Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

EMRC

No description
by

Luís Silva

on 15 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of EMRC

Política, ética e religião
Metas: H, I, M, O
Arte cristã
Metas: B, G, J, K, L
Única unidade em que se pretende atingir a meta K
Um sentido para a vida
Amor e sexualidade
Metas: B, F, J, M, O, P, Q
Uma das duas unidades em que se pretende atingir a meta P
A comunidade dos crentes em Cristo
Ética e economia
Metas: B, G, H, I, L, M, N, O, Q
Interrogações a que pretende responder:
- Quem dizem os homens que é a Igreja? Que matérias ofuscam a imagem verdadeira da Igreja?
- Que lugar tem cada cristão na construção da comunidade cristã? Que lugar me cabe a mim? Que papel quero ter na construção da história cristã que não termina agora?
- Não devia a Igreja ser perfeita? Como integrar os momentos sombrios da história cristã?
- A que nos referimos ao dizer «Igreja»?
- Que missão teve, tem e terá a Igreja? O que se deve esperar dos que se dizem «cristãos»?
Metas: E, H, I, J, O
A religião como modo de habitar e transformar o mundo
Interrogações a que pretende responder:
- Pode definir-se o ser humano sem atender à sua dimensão religiosa?
- Quanto do humano se perde ao esquecer o contributo da religião, em termos individuais e coletivos?
- Pode o homem viver sem simbolismo, se ele é, por definição, «homo symbolicus»?
- Que lugar teve, tem e deverá continuar a ter o sagrado na vida dos homens?
- O que tem de específico o cristianismo no contexto da reflexão sobre o
religioso
?
- Que Deus se revela através da experiência cristã?
- Que novos desafios se colocam à experiência cristã, num contexto de secularização e pluralismo?
- Não estará na religião, enquanto afirmação da provisoriedade da vida, o antídoto contra os fundamentalismos e radicalismos?
- Que papel ímpar cabe ao cristianismo, na construção de um novo mundo?
Metas: A, B, C, D, E, F, G, H, L, N, O
Unidade que pretende atingir mais metas. Uma das duas unidades que pretendem atingir as metas A, C, D
Ciência e religião
Interrogações a que pretende responder:
- Que papel, virtualidades e limites deve ter a ciência na vida humana?
- Que papel, virtualidades e limites deve ter a religião na vida humana?
- A história da relação entre cristianismo e ciência é uma história de conflito ou colaboração? Que fatores contribuem para a impressão de que existe um conflito? Que circunstâncias ainda alimentam dificuldades de diálogo?
- O que pode saber a ciência? O que pode saber a religião?
- Pode a ciência fundamentar a ética?
- O que tem a religião a dizer sobre as aplicações tecnológicas do saber científico?
Metas: A, B, H, L, Q
Uma das duas unidades que pretendem atingir a meta A.
EMRC
Ensino Secundário

