Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS SALTOS CONTRAMOVIMENTO E SQUAT JUMP

No description
by

Uilian Silva

on 28 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS SALTOS CONTRAMOVIMENTO E SQUAT JUMP

Introdução
Introdução
Introdução
Introdução
Saltos Verticais:


Indicadores para os níveis de potência;
Preditor de desempenho em vários esportes;
Parte importante de ações motoras mais complexas;
O próprio resultado esportivo
Introdução
Em vista dessa importância, vários estudos vêm sendo realizados na tentativa de explicar as variáveis que determinam a “performance” nessa ação motora (Bobbert, Gerritsen, Litjens & Van Soest, 1990).


ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS SALTOS CONTRAMOVIMENTO E SQUAT JUMP
Introdução
Basquetebol: arremessos e rebotes ;
Brenda Emilly dos Santos
Juliana Cristina Silva
Roberta de Souza e Silva
Vanessa Caroline Borges

Dentre as várias modalidades esportivas que se utilizam do salto vertical durante os jogos ou provas podemos citar:

Voleibol: cortadas e bloqueios;
Enquanto para outras, representa o próprio resultado esportivo (salto em altura).
Introdução
Durante essas ações musculares há a produção de um trabalho negativo, o qual tem parte de sua energia mecânica absorvida e armazenada na forma de energia potencial elástica nos elementos elásticos em série (FARLEY, 1997).

Introdução
Objetivo
Variáveis biomecânicas compreendem:
Metodologia
O saltador inicia-se estacionado, semi-agachado e, vigorosamente, estende os joelhos e quadris, saltando verticalmente sobre a superfície do solo (LINTHORNE, 2001).
Salto Squat Jump
Salto Contramovimento
O saltador inicia-se na posição a, em pé, faz um movimento descendente preliminar pela flexão de joelhos, quadris e tornozelos e, imediatamente, estende-os verticalmente até saltar sobre a superfície do solo. (LINTHORNE, 2001)

Os voluntários realizaram um breve alongamento e aquecimento.


Posteriormente executaram alguns saltos fim de se familiarizarem com o movimento e garantir uma padronização do protocolo.
Todos os atletas saltaram com as mãos na cintura , (Intervalo de 10segundos )e com intervalo recuperativo de 2 min realizaram entre eles.
Resultados
Conclusão

SCM mostrou uma maior altura, potência, força, deslocamento do CM e tempo de voo em relação ao SJ.

Velocidade angular, uma das variáveis que também se mostrou maior no SCM não interfere na altura dos saltos.
Referências
BOBBERT, M.F. Drop jumping as a training method for jumping ability. Sports Medicine, v.9, n.1, p.722, 1990.

BRAZ TV, PENNATI ES, SPIGOLON LMP, VIEIRA NA, PELLEGRINOTI IL, BORIN JP.
Comparação entre diferentes métodos de medida do salto vertical com contramovimento.
R. bras. Ci. e Mov 2010;18(2):43-49.

CARPENTER, C. S. Biomecânica. Sprint: Rio de Janeiro, 2005.

FARLEY, C.T. Role of the stretch-shortening in jumping. Journal of Applied Biomechanics,
v.3, n.4, p.436-9, 1997.

HALL, Susan J. Biomecânica básica. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

HAMILL J.; KNUTZEN K. M. Bases Biomecânicas do Movimento Humano.
3 ed. Manole: São Paulo, 2012.

Referências
HASSON C. J.; DUGAN E.L.; DOYLE T.L.A.; HUMPHRIES B.; NEWTON R.U. Neuromechanical strategies employed to increase jump height during the initiation of the squat jump. J Electromyogr. Kinesiol. 2004; 14(4): 515–521.

BROWN, L. E.; WEIR J. P. Traduzido por: OLIVEIRA, H. B.;BOTTARO, M.; LIMA, L. C. J.; FILHO, J. F. Avaliação precisa da força e potência muscular. R. bras. Ci. e Mov. Brasília v. 11 n. 4 p. 95-110 out./dez. 2003.

LINTHORNE, N. P. Analysis of standing vertical jumps using a force platform. School of Exercise and Sport Science, p.1198-1204, 2001.

MARTINS, R. C. Análise das variáveis dinâmicas dos saltos verticais. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional Universidade Federal de Belo Horizonte - Minas Gerais, 2009.

MOURÃO, P.; GONÇALVES, F. A UTILIZAÇÃO DOS MEMBROS SUPERIORES NOS SALTOS VERTICAIS: Estudo comparativo entre um salto sem contramovimento sem a utilização dos membros superiores e um salto sem contramovimento com a utilização dos membros superiores. Revista de desporto e saúde da Fundação Técnica e Científica do Desporto.


Referências
PUPO, J. D. ; DETANICO, D.; SANTOS, S. G. Parâmetros Cinéticos Determinantes do Desempenho dos Saltos Verticais. Revista Brasileira Cineantropometria e Desempenho Humano 2012.

SILVA, K. R. da; MAGALHÃES, J.; GARCIA, M. A. Desempenho do salto vertical sob diferentes condições de execução. Arquivos em Movimento, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p.17-24, janeiro/junho 2005.

UGRINOWITSCH, C. BARBANTI, V. J. O ciclo de alongamento e encurtamento e a “performance” no salto vertical. Rev. paul. Educ. Fís., São Paulo, 12(1): 85-94, jan./jun. 1998.

Young W, Pryor J, Wilson G. Effect of instructions on characteristic of countermovement and drop jump performance. J Strength Cond Res 1995;9:232-236.
Full transcript