Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Estrutura Social e Estratificação

No description
by

Silvia Beltrane Cintra

on 22 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Estrutura Social e Estratificação

Estrutura e estratificação social
A Sociedade Capitalista e as Classes Sociais

A organização da sociedade é também chamada de estrutura social. A estratificação social é uma das características dessa sociedade.
As estratificações sociais são produzidas historicamente e se expressam na organização das sociedades em sistemas de castas, estamentos ou classes.
Castas: ocorreu em diversas sociedades como Grécia, China, Japão e Índia. A hierarquização desse sistema é baseada em religião, etnia, cor, hereditariedade e ocupação.
"Não há excluídos, há inclusões perversas"
José de Souza Martins
Sociedades organizadas por estamentos
O sistema de estamentos ou estados constitui outra forma de estratificação social. A sociedade estamental é fundamentada nas relações recíprocas e hierárquicas com base na tradição, linhagem, vassalagem, honra e cavalheirismo. Essas categorias predominam no pensamento e na ação das pessoas, regulando as relações de poder e as relações econômicas. Exemplos: França no séc. XVIII e Feudalismo no séc. XVI
Pobreza:
Período medieval: era a condição de nascença e não critério econômicos e sociais que definiam a pobreza;
Século XVI: o pobre passa a ser uma "ameaça social", por isso o Estado "herda" a função de cuidar dos pobres, antes atribuída aos ricos;
Revolução Industrial XVIII e fortalecimento do liberalismo econômico: a pobreza passa a ser interpretada como sinônimo de preguiça e o pobre passa a ser o único responsável pelo seu destino;
Classes Sociais
Sociologicamente utiliza-se o termo na explicação da estrutura da sociedade capitalista com base na classificação ou hierarquização dos grupos sociais. Quando se consideram as profissões, é mais correto falar em categoria profissional dos professores, advogados, etc.
As classes sociais expressam a forma como as desigualdades se estruturam na sociedade capitalista.
Estratificação: maneira como os diferentes indivíduos são classificados em estratos (camadas).
A desintegração gradativa do sistema de castas, não significa que as normas e os costumes relacionados com a diferenciação em castas tenha desaparecido do cotidiano das pessoas.
As sociedades capitalistas caracterizam-se em grau variável, pelas desigualdades: na apropriação da riqueza, na participação política, na apropriação dos bens simbólicos.
A mobilidade social nas sociedades capitalistas é maior do que nas sociedades em castas ou estamentos, mas não é ampla quanto pode parecer.
http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1067/noticias/por-que-e-tao-desigual
Utilizando a filosofia marxista podemos afirmar que existem duas classes fundamentais: a burguesia, que personifica o capital, e o proletariado, que vive do trabalho assalariado. No entanto, não podemos reduzir a diversidade social a tal polaridade.
Para identificar as classes numa sociedade capitalista é necessário fazer uma análise da constituição histórica dessas classes e do modo como se enfretaram politicamente. Por isso, Marx analisou as classes sociais com base nas relações e nos conflitos entre elas.
A luta de classes não é somente o confronto armado, mas também todos os procedimentos institucionais, políticos, policiais, legais e ilegais que a classe dominante utiliza para manter o s
tatus quo.
Mais-valia é um conceito marxista fundamenta para entender a exploração do trabalhador pelo capitalista. Mais-valia: diferença entre o que o trabalhador produz e o valor do salário que ele recebe.
Mais-valia absoluta: aumento de horas de trabalho, ampliação das jornadas de trabalho, contratação de mais trabalhadores.
Mais -valia relativa: introdução de tecnologias visando o aumento da produção com o mesmo número de trabalhadores.
Acumulação de capital: parte do montante apropriado na produção de mercadorias é reaplicado e a outra parte é acumulado pelo capitalista.
Weber ao analisar a estratificação social:
Econômica
Social
Política
Classe é todo grupo humano que se encontra em igual situação de classe, tem as mesmas oportunidades, acesso a bens, posição social e um destino comum.
Diferentemente de Marx, Weber afirma que a luta de classes ocorre também dentro de uma mesma classe. Ele não vê a luta de classes como motor da história, mas como uma manifestação para manutenção de poder, renda ou prestígio.
Para autores como Kingsly Davis (1908-1997) e Wilbert E. Moore (1914-1987), o capitalismo só é dinâmico porque é desigual, e todas as políticas que propõem a igualdade de condições levam os indivíduos a não lutar por melhores posições.
Para José de Souza Martins podemos entender a expressão exclusão social com base em duas orientações opostos: transformadora e conservadora.
Transformadora:
para caracterizar a situação daqueles que estão na condição da classe trabalhadora, como explorados na sociedade capitalista.
Conservadora: defende a ideia de que é necessário adotar medidas econômicas e políticas que permitam integrar os excluídos na sociedade.
Full transcript