Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

QUALIDADE NA INDEXAÇÃO.

No description
by

emerson cruz

on 17 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of QUALIDADE NA INDEXAÇÃO.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA


QUALIDADE DA INDEXAÇÃO SEGUNDO LANCASTER E OUTROS AUTORES.

Emerson Da Cruz Ribeiro
Rayssa Layane Lopes de Lima
Washigton Assis Dias Costa e Silva
Zinete dos Santos Lopes

Orientadora: Mônica SUMÁRIO

1. NÍVEL QUALITATIVO DA INDEXAÇÃO
2. REVOCAÇÃO , PRECISÃO E SEUS DESDOBRAMENTOS
3. FALHAS COMUNS A INDEXAÇÃO
4. FATORES QUE INFLUEM NA QUALIDADE DA INDEXAÇÃO
5. QUALIDADE X COERÊNCIA E OUTRAS CONSEQUÊNCIAS
6. UNIVOCIDADE
7. CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS 1. NÍVEL QUALITATIVO DA INDEXAÇÃO.
Um bom nível de indexação é medido no momento que se permite recuperar itens de uma determinada base de dados ao ser consultado com precisão e resultados positivos na busca.
Strehl (1998, p. 329) corrobora com Lancaster ao afirmar que “o principal objetivo de um serviço de indexação de qualidade é assegurar a recuperação de qualquer documento ou informação no momento em que o usuário busca um assunto em um sistema de informações”. Desta forma erros ou inconsistências na indexação provocam resultados errôneos na recuperação de documentos, demandando maior tempo do usuário. Ficando inclusive, em desacordo com um dos princípios de Ranganathan que nos ensina a poupar o tempo do leitor. Outro fator importante para uma boa qualidade na indexação remete a uma boa concordância entre termos atribuídos pelo indexador e um grupo de termos ideais ou ótimos, aplicados pelo usuário no instante da busca. Essas informações no momento que são cruzadas resultam em respostas que medem o nível desta pesquisa e o que elas trouxeram para o usuário em termos positivos. 2. REVOCAÇÃO , PRECISÃO E SEUS DESDOBRAMENTOS.
O melhor parâmetro para se avaliar uma boa indexação está na revocação e precisão para obtermos um norte ao que cabe aperfeiçoar uma determinada necessidade do usuário.
Ao realizar a busca o indexador precisa entender o que o usuário realmente quer em sua pesquisa. Se o pedido apresentar uma representação imperfeita passa a ser irrelevante que todos os demais elementos sejam satisfatórios.
O que se pretende é obter o máximo de revocação, porém mantendo um nível aceitável de precisão inerente ao processo. Uma boa revocação e/ou precisão é resultado também da qualidade do vocabulário da base de dados, que por sua vez influi na qualidade da busca. Se for adotado um vocabulário controlado, não se poderá realizar uma busca que seja mais específica do que o vocabulário permite, embora se possa alcançar uma especificidade adicional mediante o emprego de termos usados no texto.
Lancaster (2003, p.88) acredita que tantos especialistas como aqueles que possuem pouco conhecimento temático, podem comprometer a qualidade da indexação. Os primeiros podem apresentar uma tendência a interpretar o conteúdo além do que o autor quis afirmar. Os últimos devido à incapacidade de distinguir entre dois termos, podendo atribuir a ambos algo que só seria correto em um documento apenas. 3. FALHAS COMUNS A INDEXAÇÃO.
Eis alguns principais fatores negativos que depõe contra a política da boa indexação:

•O indexador deixa de reconhecer um tópico que se reveste de interesse potencial para o grupo de usuário atendido.
•Na tradução deixa de utilizar o termo mais específico disponível para representar um assunto. O que na maioria dos casos significa que o termo selecionado não é o mais específico existente.
•Se um indexador deixa de atribuir um termo X quando este deveria ter sido ocorrerão deficiências na revocação. Se for Y o termo atribuído quando deveria ter sido X, ocorrerão falhas tanto na revocação quanto na precisão. O documento será recuperado em buscas de X, que deveria ser, mas também em buscas de Y, quando não deveria ter sido. . 4.FATORES QUE INFLUEM NA QUALIDADE DA INDEXAÇÃO 5. QUALIDADE X COERÊNCIA E OUTRAS CONSEQUÊNCIAS.

