Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Texto Dramático e Processos do Cómico

Interpretação de um texto dramático e análise dos processos do cómico utilizados.
by

Alexandre Silva

on 25 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Texto Dramático e Processos do Cómico

Modo dramático Texto literário Vanessa vai à luta Cena VI Noite. VANESSA sozinha, sentada a uma mesa pequenina onde faz os trabalhos de casa, com a metralhadora do RODRIGO pousada ao lado dela, finge estar a escrever uma carta.
VANESSA Querido ou querida, irmão ou irmã. Isto é um bocado parvo estar a escrever-te uma carta que nem sei para onde hei de mandar. Outro problema é que eu ainda não sei escrever, só sei o a, o e, o i, o o e o u e o v de Vanessa e o n e o s, que é assim uma cobra, e também sei escrever o nome do Rodrigo e do pai e da mãe e o da professora, que é difícil como o caraças, porque ela se chama Frederica e eu já sei escrever um bocado do nome. Mas ainda não sei todo. E é só ela começar a dizer as letras e dá-me um sono... A mãe diz que ainda estás no céu e que ainda não se sabe se és rapaz ou rapariga, também diz que estás dentro da barriga dela... (deixa de escrever, fala para cima) e eu queria só dizer que, se ainda não escolheste se queres ser rapaz ou rapariga, é melhor vires como rapaz, senão estás bem lixada. A primeira coisa que te fazem é pôr-te uns vestidinhos e umas meias e tu andas o tempo todo a rapar um frio do caraças. Ainda por cima dizem para estares quieta que é para não sujares a porcaria do vestido. Depois obrigam-te a andar com o cabelo comprido e quando te penteiam arrepelam-te o cabelo e dói como o caraças. Depois há uma data de coisas que não podes fazer, senão dizem que és uma maria-rapaz e que os rapazes não gostam de ti. E por mais que faças, os rapazes não gostam de ti na mesma, porque andam lá entretidos nas coisas deles, à pancada e a jogar à bola e coisas assim. E se nós também queremos andar a brincar à pancada, porque é bué divertido, não se pode, porque não somos rapazes. Digo-te que é uma grande chatice e se puderes escolher e ainda for a tempo, vem como rapaz. Depois, quando estás à espera que o Pai Natal te dê um jeep porreiro, ou um fato de ninja para o Action Man, apanhas com um aspirador em cima para ajudares a tua mãe a limpar a casa. E ainda levas um espanador e um serviço de chá para as bonecas. E enquanto o parvalhão do Rodrigo está todo contente a ver o TV Shop, a tua mãe vem-te chamar para limpares a loiça ou fazer uma coisa qualquer... E para conseguires uma metralhadora, que nem sequer é a sério, tens que pedir e pedir e pedir e... toda a gente te diz que és uma menina. Interpretação 1. Considerando o número de personagens, indica qual será o modo de representação do discurso presente nesta cena: a. Diálogo b. Monólogo 2. Aponta o destinatário da carta que Vanessa "escreve". O/a irmão/ã que ainda não nasceu. 3. Qual te parece ser a idade de Vanessa? Porquê? Poderá ter seis ou sete anos, porque ainda está a aprender a ler e já sabe escrever algumas palavras. 4. Caracteriza o discurso de Vanessa, relacionando-o com a sua idade e a situação em que foi produzido. Deves referir o registo de língua predominante (consulta a página 236). A idade da personagem e a situação em que se encontra (sozinha, a "conversar" com um/a irmão/ã) justificam o vocabulário simples, incluindo palavras e expressões familiares e frases pouco elaboradas. Predomina um registo familiar. 5. Caracteriza, psicologicamente, Vanessa a partir das suas palavras. A partir das suas palavras, podemos concluir que ela é contestatária, observadora, irrequieta, protetora, "maria-rapaz", insistente. 6. Indica três razões que levam Vanessa a aconselhar o/a irmão/ã a "escolher" ser rapaz. As brincadeiras dos rapazes são mais divertidas, as prendas deles não são relacionadas com tarefas domésticas e eles podem ver televisão sem serem incomodados. 7. Comenta a intenção crítica deste texto. Neste texto, Vanessa critica o tratamento desigual entre géneros.
"... se ainda não escolheste se queres ser rapaz ou rapariga, é melhor vires como rapaz, senão estás bem lixada." (linhas 15 a 17).
"... se nós também queremos andar a brincar à pancada, porque é bué divertido, não se pode, porque não somos rapazes." (linhas 27 a 29). Como podem observar no esquema abaixo, numa comédia existem diversos processos para provocar o riso. Processos do Cómico Cómico de situação As ações da personagem provocam o riso. Cómico de caráter O efeito cómico deriva da personalidade ou da forma como a personagem se apresenta em cena. Cómico de linguagem O riso é originado pela forma de expressão, vocabulário ou discurso da personagem. Na tua opinião, algum destes processos do cómico surge neste texto? Neste texto, poderá considerar-se o recurso ao cómico de linguagem para provocar o riso. pág. 192
Full transcript