Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Validade e Fidedignidade dos testes Psicológicos On-Line 2

Trabalho 2 da cadeira de Informática e multimeios na educação
by

Pâmela Cristini Olczyk S.

on 28 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Validade e Fidedignidade dos testes Psicológicos On-Line 2

(cc) photo by Franco Folini on Flickr
Apresentações
“O que nós, enquanto Psicólogos
e Pedagogos, podemos fazer
para evitar este tipo de
irresponsabilidade com materiais
online?”
Blog:
russell@theprezenter.com
@ThePrezenter
Fonte:
Levar os
testes em aula
Lembrar
Validade e Fidedignidade dos
Testes Psicológicos On-line
(Parte 2)
PROJETIVOS
PSICOMÉTRICOS
Rey
Beck
Wisk-III
Z-Teste
Rorschach
TAT
Wais-III
AC
Bender
IFP
Autor: Henry A. Murray.

Adaptação Brasileira: Maria Cecília de Vilhena M. Silva. 

Faixa etária: De 14 a 40 anos. 

Aplicação: Individual. 

Tempo de Aplicação: Variável de acordo com o número de cartões escolhidos pelo avaliador e da complexidade da história do indivíduo. 

Tempo de correção: Variável.

Material: 1 Manual, 30 pranchas impressas em cartão bristol e 1 cartão em branco, perfazendo o total de vinte histórias para cada sujeito. 
 
Utilização: O TAT é considerado uma técnica projetiva que consiste em apresentar uma série de pranchas, selecionadas pelo examinador, ao sujeito e este deverá contar uma história sobre cada uma das pranchas. As histórias obtidas com frequência revelam componentes importantes da personalidade, que são decorrentes de duas tendências psicológicas segundo a teoria de Murray. A primeira é a tendência das pessoas para interpretar uma situação humana ambígua baseando-se em suas experiências passadas e em seus anseios presentes. A segunda é a inclinação das pessoas que escrevem histórias para agir de igual maneira para utilizar os acervos de suas experiências e expressar seus sentimentos e necessidades conscientes e inconscientes. 
 

Autor: Herman Rorschach. 

Adaptação Brasileira: Cicero E. Vaz. 

Faixa etária: Crianças, adolescentes e adultos. 

Aplicação: Individual. 

Tempo de Aplicação: Variável. 

Tempo de correção: Variável. 

Material: 1 Manual de Classificação, 1 Manual de Interpretação,
1 Princípios para Interpretação, 1 Método de Rorschach, 1 Tabela de Qualidade Formal e 1 Protocolo da Prova. 

Utilização: Avaliação Clínica e Psicodiagnóstico.
Consiste em 10 pranchas nas quais estão reproduzidas manchas ou “borrões” de tinta cromática ou acromática que obedecem padrões específicos quanto à proporção, angularidade, luminosidade, equilíbrio espacial, cores e pregnância formal. . A interpretação que o sujeito dá a essas manchas de tinta é cotada quanto ao tipo de forma, de determinantes e de conteúdo de respostas. O conjunto dessas respostas é sintetizado dentro de psicograma onde a análise permite, a partir de índices, caracterizar finalmente a estrutura básica da personalidade e problemática inconsciente do sujeito, incluindo aspectos cognitivos e afetivos, colocando-se em evidência os traços normais e patológicos do indivíduo, as percepções do mundo, problemas psicopatológicos (neuróticos ou psicóticos),adaptabilidade à realidade, nível de angústia, controle das reações afetivas, qualidade das relações sociais, etc.
Autores: Fermino Fernandes Sisto, Ana Paula Porto
Noronha e Acácia Aparecida Angeli dos Santos. 

Faixa etária: entre 6 a 10 anos.

Aplicação: Individual ou coletiva.

Tempo de Aplicação: Em média 15 minutos.

Tempo de correção: Variável.

Material: Manual, cartões para aplicação individual, cartões para aplicação coletiva, crivos de correção, bloco de folha de interpretação.

Utilização: Utilizado para avaliação da maturidade percepto-motora, tendo em vista os pressupostos teóricos preconizados por Bender (1955), no sentido de que por meio da reprodução de desenhos pode-se estabelecer o nível de maturação da função gestáltica visomotora. Está associado a medidas de inteligência (como o fator “g”) e mostra relação com a aprendizagem (aquisição de escrita e diferenciação de séries). O Sistema de Pontuação Gradual avalia a maturação percepto-motora por meio da análise da distorção de forma.

Autor: David Wechsler.

Adaptação Brasileira: Elizabeth do Nascimento.

Faixa etária: Entre 16 e 89 anos.

