Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Aula Morango (16/11/2015)

No description
by

Alex Calori

on 15 December 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aula Morango (16/11/2015)

A cultura do Morango
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas - Muzambinho
Instituto Agronômico de Campinas
Campinas - SP
MSc. Alex Humberto Calori
Doutorando IAC - Campinas
Prof. Bráulio L. Alves Rezende
Prof. Raul Sartori
Roteiro da aula
Produção Mundial de Morango

Introdução
Produção mundial;
Produção nacional;
- Estados produtores;
A cultura do Morango
Importância sôcio-econômica.
Produção Nacional de Morango
Importância Sôcio-econômica
Estado de MG
31.000 pessoas
Produção Mundial de Morango
1º EUA
2º Turquia
3º Espanha
Geração de renda;
Fixação do homem no campo.

Estados produtores
Minas Gerais;
São Paulo
Rio Grand. do Sul;
Paraná.

±50%
Estatística precária
37 a 100 mil toneladas
Origem;
Botânica;
Clima e época de plantio;
Cultivares;
Solo e Adubação;
Implantação da cultura;
Tratos culturais;
Anomalias fisiológicas;
Controle fitossanitário;
Colheita e comerciali.
Retorno
Custo por hectare: R$ 60.000;
Produção: 40 t/ha;
Preço de venda: R$ 6,00/kg;
Receita: R$ 240.000;
Lucro: 180.000.
Planta herbácea, rasteira, perene, porém cultivada como anual;
Forma pequenas touceiras que aumentam de tamanho pela emissão de estolhos da planta-mãe;
Os estolhos enraizam, formando novas plantas;
Espécies selvagens: 50 milhões de anos;
Região meridional da Europa (Alpes franceses):
Século XIV: utilizado como ornamental;
Século XVII: expansão do cultivo;
Século XIX: cruzamentos de morangos - cultivares melhores.
Diferenças genéticas - Classificação
A classificação das espécies é de acordo com o número de cromossomos;
7 tipos básicos de cromossomos;
Espécies
Diplóides: dois conjuntos de 7 cromossomos;
Tetraplóides: quatro...;
Hexaplóides: seis...;
Octaplóides: oito...; (
Fragraria x ananassa
)
Decaplóides: dez...
Espécies com mais cromossomos:

MAIS ROBUSTA!
O morango no Brasil
Expansão na década de 60: Campinas (IAC);
Últimos anos: introdução de cultivares importadas;
Botânica
Botânica
Receptáculo floral:
após a fecundação tornan-se suculentos e carnudos (parte comestível);

Frutos:
pequenas estruturas escuras aderidas ao receptáculo - interesse de melhoristas.
Clima e época de plantio
Planta típica de clima frio. Não se adapta à ↑temp.
Regiões com altitude acima de 1.000 metros;
Temperatura
O cultivo e produção sofrem influência:
Fotoperíodo
Temperatura
A temperatura afeta o desenvolvimento vegetativo, a produção e a qualidade do morango. Fator ↑limitante;
Necessidade de número de horas frio - etapa de produção de matrízes;
O morango exige termoperiodicidade diária:

- Temperaturas diurnas amenas;
- Temperaturas noturnas baixas.
Temperatura
Temperatura elevada:

Morangos ácidos;
Pobre em sabor;
Com menor consistência.
Fotoperíodo
Dias curtos:
florescer e frutificar
Emissão de flores a partir de mai/jun;
Frutificação até nov/dez.
Dias longos:
vegetar
Início do plantio - crescimento;
Após a produção - emissão de estolhos.
Temperatura baixa:

Frio de madrugada:
morango com melhor sabor.
Geadas:
afeta frutos e flores, mas não a planta.
Botânica
Sistema radicular: fasciculado;

Folhas: composta por folíolos.

Planta perene! Mas os produtores preferem fazer novo plantio todo ano (outono).
Cultivar
IAC Campinas:
Responsável pela disseminação do cultvio no Brasil.
Adaptação aos cultivos nas mais diversas condições agroecológicas;
Morango exposto na planta - facilidade de colheita;
Bom tamanho, doce, firme, adocicado, pouco ácido;
Cálice destace-se facilmente;
Recomendado para o consumo ao natural, mas apresenta boa industrialização.

Cultivar
IAC Guarani:
Morango para a industrialização.
Morangos firmes que matém a forma após o processamento;

Cor vermelhor intensa - dispensa o uso de corantes para intensificação da cor;

Apresenta resistência à macha-da-folha (fungo).

