Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Baixa idade média

No description
by

Daniela Guimarães

on 3 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Baixa idade média

Cidades e Mapas
Teóricos Urbanistas
Características
das Cidades
As Cidades na Baixa idade média
Baixa Idade Média (séc. XI-XV)
Período que se estende desde a primeira Cruzada até a centralização do poder real e a expansão ultramarina europeia. Nesta fase tem-se o renascimento comercial e urbano, orientando assim a vida econômica e o reaparecimento das cidades.
Contexto Histórico

No séc XI a sociedade estava mergulhada numa grave crise.
O arroteamento de terras, principalmente com a drenagem de pântanos, e algumas importantes inovações técnicas na agricultura, tais como o novo sistema de aragem, fertilização, rotação de culturas e moinho hidráulico, haviam provocado um aumento na produção de alimentos.
Isso resultou no crescimento populacional, todavia, um segundo momento, a produção de alimentos já não conseguia acompanhar o crescimento populacional, gerando sangrentas lutas pelas terras dos senhores feudais

Queda do Feudalismo
''Nascimento da Burguesia''
Quem eram os burgueses: Comerciantes e Artesãos.
As Cruzadas influenciaram para que o comércio dos burgueses aumentasse. Quando os cavaleiros dominavam territórios islâmicos, chegavam a saquear produtos valiosos como joias, tecidos e temperos e os comercializavam no caminho.
Aos poucos começaram a aparecer os BURGOS, recintos amuralhados de perímetro pouco extenso, em cujo centro se erguia uma torre com a guarnição de defesa, além do castelo do senhor feudal.

Os burgos desenvolveram-se pelo processo de troca de produtos entre um feudo e outro. Os produtores levavam seus produtos até o burgo (que ficava "dentro" de um feudo) e lá faziam
uma espécie de feira
trocando seus produtos por outros ou por dinheiro. Seus habitantes eram chamados de burgueses, crescendo em poder econômico de modo que no século XIX formaram a burguesia.
Esquema de um Burgo
Feira dentro dos burgos
Os burgos , por se localizar nas terras dos senhores feudais, eram obrigados a pagar taxas.
Com o tempo, os cidadãos, artesãos e comerciantes passaram a exigir o direto de autogoverno. Isso significava que as cidades fariam suas próprias leis, criariam suas próprias taxas, escolheriam seus governantes, etc. Estes conseguiram se tornar independentes dos senhores feudais por meio de luta armada ou pela compra de autonomia, essas cidades livres formadas foram denominadas Comunas .
Cidade livre: Nördlingen, na Alemanha
As cidades eram protegidas por muralhas, que serviam para protegê-la das invasões de bandidos.

As cidades medievais eram superlotadas, barulhentas e escuras.
Só as ruas mais largas eram pavimentadas. As outras na maioria das vezes, eram apenas vielas estreitas, sujas, com esterco e lama.
As casas muitas vezes eram transformadas pelos comerciantes em bancas de mercadoria.
As ruas ficavam repletas de pessoas: ferreiros, sapateiros, vendedores...
Ficavam também cheias de animais: cães, mulas, porcos, cavalos, galinhas…
Praça medieval, séculos XII-XIII
Nas cidades ocorriam castrações, enforcamentos e amputações, em praça pública, e a população assistia ao espetáculo de tortura.
Dentro dos limites cercados das cidades, os terrenos eram caríssimos, e procurava-se aproveitar cada centímetro.
As construções, em geral de madeira, tornaram o perigo de incêndio constante.
Uma das soluções adotadas para reduzir a sujeira das cidades foi a pavimentação das ruas. Paris, em 1185, foi a primeira cidade a ter suas ruas calçadas com pedras.
Apesar de conhecida como ''Idade das Trevas'', foi na Idade Media de fato surgiu as escolas. Por volta do ano 1050, as escolas foram superadas por uma instituição mais dinamica:
A universidade.

