Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

The Empty Forest

Seminário Biologia da Conservação
by

Luísa Abreu

on 24 July 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of The Empty Forest

The Empty Forest
Defaunação

Kent H. Redford
BioScience, Junho 1992
fauna?
- Redford ressalta a importância da defaunação e mostra que a preservação a longo prazo das florestas tropicais não será possível sem a fauna
- Desde os povos pré-colombianos, humanos alteram a presença, estrutura e extensão da Floresta Amazônica
- não apenas a vegetação
Indireta
Direta
- atividade humana não objetiva especificamente os animais
- aumento nas últimas décadas
- Perda de hábitat
- Perda de área crítica: praias de desova;
aves migratórias

- Extrativismo: extrai alimento e abrigo
- Pesca e caça de subsistência ou comerciais: remoção de presas
- Subprodutos
Exemplos:
- Ara manilata e a palmeira Mauritia

- Castanha-do-pará: alimento, dispersão e perda
de habitat
ATÉ QUE PONTO?
- Mais antiga, mas aumentou consideravelmente nas últimas décadas
- coincide com a presença de humanos
Caça
para subsistência

- importante fonte de alimento
- América Latina: fonte vital de proteínas e gorduras em muitas áreas não-urbanas
Importância
1.° grupos indígenas

2.° colonizadores europeus que viviam nas florestas, mas tinham acesso a animais domesticados

3.° colonizadores que chegaram mais recentemente na Amazônia, sem costume de caçar e com acesso a outras fontes de carne

Caça
comercial

- Equador, 230 habitantes de vilas Waorani mataram 3165 mamíferos, aves e répteis em menos de 1 ano

- 562 Lagothrix lagotricha


- 313 Ramphastos cuvieri


- 152 Tayassu pecari




Redford estimou o número de animais abatidos pela população rural da Amazônia Brasileira no ano de 1980:

- 2,847,000 pessoas fora das cidades

- 3,581,180km²

- número de habitantes x consumo per capita por ano do colonizador

- ?????
- 14 milhões de mamíferos


- adicionando aves e répteis, 19milhões


- agregando ao número de feridos, pode chegar a 57milhões
- anterior à colonização europeia
- tomou proporções muito maiores depois
- varia de acordo com disponibilidade ou demanda do mercado
Produtos
alimentícios
- século XVII: peixe-boi
(Trichechus inunguis)

- até meados do século XX, média anual de muitos milhares mortos na Amazônia
- jacarés: importante fonte de carne
comercializada na Amazônia



- atualmente (1992) 21,500 a 32,000 animais por ano
Tartaruga araú (Podocnemis expansa)
- mesmo com caça intensiva de ovos e carne, continuaram a colocar ovos próximo às vilas
- abundantes o suficiente para às vezes impedir a navegação no Rio Madeira até a década de 1850
- ovos: óleo
1719: produzidos 192,000 pounds de óleo ??
na Upper Amazon

- Resultado: eliminadas em muitas áreas e ainda há forte predação dos seus ovos aonde são encontradas
24 milhões de ovos

Década de 1860: 48 milhões de ovos por ano
Castro et al 1975-76:
- carne de 24 espécies de animais selvagens, incluindo 6 de primatas em Iquitos, Peru
- 370mil primatas por ano para consumo e venda


Couro
- primeira exploração comercial
de animais europeia
- ítens de luxo
- principais animais: porcos, capivara, muitas espécies de répteis
Porcos:
- entre 1946 e 1966:
Tayassu tajacu: 2milhões

Tayassu pecari: 800mil
exportados de Iquitos
Capivara:
- entre 1960 e 1969: quase 500mil
da Amazônia brasileira
Répteis: os mais importantes
- principalmente crocodilianos
- 1930-31: 3-4mil por dia!! Venezuela
- 1951-1980: Colombia exportou legalmente 12milhões de peles de Caiman sclerops


