Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Stephen Koch, Oficina de escritores: um manual para a arte da ficção

Apresentação elaborada para a cadeira de Red. Exp. Oral 3, Grupo: Sofia Silva, Aline Sant'Ana, Renan Guerra e Tati Sousa
by

sofia silva

on 18 May 2011

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Stephen Koch, Oficina de escritores: um manual para a arte da ficção

Comece Agora!! Você vai persistir até acertar. A escrita torna tudo isso possível. Martins Amis Nabokov •Um lampejo, uma pulsação, um formigamento.
•A obrigação de escrever também influencia na produção literária.
•Não se pode conhecer a história até que ela seja contada. Isabel Allende Oficina de Escritores:
um manual para a arte da ficção Stephen Kock •Os escritores usam metáforas de todo tipo para descrever o despertar da imaginação.
•Embora não seja possível fazer as ideias surgirem à força, pode-se persuadi-las a se apresentar.
•O processo de escrita, do início ao fim, requer que você ora adote uma atitude intuitiva, sonhadora, aberta, passiva, ora adote critérios elaborados, refletidos, plenamente desenvolvidos, e assuma o controle. •Não tente assumir cedo demais o controle da sua idéia. Comece deixando que ela assuma o controle sobre você.
•A certa altura, uma idéia devidamente cultivada se tornará irresistível e ocupará toda a sua mente. Escreva sobre
“o que você conhece” O conselho mais conhecido sobre como escrever é: Gabriel García Marques “Se tivesse que dar um conselho a um jovem escritor, diria que escrevesse sobre algo que lhe aconteceu; é fácil perceber se um escritor está escrevendo sobre algo que lhe aconteceu ou sobre algo que leu ou ouviu falar...Diverte-me que elogiem minha obra sobretudo pela imaginação, quando na verdade não nela uma única linha que não se baseie na realidade” John Irving “Começo contando a verdade, lembrando-me de pessoas reais, parentes e amigos. O cenário é repleto de detalhes, mas as pessoas não são suficientemente interessantes – elas não têm muito a ver umas com as outras; o que me inquieta e aborrece é certamente a ausência de enredo...Então acabo encontrando algo que passo a exagerar um pouco; gradualmente, forma-se uma autobiografia que está a caminho de se transformar em mentira. A mentira é sem dúvida mais interessante. Fico mais interessado na parte da história que estou inventando, no ‘parente’ que nunca tive. Depois, começo a pensar no romance; e esse é o fim do diário. Prometo que começarei outro tão logo termine o romance. Então, a mesma coisa acontece; as mentiras se tornam mais interessantes – sempre” Onde encontrar sua história? Tente a infância: 
um berçário de narrativas Anne Lamott “Mergulhe de cabeça e anote todas as suas lembranças com a maior fidelidade possível. Flannery O’Connor disse que qualquer pessoa que tenha sobrevivido à infância tem material suficiente para escrever para o resto da vida” Como inventar sua história: Você só pode criar uma história quando a encontra, e só pode encontrá-la quando a cria. A raiz latina da palavra “inventar” significa “encontrar. Eis algumas ferramentas essenciais:

