da estratégia a ser conduzida para, então, iniciarem-se as etapas subsequentes até a obtenção da licença. Essas etapas podem ser sintetizadas em:

• elaboração dos estudos ambientais necessários
• preparação de documentação exigida e requerimento da licença;
• interlocução com os órgãos ambientais (vistorias, reuniões; etc.);
• obtenção da licença ambiental.


Origem e composição de efluentes nas cervejarias:
Os resíduos sólidos devem ser armazenados temporariamente para posterior tratamento e/ou destinação final de acordo com o tipo.
• Para armazenamento de resíduos perigosos, deve-se considerar a ANBT NBR 12.235/92 - Armazenamento de resíduos sólidos perigosos.
• Todos os registros relativos ao tipo e quantidade dos resíduos produzidos e o encaminhamento dado aos mesmos deve ser mantido atualizado.
• O transporte dos resíduos é realizado em veículos adequados para cada tipo de resíduo e suas embalagens.
• Os motoristas são capacitados com o Curso MOPP – Movimentação Operacional de Produtos Perigosos. Os motoristas e coletores são treinados para atendimento a Emergências.

• Após as etapas de geração e acondicionamento os resíduos sólidos devem ser coletados e transportados até uma estação de transferência, um local onde passará por um tratamento ou a uma área de disposição final.
• A necessidade do planejamento no que diz respeito à coleta de resíduos sólidos. Isso torna-se essencial devido à grande quantidade de recursos financeiros e humanos envolvidos, além dos impactos gerados.


• Os efluentes são ricos em açucares e carboidratos;
• São facilmente degradados biologicamente;
• Apresenta elevada carga orgânica.
• O processo de tratamento ocorre em etapas:
Preliminar: remove os sólidos, separa água e óleo e corrige o pH
Secundária: ocorre o processo misto aeróbio e anaeróbio.

Pré-tratamento
• Feito por métodos físicos, químicos ou biológicos.
• Uso de peneiras para eliminar substancias sólidas
• Após a peneiração, o efluente passa por uma câmara para a sedimentação dos sólidos
• Nessas câmaras podem haver controle de ph e unidades de pré-areação
• No tanque de equalização há a mistura dos efluentes, equalização do ph e das concentrações de DBO
• A DBO pode ser reduzida em até 70%

Tratamento Anaeróbio
• Utilizado para pré-tratamento; para o tratamento final deve ser utilizado um estágio aeróbio posterior.
• Baixo consumo de energia e pequena geração de lodo excedente, em comparação com o tratamento aeróbio.
• É pré-requisito que o envio de efluentes à estação de tratamento seja feita sem grandes oscilações (efluente estável)
• A limpeza ocorre quase sempre em sistemas de tratamento aeróbios. O sistema de tratamento anaeróbio demanda longo período de tempo para reinício após parada e necessidade de pessoal mais qualificado para a operação do mesmo.
• As bactérias utilizadas no sistema anaeróbio são agrupadas em três tipos básicos: as bactérias que formam ácidos (acidogênicas), as que formam ácido acético, hidrogênio e CO2 (acetogênicas) e as que formam metano (metanogênicas).
Tratamento Aeróbio
• A maioria dos tratamentos em cervejarias são sistemas aeróbios de lodo ativado
• Novos sistemas aeróbios utilizam suportes plásticos que suportam o crescimento biológico.
• Necessitam de menos espaço do que os sistemas convencionais de lodo ativado, por promoverem um contato mais eficiente entre a água de efluente e o lodo.
• O sistema de tratamento aeróbio é de operação mais simples, versátil pode-se estender o efeito de degradação (limpeza) e possui boa segurança operacional.

Tratamento do Lodo
• Manuseio e desidratação do lodo em excesso
• Uma das etapas mais caras no tratamento de efluentes líquidos
• O lodo deve ser desidratado para reduzir custos com transporte e custos com energia caso ele seja seco ou incinerado.
• O lodo seco pode ser utilizado como fertilizante
• A redução de efluentes líquidos deve fazer parte de uma política de gestão ambiental, preconizada pela ISO 14000 (Sistema de Gestão Ambiental). A abrangência deste sistema atinge a redução de efluentes gasosos, coleta de resíduos sólidos, coleta de materiais perigosos, redução da poluição sonora, redução do consumo de energia, redução do uso de matérias-primas, entre outros.