Aplicação: Individual.

Tempo de Aplicação: Em média 90 minutos.

Tempo de correção: Variável.

Material: Manual técnico, manual para administração e avaliação, apostila de instrução,aplicação/avaliação, anteparo, arranjo de figuras, crivo códigos, crivo procurar símbolos, cubos, livro estímulos, protocolo procurar símbolos, protocolo registro geral, quebra cabeça.

Utilização: É um teste imprescindível utilizado em avaliações psicológicas e neuropsicológicas. Com ele obtém-se medidas das seguintes Escalas e Índices Fatoriais: QI Verbal, QI de Execução, QI Total, Índice de Compreensão Verbal, Organização Perceptual, Memória Operacional, Velocidade de Processamento.
Autor: David Wechsler.

Adaptação Brasileira: Vera L. M. Figueiredo.

Faixa etária: de 6 a 16 anos.

Aplicação: Individual

Tempo de Aplicação: em média 90 minutos.

Tempo de correção: Variável.

Material: 1 Manual, 5 Protocolos de Registro Geral, 5 Protocolos Labirinto, 5 Protocolos Procurar Símbolos, 1 Livro de Estímulos, 1 Cartão Branco, 1 Arranjo de Figuras, 1 Caixa Cubo (9 Unidades), 6 caixas de Quebra-Cabeça, 1 Anteparo, 1 Crivo Códigos, 1 Crivo Procurar Símbolos e 1 Apostila de aplicação.
 
Utilização: Instrumento clínico internacionalmente conhecido, utilizado para avaliação da capacidade intelectual de crianças e adolescentes. É composto de vários subtestes, cada um medindo um aspecto diferente da inteligência. O desempenho nestes subtestes é resumido em 3 medidas compostas: QIs Verbal, de Execução e Total que oferecem estimativas das capacidades intelectuais dos indivíduos. Oferece ainda estimativas em 4 índices fatoriais como Compreensão Verbal, Organização Perceptual, Resistência à Distração e Velocidade de Processamento das Informações.
Autor: André Rey

Adaptação Brasileira: Margareth da Silva Oliveira e Maisa dos Santos Rigoni.

Revisão Técnica: Teresinha Rey e Lucia Cristina Fleury Franco

Faixa etária:

Figura A - A partir dos 5 até 88 anos de idade.

Figura B - De 4 a 7 anos e em adultos com suspeita de deterioração intelectual.
Aplicação: Individual.

Tempo de Aplicação: varia entre 5 e 25 minutos. Figura A

Tempo de correção: 2 minutos.

Material: Manual, lâmina de prova, papel branco, lápis de cor, lápis preto, cronômetro e ficha de anotação.
 
Utilização: A Figura Complexa de Rey é utilizada em crianças em situações de problemas de aprendizagem ou dificuldade de ajustamento e nos adultos quando se revelam distúrbios de comportamento ou com suspeita de deterioração intelectual. Em muitos países este teste é utilizado na área da neuropsicologia investigando possíveis transtornos como Déficit de Atenção e Hiperatividade, Transtorno Obsessivo-Compulsivo, Demência, Esquizofrênia, entre outros.
 
Autor: Henry Murray

Adaptação Brasileira: Luiz Pasquali,
Maria Mazzarello Azevedo e Ivânia Ghesti.

Faixa etária: Entre 18 e 60 anos.

Aplicação: Individual ou coletiva.

Tempo de Aplicação: Variável.

Tempo de correção: Variável.

Material: 1 Manual, 2 Cadernos de Aplicação, 1 Bloco de Apuração Feminino com 25 folhas, 1 Bloco de Apuração Masculino com 25 folhas e 1 Bloco de Resposta com 25 folhas. 

Utilização: O inventário visa avaliar o indivíduo em 15 necessidades ou motivos psicológicos, a saber: Assistência, dominância, ordem, denegação, intracepção, desempenho, exibição, afago, mudança, persistência, agressão, deferência, autonomia, afiliação e heterossexualidade.
Autor: Efraim Rojas Boccalandro.

Faixa etária: Adolescentes e adultos, com escolaridade
a partir do ensino fundamental.

Aplicação: Individual ou coletiva.

Tempo de Aplicação: Limite de 15 minutos.

Tempo de correção: 10 minutos.

Material: manual, crivo de correção e exercício. 

Utilização: Utilizado em diversas áreas que estudam a atenção, como por exemplo
pesquisas, entrevistas de emprego e habilitação de condutores.