A civilização do amor
Metas: B, C, D, F, G, I, M, O, P, Q
Segunda Unidade com mais metas. Uma das duas únicas que pretendem as metas C e D.
Valores e ética cristã
Interrogações a que pretende responder:
- Que lugar deve ter a arte na existência humana, em geral, e na experiência religiosa, em particular?
- Como se construiu, ao longo da história, a arte?
- Poderá pensar-se a arte sem a sua relação com a religião?
- Que contributo deu e continua a dar o Cristianismo à arte?
Sugestão de atividade: criar um site com a identificação dos principais elementos do património cristão do concelho em que se encontra a escola.
Interrogações a que pretende responder:
- Pode o ser humano conceber-se sem a busca do sentido?
- Que papel cabe à religião, em geral, e ao Cristianismo, em particular, na estruturação do sentido?
- Que relação existe entre sentido e vocação?
- Que consequências resultam de se encontrar sentido para a vida?
- Que rumos confirmam ou desvirtuam o sentido da vida?
Sugestão de atividade:
- Promover um encontro de partilha de experiências vocacionais diversas.
Metas: B, E, F, L, N, O, P
Interrogações a que pretende responder:
- Podem identificar-se os conceitos de sexo e sexualidade?
- Pode educar-se a sexualidade?
- É suficiente definir o amor como sentimento?
- Que contributo pode dar o cristianismo para a compreensão e vivência da sexualidade?
- Que nexo existe entre ética e vivência da sexualidade? Pode a sexualidade escapar à reflexão ética?
- Que relação existe entre o sentido cristão da vida e as vivências da sexualidade?
Sugestão de atividade:
Construir, em contexto de aula, um manifesto pela vivência humanizada da sexualidade, a divulgar pela escola.
Metas: F, G, L, M, O
Interrogações a que pretende responder:
- Pode alguém viver de forma amoral?
- Que papel têm os valores na vida humana?
- Que tipos de valores existem? Que relação deve existir entre eles?
- Que contributo cabe à religião, em geral, e ao Cristianismo, em particular, na fundamentação da ética?
- De que Homem fala cada ética?
Sugestão de atividade:
Construir
jornais das boas notícias
, feitos apenas com notícias que evidenciam ações fundamentadas numa ética personalista.
Interrogações a que pretende responder:
- Pode a política estar alheada da ética? E que relação deve ter com a religião?
- Que nexo existe entre política e cidadania?
- Pode um cristão ficar indiferente à ação política?
- Que valores devem fundamentar a atividade política?
- Que contributo pode dar o cristianismo à reflexão e ação política?
Sugestão de atividade:
- Envolver os alunos no programa «Parlamento dos jovens» ou criar um parlamento ad hoc para problematização de matéria a escolher.
Interrogações a que pretende responder:
- Que lugar tem a economia na vida pessoal e coletiva?
- Que relação deve existir entre economia e ética? Qual o valor fundamental que a economia deve proteger?
- Que lugar tem a reflexão social no pensamento cristão? Pode pensar-se o cristianismo sem o envolvimento nos problemas da sociedade?
- Que respostas do cristianismo pode esperar a sociedade contemporânea?
- Que papel deve ter o trabalho na realização humana?
Sugestão de atividade:
Promover concurso de ideias para redução da pobreza no concelho onde está situada a escola - «Pobreza zero»
Interrogações a que pretende responder:
- O que tem de específico a «civilização do amor» perante outras «civilizações»? O que tem de semelhante e diferente esta ideia de civilização?
- Pode o amor fundamentar a política, a economia, a gestão, as relações sociais?
- Pode o amor ser mais do que utopia e realizar-se como esperança?
- De que «amor» fala o cristianismo que propõe ao mundo a realização da «civilização do amor»?

Sugestão de atividade:
Propor campanha que interrogue a escola sobre «o que falta fazer para tornar o mundo melhor?».
Sugestão de atividade:
Promover um debate sobre o papel do Cristianismo, em diversas áreas. Anteceder o debate de um inquérito à comunidade.
Sugestão de atividade:
Promover um debate construtivo sobre a cooperação entre ciência e religião.
Ex.: convidar um teólogo, um físico para debate em que se evidencie o que podem e devem dizer a ciência e a religião sobre as origens.
Sugestão de atividade:
Promover um encontro inter-religioso ou ecuménico a propósito do papel das religiões (ou do cristianismo) nas sociedades contemporâneas.
«O cristianismo nunca nos deixa com dúvidas sobre o objetivo da arte: é um meio para nos recordar o que é importante. Existe para nos orientar para o que devemos adorar e injuriar se queremos ser ajuizados, boas pessoas na posse de almas bem-aventuradas.»
«Os artistas cristãos sabem que os seus talentos técnicos [...] têm como objetivo supremo provocar em nós respostas éticas, para que os nossos olhos possam treinar os nossos corações.»