Cultivar
Princesa Isabel,
Mantinqueira;
Camanducaia;
Oso grande;
AGF-80;
Leiko;
Dover;
Tudla;
Chandler;
Camarosa;
Sweet Charlie.

Antes de implantar a cultura:
Verificar a adaptação da cultivar na nova região produtora!
Solo e Adubação
Exigênte quanto às condições físicas e químicas do solo;

Adapta-se melhor - solos de texttura média;

Solos de alta fertilidade e de bom teor de matéria orgânica;

Faixa de pH ideal: 5,2 a 6,3;

Adubação organomineral incorporada no canteiro à uma profundidade de 10 a 12 cm.

Solo e Adubação
N, P e K
N e P: elevam significativamente a produtividade dos morangos, inclusive em solos de férteis;

K: Não tem mostrado efeito tão pronunciado na produtividade, mas é o macronutriente que mais favorece o aprimoramento da qualidade do morango.
Solo e Adubação
Cultura de ciclo longo (10 meses): aplicação de termofosfato magnesiano. Silício - ↑firmeza frutos;

Solos de ↓fertilidade: adubação elevada;

Período de vegetação:
aplicação foliar de N, na forma de uréia;

Período de produção:
↑aplicação de P e K, em relação ao N. Aplicação preventiva de B (frutos deformados).
Produção de estolhos
Estolhos: retirados das plantas durante o verão;

Plantio de estolhos em viveiro: 25 x 5 cm;

Transplantio: 20-30 dias após permanência no viveiro;

O enraizamento dos estolhos confere precocidade na colheita;

Plantio direto nos canteiros:
Menos recomendado!

Área comercial
Implantação da cultura
Matriz
Produção mudas
Área comercial
Produção de estolhos
Material genético vigoroso?
NÃO?
Produção de mudas - campo
PRÉ-REQUISITOS:

Utilização de mudas de alta qualidade genética e sanitária (livre de doenças);

Utilização de plantas matrizes, oriundas de cultura de meristema;

Produção/multiplicação em lugares com baixa incidência de doenças agressivas ao morangueiro;

Irrigação abundate - pegamento das mudas.

Produção de mudas
PRÉ-REQUISITOS:

Controle adequado das plantas ivasoras: concorrência por nutrientes e dificuldade de remoção das mudas;

No arranquio:

- Reduzir as folhas;
- Reduzir sistema radicular;
- Padronizar as mudas diâmetro coroa.

↑Padronização
Produção de mudas sem solo
Prática mais recomendada!

Matrizes colocadas em vasos - estolhos

↑controle da produção;
↓contaminação;
↑enraizamento dos estolhos;
Elimar flores - ↑estolhos;


Plantio definitivo: canteiros bem preparados - planta frágil;

Superfície do canteiro: 4 a 6 linhas - aspersão;

Espaçamento: 30x30 cm (mesa) ou 25x25 cm (indústria);

Planta-se mudas com torrão na mesma profundidade em que se encontravam;

Plantar com as raízes na vertical.

Cronograma de implantação
Janeiro/fevereiro:
preparo do solo, calagem e adubação; enviveiramento das mudas adquiridas;

Abril:
aplicação da adubação mineiral nos canteiros;

Abril/maio:
transplante das mudas e cobertura com plástico negro;

Julho
: colheita precoce (↑valorizada);

Novembro/dezembro:
colheita comercial.

Vernalização das mudas
Consiste em frigorificar os estolhos para plantio em regiões com temperaturas mais elevadas;

As plantas são submetidas a 1-2 ºC negativos, umidade realtiva do ar 90% durante 7-8 meses;

As plantas são transportadas a 12 ºC e aclimatadas na propriedade antes do transplante.
PRÁTICA NÃO MUITO USADA NO BRASIL
TRATOS CULTURAIS
Cobertura do Solo
Irrigação
Desbastes de folhas
Retirar um pouco das folhas:

- exposição dos frutos para colheita;

- controle de doenças fúngicas.
Elimanação de estolhos
Canteiros
Altos - ↑25 cm. Evitar o acúmulo de água da chuva;

Arredondados: evita o acúmulo de água;

Bem acabados, livres de pedras, torrões;

2 a 4 fileiras de linhas;

Pequena declividade no canteiro (1%).

