Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Evolução da cartografia

Mapas, sua evolução ao longo do tempo e pequenas explicações
by

Gabriela Carvalho

on 23 March 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Evolução da cartografia

Atualmente os cartógrafos utilizam de informações gráficas recebidas por satélites. Dados precisos, que fornecem uma dimensão maior do espaço global. Dispensam impressões Com as grandes navegações do século XV, o homem na busca por riquezas, passa a ter maior interesse na cartografia. O interesse supera a fé. Inventaram a imprensa e técnica de gravação que permitiu o maior número de reproduções, que até então eram manuscritos. Na Idade Média as concepções religiosas, influenciaram também na cartografia. Foi um período de decadência, os mapas que tinham por estilo a simplicidade e a simetria da distribuição das terras, o que também interessava à igreja romana, especialmente quando a terra santa era colocada no centro das representações. 
  Os gregos foram os maiores cartógrafos da antiguidade no século VII a.C., eles elaboraram uma cosmografia (descrição dos sistemas astronômicos do mundo), a fim de compreender fenômenos naturais.  Na Grécia antiga, Aristóteles e Hiparco produziram mapas com latitudes e longitudes. Foram os primeiros a usar uma base científica e a observação. O mapa grego é um tipo de projeção azimutal Os romanos ultilizavam-se de uma forma de representação muito primitiva, situavam Roma como centro do mundo e davam maior ênfase ao registro de rota. A função principal desses mapas era de ordem prática, sendo utilizados para fins militares, administrativos e comercias. Em Roma, Ptolomeu representou a Terra dentro de um círculo. Os egípcios usavam os mapas como ferramenta administrativa, para cobrar impostos e demarcar a terra. Mas, mais do que isso, foram eles que desenvolveram o método da Triangulação para determinar distâncias baseados na matemática, e o “nível”, instrumento em forma de “A” com um pêndulo no meio usado para medir áreas. Os egípcios faziam, ainda, registros cadastrais das terras em documentos considerados cartas geográficas. A cartografia surgiu por volta de 2.500 a.C., quando foi confeccionado pelos sumérios, considerado o primeiro mapa da história, feito em placa de barro cozido   A China pode ser citada como outra região em que a Cartografia oriental deixou marcas de grande valor histórico. Sabe-se que a cartografia chinesa já era bastante desenvolvida muito antes que na Europa começassem a se destacar as primeiros trabalhos neste campo de conhecimento humano. Os mapas tinham finalidades cadastrais, demarcatórias de fronteiras, planos para conservação das águas, meios para fixação de impostos, estratégia militar. Evolução da cartografia no mundo Divisão do Brasil em capitanias hereditárias
Para garantir o controle do território brasileiro, o rei de Portugal, D. João III, reparte o Brasil em 15 lotes, ou capitanias hereditárias, em 1534. As áreas são doadas a cidadãos da pequena nobreza portuguesa, chamados de donatários, que ficam responsáveis por governar, colonizar, resguardar e desenvolver a região com recursos próprios. A posse do lote é vitalícia e hereditária. Divisão dos estados brasileiros Projeção interrompida de Goode
A projeção interrompida ou descontínua do professor norte-americano Paul Goode é um tipo diferenciado de projeção idealizado pelo autor com a finalidade principal de mostrar a equivalência das massas continentais e oceânicas. Para tanto, os mapas que apresentam esse tipo de projeção trazem as referidas massas interrompidas ou descontínuas, como se fossem gomos de um Globo Terrestre.
Projeção de Mollweide

A Projeção de Mollweide é um tipo de representação cartográfica elaborada em1805 pelo cartógrafo alemão Karl Mollweide, e foi criada para corrigir as diversas distorções da projeção de Mercator. Essas projeções são do tipo equivalente, isto é, conservam a proporção ou equivalência das áreas representadas em detrimento da forma. Nelas, os paralelos são horizontais e estão de tal modo espaçados que cada área limitadas por dois deles conserva a mesma proporção da área real, embora possa variar muito no tocante à forma. Elas têm formato elíptico e são muito utilizadas para a confecção de mapas-múndi.
Projeção de Peters
Em 1973, Arno Peters, cartógrafo e historiador alemão, criou uma projeção que ele mesmo chamou de “mapa para um mundo solidário”.É uma projeção cilíndrica tangente aos pólos, parecida com a de Mercator, mas com a diferença fundamental de representar, o mais próximo possível da realidade, a proporção de tamanho entre os continentes sem se preocupar com a equivalência das distâncias.Os paralelos estão separados a intervalos crescentes desde os pólos até o Equador. No Brasil Como era Como é atualmente Alguns tipos de projeções Fusos horários
Full transcript