Alain de Botton -
Religião para ateus
, p. 209 e 227
«O ponto a salientar não é apenas que há regularidades na natureza, mas que essas regularidades são matematicamente precisas, universais e que atuam «em bloco». Einstein falou delas como «razão encarnada». A questão que devemos colocar é a de saber como é que a natureza apareceu organizada desta maneira. Esta é certamente a pergunta que colocaram os homens de ciência, de Newton a Einstein e Heisenberg - e à qual responderam. A sua resposta foi: a Mente de Deus.»
Antony Flew -
Deus existe
, p. 90.
«O facto de a civilização ocidental dever à Igreja o sistema universitário, as obras de caridade, o direito internacional, as ciências, diversos princípios legais importantes, e muito mais - este facto não tem sido propriamente transmitido com grande zelo aos alunos. A civilização ocidental tem para com a Igreja Católica uma dívida muito superior àquela de que a maioria das pessoas se apercebe - incluindo muitos católicos. A verdade é que foi a Igreja Católica que erigiu a civilização ocidental.»

Thomas E. Woods, jr -
O que a civilização ocidental deve à Igreja Católica
, p. 7
«As religiões merecem a nossa atenção devido à sua pura ambição conceptual; por mudarem o mundo de uma forma que poucas instituições seculares alguma vez fizeram. Elas conseguiram combinar teorias sobre ética e metafísica com um envolvimento prático em educação, moda, política, viagens, hospedarias, cerimónias de iniciação, edição, arte e arquitetura - uma gama de interesses que envergonha o âmbito de realizações até dos maiores e mais influentes movime seculares e individuais da história. Para aqueles que se interessam pela disseminação e pelo impacto de ideias, é difícil não ficarem mesmerizados com exemplos dos movimentos educativos e intelectuais mais bem-sucedidos que o planeta jamais testemunhou.»

Alain de Botton -
Religião para ateus
, p. 20.
«A política, tão denegrida, é uma sublime vocação, é uma das formas mais preciosas da caridade, porque busca o bem comum.»

Francisco,
Evangelii Gaudium
205
«A dignidade de cada pessoa humana e o bem comum são questões que deveriam estruturar toda a política económica, mas às vezes parecem somente apêndices adicionados de fora para completar um discurso político sem perspetivas nem programas de verdadeiro desenvolvimento integral.»

Francisco - Evangelii Gaudium, 203.
«Cada cristão e cada comunidade são chamados a ser instrumentos de Deus ao serviço da libertação e promoção dos pobres, para que possam integrar-se plenamente na sociedade; isto supõe estar docilmente atentos, para ouvir o clamor do pobre e socorrê-lo.»

Francisco -
Evangelii Gaudium
, 187
«A grande tradição católica pede aos cristãos para reconhecer que o homem, qualquer ser humano, justamente porque - segundo a nossa fé - é criado à imagem e semelhança de Deus, é
capax boni
, apto para discernir entre bem e mal em virtude de um indestrutível selo gravado no seu coração e da razão com que é dotado.»
Enzo Bianchi -
Para uma ética partilhada
, p. 56.
«O amor compreende a totalidade da existência em toda a sua dimensão, inclusive a temporal. Nem poderia ser de outro modo, porque a sua promessa visa o definitivo: o amor visa a eternidade. Sim, o amor é «êxtase»; êxtase, não no sentido de um instante de inebriamento, mas sim como caminho, como êxodo permanente do eu fechado em si mesmo para a sua libertação no dom de si e, precisamente dessa forma, para o reencontro de si mesmo, mais ainda para a descoberta de Deus.»
Bento XVI -
Deus caritas est
6
O homem tem a peculiaridade de não poder viver sem olhar para o futuro: sub specie aeternitatis.»
Viktor Frankl - O homem em busca de sentido, p. 108.
6
9
10
2
1
3
4
8
7
5
Virtualidades dos novos manuais
Em cada secção, existem recursos que visam facilitar a aprendizagem e a lecionação:

- sínteses que permitem resumir os principais conteúdos a aprender;

- perguntas para promover a discussão e desafiar à busca de novos âmbitos de reflexão.

- imagens fortes, úteis para a promoção de discussões pedagogicamente oportunas;

- muitos títulos são formulados de forma interrogativa, colocando, desde logo, o leitor/aluno em atitude de expectativa;

- textos claros, com uma narrativa simultaneamente cuidada e incisiva. complementados com informações disponibilizadas lateralmente.

- recurso a autores clássicos e a contemporâneos, a textos recolhidos das grandes narrativas da história, mas também dos discursos e narrativas que fazem o nosso quotidiano.
Full transcript