A consistência do desempenho introduz na avaliação a verificação da fadiga, a
resistência à monotonia e de modo indireto o interesse pelo tipo de trabalho realizado.
Autor: Nestor Efraim Rojas Boccalandro

Faixa etária: de acordo com a escolaridade da 5ª
série até universitários.

Aplicação: Individual ou coletiva

Tempo de Aplicação: Sem limite (em média 30 minutos).
Pode ser usado com tempo livre ou com tempo limitado
dependendo de sua finalidade.

Tempo de correção: Variável.

Material: Manual, bloco de resposta, exercício individual, conjunto de crivos.

Utilização: Utilizado para medir a capacidade cognitiva do sujeito. Apresenta itens em ordem crescente de dificuldade, envolvendo os seguintes raciocínios: compreensão de relação de identidade e raciocínio por analogia, analogia do tipo numérica com adição e subtração e mudança de posição, analogia espacial com mudança de posição. O sujeito escolhe a alternativa correta e a registra na folha apropriada. A correção é feita com crivos de acertos e erros, por meio dos quais poderemos obter quantitativamente o total de acertos e qualitativamente os tipos de erros cometidos pelo sujeito, considerando os diversos raciocínios exigidos para responder a cada item do teste.
Autores: Aaron T. Beck e colegas, do Center for Cognitive Therapy, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Pennsylvania (USA).

Adaptação Brasileira: Jurema Alcides Cunha.
 
Faixa etária: 17 a 80 anos de idade.
 
Aplicação: Individual ou coletiva.
 
Tempo de Aplicação: Aproximadamente 10 minutos para cada escala/inventário.
 
Tempo de correção: 2 a 5 minutos dependendo da escala utilizada.
 
Material: Manual, protocolos do BDI, BAI, BHS e BSI e crivo de correção da BHS.
 
Utilização: Utilizado para examinar possíveis transtornos da Personalidade, depressão, ansiedade, desesperança e ideação suicida. Todas as escalas são apropriadas para pacientes psiquiátricos. A BDI, o BAI e a BHS podem ser usadas em sujeitos não-psiquiátricos, mas, em geral, foram desenvolvidas para uso com pacientes psiquiátricos.
Autor: John N Buck. 

Adaptação Brasileira: Renato Cury Tardivo. 

Revisão Técnica: Irai Cristina Boccato Alves. 

Faixa etária: Crianças e adultos, com idade a partir dos 8 anos. 

Aplicação: Individual. 

Tempo de Aplicação: Em média de 30 a 90 minutos. 

Tempo de correção: Variável. 

Material: Manual e protocolo de interpretação. 

Utilização: Avalia as principais características da personalidade através da projeção de elementos da personalidade e de áreas de conflito dentro da situação terapêutica, permitindo que eles sejam identificados com o propósito de avaliação e usados para o estabelecimento de comunicação terapêutica. O sujeito faz desenhos estabelecidos pelo aplicador à mão livre seguido de um inquérito relativo às associações do sujeito sobre os aspectos de cada desenho.
 
 
Autor: Hans Zulliger. 

Adaptação Brasileira: Cícero Emidio Vaz. 

Faixa etária: de 16 a 66 anos. 

Aplicação: Coletiva. 

Tempo de Aplicação: Em média 20 minutos.

Tempo de correção: 10 a 15 minutos. 

Material: 1 Manual, 1 Anexo do Manual, 1 Protocolo de Aplicação e 1 Caderno de Aplicação Coletiva. 

Utilização: Uso Clínico, Seleção e Desenvolvimento Profissional e Orientação Vocacional/Profissional.
(Técnica das manchas de tinta de Zulliger)
Objetivos:  Avaliam a estrutura básica da personalidade,
a sua organização e suas principais características.
(Técnica das manchas de tinta de Rorschach)
(Teste de Apercepção Temática)
 
(House-Tree-Person/ Casa-Árvore-Pessoa)
(Teste de Atenção Concentrada)

Objetivo: Verificar a capacidade de atenção dos indivíduos.
Objetivos:
Medem a
capacidade
intelectual
do indivíduo.
(Teste de Inteligência não-verbal)
(Escala de inteligência Wechsler para adultos)
(Escala de inteligência Wechsler para crianças e adolescentes)

Objetivo:  

 Utilizados para avaliar possíveis  casos depressão, ansiedade, desesperança e/ou ideação suicida.
 
Inventário de Depressão de Beck (BDI), Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), Escala de Desesperança de Beck (BHS) e Escala de Ideação Suicida de Beck (BSI).