Coerência é à medida que diz respeito a dois ou mais indexadores. Se três indexadores costumam concordar entre si, porém um quarto indexa de forma bastante diferente, a tendência é acreditarmos no consenso.
A indexação qualitativa é atrelada diretamente a uma boa coerência. Que por sua vez remete a um controle permanente da qualidade das atividades de indexação e principalmente pela própria seleção ou treinamento destes profissionais.
Além destes elementos é fundamental determinar se a coerência é ou não menor no tratamento de certas áreas temáticas ou tipos de documentos. Dentro destas perspectivas que giram em torno da qualidade e coerência, a questão do vocabulário trás em sua essência um nível de dificuldade para o trabalho de alguns indexadores menos atentos.
De acordo com NUNES ( 2000,p.107 ), dominar fragmentariamente o vocabulário acarretará na queda da qualidade da indexação. A terminologia realiza o controle da significação das palavras de um dado domínio de especialidade para viabilizar a comunicação e a transferência de informações.
6.UNIVOCIDADE.

A univocidade, ou seja, aquilo que é permitido a ter um único tipo de interpretação, é segundo NUNES ( 2002, p.187), uma maneira de levarmos em conta a crença destes fatores na representação que se segue:
A idéia que seja possível precisar inequivocadamente o sentido de um termo significa aprisionar-lhe o sentido, impedindo que o mesmo continue tendo vida, isto é, venha incorporar variações semânticas decorrentes do próprio processo de investigação e produção de novos conhecimentos.
O ideal de univocidade na representação temática e conseqüentemente da informação, não pode ser abordado por uma perspectiva unívoca sendo oposta ao caráter dinâmico e multidisciplinar do conhecimento. 7. CONCLUSÃO.

O universo da área do conhecimento requer habilidades e um refinado conhecimento de mundo para lidar com questões referentes à indexação e seu grau maior de importância. Pois uma boa qualidade de indexação requer exclusivamente do nível do profissional que possua uma base sólida e coerente em suas decisões, ao inter-relacionar sua experiência como indexador e mediador entre o usuário e as necessidades informacionais pretendidas. REFERÊNCIAS

ALVARES, Lillian. Indexação.
Disponível em:<http://www.alvarestech.com/lillian/Analise/Modulo4/Aula42indexacao.pdf.>
Acesso em 07 de set. 2012.

BERNADINO, Maria Cleide Rodrigues. SILVA, Elieny do Nascimento et al. representação temática da informação em periódicos científicos brasileiros na área de ciência da informação. Disponível em: <http://febab.org.br/congressos/index.php/cbbd/xxiv/paper/viewFile/188/413> Acesso em 08 de set. 2012.

LANCASTER, F.W. Indexação e resumos: teoria e prática. Brasilia: Briquet de Lemos, 2004.

VIEIRA, Carla Tatiane. Qualidade na representação temática: algumas considerações. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/18725/000549272.pdf?sequence=1>. Acesso em 09 de set. 2012. OBRIGADO POR NOS INDEXAR!!! Lancaster ( 2003, p.22 ), também adverte que o indexador não deve realizar a análise conceitual sob a influência do vocabulário, por acreditar que isto poderá impedir a compreensão do contexto do documento e sua adequada representação.
Smit, Tálamo e Kobashi ( 2004 ) não são otimistas em relação as dificuldades a serem enfrentadas no âmbito da ciência da informação, pois afirmam está baseadas, em frágeis princípios teórico-metodológico, como poderemos ver em sua assertiva:
[...]não existe um acordo fundamental e uma linguagem de especialidade de natureza científica que comunique uma realidade integrada. A fragmentação conceitual, o recurso constante a terminologias de outras áreas, a ausência de um projeto de consolidação acabam retardando o desenvolvimento da área.
Full transcript