Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Freud e a compreensão dos sonhos

No description
by

cátia silva

on 24 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Freud e a compreensão dos sonhos

Perspetiva de Freud
O sonho é a realização alucinatória de um desejo.
Freud e a compreensão dos sonhos
A verdadeira necessidade é satisfeita através da realização alucinatória e o desejo aparece camuflado no sonho.
Os sonhos das crianças não se encontram distorcidos da mesma maneira que os sonhos dos adultos.
São os resíduos dos acontecimentos diários que são incorporados no sonho: fatores internos, externos e do banco de memória que ainda não foram digeridos são trabalhados no sonho.

Dois elementos nos sonhos:


* O material dos sonhos é oculto - está no
pré-consciente;




* Os sonhos recapitulam memórias da infância.



Condensação - processo no qual duas ou mais imagens se combinam, formando uma só;

Deslocamento - algo importante é deslocado para algo aparentemente comum, e mais uma vez, só por intermédio das associações é possível descobrir onde reside o afeto.
A condensação e o deslocamento são os dois mecanismos mais comuns descritos por Freud, embora ele mencione outros, como por exemplo, o representar algo pelo seu oposto.
O sonho incorpora três tipos de estímulos do mundo real:
Desenvolvimentos na pesquisa dos sonhos desde Freud
Fairbairn
Um sonho não revela um desejo escondido, mas é antes uma narrativa simbólica do "estado das coisas" interno.

Psique humana

Ego

Dividida de forma a espelhar a parte objectal da personalidade



Impulsos libidinais e agressivos
Emergem do ego
Dirigem-se para a parte objetal da personalidade. Uma parte agressiva da personalidade - ataca as tentativas libidinais do ego, à qual Fairbairn denominou sabotador interno - uma espécie de traidor interno.
A parte objetal da personalidade está identificada com os objetos externos da infância - estando ligada à pessoa do ambiente atual do indivíduo.
Jung
Os sonhos surgem para no recordar constantemente
História precoce
do indivíduo
(infância)
Partes profundas da nossa natureza: que partilhamos com o homem primitivo e com os seus ancestrais pré-humanos
Inconsciente
coletivo
Inconsciente
pessoal
Sonhos
Ernest Schachtel
Amnésia
infantil
Prática clínica
da psicanálise
Convencionalização
Piaget
Processo de sonhar

Pensamentos de alguns autores:
Todos eles rejeitam a hipótese freudiana de que o que está a ser recalcado é um desejo oculto e de que este recalcamento causa ou instiga o sonho;
Todos defendiam que todo um modo de funcionamento mental estava encoberto pela linguagem do sonho;
Piaget acreditava que sonhar é um processo do pensamento;
Todos se agarraram à ideia de que sonhar é um processo e não uma inscrição de um fato estático - um desejo especifico.
Consideração fisiolófica do sonho
Três estados fisiológicos na vida dos mamíferos
O estado de vigília (estado da consciência em que há máxima ou plena manifestação da atividade sensorial e motora);
O estado REM;
O sono.
Sono REM - Rapid Eye Movement (Movimento ocular rápido)

Fase do sono na qual ocorrem os sonhos mais vividos.
Caraterísticas do estado
NREM
REM
Bibliografia
Symington, N. (1999). A experiência analítica. Lisboa: Climepsi (Freud e a compreensão dos sonhos, pp. 77-89);
Conteúdo latente e conteúdo manifesto. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-10-20].
Realização alucinatória - colocada num contexto de fantasia
Passa da necessidade física
para a esfera psíquica
1- Estímulos externos - qualquer perturbação dos sentidos;
2- Estímulos internos - provém do organismo;
3- Acontecimentos recentes.
Contéudo manifesto - tradução de desejos proibidos em imagens visuais que se relacionam com os desejos.
Contéudo latente - verdadeiro sonho.
Distorção do sonho:
Considerou os sonhos no contexto dos processos de pensamento da infância.
Full transcript