• Nos sistemas anaeróbios, a fermentação com produção de gás metano possui duplo interesse:
• despoluir por redução do volume de material orgânico e estabilizá-lo;
• produção do biogás, que contém de 50% a 70% de metano (1 m3 de biogás a 70% de CH4 e 30% de CO2 libera 6.000 kcal)

O PROCESSO DE PRODUÇÃO DA CERVEJA
FLUXOGRAMA DO PROCESSO
MATÉRIA-PRIMA
MOAGEM
Antes e Depois da Filtração
ENVASE
Resíduos Sólidos Gerados I
• Grãos usados

-Bagaço do malte;
-Trub grosso;
-Trub fino.
Destinação:
-Ração animal, como a de cordeiros.

Resíduos Sólidos Gerados III
• Resíduos no envasamento
-Pasta celulósica;
-Garrafas quebradas, latas e tampas de alumínio amassadas, embalagens de papelão.

Resíduos Sólidos Gerados II
• Leveduras

Destinação:

-Excesso: uma parte é reutilizada e a outra parte é comercializada para indústria alimentícia e farmacêutica.

• Destinação
-Todos os resíduos são segregados e vendidos para empresas de reciclagem.
Sobre a Ambev...

• Fundada em 1999, resultado da associação da Companhia Antarctica Paulista e Companhia Cervejaria Brahma
• O respeito ao meio ambiente é extremamente visado e é princípio básico de sua cultura
• Responsável pelas seguintes marcas de cerveja:

• A renovação se sua frota é cinco vezes mais frequente que a média do mercado, gerando assim uma queda significativa na emissão de CO²
Residual
• Subprodutos não reutilizados na linha de produção são comercializados pela Ambev para outros segmentos
• O bagaço do malte e fração da parte orgânica (farelos) é destinado à alimentação do gado
• O fermento é usado na composição de aromatizantes
• 100% dos efluentes industriais são tratados em ETEIs próprias
• A pasta celulósica (composta dos rótulos removidos nas lavagens das garrafas retornáveis) são vendidas para empresas de reciclagem de papel
• Bidões dos produtos de limpeza são aproveitados como contentores de lixo dentro da empresa (grandes) ou pelos trabalhadores para fins domésticos (pequenos)


Seu Balanço Social leva em conta os seguintes indicadores ambientais internos:

• Efluentes líquidos das fábricas: capacidade e quantidade de efluentes industriais tratados em suas fábricas pelas ETEIs próprias
• Resíduos sólidos das fábricas: índice de reaproveitamento de resíduos (vidro, papelão, alumínio, plástico, matérias-primas, embalagens, lodo, produtos químicos, ...)
• Tecnologias limpas nas fábricas: redução do consumo de energia elétrica, água e óleo combustível
• Peso de embalagens: redução do peso de embalagens e consequentemente do volume de resíduos gerados pós-consumo
• Sistema de Gestão Ambiental: se trata de definir e executar uma estratégia com responsabilidade ambiental. Foi implantado a partir de uma Política de Meio Ambiente Corporativa, através de projetos relacionados ao meio ambiente, como veremos no próximo slide.


Programa de reciclagem de embalagens industriais -
instituído em todas as suas fábricas, busca a correta separação e o reaproveitamento, mediante troca por material novo junto aos fabricantes ou venda às empresas de reciclagem, das embalagens fora das especificações no processo produtivo, como: alumínio, plástico, vidro, papelão, papel etc.;

Fundação e manutenção do CEMPRE
- instituição sem fins lucrativos, constituída e mantida por um grupo de empresas privadas voltadas para promoção, estudo e modernização da reciclagem brasileira; Patrocínio de exposições de arte, esculturas, objetos e instalações - que utilizam embalagens recicladas (PET, alumínio e vidro) como matéria-prima de sua criação;

Fábrica Ambev Vidros Rio
Importância socio-ambiental da Ambev
Recicloteca
– criação de um centro de estudos e difusão de informações sobre o meio ambiente, técnicas e pesquisas em reciclagem, redução e reaproveitamento do lixo e, que recebe estudantes e grupos interessados de todo o país, em cursos e oficinas de educação ambiental;
Reciclagem Solidária
- programa de apoio à formação de cooperativas para coleta, separação e comercialização de materiais recicláveis por grupos sociais de baixa renda na região metropolitana do Rio de Janeiro, mediante a capacitação dos integrantes destes grupos e da doação de equipamentos para prensagem dos materiais

A Ambev é responsável pela Fábrica Ambev Vidros Rio, que, enquanto referência mundial no aproveitamento de resíduos, é encarregada da transformação de cacos em garrafas de vidro.