- pico entre 1950s e 1960s: 5 a 10 milhões de peles comercializadas por ano
- atualmente (1992) maior
Peles
- comercialização em larga escala para
Europa, Japão e América do Norte

Amazônia:
- ariranha

- lontra

- onça

- jaguatirica

- Felis tigrina e Felis wiedii

De 1946 a 1966, Iquitos exportou:

- 22,644 peles de lontra gigante

- 90,574 peles de lontra

- 12,704 peles de onça

- 138,102 peles de jaguatirica
UMA FAMÍLIA: 10,000 PEQUENOS FELINOS
Penas
- menos estudada

- focada em garças e garças-reais

- Entre 1899 e 1920 15,000kg de penas
das duas garças

- 12-15milhões de aves pequenas
- 3-4,5milhões de aves maiores
Contagem
dos Corpos
- outros autores utilizaram dados de
exportação ou importação em vários portos
- para um Ecólogo é importante ter o número
total de indivíduos removidos
- para cada animal que passa pelos portos, muitos outros morrem
- para cada animal exportado, mais 3 morrem

- feridos pelos caçadores, pelos seus cães ou pela armadilha e escapar e morrer depois

- pele pode ser danificada na caça, no processamento ou no armazenamento e ser descartada

- animais pequenos demais podem ser descartados pelo caçador ou comprador

- quando uma lactante é caçada, seus filhotes morrem

- na comercialização de animais vivos, muitos morrem no transporte
- caça comercial e de subsistência acontecem simultaneamente

- nas décadas de 1960 e 1970, nos 3,581,180 km² de Amazônia Brasileira
- 4milhões para fins comerciais por ano
- 19milhões para subsistência por ano
TOTAL: 23milhões por ano
Adicionando o fator de correção à subsistência
Total 60 MILHÕES POR ANO
- aumento da população - ???
Quais são os animais caçados
- frequentemente os maiores do grupo e as maiores espécies da floresta
- os grandes mamíferos não caçados pela carne são caçados por sua pele
- são caçados os de maior biomassa
Resultado: diminuição na densidade e
na biomassa das espécies caçadas
Para mamíferos não-primatas:
- caça moderada: densidade 80,7% menor
- caça intensa: densidade 93,7% menor

Para primatas: mais dados
- densidade 93,5% menor
- densidade de primatas grandes 80,7% menor
Para aves:
- caça moderada: densidade 73,5% menor
- caça intensa: densidade 94,6% menor
- diminuição de 50,9% a 26,8% na biomassa
Em florestas tropicais, muitos dos animais grandes são frugívoros
- Cosha Cashu (Terborgh):
84% da biomassa de mamíferos caçados comem frutos
69,5% da biomassa das aves caçadas comem frutos (aumentaria para 92,% incluindo o mutum)
- muitos dos peixes comercializados comem frutos

FRUGÍVOROS: dispersão de sementes, predação de sementes e estruturação das florestas tropicais
A Ecologia dos animais de caça e da sua ausência
Exemplo nos EUA: retirada de Dipodomys resultou em mudanças na estrutura da vegetação
- ainda (1992) não foi estudado em florestas tropicais
Herbivoria e predação de sementes
Dirzo e Miranda 1990:
- comparação entre floresta com fauna completa de mamíferos e floresta nas quais muitos (porco, anta e veado) foram extirpados por caça
- Floresta com caça: tapetes de sementes, pilhas de frutos apodrecendo e de sementes, ervas e plântulas
intactas de herbivoria por mamíferos
De Steven e Putz 1984:
- comparação com sementes, predação de plântulas,
recrutamento de árvores e população de roedores
Ilha sem predadores de topo grandes populações de esquilo e cutia predação de plantas mais alta
Continente: felinos e humanos controlam as populações de predadores de sementes e plântulas

Putz et al 1990:
- na ausência de mamíferos predadores de sementes árvores com sementes grandes têm vantagem sobre as com sementes pequenas. Dominariam o fragmento em 75 anos
Dispersão de sementes
- papel importante de aves e mamíferos terrestres
Howe (1984) "a dispersão mediada por animais é certamente crítica para o recrutamento demográfico
de muitas ou da maioria das espécies de floresta tropical
Tucanos e Crácideos