1-Encontra a motivação.
As personagens não agem sem uma motivação. “Quando você exclui o enredo, quando exclui a possibilidade de alguém querer alguma coisa, exclui também o leitor...Você também pode excluir o leitor quando não revela de imediato onde a história se passa, quem são as pessoas...Provocar-lhe sono se nunca colocar as personagens em confronto. Os alunos costumam dizer que não armam confrontos porque, na vida moderna, as pessoas os evitam. 'A vida moderna é tão solitária!', dizem eles. Isso é preguiça. É tarefa do escritor armar confrontos, criar oportunidades para que os personagens digam coisas surpreendentes e reveladoras, para que nos instruam e entretenham a todos. Se um escritor não faz isso, ele deve abandonar o ofício” Somerset Maugham 2-Procure um começo – ou um fim.
A intuição é tudo. Você e seus cadernos Truman Capote “Houve uma época em que costumava escrever esboços de histórias emmeu cadernos. Mas acabei achando que isso de algum modo enfraquecia a idéia na minha imaginação. Se a idéia for suficientemente boa, se ela realmente pertencer a você, será impossível esquecê-la – ela o perseguirá até que seja escrita” O caderno pode ser de inestimável ajuda para manter o escritor em atividade quando está bloqueado.
A regra deve ser: anote imediatamente. Nunca confie na memória. Ponha tudo no papel.
Antes de fazer o trabalho principal e enquanto o faz, prepare seus cadernos. É preciso estar o tempo todo “preparo” e “preparando”mais de um projeto. Um escritor deve escrever sempre. Use seus cadernos como sementeira.
Se ficar paralisado numa cena ou numa personagem, recorra ao doce anonimato do caderno e exponha exaustivamente o problema.
Seu Grafton mantém um diário enquanto escreve cada um de seus romances. Conto ou Romance?? O conto e o romance são formas muito diferentes. Os dois são, por certo, narrativo em prosa, mas com freqüência discorrem sobre coisas de natureza diversa. Todo romance deve apresentar uma sequência de acontecimentos. Sua essência compõe-se de movimento e mudança.
O conto, assim como um poema lírico, pode ser relativamente estático. Dicas para a primeira versão 1ª coisa – FAÇA
2ª coisa – FAÇA LOGO PRIMEIRA VERSÃO Eloqüência Rapidez Como exemplo, Koch traz a fala de Hemingway ao afirmar que “a única coisa que realmente importa no tocante à primeira versão é concluí-la.”
Quanto à eloqüência do texto, o autor cita Stephen King, para quem a obra deve ser feita em seguimento ininterrupto, de maneira rápida e abrangente. “Depois, com o tempo, seguimos para a revisão e damos atenção aos detalhes”, aconselha. VOCÊ NÃO TEM TEMPO? ARRANJE! (Koch)
NÃO É DIFÍCIL SÓ AGORA. SERÁ DIFÍCIL SEMPRE! (Koch) A princípio, rapidez e a eloqüência não estão em concordância com o fator perfeição. Para isso, Koch julga ser fundamental não darmos muita importância para a perfeição. “Neste momento a perfeição é sua inimiga, simplesmente porque é um obstáculo à conclusão do texto.” (Koch) “Escreva tudo. Despeje-se na página. Escreva uma primeira versão terrivelmente fraca, auto-indulgente, lamurienta e choramingas. Depois tire os excessos, o mais que puder.” “Escreva do modo mais livre e rápido possível.” (John Steinbeck) Para Christopher Isherwood, a escrita rápida dificulta o apelo material ao subconsciente, interrompendo assim, seu fluxo.
“ Se ficar bloqueado, escreva em meio ao problema.” (C. Isherwood) “Começa sempre como uma rotina a nossa vida na faculdade. Naqueles primeiros dias em que ninguém se conhece, a gente se apega às bizarrices e na conjuntura (ou desconjuntara) dos elementos de sala. Mas nem sempre... o que eu quero dizer é que a própria imparcialidade do destino surpresa que temos ao conhecer outras pessoas, já é tão comum e repetido, que se torna uma rotina e que assim também será a vida da faculdade – surpresas que já eram previstas. Falar de drogas, muitas drogas, sexo, sexualidade, talvez mais sexo do que sexualidade... E talvez assim encontramos um lugar comum, mas nem tanto, para encaixar a nossa liberdade.” “A primeira versão provavelmente será de arestas, balbuciante, desengonçada, (...) mas essas partes assinalam onde é necessário para que as palavras expressem exatamente o que você quer.” Philip Roth TRANSGRESSÃO E PERMISSÃO
IMITAÇÃO E ORIGINALIDADE A coragem é colocada por Koch como um pressuposto à escrita e à inspiração. Para isso, cita alguns livros básicos onde as técnicas para a escrita começa exatamente pela coragem : Bird by Bird, de Anne Lamott e Becoming a writer, de Dorothea Brande. Crédito pré-aprovado Vontade Criatividade A coragem também está relacionada
ao fato de libertar-se de suas próprias limitações. “não sabia que era permitido escrever esse tipo de coisa”, em menção as primeiras linhas de Metamorfose, de Kafka. “Acredito que toda forma de arte é uma forma de exploração e transgressão.”
(Joyce Carol Oates)

“Buscar a coragem de se expressar a seu modo, e ao mesmo tempo, procurar orientação para fazê-lo parece um paradoxo, mas não é. Encontra-se o próprio estilo.”
(koch) CHOQUE DE RECONHECIMENTO “O jeito é transformar a palha poeirenta da incerteza e do medo no ouro puro da clareza e da convicção. É tarefa para uma vida toda." Grupo:
Aline Sant'Ana
Renan Guerra
Sofia Silva
Tati Souza
Full transcript