Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Copy of O Fantático na Ilha de Santa Catarina

No description
by

Beatriz Wenderlich

on 12 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Copy of O Fantático na Ilha de Santa Catarina

Franklin Joaquim Cascaes nasceu no município de São José, no bairro de Itaguaçu, em Florianópolis, Santa Catarina, no dia 16 de outubro de 1908. Filho de Joaquim Serafim Cascaes e Maria Catarina Cascaes. Dedicou sua vida aos estudos da cultura, folclore, cultura, lendas e superstições do povo açoriano que vivia em Florianópolis. Criou esculturas,desenhos,cadernos, além de manuscritos e livros em que a vida da Ilha está registrada.
FRANKLIN CASCAES
Balanço Bruxólico
Já o conto fala sobre um homem que possui uma plantação na qual fatos estranhos andam ocorrendo. O dono da plantação desconfia de que sejam atos bruxólicos devido ao balanço recorrente em uma árvore na plantação. Ele tem medo de cortá-la e se ‘embruxar’.
Então, pede ajuda a um amigo, esse resolve cortar o cipó que envolvia a árvore balançante. Mas pouco tempo depois ele aparece enfeitiçado. O fazendeiro, então, chama uma bruxa para
resolver o problema, que
mesmo com sua reza, não
consegue livrar o homem
do feitiço ou “embruxamento”.
Nesse conto, evidencia-se a
ferramenta comum às beatas
e bruxas: a reza. Quando
uma não dá conta da
demanda, convoca-se a outra.

Na obra de CASCAES (1981), existem diversos tipos de bruxas. Das mais pobres, até aquelas que possuem cultura.
As bruxas do imaginário da cultura açoriana de Florianópolis podem ser lidas como um reconhecimento do poder do feminino. Reconhecimento esse não permitido por muitos anos, que encontra-se revelado na Arte.
Eleições Bruxólicas
O conto Eleição Bruxólica narra a
conversa de homens sobre a eleição
para deputado. Eles comentam sobre
as propostas, como são os candidatos,
o que estão fazendo para ajudar a
população e, ainda, o que esse candidato
dará em troca. Quando em uma visita à um dos candidatos, um deles lembra das histórias que sua bisavó contava sobre as eleições das bruxas.
Era uma eleição muito
mais organizada,
democrática, qualquer
uma poderia participar.
Alunos: Beatriz W. , Gabriel R. , Hiago S. e Rafael E.
Turma: 303
O Fantástico na Ilha de Santa Catarina
O conto pode ser lido como uma contraposição dos gêneros e suas mentalidades. Os personagens e o conflito são primordialmente do universo masculino e, ao mesmo tempo, o comentário final exalta as mulheres, através das figuras das bruxas, como melhores governantes do que os homens.
Cascaes diz que“As casas das bruxas eram frequentadíssimas, de gente que ia buscar remédio: elas faziam aquelas garrafadas de erva, tiravam sorte, viam remédio que servia para curar, baixar espírito, acendiam um montão de velas por debaixo daqueles cafezais que até se tornava medonho, parecia um cemitério em dia de Finados.”
Conteúdo:
Eleição Bruxólica;
Congresso Bruxólico;
Mulheres Bruxas Atacam Cavalos;
Baile de Bruxas Dentro de Uma Tarrafa de Pescaria;
Estado Fadórico da Mulheres Bruxas;
Vassoura Bruxólica;
Orquetra Selenita Bruxólica;
As Bruxas Roubam a Lancha Baleeira de um Pescador da Ilha;
Lamparina e Catuto em Metamorfose;
Bruxas Atacam um Pescador;
A Bruxa Roubou Meio Alqueire Feito Armadilha para Apanhá-la.
O livro
O autor passou mais de trinta anos estudando todas as manifestações culturais que se operam na Ilha de Santa Catarina. Da pesca da tainha à cerâmica, dos cantos aos engenhos de farinha e açúcar, aprofundou, sobretudo, o estudo que trata das lendas, através de um desenho fantástico, cujo sentido mítico dimensiona uma criatividade genuína e profunda.

Franklin Cascaes acrescentava elementos atuais à lendas da Ilha de Santa Catarina em um texto que flui a linguagem descontraída na lendária visão de elementos ilhéus e gregos, misturando realidade tecnológica com sonhos do pescador. Este acervo de escritos não se limita às histórias. Há inúmeras outras informações relativas à saúde, aos hábitos alimentares, às atividades de subsistência, às brincadeiras, à religião, às crendices etc.
Em seu livro, o conteúdo é dividido em pequenos contos sobrenaturais e sendo um tanto quanto engraçados. Como Eleição bruxólica, Baile de bruxas dentro de uma tarrafa de pescaria e Vassoura bruxólica.
*
*
• No ano de 2011, a Grande Rio usou a obra de Franklin Cascaes para o criar o samba-enredo para o carnaval, que dizia "Meu Rio te abraça... Floripa tão bela, a tua história virou carnaval. Essa ponte é a luz na passarela, é obra-prima... Esse cartão postal."

A cultura da ilha é admirada no Brasil inteiro graças à Cascaes.
Curiosidade:
• Livro lançado originalmente em 1979, em dois volumes, com 24 contos.
Full transcript