Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Hinduismo

Trabalho para a Cadeira de Humanismo e Cultura Religiosa - PUCRS
by

andressa farias

on 17 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Hinduismo

Noticias
Doutrina
Todas as escolas hinduístas possuem em comum o fato de partirem da reencarnação.
Fundação
Os mais antigos escritos sagrados
(os Vedas) são considerados como verdades atemporais contempladas pelos videntes (rishis) dos tempos primitivos
1. Como esta cultura religiosa compreende a existência humana?
Simbolos
O símbolo mais conhecido do hinduísmo
é a sílaba OM estilizada
que é explicada como A-U-M),
Histórico
Simbolos
2. Quais valores éticos centrais esta cultura indica como fonte de realização humana?
Hinduísmo
termo genérico para as religiões indianas,
ou que se originaram na Índia,
fundamentadas nos escritos mais antigos da Índia,
os Vedas (poemas e hinos que
regram e explicam o hinduísmo).
Foi com este nome que os conquistadores islâmicos da Índia designaram todos os que não eram muçulmanos nem cristãos nem judeus.
Na era colonial, o conceito foi adotado pelos ingleses.
As origens do hinduísmo
remontam ao período primitivo da cultura indiana.
O nome hinduísmo é derivado de hindu.
Os Vedas surgiram por volta de 1000 a.n.e.
Desde então as religiões hinduístas passaram por grandes mudanças.
O termo “hinduísmo” é geralmente aceito como apropriado à religião de que estamos tratando, porém, entre seus membros, a tradição hindu é geralmente conhecida como “
Sanâtana Dharma
”.
Atualmente existem cerca de 750 milhões de hindus na Índia, e importantes minorias na Indonésia, África e Caribe.
Diferente de outras religiões,
o Hinduísmo não tem fundador.
As correntes que colocam o Deus Vishnu no centro da veneração partem de que o próprio Vishnu veio na figura dos heróis Rama e Krishna e revelou sua doutrina (por exemplo, no celebre Bhagavadgita).
Deus Vishnu
Existem também figuras de fundadores humanos:
Patanjali é considerado o fundador da escola da ioga
Shankara o fundador da Advaita-Vedanta,
de particular importância.
Andressa Farias
Manuela
Rosi Fogaça
Sandra
Simone
Mas reencarnar significa permanecer no mundo do sofrimento, no Samsara ंसार