Sistemas de produção
A céu aberto:
- Cobertura morta (casca de arroz, palhas, etc..);
-
Mulching
de lona plástica;
- Maravalha (casca de madeira).

Ambiente protegido:
- Túnel baixo;
- Túnel hermano;
- Túnel alto (estufa agrícola).
Solo e
Hidroponia.

Tipos de sistemas de produção
Aparecimento de estolhos nas colheitas finais - início dos dias longos:

- ↑ produtividade das últimas colheitas.
Palhadas
ou material sintético (plástico)
Aspersão x localizada
Palhas:
- conserva a umidade do solo;
-↓temperatura do solo e mantém constante;
- protege as raízes superficiais da planta;
- ↓ a incidência de plantas invasoras;
- evita o contato fruto-solo;
- pode ↑incidência de doenças.
Cobertura do Solo
Palhadas ou
material sintético
(plástico)
Plástico (preto ou branco):

- conserva a umidade do solo;
- pode ↑ a temperatura do solo (preto);
- protege as raízes superficiais da planta;
- impede a incidência de plantas invasoras;
- plástico preto pode promover injúria nos frutos.
Aspersão:
- menor custo;
- menos tecnificada;
- evitar encharcamento - ↑doenças.
Localizada:
- maior custo;
- mais tecnificada;
- mais eficiente.
Túnel baixo
Utilizado em regiões de clima muito frio
Protege a cultura contra geadas;
Evita o molhamento foliar noturno (sereno).
Área comercial
Muda platada muito rasa:
a planta tem dificuldade de fixação e emissão de novas raízes. Com a exposição ao sol a planta fica "desorientada". Desequilíbrio entre raíz x parte aérea;

Muda plantada muito fundo
: a planta tem dificuldade na emissão de novas folhas, o desenvolvimento é atrasado e ↓ a produtividade.

Anomalias fisiológicas
São mais difícieis de ocorrer na cultura do morangueiro. Porém, alguns fatores podem prejudicar o fruto do morango:

- Incidência de geadas;

- Fitotoxidade por herbicidas;

- Deficiência de micro-nutriente (Boro);

- Excesso fornecimento de N (Albinismo).

Cobertura do Solo
Palhadas ou
material sintético
(plástico)
Plástico (preto ou branco):

- ↓ incidência de fungos;
- ↑ incidência de ácaros e oídios;
- ↑ custo;
- colocar o plástico 40 dias após o plantio.
Túnel baixo
Não irrigar muito: evaporação cria um micro-clima no interior do túnel - ↑umidade;

Em dias chuvosos e de neblina o túnel pode permanecer fechado;
Cobertura do Passeio
Evita o acúmulo de água e lama nos carreadores.
Excessivo fornecimento de N
Deficiência de Boro
Controle fitossanitário
Doenças mais típicas:


Mancha-da-folha
(
Mycosphaerella fragariae
);
Controle
Uso de defensívos químicos
Fazer aplicações preventivas;
Usar produtos sistêmicos;
Respeitar o período de carência;
Substituir a cultura em áreas inapropriadas.
IDEAL? Não usar produtos químicos
Colheita
Início:
60-80 dias após o plantio;

Ponto da colheita:
coloração 75% (in natura) e totalmente vermelhor (indústria);

Período do dia:
manhã ou tarde.

Frequência:
a cada dois dias, ou diariamente.

Método:
manual e colhe-se com o cálice.

Colheita
O ponto da colheita pode variar em função:

- Da distância: produção-mercado;

- Do tempo de transporte;

- Das condições de armazenamento;

- Da cultivar.

FRUTO NÃO CLIMATÉRICO
Seleção/Classificação, Embalagem
Solo e Adubação
O morango é muito sensível a salidade;

Fazer o monitoramento da CE e não deixar ultrapassar 1,75 mS/cm a 25 ºC.
Solo e Adubação - Cobertura
Método de irrigação:

Aspersão:
fertilizante aplicado em furos feitos nos plásticos;

Gotejamento:
fertirrigação.
Formatos morango
Doenças pós-colheita

Doenças que se desenvolvem na pós-colheita;


Doenças associadas a ferimentos na pós-colheita.
Antracnose
"coração-vermelhor" ou "chocolate" (
Colletrotrichum fragariae
);

Mofo-cinzento
(
Botrytis cinerea
);


Ácaro rajado
(
Tetranychus urticae
).
Origem
Full transcript