* 64% do material que vai para os fornos da unidade são compostos por cacos originários das fábricas da Ambev e de cooperativas parceiras
* A cada 10 garrafas produzidas, cerca de seis são feitas com vidro reciclado. Esse índice traz uma economia de 35% de energia e de 75 mil toneladas de material virgem por ano.
A fábrica em estudo não possui a Certificação Ambiental ISO 14000. Até o ano de 2001 a certificação ambiental conseguida seguia as normas ISO 14000, após aquele ano todas as certificações fabris AmBev seguem um modelo próprio, de caráter confidencial.

Grupo:

Alexandre Borges
Arthur Rocha
Flora Mello
Henrique Monteiro
Ligia Garcia
Marcelo Henrique
Maria Eugênia Marçal
Mariana Campista
Peterson Hotz

Fontes Bibliográficas:
-http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/os-bastidores-da-producao-das-cervejas-da-ambev
-http://cervejaemalte.com.br/blog/o-que-o-lupulo-faz-na-cerveja/
-http://portal.sc.senac.br/portal/conteudo/talento_pao_final_rev.pdf
-http://www.scielo.br/pdf/cagro/v33n5/v33n5a28.pdf
-http://www.crq4.org.br/downloads/cervejas_refrigerantes.pdf
-http://www.excelenciaemgestao.org/portals/2/documents/cneg5/anais/t8_0140_0702.pdf
-http://www.ambev.com.br/meio-ambiente/
-http://www.ambev.com.br/relatorio-anual-2012/valores-ambientais
-http://www.ambev.com.br/meio-ambiente/fabrica-verde

Uma correta gestão de resíduos sólidos leva em conta os seguintes fatores:
Reduzir
Trata-se de reduzir a quantidade (massa ou volume) E/OU a periculosidade dos resíduos gerados.Segundo a EPA (Agência de proteção ambiental) .
Formas de redução:
-Melhoria dos rendimentos das etapas do processo produtivo.
-A utilização de matérias-primas de melhor qualidade.
-O uso de matérias-primas sem compostos contaminantes ou com menor proporção destes (reduzir perigosidade).
-A modificação do processo produtivo (trocas de tecnologia, de procedimento, substituição de equipamentos e maquinaria).
-A modificação nos equipamentos auxiliares (caldeiras, compressoras, geradores de vapor, etc.).
-A segregação de fluxos de resíduos, classificando na origem entre perigosos e não perigosos.
-Existem também possibilidades para reutilização interna de resíduos na empresa a partir de:
-Acondicionamento para empregar os resíduos como matéria-prima no mesmo processo de fabricação ou noutro processo.
-Recuperação de algum material que forme parte ou constituinte do resíduo e que possa ser usado no reaproveitamento.
-Uso do material em outras aplicações úteis dentro da empresa.

Reciclar
A reciclagem é a transformação de materiais residuais mediante processos físico-químicos para convertê-los em produtos que voltem ao mercado para o mesmo ou outro fim. Os processos de reciclagem dependem de cada tipo de material, e existe uma diversidade muito grande de suas tecnologias.

Os processos de reciclagem requerem classificação (formar conjuntos homogéneos por tipo dematerial) e/o acondicionamento (compactar, moer, limiar, etc.) prévio ao processo de reciclagem propriamente dita.
Reutilizar
A reutilização pode ser definida como a reintrodução, em utilização análoga e sem alterações, desubstâncias, objetos ou produtos nos circuitos de produção e/ou consumo por forma a evitar a produção de resíduos (DL nº239/97.de 9 de Setembro) Do perfil dos resíduos apresentados, a reutilização pode ser aplicável sobre:

Bagaço ou dreche

Leveduras adicionais

Pós de malte e gritz
Recuperar
No caso de que não seja possível nenhuma das alternativas anteriores, se recomenda a incineração ( que através da queima controlada de resíduos produz energia elétrica) ou a deposição final dos resíduos em aterros sanitários. Estes em casos de necessidade podem requerer um tratamento prévio, caso contrário autoriza-se a deposição segundo a característica do resíduo
No caso da produção de cerveja:
A origem: Resíduo Industrial

Tipo: Resíduo reciclável
Ex: alumínio

Composição química: inorgânico e orgânica
Ex: vidro e leveduras

Periculosidade: classe 1( ex:produtos a base de hidroxidos e acidos, usados na limpagem do tanque) e classe 2 (ex:resíduos úmidos)

Full transcript