Mas os caminhos para a libertação são muitos diferentes: exercícios de ioga e meditação interior aparecem lado a lado com a adoração de Deus e com a moralidade.
Os detrimentos sociais, como no sistema de castas são suportadas como consequências de feitos anteriores, a paz interior vale mais do que as modificações sociais
Vishnu
shakti
Shiva
os três tempos:
passado
presente
futuro)
É a sílaba germinal (bija) os cosmos, e ao mesmo tempo parte importante de muitas formulas e invocações sagradas.
São símbolos preferidos do hinduísmo:
o chifre de concha de Vishnu, a Suástica (O termo é uma fusão de "su" (bom) e "Asati" (a existir), o que significa quando combinado "Que Bom prevalecer") além disso:
o terceiro olho
(o olho espiritual)
O terceiro olho é o olho da superconsciência, a qual é percebida além do plano comum de percepção
o Tridente de Shiva
Shiva usa o Trishula
( nome do tridente) para destruir a ignorância dos homens
Dos deuses gosta-se de representar de maneira especial também o Deus Ganesha com a cabeça de elefante, e Krishna com sua flauta.
As principias religiões do mundo remontam a milhares de anos.
Com tanta história para contar, é de se esperar que as suas imagens e dogmas tenham mudado ao longo do tempo.
Na verdade, algumas religiões mudaram completamente de posicionamento sobre alguns dos temas pelos quais elas são mais conhecidas.
No hinduísmo o objetivo supremo é libertar-se do Sansara, do ciclo das reencarnações. Moksha (=libertação) significa suprimir a separação entre a alma individual e a alma do mundo, portanto a felicidade suprema (ananda). Em muitas tradições, a conquista de capacidades mágicas (sobre-humanas)- siddhis- por meio da ascese rigorosa é uma meta intermediaria indispensável. Quando se consideram as metas que os homens buscam em sua vida, resulta uma ordem de precedência: riqueza, prazer,felicidade ao deveres religiosos (dharma) e libertação espiritual (moksha).
De acordo com a lei do Karma (=causa e efeito), o agir moral é necessário, pois nossos atos nos julgam a nos mesmos e determinam se nossa próxima reencarnação a de ser feliz ou infeliz. As prescrições morais são estabelecidas nos antigos livros de leis, os chamados dharmashastras: Aqui todo homem ocupa um lugar, que é determinado por seu nascimento e casta e por sua fase de vida. Estas fases são: aluno/estudante, pai de família, eremita e asceta ambulante. Agir moralmente significa agir em consonância com o svadharma, a própria posição no todo, e desta maneira contribuir para a conservação da ordem cósmica. Isto é chamado de lokasamgraha. No hinduísmo conta-se também com uma decadência geral da moralidade antes da destruição e nova criação do mundo no ciclo sem fim dos mundos; assim se diz nas antigas coleções de mitos, os puranas, que a a vaca da lei (dharma) fica primeiro sobre quatro pernas, depois sobre três e por ultimo apenas sobre duas
3. Como explica a origem
e destino humanos?
No hinduísmo o Deus Brahma é considerado como criador do mundo, mas esta honra é reclamada também por Shiva ou Vishnu. A muitos relatos diferentes da criação; de acordo com eles no principio era ou o caos, ou o ovo primordial, ou o auto-sacrificio do criador. De acordo com um mito muito difundido, Shiva mexeu o oceano de leite primitivo, e assim surgiu a terra. Importante é que no mundo de ideias indiano a criação representa apenas parte de um ciclo que se repete sempre de novo: Crianção,ruina e destruição sucedem-se em períodos sem fim. Não existe um fim ultimo do cosmos, apenas exte ciclo. Em ultima analise todo mundo é considerado como um sonho da divindade suprema. Isto significa que nossa realidade não passa de uma ilusão (maya), um jogo de
possibilidades na roda do vir-a-ser.
4. Como compreende
o sofrimento humano?
Além dos animais e dos seres invisíveis, o homem uma das varias formas de vida sujeiras à reencarnação . Além disso, o mundo, tal como o experimentamos, é apenas um sonho, um jogo de ilusão. Nele uma vida humana individual surge e volta a desaparecer. A alma, por seu carma, peregrina sem fim na roda do vir-a-se, no Samsara. O lugar que um ser ocupa neste mundo de aparência e determinado por seus feitos em existências anteriores, de acordo com a lei de causa e efeito. A classe, casta, riqueza, inteligência etc. São responsáveis perante elas mesmos. Dentro de suas possibilidades o homem deve cumprir seus deveres religiosos e sociais. A meta suprema a paz interior, a libertação do ciclo do sofrimento (moksa) e a felicidade (ananda).
O predecessor do hinduísmo pode ter desculpado o sacrifício humano
Os Jovens e a Fé: “O hinduísmo não se restringe a uma religião com
doutrinas. É uma forma de viver”
Katamandu:
Sismo dá um golpe trágico a um dos berços da humanidade
Publicado: 19.04.2014
“Uma filosofia de vida”. Para Nalin é assim a sua fé. É uma das cerca de 200 pessoas que compõe a comunidade de hindus no Porto. Um número pouco significativo para aquela que alguns estudos apontam como a religião mais antiga do mundo. As famílias esforçam-se para transmitir os valores aos mais novos, mas escasseiam os rostos mais jovens: “O meu filho costuma perguntar por que é hindu e eu digo que é pela família o ser também. Quando crescer a pessoa deve definir a religião que quer adotar, mas, quando é pequenino, quem escolhe a escola são os pais”.
O Nepal é, sem dúvida, um país mais conhecido por suas riquezas naturais do que por seu patrimônio cultural. A cordilheira do Himalaia, esculpida com seus imponentes picos – alguns deles os mais altos do planeta, como o monte Everest – deixou em segundo plano um dos tesouros culturais mais importantes da Ásia e da humanidade: o Vale Katmandu. No entanto, o catastrófico terremoto que devastou a região revela de forma trágica seu extraordinário valor cultural.
El País
25/04/2015
Embora os hindus mainstream tenham abandonado o sacrifício humano há muito tempo
(se é que alguma vez realmente o praticaram), relatos ocasionais de sacrifício de crianças ligadas a pequenas ramificações da religião continuam a surgir na Índia moderna.
Hinduismo
No inicio de quase todas as seitas hinduístas modernas encontra-se um mestre divinizado (guru).

De acordo com os escritos secretos (Upanixades), esta silaba abrange:
vigilia
sonho
sono profundo
suprema consciência
os quatros estados da consciência:
e simboliza ainda a unidadade da alma ( atman ) com o absoluto (Brahman),
o Divino
(como diz Mandukya-Upanishad ).

os três grandes deuses:
Brahma
Vishnu
Shiva -
A alma, ou o eu, permanece separada do Absoluto,
imaginando quer de forma abstrata quer de forma pessoal, como Deus supremo (Shiva ou Vishnu), ou como a força feminina de Deus (shakti).
Por meio do ritual, da visão ou da amorosa entrega a Deus, o homem pode passo a passo romper o ciclo de sofrimento isso significa atingir o moksha (= libertação / momento em que o espirito pode encerrar seu cilco de reencarnação).
De acordo com os
Vedas
,
o
Varna
( cor d'alma de cada ser)
pode ser vista pelo vidente, e a cor da alma irá determinar a casta a qual o individuo irá pertencer e seu Dharma (dever) que ela deverá desempenhar durante toda sua encernação.
Os homens são divididos em quatro grupos, de acordo com suas capacidades.
Cada grupo tem seus deveres ( determinada pela casta á qual ele pertece)
Brahmanes:
Sacerdotes e Sábios
Kshatryas:
Gurerreiros e Governantes
Vaishya:
Comerciantes, Agricultores, Artesãos
Shudras:
Servidores
Dauts:
individuos que foram expulsos de suas castas por cometerem algum delito grave. Filhos e netos de "dalits" também são dalists
O Karma - ações praticadas pelo individuo durante sua encarnação, determina seu Varna.
Cumprir esse dever (Dharma) permite que a pessoas evolua até "finalizar" o ciclo de reencarnação (Samsara). Não há um número definido de quantas reencarnaões um individuo terá - alguns seres ficam "presos" no Samsara por muito tempo, outros evoluem rapidamente e ascencionam, não encarnando mais, caso encarnem é apenas para cumprir uma missão, conhecidos como Avatares (aquele que desceu).
Exemplos de Avatares:
Jesus Cristo
Krishna
Budha
O cumprimento do dever natural (Dahrma_ liberta o homem do seu Karma
Full transcript