Objetivo: Avaliar as funções neuropsicológicas de percepção visual e memória imediata.
(Figuras complexas de Rey A e B) Teste de Cópia e de
Reprodução de Memória de Figuras Geométricas Complexas

Objetivo: Avaliar a maturidade percepto-motora.
(Teste Gestáltico Visomotor de Bender)
Objetivo: É um inventário da personalidade, de natureza verbal.
(Inventário Fatorial Personalidade)
Imagens/Figuras/Projeções:
Medidas Psicológicas/Dados Numéricos:
Avaliação quantitativa, sobre as características apontadas no teste, apresenta seus resultados com números ou porcentagens.
Avaliação qualitativa, onde o paciente é avaliado com base na figura apresentada que evoca elementos da sua personalidade/História/Subjetividade.
Apresenta resultados abertos.
"O Homer Vitruviano"
HTP
G-36

Testes
Pesquisados:

Colaboradores:
Vandré Silva de Araújo,

Pâmela Cristini Olczyk S,
Maiana Boeira da Rosa,
Carolina Giacomelli Pereira,
Carolina Fernanda Soares Villalva.
Te
st
es
de
Seleção/Desenvolvimento e
Orientação Profissional/Vocacional
QI:
Psicodiagnóstico:
Transtornos Psicopatológicos
Para que e onde estes testes são utilizados?
Avaliação do
Habilidades Específicas:
Patologias Específicas
Áreas de Utilização:
Pesquisas
A

B
C D
E F
G H
I J
K L
Centros de formação
de condutores:
Avaliações Psicológicas
e Neuropsicológicas.
Análise Judicial
Transtornos de
Personalidade:
Personas =
Máscaras
Avaliação da maturidade
percepto-motora
Sobre...
Os testes estudados
desvendam a estrutura
básica da personalidade
e a problemática
inconsciente do sujeito,
incluindo aspectos
cognitivos e afetivos,
colocando em evidência os
traços normais e patológicos
do indivíduo, as percepções
subjetivas do mundo, os
problemas psicopatológicos
(neuróticos ou psicóticos)
etc.
Rotular uma pessoa sem um acompanhamento profissional e responsável pode gerar conflitos, falsas idéias de si mesmo, podendo gerar sérios problemas psicológicos.
Os resultados de testes inválidos podem apontar características inexistentes no indivíduo e este, convencido pelo teste, pode crer nestes, sendo influenciado a crer em seus "rótulos" e diagnósticos, tomando decisões posteriores baseado neste falso teste...
Pare!
Meu Desenho
Professora: Luciana Backes
Professores / Orientadores auxiliares


Agradecimentos:
Colegas
?
Comparação das apresentações - Coerência do projeto.



Apresentação 1: Investigamos sites, testes supostamente psicológicos, estudamos as influências futuras dos
resultados na saúde mental e partimos para a conscientização.



Apresentação 1: Vimos que tínhamos que trabalhar de acordo com ética profissional e utilizando testes autorizados.



Apresentação 1: Abordamos as dúvidas sobre a temática dos testes online (Ilegais) e procuramos testes válidos
e fidedignos, além destas, tratamos de esclarecer alguns possíveis problemas da utilização destes testes.



Apresentação 1: Falamos da confiabilidade dos testes, dos sites do CRP, CFP, SATEPSI, CREDENCIAMENTO
DE SITES, dos testes válidos, da adequação à cultura da região, da aptidão dos psicólogos à utilização, da
legislação, do atendimento online, da vulgarização dos testes on-line, da segurança dos testes e demos
informações aos usuarios.



Abordamos alguns testes confiáveis, válidos, reconhecidos pelo CRP, que estão adequados à nossa cultura e
região, que estão de acordo com a legislação, que constam nas listas de aprovados do CFP e SATEPSI.
Nesta apresentação falamos de seus objetivos, onde e para que são utilizados e relembramos o perigo da
rotulação dos indivíduos a partir dos resultados destes testes. Relembrando que devem
ser utilizados por psicólogos aptos.
Problematização da Temática:
Certezas Provisórias:
Dúvidas temporárias e Resoluções:
Desenvolvimento do projeto:
Apresentação 2:
Tecnologias Utilizadas:
Psicologia
29 de Novembro de 2012
Vandré, Pâm, Maia e Carol'S
Home Studios....
Datas:
Como eu aprendi sobre Testes?
Cris Olczyk
29/11
Divulgar o blog
06/12
1
12
2
3
6
9
4
5
7
8
10
11
Luis Fernando Zambom
Prisla Ücker Calvetti
Lembranças
Fim
da
Apresentação
http://testespsi.blogspot.com.br/search?updated-min=2012-01-01T00:00:00-08:00&updated-max=2013-01-01T00:00:00-08:00&max-results=29
Full transcript