- Crácideos: populações são rapidamente esgotadas pela caça (reprodução lenta)

- Silva e Strahl 1991: "impacto humano em Cracidae pode ter efeitos a longo prazo irreversíveis para a biologia dos ecossistemas florestais neotropicais"
Primatas: Macaco-barrigudo e Macaco-aranha


- Estudo no Suriname: macaco-aranha dispersa 93,5% das vezes que se alimentam de frutos. Único dispersor de várias espécies



- muito caçados e rapidamente extirpados
Cutia: predador ou dispersor, dependendo da densidade


Peixes tropicais: dispersam pelo menos 9 famílias de plantas

Predaçao
- predadores podem aumentar a diversidade de uma comunidade ao diminuir a abundância de predadores menores e herbívoros, resultando numa redução na dominância de espécies que predam plantas
- É raro encontrar comunidades intactas de grandes felinos nas florestas neotropicais
- se alimentam de espécies muito caçadas
Poucos trabalhos com os efeitos da caça nos grandes mamíferos e répteis predadores em ecossistemas aquáticos
- ariranhas e jacarés foram extirpados de muitas áreas
Jacaré: transferência de nutrientes dos ecossistemas terrestres para os aquáticos. Ausência relacionada com diminuição na biomassa de peixes
"mistura complicada de mais predação em algumas espécies, menos em outras, rarificação ou extinção de muitas"
Difícil prever, pois humanos continuam alterando as florestas tropicais
Extinção Ecológica
Integrando humanos, caça e Conservação
Conclusões
Luísa Genes
Biologia da Conservação 2013

- extinção global
- extinção local
- extinção ecológica


"a redução de uma espécie a tão baixa abundância que mesmo ainda estando presente na comunidade, ela não interage mais significativamente com outras espécies"
- População Mínima Ecologicamente Funcional
incorporando interações entre plantas e animais
- Animais mais caçados são também os mais importantes predadores, dispersores de sementes grandes e predadores de sementes em florestas neotropicais
- "Função estabilizadora" através de efeitos indiretos
Humanos: muito afetados pelas extinções
- Caça é uma fonte muito importante de alimento
para povos que moram nas florestas
- Sem caça não haveria atividade seringueira
1 ano e meio, 1 família de seringueiros caça mais de 200 macacos barrigudos, 100 macacos aranha e 80 bugios
- animais de caça se tornam raros em áreas de seringueiras, afetando os animais e a habilidade de viver na floresta
- animais são polinizadores e dispersores de plantas utilizadas por humanos
- Quase toda a floresta neotropical já foi afetada por humanos na época pré-Colombiana, no boom da borracha, na era de ouro das peles, na atividade mineradora, na extração de madeira ou no desmatamento para fazendas
- Esforços recentes para criação de áreas para proteção e uso extrativista integrados
- Poucas terras dedicadas a parques nacionais e conservação
No Brasil:
- 74milhões de hectares para terras indígenas
- 13 milhões de hectares para todas as categorias de unidade de conservação

Caça: subvalorizada, subestudada e ignorada em conservação e desenvolvimento de comunidades
Nas florestas tropicais, animais grandes são importantes não apenas como alimento, mas também como elementos ecológicos integrais

Para esses ecossistemas continuarem sendo florestas, que provém benefícios financeiros, ecológicos e estéticos,
os animais não podem ser ignorados

Muitos animais já foram ecologicamente extintos em florestas com vegetação intacta
"Não podemos deixar uma floresta cheia de árvores nos enganar de que tudo está bem.
Muitas dessas florestas são 'mortas-vivas', registradas por satélites como florestas, mas vazias de fauna.
Uma floresta vazia
é uma floresta condenada."

Fotografia: Anna Gomes, Fernanda Tubenchlak, Luísa Genes e Google Images
Full transcript