Dois Grandes exemplos:
- Bolonha , Itália
- Paris, França

As cidades não possuíam jardins públicos; eles eram sempre particulares.
Qualquer espaço útil tinha uso funcional – obtenção de alimentos ou ervas medicinais.
Os dois estilos básicos de jardim foram os monacais e mouriscos.
Cidade de Carcassonne, França.
Jardim Mourisco
Jardim Monacais
Os banhos públicos foram preservados desde a época de Roma, mas só os ricos tinham as suas próprias latrinas e fossas.

As pessoas viviam em péssimas condições sanitárias. O lixo era despejado nas ruas, e até que a chuva lavasse a sugeira, formavam-se montes de detrito. A água dos rios e poços que abasteciam a cidade era frequentemente contaminada, ocasionando doenças.




Igrejas, Casas (geralmente de pedras), Castelo Senhoral.
Hospital, Estalagem para forasteiros, asilo para inválidos e pobres,
Balanças Públicas, Feiras, Fornos, Lagares, Açougues.
Função econômica: Praças, Mercados, Ruas de artesãos e mercadores agrupados, Moinhos Urbanos e Suburbanos.
Justiça: Tribunais, Prisões, Pelourinho, Pátibulo (extra muros).
Cruzamentos, Praças (geralmente associadas ao mercado e outros equipamentos como o chafariz)
Bordeis, Cemitérios Intraurbanos (locais de reunião e cultos religiosos), Paços municipais, Casa de senhores importantes chamadas de SALAS, Mosteiros (funcionaram como elemento importante na manutenção da arte e jardinagem)

As cidades tinham uma igreja no centro, normalmente a estrutura mais alta e cara, geralmente do estilo gótico. Os edifícios governamentais e as casas da classe alta localizavam-se junto à igreja e as casas da classe pobre junto às muralhas, que limitavam o espaço destas cidades medievais.
As Novas Cidades da Baixa Idade Média

Muitas cidades menores foram fundadas na Baixa Idade Média, e suas formas foram fixadas desde a fundação.
Elas tinham todas as formas possíveis. Estudiosos tentaram classifica-las em vários tipos: lineares, circulares, radiocêntricos, em tabuleiro etc.; mas não conseguiram encontrar uma causa constante pela qual se escolhe um tipo de cidade.
Não tem uma regra geral, mas se leva em conta vários fatores, como: a natureza do terreno, tradição local, sugestões exóticas, simbolismo sagrado e profano, entre outros fatores.
Cidades Novas Tcheco-eslovacas
Pilsen
Kolin
Unicov
Iglau

Cidades Novas Tcheco-eslovacas
Budweis
Novy Jicin

Klattau
Wodnian
Morawska

Domazlice

Mas afinal, quem fundava as cidades ?
O Rei, o Feudatário, o Abade, ou o Governo de uma Cidade-Estado, o proprietário do terreno pode traçar o desenho da cidade em todos os detalhes: O equilíbrio entre espaços publicos e privados.
Nas cidades existentes na baixa idade media esse equilíbrio era obtido com dificuldade, porém nas novas cidades, ele pode ser planejado e calculado antecipadamente.
Cidade Planejada: New Salisbury em Wiltshire, fundada em 1219
Casa do Bispo
Casa Moradores
Biblioteca

Escola
Parque verde

Igreja
Claustro
Patio de seviço
Entrada da cidade
Fundada por Luke de Thenney para o Rei da Inglaterra. Beaumont du Périgord, 1272.
Na Baixa Idade Média muitas cidades que foram fundadas na Antiguidade ou Alta Idade Média foram readaptadas devido ao elevado crescimento demográfico. Veneza, Bruges, Bolonha e Florença são exemplos dessas cidades.
Florença
Veneza
(Idade Média)
''A arte misteriosa de desenhar uma cidade, diferentemente da arte de desenhar um edifício foi esquecida antes de poder ser teorizada nos desenhos e nos livros.''
Leonardo Benevolo.
História da Cidade

A Influência da Igreja
Estrutura Geral de uma Cidade Medieval
A canalização da água não era recomendada pelas oficialidades, que temiam a desvantagem de tornar as cidades vulneráveis a sabotagens de exércitos inimigos. Só em 1236, Londres começou a trazer água para a cidade em aquedutos.
A Universidade de Paris
Haguenau, as três muralhas
1300 d.C.
Full transcript